Blog de Agências de Resultados

Como estabelecer uma relação de confiança entre líder e liderado

Muitos novos gestores não obtêm o máximo potencial de suas equipes e uma das causas disso é a dificuldade de ganhar a confiança dela; veja dicas para aumentar o nível de confiança entre líderes e liderados

Uma das principais satisfações em trabalhar na área de parcerias da Resultados Digitais é acompanhar de perto o quanto nossas agências parceiras cresceram em faturamento e equipe. E esse crescimento abre oportunidades e desafios com a criação de cargos novos como coordenadores e gerentes. Em sua grande maioria, esses novos gestores ocupam a liderança pela primeira vez.

Conversando com nossos parceiros percebi que esses novos gestores têm dificuldade de extrair o máximo potencial de sua equipe. Investigando a causa, cheguei à conclusão de que uma das grandes razões para isso era o fato de que muitos gestores não conseguiam ganhar a confiança de seu time.

Esse artigo é o primeiro de uma série que publicarei aqui com o intuito de ajudar esses novos gestores na difícil tarefa de se tornarem verdadeiros chefes líderes para sua equipe. Vamos lá!

Antes de falarmos de confiança…

O poder da motivação

Com certeza você já ouviu várias pessoas dizendo que um bom gestor deve ser um líder em vez de chefe. O problema é que, diante de tanto conteúdo, fica difícil encontrar algum texto que mostre — e convença — com clareza por quais motivos deveríamos buscar essa transformação.

Na minha visão, um grande gestor sabe que é medido por resultados e que, no caso, seus resultados são a soma dos esforços de outras pessoas — sua equipe. Sendo assim, há a clara compreensão de que não importa mais quão bom você é em planejamento da estratégia do cliente ou em representação comercial, mas sim quão boa a sua equipe é em planejar ou vender.

Como Dale Carnegie escreveu em seu livro Como fazer amigos e influenciar pessoas, a única maneira de fazer com que uma pessoa faça o que você quer que ela faça é ela querendo fazer. E está aí a grande diferença entre um líder e um chefe. Um líder consegue levar as pessoas a encararem os desafios com gana, fruto de alto grau motivacional. E motivação é a chave para obter excelentes resultados.

De acordo com o filósofo Mário Sérgio Cortella, uma pessoa motivada vê a excelência como ponto de partida e não como ponto de chegada. Em outras palavras, ela quer produzir mais do que sua obrigação.

Sobre confiança

Não é por acaso que escolhi falar de confiança para estrear essa série. Andy Grove explicou em seu consagrado livro High output management que o foco das tarefas do dia a dia de um gestor devem estar relacionadas na qualidade (e na quantidade) das entregas do seu time. E confiança é a característica que julgo mais importante – dentre tantas essenciais para um líder dominar, porque tem um alto impacto na motivação da equipe – e bom, já vimos a importância da motivação acima. Ou seja, confiança é um poderoso recurso para motivar – e motivação leva a ação. Simples assim.

Quer mais um motivo para desenvolver confiança? Leia o excelente livro O Segredo da Dinamarca de Helen Russell, onde ela conta sua experiência vivendo no país que foi eleito diversas vezes o mais feliz do mundo. Não vou dar spoiler, mas posso adiantar que confiar nas pessoas traz – sim – felicidade.  

Como ter confiança em você

Confiar em você significa ter garra. Em seu último livro Originals: How Non-Conformists Move the World, o professor da Universidade da Pensilvânia, Adam Grant, faz uma reflexão sobre pessoas que movem o mundo e podemos perceber a forte relação dessas pessoas com sua autoconfiança. É preciso acreditar em você e no que está fazendo.

Minha primeira sugestão para desenvolver sua autoconfiança é saber exatamente qual é o resultado esperado do seu trabalho. Tenha isso bem claro.

