Blog de Marketing Digital de Resultados

4 ações para capacitar sua equipe através de um Trainer

Entenda a importância de um Trainer dentro da empresa e confira 4 passos para capacitar sua equipe e prepará-la para entregar os melhores resultados!

Das poucas vezes que fui ao teatro, sempre fiquei admirado com a harmonia de todos os elementos.

Um ator preparado, a fala decorada, as roupas de acordo com a peça me faziam crer que o todo fazia muito sentido.

Hoje percebo que, com certeza, existiam pessoas atrás das cortinas que fizeram aquilo tudo acontecer.

Em uma empresa esse é o papel do Trainer: alguém que fica nos bastidores capacitando, de diversas formas, a performance dos que atuam no palco.

Não basta simplesmente acumular Talentos para potencializar a excelência de uma empresa.

De que adianta uma peça de teatro com os melhores atores se eles fazem feio na hora da apresentação?

A importância de um Trainer dentro da empresa

Na Resultados Digitais, percebemos essa necessidade no fim de 2015. Alguns meses depois, já somos três RDoers exclusivamente focados na área de treinamentos.

Um Trainer que já viveu o sucesso, as dores e o dia a dia da empresa geralmente tem uma conexão maior com os Talentos. Alguém que esteve no palco pode entender os bastidores com mais facilidade.

O Talento precisa saber responder: qual é a cultura da empresa, seus valores? Como chegou até aqui? Como a “engrenagem” funciona? O que os clientes passam? Como é o produto que vendemos, na prática? O que o mercado exige?

Antes, porém, é importante ressaltar que não é papel do Trainer entregar sozinho todos os treinamentos, e isso torna essa área conectada com todas as áreas da empresa. Afinal, diferentes Talentos compartilhando conhecimento somam mais que treinamentos centralizados em uma só pessoa.

Cito a seguir 4 ações para ajudar no entendimento do dia a dia de um Trainer:

1 – Get Ready: antes da estreia, a preparação

Na Resultados Digitais prezamos por um trabalho completo desde o começo.

Antes de começar a atuar, nossos Talentos precisam entender onde estão pisando, afinal, ninguém nasce pronto.

Importante lembrar: o treinamento inicial deve ser relacionado às necessidades da empresa, e não o contrário.

Por isso, nosso dever é fazê-los ter o contato mais próximo possível com nossa ferramenta de Marketing Digital, o RD Station, e com o Inbound Marketing.

Dessa forma, conseguimos trazer a essência da empresa para a realidade do Talento.

2 – Get Better: aperfeiçoar a atuação

Manter a vantagem competitiva através das pessoas requer um investimento contínuo no desenvolvimento dos Talentos, já que estão inseridos em um mundo que muda rapidamente.

O problema é que muitos Talentos entram em um dilema: “No que tenho interesse de me aprofundar? São tantos assuntos!”, e isso é perigoso.

Dessa forma, corre-se o risco de ter a chamada “Síndrome de Rocky Balboa”, como chama o filósofo Mario Sergio Cortella.

O lutador que fez sucesso nos cinemas passava por um problema: preparar-se para enfrentar algo de forma muito rápida e, muitas vezes, não obter o resultado esperado.

Melhorar a atuação merece uma atenção voltada ao longo prazo e não para “apagar incêndios” corriqueiros.

Por isso, antes de desenvolver um treinamento, é preciso entender quais competências são necessárias para os Talentos, para um melhor desempenho das tarefas.

Recordo-me do filme “The Wolf of Wall Street”, de 2013. Um personagem secundário fica para trás da maioria dos colegas de trabalho por não ter se reinventado. Novos Talentos, novas maneiras de vender e ameaças para o trabalho.

Não deu outra: ele foi demitido.

O papel do Trainer é fazer o Talento perceber que se contentar com o possível em vez de alcançar o melhor possível pode trazer consequências negativas. Eis a importância de um bom treinamento.

Muito importante é lembrar que o que acontece antes e depois do treinamento é tão importante quanto o curso em si para determinar os resultados.

Ou seja, a linha de chegada de um treinamento não se dá no dia em que ele se encerra e as cortinas se fecham.

Como diria o autor Calhoun Wick: “A verdadeira linha de chegada para o aprendizado é a entrega de resultados para o negócio”.

3 – Reunião de acompanhamento: desenvolvimento de competências

Enquanto o gestor realiza reuniões de acompanhamento com foco no desenvolvimento da carreira, satisfação e desempenho na função e comportamento na equipe, o Trainer realiza reuniões focadas em gaps e compartilhamento de conhecimento, além de feedbacks dos treinamentos.

Antes do início dessas reuniões, porém, o Trainer precisa prestar atenção em dois pressupostos em relação aos Talentos:

  • 1 – O Talento é criativo. Nele é preciso ver potencial. Talvez a solução dele seja uma nova alternativa para um velho problema;
  • 2 – O Trainer tem as perguntas e o Talento as respostas. Ele sabe quais suas necessidades e possivelmente a solução para esses gaps.

Vamos pegar um exemplo. João, um vendedor que tem sérios problemas com gestão do tempo. Ele não organiza direito sua agenda e isso influencia diretamente nas vendas.

O gestor ajuda João a criar uma rotina de trabalho, mapear as atividades, separar os horários. Mas ele precisa descobrir o que vai funcionar pra ele e prestar contas para o gestor de como anda esse projeto.

Para coroar o aprendizado, João pode ficar responsável por compartilhar esse conhecimento em um treinamento, organizado e direcionado pelo Trainer, já que os caminhos que ele percorreu e os aprendizados que obteve podem ser úteis para seus colegas.

4 – Direcionamentos: facilitação na forma de atuar

Além do desenvolvimento com outras pessoas, precisamos reiterar a importância de se autodesenvolver.

Imaginemos um consultor, José.

Ele necessita de diferentes formas para explicar os mesmos conceitos, já que o nível de conhecimento de seus clientes varia muito.

Percebida essa necessidade por José e seu time, o Trainer é o responsável por organizar um playbook com diferentes discursos de explicação para as consultorias, por exemplo.

Claramente esse playbook seria utilizado a longo prazo e repassado para os que chegam também.

Afinal, por onde começar?

Mais do que treinamentos que entram por um ouvido e saem pelo outro, desde o começo o Trainer precisa pensar em resultados.

Por isso, de maneira geral é preciso entender a importância de aplicar:

Antes do treinamento:

  • Entender os objetivos de aprendizagem
  • Descrever o que os participantes farão
  • Definir o formato e método do conhecimento passado

No treinamento:

  • Trazer a mensagem de forma simples e concreta
  • Facilitar o entendimento dos participantes
  • Se preciso, realizar exercícios de fixação sobre o conteúdo

Depois do treinamento:

  • Coletar feedbacks e avaliação
  • Confirmar os resultados que realmente interessam
  • Elaborar planos de ação para dar apoio à performance
  • Implementar melhorias

E você, como realiza ou espera realizar os treinamentos em sua empresa?

Até a próxima!

Marcadores:

Deixe seu comentário