Blog de Marketing Digital de Resultados

4 estratégias de Marketing Digital enquanto sua empresa ainda não tem um Site

Muitas empresas de todos os tamanhos e segmentos tem reconhecido o potencial do marketing digital, mas na hora de investir acabam não sabendo por onde começar. Por ser o formato mais antigo e conhecido no meio online, o site da empresa acaba sendo intuitivamente a primeira opção a atacar. De fato o site é uma peça importante no tabuleiro do marketing digital, mas como exige tempo, dinheiro e conhecimento relativamente grandes, para muitas empresas outras frentes podem ser mais interessantes para priorizar.

Com esse post buscamos complementar o conhecimento sobre as estratégias para fazer antes de reformular o seu site e mostrar como orientamos clientes com diferentes objetivos de negócio enquanto seus sites ainda estão no forno.

1. Blog para negócios

O blog, apesar das similaridades, é uma ferramenta muito mais simples que o site. Nosso próprio caso aqui na Resultados Digitais é um exemplo disso, pois criamos o blog muito antes de pensar no RD Station ou no site da empresa. Justamente por ser tão simples e importante, o único serviço que prestamos fora a consultoria é o de criação de blogs (apenas para clientes).

A grande diferença do blog para o site está no conteúdo publicado. Enquanto o site traz normalmente informações sobre a empresa e seus produtos, o blog traz conteúdo relevante para todo um mercado. Ou seja, você tem de saber exatamente para quem está escrevendo e gerar valor para esse leitor. O conteúdo também deve ser orientado por nível de profundidade, enquanto alguns leitores ainda estão na fase de aprendizado e reconhecimento de um problema, outros já estão maduros e buscam embasamento para a decisão de compra. Uma das grandes vantagens do marketing digital reside exatamente nessa capacidade de conversar com pessoas em todos os estágios do processo de compra.

Nós costumamos dizer em nossos materiais que o conteúdo – e consequentemente o blog – são um ativo permanente, pois depois de publicados gerarão valor indefinidamente para a empresa. Esse valor pode ser visto na forma de novos leitores, fonte de conteúdo para outros canais e reconhecimento da sua marca como autoridade sobre um determinado tema.

2.  Atrair e relacionar com seu público nas mídias sociais

Praticamente todo mercado tem público nas mídias sociais, por isso ter uma boa presença nesses canais pode trazer resultados bem positivos para sua empresa. Um dos principais motivos para isso é que nesses canais os usuários podem falar sobre o que e quem eles quiserem, potencializando o boca-a-boca e afetando diretamente a visão das pessoas sobre a marca. Monitorar essa opinião pública é importante por dois motivos: o primeiro é manter a credibilidade da marca monitorando o que é falado sobre ela, e outra é conseguir reais insights e percepções dos seus clientes sobre sua empresa e produtos. Juntas essas práticas podem lhe ajudar a entender os pontos fracos e fortes da sua empresa e as melhores formas de melhorá-los.

Para empresas que ainda não tem um site no ar, ter uma página de empresa em alguma dessas mídias é essencial para tornar a marca conhecida e mantê-la viva. Para começar esse trabalho é muito importante deixar claro o objetivo dessas mídias. Aqui, diferentemente do blog e outros canais, as pessoas não estão ativamente buscando resolver problemas ou aprender algo, normalmente estão se divertindo, ou seja, o seu foco não pode ser diretamente a venda. Investir em mídias sociais significa criar laços de longo prazo com seus consumidores e uma relação de ganha-ganha com eles através desse relacionamento.

O conteúdo ideal para esses canais são normalmente artigos interessantes, dicas, divulgação de eBooks e afins, coisas que despertem o interesse no leitor e o direcionem para uma outra página onde você não divide mais a atenção dele com outras empresas e amigos. Como mencionado no tópico acima, o blog é uma excelente fonte de conteúdo para as mídias sociais. É bem indicado que se compartilhe links do blog, que vão gerar tráfego e aumentar o alcance do seu conteúdo na proporção em que os leitores percebam valor no que você está falando. Manter uma certa frequência nas postagens também é uma boa prática, evitando que sua empresa seja esquecida ou se torne chata por excesso de conteúdo. Cada mídia social tem um padrão ideal de postagens, cabe a você escolher quais são as mais expressivas para o seu negócio e de que forma entregar o maior valor para os usuários.

3. Landing Pages para converter Leads e personalizar a comunicação

Uma Landing Page (página de conversão) é uma página com poucas opções de navegação, nelas normalmente o visitante realiza a conversão esperada ou sai da página. Essa página serve principalmente para fazer a troca de conteúdos relevantes por informações do visitante e sua empresa. Sua estrutura básica é uma oferta (ebook, cupom de desconto), um formulário para as perguntas e um call to action, que trabalha para direcionar o visitante para o conteúdo relacionado a essa promoção.

