Blog de Marketing Digital de Resultados

Como fazer um planejamento de Automação de Marketing [Planilha gratuita]

Um passo a passo para você criar seu planejamento de Automação de Marketing e uma planilha para você organizar e acompanhar todas as suas ações de Automação - e ganhar escala em seus resultados.

A Automação de Marketing é um passo natural a ser dado à medida que você avança em complexidade e volume nas suas estratégias e operações de Marketing Digital.

Afinal de contas, depois que você já tem uma certa quantidade de conteúdo a ser oferecido e uma base considerável de Leads e prospects, fica difícil – e nada escalável – realizar o processo de nutrição de Leads e classificação de oportunidades manualmente.

Mas fazer essa Automação de Marketing não é nada fácil se você não seguir um planejamento estruturado, com etapas claras.

Por isso, criamos um passo a passo para você criar seu planejamento de Automação de Marketing no RD Station para organizar e acompanhar todas as suas ações de Automação – e ganhar escala em seus resultados. Confira!

1. Criar um dashboard de acompanhamento

A primeira coisa que você deve fazer para planejar sua Automação de Marketing é criar um checklist das atividades necessárias para construir seus Fluxos de Automação, bem como conteúdos de apoio.

Você pode começar definindo quais são os seus objetivos com o planejamento. A seguir, vá elencando as atividades que precisam ser realizadas a fim de alcançar esse objetivo. Por exemplo, se o seu objetivo é nutrir os Leads, você pode ter como tarefas definir as personas, mapear os conteúdos e outros recursos existentes, mapear a jornada de compra e os pontos de conversão etc.

Para aprender como criar seu dashboard, consulte nossa planilha de Automação de Marketing.

Para acompanhar o andamento de suas ações de Automação de Marketing, clique na imagem acima e use a planilha gratuita que disponibilizamos para você.

2. Identificar pontos de conversão

Nesta segunda etapa o objetivo é mapear e centralizar todos os pontos de conversão que um Lead pode ter com sua empresa. Alguns exemplos são as Landing Pages, formulários, integrações com CRM etc.

É importante criar uma lista e detalhá-la com o maior número possível de informações, tais como:

  • nome do ponto de conversão (exemplo: formulário de contato);
  • identificador (exemplo: contato-site);
  • tipo de contato (exemplo: formulário no site);
  • estágio de compra (exemplo: decisão de compra);
  • campos necessários (exemplo: nome, email, empresa, telefone, mensagem);
  • URL (exemplo: site.com.br/contato);
  • se é integrado com a plataforma de Automação de Marketing.

3. Listar conteúdos de acordo com a jornada de compra

O próximo passo é listar os materiais que você já possui ou que pode desenvolver para cada etapa da jornada de compra. Lembre-se de que a jornada de compra deve ser planejada com foco em apenas um dos problemas ou dores da sua persona para que você crie conteúdos que consigam ser específicos e aprofundados o suficiente para ajudar a resolver este problema/dor.

Para cada novo problema – e sua respectiva solução – crie uma nova jornada de compra.

Para tornar a listagem de conteúdos mais organizada, crie tabelas para cada etapa da jornada (aprendizado e descoberta, reconhecimento do problema, consideração da solução e decisão de compra) e em cada uma delas inclua informações como tipo do conteúdo, título e qual é o status dele (se já está pronto, em andamento ou se ainda precisa ser iniciado).

Para ajudar na criação de suas jornadas de compra, utilize nossa ferramenta Gerador de Jornada de Compra.

Você também pode criar uma lista de apoio com os tipos de conteúdo que possui ou que quer produzir. Defina, para cada produto que você oferece, uma solução e um problema relacionados, quais conteúdos podem ajudar a resolver esse problema ou oferecer a solução, links relacionados, páginas do site e outros recursos que podem ser utilizados em um Fluxo de Automação.

Em nossa planilha de Planejamento de Automação temos uma aba específica para você consultar todos os tipos de conteúdo para ajudar a ter ideias de quais recursos você pode utilizar.

4. Escolher uma opção para nutrição de Leads

A Automação de Marketing atinge diversas etapas do Inbound Marketing: envio de conteúdo para Leads, classificação de oportunidades, divisão de Leads por vendedor etc. Mas uma das mais importantes é a nutrição de Leads.

Essa técnica consiste em enviar, de forma automatizada, uma sequência de emails com conteúdos relacionados àqueles em que o usuário demonstrou interesse alguns dias antes. A estratégia ainda tem uma utilização tímida no Brasil, mas já vem sendo utilizada com resultados excelentes por nós, da Resultados Digitais, e por vários de nossos clientes.

Para nutrição de Leads, há basicamente dois tipos de automação diferente: o autoresponder e a Automação de Marketing.

Entenda como funciona cada uma e veja exemplos.

Autoresponder

O Autoresponder é uma versão simplificada da Automação, utilizadao apenas para enviar emails em uma sequência pré-determinada.

Indicado para casos de uso mais simples, quando, por exemplo não existe grande volume de conteúdos.

Automação de Marketing

A Automação para nutrição de Leads é um recurso poderoso para o relacionamento com Leads da sua base. Possibilita, além do envio de emails, a automação de outras ações de acordo com o comportamento dos Leads.

Isso possibilita o relacionamento de forma individual e em grande escala com os diversos Leads de sua base, o que contribui diretamente para o aumento da produtividade de sua equipe.

