O mínimo que você precisa saber para criar um site para sua empresa


o mínimo que você precisa saber para criar um site para sua empresa

Você já se sentiu frustrado por não ter criado um site para sua empresa ou projeto pessoal? Seu possível consumidor tenta encontrar o site de seu negócio e… nada!

Não ter uma presença própria no meio digital, atualmente, pode inclusive descredibilizar a sua empresa.

É claro que ter uma página no Facebook ou canal do YouTube é extremamente relevante, tanto por impulsionar sua presença nas buscas do Google como para reunir a audiência que está presente nas redes sociais, mas não é o suficiente.

Criar um site só seu, além de te dar um porto seguro e uma cara só sua, permite que seu negócio entre de fato no Marketing Digital de resultados, ao permitir a criação de páginas de conversão e de um blog para atrair tráfego orgânico, por exemplo.

Não é preciso, no início, que seu site seja perfeito, ele apenas precisa existir! Vamos mostrar nesse post que não é tão difícil assim tomar os primeiros passos. Por isso, vamos explorar brevemente 4 etapas básicas para que você tenha essas primeiras noções sobre como funciona a criação de um site.

1. Registro do domínio

O domínio é o nome do seu site, a identidade dele, por este motivo, é necessário que seja escolhido com cautela. Geralmente, o domínio é o nome da sua empresa ou projeto, seguido de uma terminação. As mais populares – e recomendadas – são .com ou .com.br, porém há inúmeros outros sufixos como .net, .edu, .org, .gov, .info, .biz, etc.

É importante ressaltar que quando for criar o seu site é muito mais vantajoso que você compre o domínio ao invés de utilizar plataformas em suas versões gratuitas. Quando você utiliza o nome dessas plataformas no seu domínio, está automaticamente transferindo a autoridade do seu site para elas. Além disso, gera uma aparência não muito profissional ao seu site. Exemplos: seusite.wix.com, seusite.blogspot.com, seusite.wordpress.com.

Você pode registrar seu domínio em vários sites: Registro.br, RedeHost, HostGator, Superdomínios, dentre muitos outros. Os valores variam de acordo com a terminação escolhida (.br costuma ser mais caro), com o plano, etc. A maioria deles já vai oferecer um serviço de hospedagem de sites, que é o nosso próximo passo.

2. Hospedagem

A Hospedagem é o serviço de armazenamento que faz com que o seu site fique disponível para quem queira visitá-lo. As empresas que prestam esse serviço apresentam vários planos, desde alguns mais simples (e mais baratos), até outros com opções personalizadas.

Você pode optar por registrar o seu domínio e hospedar o seu site com a mesma empresa, o que geralmente sai mais barato.

Há vários planos de hospedagens. As mais populares são:

  • Hospedagem Compartilhada: Na hospedagem compartilhada, um mesmo servidor pode abrigar centenas de sites. Sendo assim, cada site dentro do servidor possui uma determinada cota de memória, espaço em disco, etc. Isso significa que o site terá um desempenho menor, quando comparado à hospedagem dedicada. Ao mesmo tempo, o custo da hospedagem também será inferior.
  • Hospedagem Dedicada: Enquanto na hospedagem compartilhada o servidor é utilizado por diversos sites, na dedicada o seu site terá o servidor inteiramente disponível. A hospedagem dedicada possui um custo mais elevado, entretanto oferece maior segurança para os sites que possuem um alto número de acessos simultâneos.
  • VPS: É a sigla para Virtual Private Server, ou seja, Servidor Virtual Privado. Neste tipo de hospedagem, os usuários compartilham um servidor, mas cada servidor privado fica isolado do “servidor ao lado”, o que afeta menos o desempenho do site.

O ideal é você consultar as funcionalidades de cada um de acordo com o servidor que você está contratando para saber qual vale mais a pena para seu negócio.

3. Construtor de sites

Após ter contratado o serviço de hospedagem, é necessário começar a construir seu site. Um bom construtor de sites para projetos iniciais será aquele que dispensará profundos conhecimentos de HTML e que também te dará facilidade para criar o template, como falaremos abaixo, além de mais opções de aplicativos para otimizar seu site e sua experiência.

Recomendamos usar o WordPress.org (que possui mais autonomia do que o WordPress.com) ou o Joomla!, que são CMS’s (Content Management System) fáceis de serem instalados. Há muitos servidores que oferecem uma instalação rápida e prática, sem a necessidade de muito conhecimento técnico. Se você quer facilidade de instalação, pesquise servidores que possuam essa funcionalidade e com poucos cliques seu site estará no ar.

Aqui na Resultados Digitais, utilizamos o WordPress para o blog. Caso você precise, também é possível instalar o WordPress manualmente via Cpanel no seu serviço de hospedagem. Basicamente, este processo consiste em quatro etapas:

  • Baixar e descompactar o pacote do WordPress, disponível em português facilmente na homepage da plataforma;
  • Criar um nome de usuário e um banco de dados WordPress via Cpanel diretamente no seu serviço de hospedagem;
  • Criar e editar o arquivo wp-config.php a partir do sample nos arquivos do WordPress;
  • Terminar a instalação do WordPress diretamente no seu site.