Mesmo que você não tenha um domínio próprio é muito fácil usar Landing Pages, pois elas ficam hospedadas na própria ferramenta que o oferece, como é o caso do RD Station. Já existem templates otimizados e prontos para usar desse tipo de página, com campos editáveis para os textos, cores e a oferta da sua empresa.

No tópico sobre blogs falamos sobre enviar conteúdos personalizados para os Leads de acordo com o seu interesse e momento no processo de compra, aqui não é diferente. No caso das mídias sociais onde falamos em despertar o interesse de um visitante que não estava ativamente buscando algo, devemos direcioná-los para uma oferta de conteúdo introdutório.

Uma forma de gerar oportunidades de negócio mais maduras é trabalhar com mídia paga no Google. Nesse caso o internauta está ativamente buscando por algo e por isso podemos direcioná-lo diretamente para uma Landing Page de conteúdo mais avançado, que corresponda ao conhecimento buscado por ele. Esse tipo de Lead chega muito mais maduro até você e apresenta um ciclo de compra consideravelmente menor.

No caso de empresas que ainda estão desenvolvendo um produto, usar Landing Pages para medir a receptividade do mercado para o novo produto é um ótimo termômetro. As pessoas não fornecem suas informações de contato facilmente, e se o seu produto não gerar a sensação de criação de valor para o visitante dificilmente você conseguirá a conversão.

4. E-mail marketing para (re-)engajar

Até aqui passamos por alguns canais para gerar tráfego e uma ferramenta para trocar seu conteúdo por informações do Lead. Mas como transformar tudo isso em receita? A resposta é relacionamento, e não é necessário ter um site para isso.

Com as informações que você conseguiu sobre os seus Leads é possivel criar diversas hipóteses, seja para segmentá-los por produtos em que se interessam, localização geográfica ou quaisquer outros critérios. Como já mencionamos diversas vezes aqui no blog, as pessoas não estão mais dispostas a receber promoções generalistas, e quanto melhor você conseguir personalizar a mensagem de acordo com a pessoa, melhor será a sua receptividade. Por esse motivo o próximo passo da nossa estratégia é segmentar a sua base em grupos e criar mensagens assertivas para continuar construindo o relacionamento. Para exemplificar melhor como isso é feito vou mostrar três casos de uso do e-mail marketing para diferentes objetivos de negócio:

Objetivo autoridade – A medida que sua estratégia de Marketing de Conteúdo vai educando o mercado, sua empresa começa a ser vista como referência no assunto. Essa autoridade tem diversos impactos positivos, e um dos principais deles é a fidelização de clientes. Toda empresa para realizar uma venda tem diversos custos, que são incrementados no preço do produto com uma determinada margem de lucro. A oportunidade aí está justamente em a grande maioria das empresas se concentrarem unicamente na aquisição de novos clientes, em vez de trabalhar para fidelizar os que já conquistou. Um cliente que efetua a segunda compra ou aumenta o seu plano de um dado serviço está adicionando receita sem aumentar os seus custos de aquisição. O e-mail marketing bem feito é uma ferramenta poderosa para isso, mesmo que o volume de clientes cresça, ferramentas como a automação de marketing conseguem dar a inteligência necessária para que você engage com Leads e clientes com o conteúdo certo e na hora certa e cresça consistentemente o volume de vendas casadas e revendas.

Objetivo trabalhar Leads vindos do offline – Para muitos negócios a participação em feiras e eventos é uma das principais formas de exposição da marca e aquisição de novos clientes. Uma ótima forma de dar continuidade a esse relacionamento após eventos é trazer esses Leads para o meio online, interagindo com eles por e-mail. Por estarem em eventos específicos esses Leads são maduros e tem grande potencial de se tornarem clientes, e na hora de engajar com eles podemos ser mais agressivos enviando conteúdos mais avançados no processo de compra.

Objetivo lançamento de produto/serviço – Como mencionamos no tópico sobre Landing Pages, quando temos um produto ainda em fase de desenvolvimento é muito importante verificar a receptividade do mercado. Com o e-mail marketing podemos ter um alinhamento de expectativa sobre o produto e trabalhar para criar expectativa no lançamento. Nós mesmos usamos essa estratégia para fazer o lançamento muito bem sucedido da automação de marketing aqui na Resultados Digitais. Você também pode conseguir ótimos resultados trabalhando nesse sentido.

Apesar do senso comum de que marketing digital depende de um site, vimos que é perfeitamente possível gerar resultados mesmo enquanto ele ainda não existe ou está sendo re-desenhado. Além disso, trabalhar previamente essas estratégias pode dar ótimos insights para a construção de um site mais eficiente e alinhado com os seus objetivos. Se quiser conhecer como todas essas ferramentas trabalham juntas dentro do RD Station, faça uma avaliação do marketing da sua empresa com nossos consultores, estamos à disposição.

Marcadores:

Deixe seu comentário