Blog de Marketing Digital de Resultados

Como perder o medo de escrever e começar a produzir conteúdo

Saiba como começar a produzir conteúdo sem ter o medo de errar e quais os benefícios que a escrita pode trazer para a sua vida pessoal e profissional.

Existe um erro gravíssimo no senso comum. É quando alguém diz que não sabe escrever porque isso é uma vocação, uma tarefa que só pode ser bem desempenhada por “quem nasceu para escrever”.

Nas próximas linhas você vai descobrir que escrever não é algo que só pode ser cumprido por um “seleto grupo de talentosos seres iluminados”. Não, escrever é uma atividade intrínseca do ser humano, uma forma de comunicação criada há mais de 5 mil anos e que você muito provavelmente utiliza diariamente.

1 – Comece escrevendo sobre um assunto que você domine

“É escrevendo mal que se aprende a escrever bem.” (Samuel Johnson)

Toda pessoa é expert em ao menos um assunto. E para esse um assunto existem milhares – quando não milhões – de pessoas interessadas em conhecer ou se aprofundar a respeito. Portanto, sim, você tem algo a dizer.

Aqui, na Resultados Digitais, todos nós somos incentivados a escrever sobre nossas respectivas áreas de atuação. E isso tem trazido efeitos incríveis.

Por exemplo, se você trabalha com vendas, pode tranquilamente escrever sobre como vender mais, conquistar mais clientes ou dar dicas de vendas Inbound. Se você é um desenvolvedor, pode falar sobre as várias linguagens de programação que você domina ou um projeto que você está participando. Se você é social media pode falar sobre como anunciar no twitter ou como aumentar o alcance orgânico no Facebook.

Percebe que é muito difícil encontrar uma pessoas ninja que possa falar com a mesma fluidez e autoridade sobre os três assuntos acima (vendas, programação e redes sociais)?

Isso reforça o que temos falado até aqui. Cada pessoa é única e possui suas próprias aptidões e características individuais. Use-as a seu favor para produzir conteúdo.

2 – Escrever é um aprendizado constante

“E eu aprendi, com os gregos, com os romanos, com os judeus, com os árabes, com os orientais e com os ocidentais, que aprender e ensinar são uma coisa só, quem não ensina não aprende, e que não aprende quem não ensina.” (Charles Kiefer)

Engana-se quem pensa que quem escreve está somente ensinando aos outros. Não é verdade. Quem escreve está, sobretudo, ensinando a si mesmo.

Depois de definir o assunto que você vai falar, separe um tempo para aprender mais. Seja curioso e aproveitar para pesquisar mais a fundo sobre o tema. Junte experiências pessoais com conhecimento de outras pessoas, estudos de caso, informações complementares ou o que for.

Há uma infinidade de artigos na internet sobre os mais variados temas. Se não tiver especificamente sobre o que você gostaria de escrever, ao menos há algo similar.

Faça essa pesquisa antes de começar e salve os links que te interessaram. Você já vai tirar proveito dessa pré-escrita antes mesmo de seu post ir ao ar.

No momento em que você estiver escrevendo, todo o conteúdo que você pesquisou será obrigatoriamente fixado com mais força em sua mente. Já o que você já tinha conhecimento certamente será desenvolvido.

3 – Como falar sobre o que você domina e sair da tela branca

“A história tem demonstrado que os vencedores mais notáveis ​​geralmente encontraram obstáculos dolorosos antes de triunfarem. Eles ganharam porque se recusaram a ficar desencorajados por suas derrotas.” (Bertie Charles Forbes)

Um dos maiores medos de quem escreve é abrir o editor de texto e permanecer por vários minutos com a tela branca aberta, observando este intermitente caractere: |

Você não está sozinho caso sinta isso. O que acontece é que, para driblar essa situação, há alguns antídotos bem simples e fáceis de serem aplicados em sua veia de escritor.

Pense, em primeiro lugar, que não existe texto pronto sem rascunho. Dessa forma, não sinta receio em colocar qualquer coisa (qualquer coisa mesmo!) para preencher a tela. Escreva o que vier e mente para “tirar o bloqueio”, sem o compromisso de que essa primeira versão seja a definitiva, pois não será.

