Blog de Marketing Digital de Resultados

O mínimo que você precisa saber para criar um site para sua empresa

Confira quais são as 4 etapas básicas para que você tenha as primeiras noções sobre como funciona a criação de um site.

Você já se sentiu frustrado por não ter criado um site para sua empresa ou projeto pessoal? Seu possível consumidor tenta encontrar o site de seu negócio e… nada!

Não ter uma presença própria no meio digital, atualmente, pode inclusive descredibilizar a sua empresa.

É claro que ter uma página no Facebook ou canal do YouTube é extremamente relevante, tanto por impulsionar sua presença nas buscas do Google como para reunir a audiência que está presente nas redes sociais, mas não é o suficiente.

Criar um site só seu, além de te dar um porto seguro e uma cara só sua, permite que seu negócio entre de fato no Marketing Digital de resultados, ao permitir a criação de páginas de conversão e de um blog para atrair tráfego orgânico, por exemplo.

Não é preciso, no início, que seu site seja perfeito, ele apenas precisa existir! Vamos mostrar nesse post que não é tão difícil assim tomar os primeiros passos. Por isso, vamos explorar brevemente 4 etapas básicas para que você tenha essas primeiras noções sobre como funciona a criação de um site.

1. Registro do domínio

O domínio é o nome do seu site, a identidade dele, por este motivo, é necessário que seja escolhido com cautela. Geralmente, o domínio é o nome da sua empresa ou projeto, seguido de uma terminação. As mais populares – e recomendadas – são .com ou .com.br, porém há inúmeros outros sufixos como .net, .edu, .org, .gov, .info, .biz, etc.

É importante ressaltar que quando for criar o seu site é muito mais vantajoso que você compre o domínio ao invés de utilizar plataformas em suas versões gratuitas. Quando você utiliza o nome dessas plataformas no seu domínio, está automaticamente transferindo a autoridade do seu site para elas. Além disso, gera uma aparência não muito profissional ao seu site. Exemplos: seusite.wix.com, seusite.blogspot.com, seusite.wordpress.com.

Você pode registrar seu domínio em vários sites: Registro.br, RedeHost, HostGator, Superdomínios, dentre muitos outros. Os valores variam de acordo com a terminação escolhida (.br costuma ser mais caro), com o plano, etc. A maioria deles já vai oferecer um serviço de hospedagem de sites, que é o nosso próximo passo.

2. Hospedagem

A Hospedagem é o serviço de armazenamento que faz com que o seu site fique disponível para quem queira visitá-lo. As empresas que prestam esse serviço apresentam vários planos, desde alguns mais simples (e mais baratos), até outros com opções personalizadas.

Você pode optar por registrar o seu domínio e hospedar o seu site com a mesma empresa, o que geralmente sai mais barato.

Há vários planos de hospedagens. As mais populares são:

  • Hospedagem Compartilhada: Na hospedagem compartilhada, um mesmo servidor pode abrigar centenas de sites. Sendo assim, cada site dentro do servidor possui uma determinada cota de memória, espaço em disco, etc. Isso significa que o site terá um desempenho menor, quando comparado à hospedagem dedicada. Ao mesmo tempo, o custo da hospedagem também será inferior.
  • Hospedagem Dedicada: Enquanto na hospedagem compartilhada o servidor é utilizado por diversos sites, na dedicada o seu site terá o servidor inteiramente disponível. A hospedagem dedicada possui um custo mais elevado, entretanto oferece maior segurança para os sites que possuem um alto número de acessos simultâneos.
  • VPS: É a sigla para Virtual Private Server, ou seja, Servidor Virtual Privado. Neste tipo de hospedagem, os usuários compartilham um servidor, mas cada servidor privado fica isolado do “servidor ao lado”, o que afeta menos o desempenho do site.

O ideal é você consultar as funcionalidades de cada um de acordo com o servidor que você está contratando para saber qual vale mais a pena para seu negócio.

3. Construtor de sites

Após ter contratado o serviço de hospedagem, é necessário começar a construir seu site. Um bom construtor de sites para projetos iniciais será aquele que dispensará profundos conhecimentos de HTML e que também te dará facilidade para criar o template, como falaremos abaixo, além de mais opções de aplicativos para otimizar seu site e sua experiência.