Já o segundo passo é saber que segurança e confiança andam juntas. Sendo assim, reflita em coisas que você é inseguro e trabalhe nisso. Eu, por exemplo, tinha grande dificuldade de falar em público. Eu me sentia desconfortável e, consequentemente, inseguro. Mas logo percebi que se quisesse passar a mensagem certa para o meu time eu precisava melhorar essa questão. Saber disso deu foco para eu melhorar uma coisa por vez. Vem dando certo. 🙂

O escritor David Marquet diz que “chefes dão ordens, líderes dão controle”. E esse é o terceiro aprendizado que tive para desenvolver confiança em si. Desapegue do controle absoluto e apegue-se em direcionar as pessoas. Você vai ver como isso é importante mais abaixo.

Como ter confiança nos liderados — e eles em você

Confiança é uma via de mão dupla. Você é o líder e seu time espera que você se comporte como tal e não confiar em seus liderados é uma arma mortal contra a sua liderança.

A experiência me mostrou que preciso de três coisas para gerar e receber confiança dos meus liderados. A primeira é criar um senso de unidade, a segunda é ter o interesse genuíno na melhoria constante das pessoas e a terceira é dar a eles uma liberdade moderada.

Um líder deve fazer com que seus liderados gerem confiança entre eles mesmos. Quando você faz seu time confiar entre si, faz com que eles confiem em você. Para exemplificar o que quero dizer, assista ao discurso motivacional que Al Pacino dá no filme Um domingo qualquer. Você perceberá como ele cria uma atmosfera de confiança onde todos lutarão juntos “polegada por polegada”.

Pessoas são diferentes e é seu dever como líder conhecer as habilidades e, principalmente, as limitações de cada um. É preciso muita dedicação e disciplina para as pessoas progredirem, e é seu papel guiar as pessoas de forma genuína. Um líder que não desenvolve pessoas não é um líder de fato.

Outro aprendizado para ganhar e receber confiança é contada por Phil Knight, fundador da Nike, em sua autobiografia A Marca da Vitória onde baseou seu estilo de gestão na citação do general George Patton: “não diga às pessoas como fazer as coisas, diga-lhes o que fazer e deixe-as surpreendê-lo com seus resultados”. Ao fazer assim, ele se recusou a microgerenciar seus colaboradores. Em vez disso, preocupou-se em contratar as pessoas certas e dar-lhes um pouco de liberdade para resolver problemas. Se você mostrar confiança em seus liderados e suas decisões, eles criarão novas e melhores maneiras de fazer as coisas.

Como ter confiança no seu líder — e ele em você

Qualquer mudança na estrutura da agência pode envolver uma série de desafios para a equipe. Não é diferente quando os colaboradores passam por uma mudança de gestão, com o surgimento de novos cargos de coordenadores na equipe. Essa mudança acaba sendo, em um primeiro momento, desconfortável e faz com que os profissionais tenham que sair da sua zona de conforto. Se você foi promovido para um cargo de gestão nesse momento, saiba que existe também um desafio para seu próprio gestor — que agora tem como compromisso ajudar no seu desenvolvimento como líder.

É muito comum ouvir histórias de coordenadores que começam esse tour of duty com vontade de “transformar” o ambiente organizacional e acreditam que poderiam fazer um trabalho melhor do que seus próprios gestores. O problema é que vejo essa “vontade de fazer acontecer” tornando-se, muitas vezes, decisões atropeladas e mal alinhadas, o que pode tornar esse momento de transição ainda mais difícil.

Por isso, é importante ir com calma. Se a agência está abrindo novos cargos de liderança e está evoluindo, é bem possível que seu gestor esteja fazendo um monte de coisas certas, não é mesmo? Então aqui vai um conselho: tenha confiança na experiência pela qual seu gestor já passou e busque fazer alinhamentos constantes sobre o futuro da área.

Se você consegue aproveitar os pontos fortes do seu gestor como aprendizado e estabelece uma relação de transparência entre vocês, a tendência é que vocês consigam juntos trazer uma cultura de foco em crescimento mútuo.


Este artigo procurou mostrar como a confiança é essencial para liderar. É preciso ter a preocupação em desenvolvê-la e espero que tenha conseguido mostrar como é possível fazer isso.

Confiança não é algo que você pode pedir emprestado, você precisa conquistá-la com muito trabalho e feedback (dos seus líderes e liderados).

Se quiser conversar mais sobre liderança, fico à disposição para ajudar você!

Marcadores:

Deixe seu comentário