O inicial é assim mesmo, escreva sem pressa. Solte as ideias ou tópicos e deixe fluir, tudo está em processo de lapidação, e mais tarde você pode voltar para organizar melhor o texto e refazer o que não estiver adequado

Particularmente, recomendo inclusive que você organize antes uma espécie de roteiro do artigo – falarei disso em um próximo tópico. Você pode apagar, editar ou adicionar mais palavras futuramente.

Vivemos digitando, portanto, não é tão difícil assim:

Caso você ainda ache isso difícil, faça a seguinte analogia: pense que você está conversando com um amigo pelo chat do facebook, ou atendendo um cliente pelo live chat da empresa, ou fazendo um comentário em uma publicação em um fórum de discussão ou rede social.

Agora pense que, toda vez que você está fazendo algum dos exemplos do parágrafo acima, você está efetivamente escrevendo! Nós vivemos digitando e isso é, de fato, uma forma de comunicação, de escrita.

Se a tela branca ficar assustando você, faça essa simulação. Faça de conta que você está contando tudo para um amigo. Depois você organiza o estilo, as correções ortográficas e tudo mais. O importante, antes de mais nada, é rascunhar.

Parêntese: Algumas empresas possuem editores em seus blogs. Estes profissionais têm a função de auxiliar as pessoas na produção de conteúdo, sugerir assuntos, fazer correções e edições, entre outras atividades para que os textos ganhem em qualidade. Isso facilita o processo, sobretudo para quem está começando.

Leia mais sobre o papel do editor no blog de sua empresa.

4 – Os três vilões de quem escreve – e como matá-los

“Amadores sentam e esperam por inspiração, o resto de nós levanta e começa a trabalhar.” (Stephen King)

Existem alguns vilões conhecidos por todos nós que nos atrapalham, e muito, no desenvolvimento de nossas atividades – e isso vai além da escrita. Dessa trupe, destaco três (que me perseguiram sim por muito tempo):

  1. Preguiça;
  2. Ansiedade;
  3. Procrastinação.

É preciso eliminá-los e substituí-los por outras três palavras: motivação, paciência e produtividade. Existe uma frase muito disseminada no ramo criativo, e atribuída a vários autores diferentes, que diz que talento – ou genialidade – exige 1% de inspiração e 99% de transpiração. Para todas as pessoas que frequentemente reclamam de não estarem inspiradas ou em um bom dia, essa ideia pode salvar suas carreiras. Ou vidas.

Se acontecer de você não se sentir disposto a produzir em um determinado momento, tenha paciência, levante um pouco da cadeira, beba uma água, se tiver a disponibilidade caminhe em um lugar aberto e depois volte ao trabalho.

Arejar a mente é importante e todo mundo precisa desses momentos, mas depois disso não faça da “falta de inspiração” um motivo para não produzir nada. Martele o teclado e faça as palavras preencherem a tela branca. Elas não tomam forma sozinhas, por mais óbvio que isso possa parecer.

Resumindo:

  • Menos preguiça e mais motivação;
  • Menos ansiedade e mais paciência;
  • Menos procrastinação e mais produtividade.

5 – Produzir conteúdo pode torná-lo uma pessoa melhor – e uma referência no assunto

“Apenas escreva todos os dias de sua vida. Leia intensamente. Então veja o que acontece. A maioria de meus amigos que são submetidos a essa dieta possuem carreiras muito agradáveis.” (Ray Bradbury)

A escrita estimula a leitura. A leitura estimula a escrita. E ambas as atividades estimulam o pensamento crítico e o aprendizado. Os benefícios de ter um momento (diário, semanal, quinzenal, mensal…você escolhe!) para se dedicar à produção de conteúdo vão muito além do número de visualizações de página. Você ajuda no crescimento de seu negócio ao mesmo tempo que ajuda a si mesmo.

Além do mais, ao produzir conteúdo que esteja vinculado a seu nome, você fortalece a sua relação com seus clientes, fornecedores, patrocinadores, colegas de profissão e sua audiência em geral.

Ao publicar um artigo no blog de sua empresa e mostrá-lo a seus clientes ou sua audiência, você reforçará sua imagem perante a eles. Esse conteúdo é uma prova de que você tem conhecimento sobre determinado assunto e que vale a pena você ser seguido ou respeitado.

Escrever, portanto, além de aumentar sua capacidade intelectual e argumentativa, é um prato cheio para alavancar sua clientela.