Para ver uma explicação detalhada deste processo você pode seguir esse tutorial que o próprio WordPress disponibiliza.

Nós da RD também oferecemos um blog em WordPress, que fica acessível em um subdomínio em seu site. O nosso blog pode vir a ser sua primeira presença digital, caso você já tenha um domínio, mas ainda não tenha um serviço de hospedagem e um construtor de sites. Saiba aqui como solicitar um blog para a RD.

Mas caso você ainda precise de algo ainda mais simplificado, pode registar seu site no WordPress.com e pagar uma taxa anual (em dólares) para registrar um domínio lá mesmo ou para mapear um domínio já existente e utilizá-lo como endereço dentro do WordPress. A diferença entre wordpress.com e wordpress.org é simples. Segundo o próprio WordPress:

  • WordPress.org é o site de desenvolvimento do WordPress (a ferramenta para criar blogs), onde pode fazer o download do software para alojar no seu próprio ISP/alojamento, e no qual pode utilizar todos os temas que quiser, as extensões (plugins) que quiser, personalizar (CSS p.ex.), alterar idiomas, modificar o código fonte e por aí a fora.
  • WordPress.com é bastante diferente. Das mãos da Automattic, oferece um serviço gratuito de hospedagem de blogs usando o mesmo software, um utilizador cria um endereço do tipo omeublog.wordpress.com, mas que inclui certas limitações como a de poder escolher apenas alguns temas, ou de incluir no rodapé o texto “Aloje seu blog com WordPress.com”, e ainda de restringir a utilização de JavaScript, CSS e FTP.

4. Templates

Para criar seu site o ideal é sempre escolher um template responsivo – o que não é mais uma tendência e sim uma realidade do Marketing Digital atual. Templates responsivos são aqueles que se adaptam à tela do navegador que está sendo usado para abrir o site. Por exemplo, se você abre no celular um mesmo site que havia aberto no computador e o texto se adapta à tela menor, este é um template responsivo. Você pode fazer esse teste ao mudar o tamanho no próprio navegador: se os textos e imagens se adaptarem, você estará trabalhando com um template responsivo.

Você pode escolher templates que já venham com o construtor de sites. No caso do WordPress e Joomla!, existem milhares de template, com infinitas possibilidades. Eles podem ser pagos ou gratuitos – tudo dependerá do que você deseja em relação a aparência do site.

Alguns sites que possuem temas para WordPress e/ou Joomla! são:

Conclusão

Agora que você já sabe como fazer um site, não há mais desculpas para não estar presente no meio digital! Lembre-se, são quatro passos básicos: registrar um domínio, escolher um serviço de hospedagem deste domínio, optar por um construtor de sites e escolher um template – de preferência, responsivo.

Procure manter em mente que o seu site deve ter a cara do seu negócio ou projeto – desde o domínio escolhido até o layout das páginas.

Mesmo que, em um primeiro momento, o site não fique exatamente como você está imaginando, você pode fazer alguns ajustes ao longo do tempo para personalizá-lo. O que realmente importa para dar os passos iniciais em Marketing Digital é que sua marca esteja presente e que possa ser encontrada virtualmente.

Saiba mais:

Marketing de Conteúdo para Resultados - eBook grátis

Software de Marketing Digital - RD Station


Categorias: Blog

  • http://www.agenciamacan.com.br MACAN

    Olá Tainá,

    Sua separação por tópicos foi bem relevante e de fácil entendimento para quem já possui alguma experiência com internet.

    Acredito que as dificuldades venham a ser apresentadas no tópico 3 e 4, apesar de serem referenciados a outros artigos, porém, ainda acreditamos que selecionar uma agência de web design é o melhor caminho para ter sucesso na internet.

    Ela poderá orientar melhor o cliente com relação as suas necessidades e apresentar mais ideias caso seja necessário.

    Sucesso!
    Diego Massarotte

  • http://chagbrasil.com Fernando CHAG

    Tainá, o caminho é este! Parabéns! Porém, criar um site que realmente represente a empresa na internet é uma arte. Vai muito além de um domínio próprio e um blog. Exige um intenso trabalho de SEO, arquitetura de conteúdo e programação. Sem dúvida o WordPress é a plataforma fantástica, mas este universo exige conhecimentos específicos que não devem ser cobrados do empreendedor. A este cabem outras tarefas fins relacionadas as decisões e ações estratégicas do negócio. Fazer um site, é uma tarefa meio, importante e necessária, mas que não deve ser responsabilizada ao empresário. Dar os primeiros passos na internet de forma errada podem gerar problemas difíceis de corrigir no futuro online da empresa. O barato pode consumir muito tempo e gerar um prejuízo incalculável para os negócios. Sugiro seguir por este caminho, mas procurar uma empresa de confiança, séria, honesta que possa ser como um anjo da guarda na internet para desenvolver o site oficial da empresa, com a mesma qualidade que a empresa quer ser reconhecida no mercado.

    Fernando Pereira
    CHAG Soluções Web
    http://www.chagbrasil.com