Recomendamos usar o WordPress.org (que possui mais autonomia do que o WordPress.com) ou o Joomla!, que são CMS’s (Content Management System) fáceis de serem instalados. Há muitos servidores que oferecem uma instalação rápida e prática, sem a necessidade de muito conhecimento técnico. Se você quer facilidade de instalação, pesquise servidores que possuam essa funcionalidade e com poucos cliques seu site estará no ar.

Aqui na Resultados Digitais, utilizamos o WordPress para o blog. Caso você precise, também é possível instalar o WordPress manualmente via Cpanel no seu serviço de hospedagem. Basicamente, este processo consiste em quatro etapas:

  • Baixar e descompactar o pacote do WordPress, disponível em português facilmente na homepage da plataforma;
  • Criar um nome de usuário e um banco de dados WordPress via Cpanel diretamente no seu serviço de hospedagem;
  • Criar e editar o arquivo wp-config.php a partir do sample nos arquivos do WordPress;
  • Terminar a instalação do WordPress diretamente no seu site.

Para ver uma explicação detalhada deste processo você pode seguir esse tutorial que o próprio WordPress disponibiliza.

Nós da RD também oferecemos um blog em WordPress, que fica acessível em um subdomínio em seu site. O nosso blog pode vir a ser sua primeira presença digital, caso você já tenha um domínio, mas ainda não tenha um serviço de hospedagem e um construtor de sites. Saiba aqui como solicitar um blog para a RD.

Mas caso você ainda precise de algo ainda mais simplificado, pode registar seu site no WordPress.com e pagar uma taxa anual (em dólares) para registrar um domínio lá mesmo ou para mapear um domínio já existente e utilizá-lo como endereço dentro do WordPress. A diferença entre wordpress.com e wordpress.org é simples. Segundo o próprio WordPress:

  • WordPress.org é o site de desenvolvimento do WordPress (a ferramenta para criar blogs), onde pode fazer o download do software para alojar no seu próprio ISP/alojamento, e no qual pode utilizar todos os temas que quiser, as extensões (plugins) que quiser, personalizar (CSS p.ex.), alterar idiomas, modificar o código fonte e por aí a fora.
  • WordPress.com é bastante diferente. Das mãos da Automattic, oferece um serviço gratuito de hospedagem de blogs usando o mesmo software, um utilizador cria um endereço do tipo omeublog.wordpress.com, mas que inclui certas limitações como a de poder escolher apenas alguns temas, ou de incluir no rodapé o texto “Aloje seu blog com WordPress.com”, e ainda de restringir a utilização de JavaScript, CSS e FTP.

4. Templates

Para criar seu site o ideal é sempre escolher um template responsivo – o que não é mais uma tendência e sim uma realidade do Marketing Digital atual. Templates responsivos são aqueles que se adaptam à tela do navegador que está sendo usado para abrir o site. Por exemplo, se você abre no celular um mesmo site que havia aberto no computador e o texto se adapta à tela menor, este é um template responsivo. Você pode fazer esse teste ao mudar o tamanho no próprio navegador: se os textos e imagens se adaptarem, você estará trabalhando com um template responsivo.

Você pode escolher templates que já venham com o construtor de sites. No caso do WordPress e Joomla!, existem milhares de template, com infinitas possibilidades. Eles podem ser pagos ou gratuitos – tudo dependerá do que você deseja em relação a aparência do site.

Alguns sites que possuem temas para WordPress e/ou Joomla! são:

Conclusão

Agora que você já sabe como fazer um site, não há mais desculpas para não estar presente no meio digital! Lembre-se, são quatro passos básicos: registrar um domínio, escolher um serviço de hospedagem deste domínio, optar por um construtor de sites e escolher um template – de preferência, responsivo.

Procure manter em mente que o seu site deve ter a cara do seu negócio ou projeto – desde o domínio escolhido até o layout das páginas.

Mesmo que, em um primeiro momento, o site não fique exatamente como você está imaginando, você pode fazer alguns ajustes ao longo do tempo para personalizá-lo. O que realmente importa para dar os passos iniciais em Marketing Digital é que sua marca esteja presente e que possa ser encontrada virtualmente.

Marcadores:

Deixe seu comentário