Blog de Marketing Digital de Resultados

3 aspectos sobre experiência mobile que você deve considerar na hora de criar sua loja virtual

Os dispositivos móveis são um canal cada vez mais importante no acesso à internet. Por isso, o segmento de ecommerce deve dar uma atenção especial à experiência mobile, pois isso pode fazer a diferença entre conseguir ou não mais vendas.

A maneira como acessamos a internet, consumimos conteúdos e compramos está em constante transformação. E um fato que há muito tempo não é segredo para ninguém é o crescente papel do celular: nosso acesso à internet é cada dia mais mobile. Todos os negócios que operaram a partir de sites já sabem disso, porém a adaptação das lojas virtuais para esse novo cenário tem sido muito mais lenta do que o ideal.

A internet no Brasil

Desde 2014, o celular é o principal meio de acesso à internet no Brasil, quando ultrapassou o laptop pela primeira vez. Segundo o PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios publicado pelo IBGE) de 2014, publicado neste ano, a cada cinco casas, quatro usam celulares para acessar a internet no Brasil. Em algumas regiões, como o Nordeste, a proporção desse uso é ainda maior, com 92,5% dos domicílios usando o celular como meio de acesso à internet.

Esse grande número de acessos, porém, ainda não refletiu no número de compras feitas pelo celular. Apenas 3% dos entrevistados de uma pesquisa publicada pela e.life group disseram usar seus smartphones para efetuar compras pela internet.

Como tantos acessos via mobile não acabam se convertendo em compras efetivamente? Isso se deve ao fato de a experiência do usuário não ser pensada para o acesso a lojas virtuais via mobile.

Experiência mobile em lojas virtuais hoje

Apesar da importância da experiência mobile em um site ser um consenso entre desenvolvedores, essa é uma tarefa mais desafiadora quando se trata de um ecommerce. Os CMSs (Custom Management System) de lojas virtuais possuem códigos e módulos mais complexos que um site comum, de maneira a garantir as operações e a segurança do site. Além de exigir mais dos servidores, isso pode refletir na experiência mobile.

A complexidade do código pode até fazer com que o front-end developer tenha dificuldades em fazer um site responsivo. Dessa maneira, o que acontece muitas vezes é a adaptação do site feito para desktop para o celular, em uma espécie de “gambiarra”.

Essa situação está longe de ser a ideal. Como um celular tem um poder de processamento menor que o de um laptop, não faz sentido que carregue um site inteiro e pesado – que foi feito para grandes telas – para depois configurar as exceções escritas para ambiente mobile de maneira a ser responsivo.

Como, cada vez mais, nossa primeira tela tem sido o celular, o mais adequado é que o site seja primeiro pensado para esse tipo de dispositivo. Caso a tela seja maior, o laptop carregará mais rapidamente as adaptações para que o site fique adequado a ela. Essa prática é chamada de mobile first, e há algum tempo é uma das principais correntes de pensamento no webdesign.

E você, já pensa no seu ecommerce para dispositivos mobile? Quer você já esteja se preocupando com isso ou não, veja 3 aspectos para os quais você deve atentar na hora de criar ou adaptar sua loja virtual:

1) Velocidade de carregamento

 

Um fator básico a ser considerado quando se avalia a experiência de um site para o ambiente mobile é sua velocidade de carregamento. No Brasil, temos conexões de internet mobile de média ou baixa qualidade, além de planos de dados limitados. Não devemos somente pensar no acesso do nosso site via WiFi. Poucos segundos a mais no tempo de carregamento de uma loja online podem resultar em muita diferença nas vendas.

Para melhorar esse aspecto, é preciso prestar atenção a diversos detalhes do seu site. Itens com maior impacto sobre a velocidade, como imagens, devem ser os primeiros a serem analisados. Estude utilizar formatos mais leves, como JPEG, com compressão maior (em um ponto que não prejudique a imagem).

Outros itens são códigos JavaScript e de outros tipos que devem carregar assincronamente (ou seja, não ao mesmo tempo) e depois da primeira dobra (a primeira parte do site que aparece no dispositivo sem termos que usar a barra de rolagem).

2) Usabilidade

Navegar um site através de um laptop com uma tela de 14 polegadas e acessar o mesmo site usando os dedos em uma tela de 4 polegadas são experiências completamente distintas. Essa adaptação é muito mais do que só redimensionar os itens para caberem nas diferentes telas.

Botões, campos de texto, textos, ícones de navegação. Todos os elementos do site têm que ser pensados em termos de tamanho, posicionamento, cor, interação e outros aspectos para telas menores e para uso dos dedos como ferramentas de navegação. Um dedo é muito menos preciso que um clique. Por isso, os elementos devem ser grandes o suficiente para que os usuários não precisem dar zoom para interagir. Isso permite que naveguem mais confortavelmente pelo site.

O celular também possui diversos recursos gráficos que são comuns para aplicativos. Uma maneira de o site passar segurança para quem o acessa via mobile, por exemplo, é usar animações ou não ser completamente estático. Isso dá a impressão de que é um site feito para celular.

3) Integração com as redes sociais

Nós, brasileiros, somos muito ativos nas redes sociais. Em 2015, gastamos em média 650 horas por mês nas redes sociais – quantidade 60% maior do que a média global, segundo a pesquisa Digital Future Focus Brazil 2015, divulgada pela comScore.

Grande parte do nosso tempo da internet é gasto nas redes sociais. Através delas, nos informamos e encontramos que tipos de conteúdos e produtos vamos consumir. Faz todo sentido um negócio estar ativamente presente nas redes sociais como parte de sua estratégia digital.

Agora pense: por onde normalmente acessamos nossas redes sociais?

Os celulares estão toda hora nos lembrando de voltar para as redes sociais para conferir a última notificação. Acessamos nossas redes sociais pelo celular ao menor sinal de ócio. Além disso, grande parte das redes sociais existentes nasceram para o ambiente mobile ou possuem um grande foco nelas, como Facebook, Instagram, Snapchat, WhatsApp, Twitter e outras.

Por isso, caso alguém descubra sua loja virtual através das redes sociais, é bom que já tenha uma boa experiência com seu site logo no primeiro contato, independentemente do dispositivo que esteja usando.

 

O ambiente mobile já é fundamental para qualquer negócio online, mas principalmente para lojas virtuais, que dependem da internet para sobreviver. E essa é uma tendência que não irá parar tão cedo. Com celulares com recursos cada dia mais poderosos, vamos deixar de utilizar outros dispositivos para realizar a maior parte das nossas atividades no celular, incluindo compras.

Por isso, pensar no site para telas pequenas é imprescindível para qualquer negócio que sonhe em ser grande.

Esse post foi escrito pela equipe de marketing da Impress.ly.

Marcadores:

Deixe seu comentário