Além disso, uma das possibilidades de uso da Automação é ajudar na organização da base de Leads, automatizando algumas ações gerenciais, como atribuir tags ou um dono ao Lead ou enviá-lo para seu CRM.

É muito utilizada para ações em que a equipe de marketing sinaliza algo para a equipe de vendas.

Para entender melhor como funcionam o Autoresponder e a Automação de Marketing, baixe nossa planilha de Planejamento de Automação.

Bônus: Opções de materiais para usar durante a Automação de Marketing

O Marketing de Conteúdo pressupõe o uso de diferentes formatos para entregar informação de qualidade a determinado público-alvo.

E, para entregar essa informação com mais rapidez, escalabilidade e eficiência, você pode – e deve – se valer da Automação de Marketing.

A seguir, veja alguns exemplos de formatos de conteúdos voltados para a conversão que você pode usar durante a Automação.

  • Textos: podem ser longos e abrangentes (como em eBooks e guias) ou mais curtos e/ou concisos (como artigos, listas, tutoriais e checklists). Não se esqueça de oferecê-los por intermédio de uma Landing Page para conseguir obter dados estratégicos de seus visitantes e convertê-los em Leads.
  • Templates: podem ser ferramentas (Automação mais completa em relação a algum problema ou diagnóstico do cliente), planilhas (para organizar informações ou com fórmulas para cálculos úteis), templates (documentos com layout formatado para a organização de informações importantes) ou worksheets (documentos para serem impressos e auxiliarem uma tarefa, como diagramas).
  • Imagens: há vários tipos de imagem que você pode trabalhar em seus conteúdos, como infográficos, estatísticas, mapas, roteiros, ilustrações em vetor, conjuntos de imagens etc.
  • Vídeos: você pode oferecer vídeos no formato público (com acessos disponíveis no YouTube ou outra plataforma similar) ou privados (não acessíveis na busca do YouTube ou similar). Além disso, pode oferecer também webinars ao vivo (transmissão em vídeo ao vivo de debate ou palestra sobre um tema específico) ou gravado (gravação em vídeo de debate ou palestra disponibilizada posteriormente). Outro formato, que não é propriamente vídeo, mas trabalha com ferramentas audiovisuais é o podcast (gravação em áudio de uma discussão sobre um determinado tema).
  • Domínio Público: este não é um formato tão comum na hora de oferecer conteúdo, mas é uma ótima oportunidade para geração de Leads. Você pode gerar Leads oferecendo normas (documento normativo de algum processo, como leis, ISOs etc.) ou editais (documento de lançamento de um edital público como licitações, concursos etc.).
  • Curadoria: A curadoria é um processo que envolve a seleção e filtragem de um conteúdo (geralmente de terceiros) antes de oferecê-lo ao público-alvo. Você pode oferecer esse conteúdo através de resumos (texto simplificando um assunto longo ou complexo), reviews (análise apontando prós e contras de um produto, serviço, processo etc.), recomendações (seleção dos melhores itens dentro de uma gama maior de opções) e traduções (tradução de um texto considerado interessante em outra língua).
  • Interação com o público: são conteúdos que preveem a participação do público. Podem ser sorteios (é necessário consultar legislação relacionada a sorteios), concursos criativos (por exemplo, autor da melhor frase), envio de mídia (como sua melhor foto no exterior), análise (pedido de envio de foto ou texto para responder publicamente, analisando o caso), enquete (pedido de compartilhamento de opinião em formulário de Landing Page) e evento (pré-cadastro em evento de lançamento ou evento presencial).
  • Lojas físicas: mesmo se você tiver uma loja física, você pode utilizar meios online para gerar interação com clientes. Você pode, por exemplo, cadastrar seus clientes de forma offline em alguma Landing Page, ou o cliente pode fazê-lo por algum dispositivo mobile. Você pode ainda enviar para ele por email um formulário de opinião ou para que ele se cadastre em sua newsletter.
  • Aplicativos: você pode oferecer aplicativos tanto online (ferramentas online para realizar alguma ação útil, como cálculos, formatações etc.) ou offline (ferramenta ou programa para download para realizar alguma ação útil).
  • Vendas: em relação às vendas, você pode criar várias formas de gerar uma conversão, como formulário de dúvidas (formulário comum de contato, porém usando campos personalizados para facilitar), contato com consultor (pedido de contato com um consultor de novos negócios ou vendedor), avaliação (solicitação de avaliação do negócio ou auxílio à compra), teste gratuito (solicitação de período de testes ou demonstração grátis), frete gratuito (solicitação de frete gratuito para uma ou mais compras), cupom de desconto (solicitação de cupom de desconto para uma ou mais compras), portfólio (PDF com todos os itens e categorias dos produtos ou serviços) e FAQ (PDF ou webinar tirando dúvidas sobre os produtos ou serviços).

Conclusão

Se você já está realizando a Automação de suas ações de Marketing Digital ou se ainda não começou, estas dicas vão ajudá-lo a ganhar agilidade e organização  no processo.

Utilize-as em conjunto com nossa Planilha de Planejamento de Automação de Marketing e aplique-as em suas estratégias para melhorar a performance de sua nutrição de Leads e da classificação de suas oportunidades.

Marcadores:

Deixe seu comentário