Blog de Marketing Digital de Resultados

Conteúdo para o Meio de Funil: quais os formatos ideais e como produzi-los

É no Meio de Funil que você mostra como sua empresa pode ajudar potenciais clientes; veja quais os melhores formatos de conteúdo para os Leads que estão nessa etapa.

Depois de atrair visitantes e despertar o interesse deles no Topo do Funil, você pode passar para a próxima etapa: a do Meio de Funil.

É no MoFu – como também é chamado – que você mostra como sua solução pode ajudar os potenciais clientes a resolverem seus problemas do dia a dia.

Alguns exemplos de conteúdo para MoFu são templates, ferramentas e checklists que ajudem a resolver problemas mais pontuais dos Leads, que já estão mais bem informados sobre sua área de atuação.

O que é o Meio de Funil

Como o próprio nome indica, esse é o estágio intermediário do Funil de Vendas, que fica entre o momento da atração dos Leads e o de eles se tornarem clientes.

É um momento tão importante quanto o Topo e o Fundo do Funil, já que, quando não é trabalhado de maneira adequada, os potenciais consumidores podem parar no meio do caminho e desistirem de comprar seu produto ou de contratar seu serviço.

Nesse estágio, o Lead pode ter interesse em seu produto ou serviço, mas está incerto quanto a assiná-lo. É por isso que o Meio do Funil é uma boa oportunidade para continuar nutrindo seus Leads e para, finalmente, conduzi-los até a venda.

Como fazer conteúdos para o Meio de Funil

Depois de saberem sobre a área em que seu negócio atua na etapa anterior, os Leads estão mais interessados no que você pode oferecer.

Se na etapa de Topo do Funil você não deveria falar de seu produto, serviço ou mesmo da sua empresa diretamente, agora o seu conteúdo deve mostrar, de forma prática, como seu negócio pode ajudar clientes potenciais a resolverem problemas do dia a dia deles.

Esse conteúdo tem como público principalmente os Leads que já se relacionam com a empresa há bastante tempo, ou seja, já confiam mais na empresa, já aprenderam mais sobre o tema de negócio e podem ter um interesse maior no seu produto ou serviço. É esse conteúdo que deve levar à decisão de testar o produto ou mesmo de comprá-lo.

O conteúdo MoFu é um pouco mais vendedor, mas não deixa de gerar valor para os Leads. Ele deve ser mais aprofundado e dar detalhes sobre o assunto que seu Lead busca. Você pode entender melhor as necessidades dele utilizando, por exemplo, campos mais específicos em suas Landing Pages.

É importante que o conteúdo voltado ao Meio do Funil tire as dúvidas dos futuros clientes para quebrar as objeções deles. Isso pode ser feito por meio de conteúdos bem fundamentados e de ferramentas, o que desperta interesse pelo produto e pela empresa.

Alguns exemplos de conteúdos voltados ao MoFu são conteúdos com temas mais aprofundados, checklists, guias de como comprar ou escolher o produto ou serviço que sua empresa vende, dentre outros.

Saiba mais sobre cada um deles:

Formatos

Templates

Templates são modelos prontos para utilização em diversos contextos, como planilhas, apresentações ou qualquer coisa que facilite a realização de uma tarefa.

Em geral, o investimento de tempo para fazer um template é mínimo, pois a maioria das empresas já possui modelos que utiliza internamente – basta oferecê-los também ao seu público fazendo algumas adaptações, como adicionar um texto com instruções para utilizar o template.

Os templates funcionam bem para nutrir Leads de Meio de Funil: no Topo, ele já recebeu informações gerais sobre a área em que seu negócio atua, e agora você pode ajudá-lo de maneira mais prática. Assim, ao compartilhar as ideias criativas que utiliza no seu dia a dia, você ganha autoridade auxiliando outras empresas.