Bônus: 5 passos para organizar melhor o seu texto

“The first draft of anything is shit.” (Ernest Hemingway)

Falamos nos capítulos acima sobre a importância de, antes de mais nada, colocar as ideias no editor para organizá-las depois. Ok, mas como fazer isso?
É verdade que o método varia de acordo com cada pessoa, e isso deve ser respeitado. Porém, existem alguns hacks, principalmente se você está começando, que irão auxiliá-lo na produção de seu texto para que você:

  • Não se perca no assunto;
  • Não repita as ideias em diferentes parágrafos;
  • Torne o texto visualmente atrativo para os leitores;
  • Perca menos tempo e não faça retrabalho.

Dessa forma, é interessante antes de rascunhar o artigo em si, seguir alguns passos. Eu recomendo os cinco abaixo:

1 – Pesquise

Sobre o que você vai falar? Quais referências você vai usar para produzir o texto? Quais perguntas você irá responder? Qual o público que você quer atingir?

Faça essas perguntas para si e, quando definir e delimitar seu tema, pesquise e leia bastante sobre o assunto. É uma deixa para você aprender mais e usar futuramente esse conteúdo em seu trabalho e em sua vida.

Peça também sugestões a seu editor, caso haja um, e a outras pessoas que trabalham com você. Uma opinião extra é sempre uma mais-valia na preparação do conteúdo.

2 – Monte uma estrutura

Todo artigo publicado online precisa ter um esqueleto bem definido. Na maioria dos casos, quem lê na internet primeiro escaneia todo o texto para tentar encontrar algo que lhe seja de interesse.

Defina subtópicos dentro do artigo. Esse detalhe é crucial para que você organize as suas ideias e não as repita em meio ao texto.

Leia aqui sobre como planejar uma estrutura de post matadora.

3 – Rascunhe

Aqui você simplesmente escreve. Depois de pesquisar sobre o assunto e definir a estrutura, é hora de fazer com que as suas ideias sejam transformadas em texto de acordo com o que você pré-definiu. É o momento menos técnico e mais criativo de todos.

Utilize a leitura dos links salvos, os estudos de caso de outros autores, referências de outras plataformas de mídia e suas experiências pessoais para criar uma narrativa. Escrever de uma forma próxima ao leitor, como se você realmente estivesse contando algo a um amigo, é uma recomendação.

4 – Revise

Provavelmente não, mas certamente depois de terminada a escrita você irá revisar o texto e encontrar erros de digitação, de gramática e de ortografia. É normal e para isso que essa etapa está presente.

Se você trabalha sozinho ou em uma empresa que não possua alguém que possa auxiliá-lo, essa tarefa terá que ser feita por você mesmo. Se você possui um editor, como é o caso aqui da Resultados Digitais, esse passo poderá ser feito por ele.

Confira nosso post com 8 dicas de um diretor de redação para o blog da sua empresa nunca mais ter erros de português.

5 – Aprimore

Depois que o texto estiver escrito e revisado chega o momento de organizá-lo. A máxima de que a primeira impressão é a que fica vale também para um post publicado. Portanto, depois do conteúdo pronto preste bastante atenção às questões estéticas.

  • Destaque os subtítulos para que o leitor identifique quais são os tópicos que lhe interessa;
  • Insira imagens que sejam condizentes ou que complementem uma ideia;
  • Coloque links de outras páginas ou até mesmo para páginas internas em algumas sentenças, sempre de forma pertinente;
  • Utilize embeds se for o caso. Tweets, posts do facebook, vídeos do youtube, streamings do soundcloud, etc. Use sua criatividade para fazer um artigo que possa ser multimídia, quando houver essa abertura.

Lembre-se de cuidar para não forçar a barra. Existem ‘n’ tipos de posts a serem publicados. Alguns exigem imagens, outros não. Alguns exigem vídeos, outros não. E assim por diante.

Saiba mais com nossas 6 dicas para tornar seu conteúdo mais escaneável.

Como vimos acima, existem alguns hacks, métodos e benefícios que são de grande ajuda para auxiliá-lo a dar partida na produção de conteúdo e se tornar uma autoridade no seu ramo de atuação.

Apesar de metodologias e técnicas existentes, é bom lembrar que o fator determinante para fazer com que você se torne um produtor de conteúdo é, mais do que aptidão ou talento, a sua própria vontade.

Marcadores:

Deixe seu comentário