Alguns exemplos de templates que lançamos aqui na RD foram:

Ferramentas

As ferramentas são mais complexas de produzir que os templates e vão além deles, pois ajudam seus clientes em potencial a resolverem problemas mais complexos. Ela pode ser parte da solução oferecida pelo seu negócio – o que é bom porque dá uma sensação de “quero mais”, aumentando o interesse em conhecer o produto completo – como também algo totalmente novo.

A produção de uma ferramenta costuma exigir o trabalho de um programador, o que a torna mais acessível para empresas de tecnologia. Ao mesmo tempo, ferramentas são mais difíceis de copiar, o que as tornam uma maneira de sua empresa se diferenciar.

Aqui na RD, alguns exemplos de ferramentas que lançamos são:

Whitepaper

Formato pouco utilizado, o whitepaper nada mais é do que um intermediário entre post e eBook.

Ele não é tão breve quanto o primeiro, nem tão longo e aprofundado quanto o segundo. São como posts mais extensos, longos o suficiente para não valer a pena somente a publicação no blog e para que o usuário aceite deixar seu contato em troca do conteúdo.

Não é uma regra, mas o whitepaper pode ser focado em único tópico e bastante focado em dados, o que faz sentido para o Meio do Funil.

Checklist

Um checklist é uma lista que, como o template, ajuda a realizar alguma tarefa específica. A ideia por trás do checklist é que seu público tem dores que podem ser solucionadas apenas com organização e planejamento de suas tarefas de maneira visual.

Mais uma vez, assim como o template, o checklist pode ser utilizado para auxiliar o Lead em uma infinidade de tarefas e também pode ser reciclado a partir de checklists que você já utiliza internamente na sua empresa.

Um exemplo que lançamos recentemente foi o Checklist para ter uma agência de sucesso em 2017.

Plano de estudo

O objetivo do plano de estudo é definir quais serão as leituras de cada dia, incentivando o estudante a finalizar uma meta. É especialmente interessante caso seu negócio esteja ligado à educação ou precise da entrega de conteúdo em etapas planejadas sequenciais.

São conteúdos com títulos como “revise os conteúdos de [nome da matéria] para o vestibular”. Um exemplo prático é o Plano de estudos para o INSS, lançado pelo nosso cliente Alfacon Concursos.

Conteúdo programático de um curso

Esse tipo de material agrupa todas as informações sobre cursos variados, como graduação, pós, extensão dentre outros, tanto presenciais quanto de ensino a distância. O formato pode ser um documento em PDF para ajudar alunos a entenderem o programa, por exemplo – ou seja, é uma categoria de conteúdo voltada para o segmento de educação.

A feitura de um conteúdo programático de curso é relativamente simples: reúna as informações sobre o curso em um arquivo – desde a grade curricular até o preço, passando pelo depoimento de alunos egressos – e depois transforme-o em um único PDF. Colocar fotos também ajuda a captar mais a atenção de interessados.

Um título possível seria “guia completo do curso de [nome do curso]: tudo que você precisa para ver se este curso combina com você”.

Concluindo

O Meio do Funil é fundamental para continuar nutrindo seus Leads até que cheguem no seu objetivo final – o da venda – sem que parem e desistam no caminho.

Você pode utilizar a ferramenta da jornada de compra para ver na prática o que seria o conteúdo de Meio de Funil aplicado ao seu negócio. Além disso, para criar esse conteúdo de maneira correta, é importante ter em mente a sua persona, que você pode descobrir por meio do nosso gerador de personas.

Esses são apenas alguns dos formatos que podem ser produzidos para o Meio do Funil. Para saber quais conteúdos funcionam bem para transformar seus visitantes em oportunidades de negócio, baixe nosso eBook gratuito que contém 28 tipos de oferta para geração de Leads.

E você, qual conteúdo voltado para o Meio do Funil utiliza? Compartilhe nos comentários com a gente nos comentários. :)


Esse post é o segundo de uma série de três textos sobre o conteúdo adequado para cada estágio do Funil de Vendas. Para saber mais, leia os posts:

Boa leitura!

Marcadores:

Deixe seu comentário