Blog de Marketing Digital de Resultados

Curadoria de conteúdo: por que as empresas devem (ou não) fazer

Foi-se o tempo em que conseguir informação sobre algum assunto na Internet era dificílimo. Hoje, a dificuldade está não em encontrar, mas em separar – diante de um mar quase infinito de conteúdo – o que é relevante e está realmente relacionado com o assunto que nos interessa. É justamente pra isso que serve a curadoria de conteúdo, um termo que vem sendo muito comentado no meio digital.

Neste post vamos falar sobre as vantagens de as empresas utilizarem curadoria de informação e por que ela deve ser apenas uma pequena parte do marketing de conteúdo.

Por que a curadoria é boa para os visitantes

Ainda que os buscadores filtrem as informações utilizando algoritmos para apresentar resultados bem próximos do que se está pesquisando, eles não têm o olhar e a sensibilidade humana para realizar uma análise mais profunda sobre determinado tema.
Desta forma, realizar a curadoria de conteúdo significa filtrar materiais de várias fontes e recomendar o que se julga mais pertinente, considerando a profundidade do tema, a qualidade do conteúdo e o perfil do público leitor.

De um lado, é bastante vantajoso para o leitor receber recomendação de materiais de qualidade devidamente comentados pelo editor do blog ou site, sem precisar realizar uma pesquisa mais aprofundada sobre o tema.

Por que a curadoria é boa para quem faz

Do outro lado, sabemos que publicar com alta frequência é difícil e a curadoria é uma forma de manter relacionamentos e interação de uma forma mais ágil.

Em redes sociais como o Facebook, por exemplo, é indicado publicar com uma boa frequência para que o algoritmo não “penalize” sua empresa. Como é difícil ter conteúdo próprio de qualidade de maneira frequente, indicar conteúdo de outras pessoas é uma ótima maneira de tentar manter o volume de interações alto na página da sua empresa.

Além de aumentar a produção de conteúdo, quem faz curadoria também aprofunda seus conhecimentos sobre sua área de atuação a cada nova pesquisa e recomendação. De quebra, as empresas que optam por realizá-la também incentivam a construção do Link Building e recomendações em mídias sociais(quando você recomenda, aumenta suas chances de ser recomendado também).

E, por fim, uma vez que os visitantes encontrem material de qualidade como resultado de sua curadoria, a tendência é que eles retornem para continuar acompanhando. A curadoria ajuda na construção de uma audiência.

Por que deve ser só uma parte pequena da estratégia

Ainda que tenha algumas vantagens, fazer curadoria de conteúdo tem suas ressalvas.
Mostrar diferentes conteúdos de outras pessoas e empresas tem seu valor, mas só a produção de conteúdo próprio é que vai transmitir o quanto sua empresa conhece do assunto e merece ser uma referência de mercado.

Quando só indicamos alguém, estamos promovendo esse alguém como referência e provavelmente é dele que seu potencial cliente vai preferir comprar quando tiver nesse estágio.

O bom cantor ou a boa banda é que vende bem ingressos, não o apresentador de TV ou rádio que só faz a seleção dos melhores e os leva a seu programa, ainda que isso lhe renda uma boa audiência.

Como fazer

A curadoria não deve, de maneira alguma, ser uma cópia de material de outras fontes. É preciso ter cuidado não apenas na seleção, mas na forma de apresentar o material e, principalmente, de dar os devidos créditos aos autores. Copiar o conteúdo de terceiros só vai fazer mal para sua empresa.

É possível fazer as indicações no próprio blog, ou usando o formato de lista e apontando links para as diversos opções, ou com um post mais detalhado sobre uma publicação específica em que, não só sua empresa indica como também comenta pontos em que discorda, soma casos e experiências da própria empresa ao assunto e destaca aquilo que considera importante.

Uma forma fácil, rápida e eficaz de se publicar o resultado de uma curadoria é mais ou menos assim:

Recentemente, a empresa X publicou um post muito interessante sobre o tema Y. O que nos chamou a atenção foi o novo dado apresentado. Ao contrário do que o mercado vem falando, o conteúdo nos alerta para…

Fazer essa espécie de releitura é muito diferente de publicar uma simples cópia. Ainda que seja baseado em um conteúdo publicado por outra pessoa, é um texto totalmente novo que leva em conta a experiência e a interpretação do curador.

A partir do momento que sua empresa realiza a imersão sobre os principais temas de seu mercado, certamente ela terá boas fontes de material que poderá recomendar, incluindo links, imagens, citações. Caso a intenção seja publicar apenas nas mídias sociais, não há problema em indicar o próprio link do site e fazer um comentário curto.

Uma boa forma de começar a analisar e filtrar conteúdos é passar a seguir fontes interessantes no Twitter – você pode montar listas específicas – curtir páginas de empresas ou instituições no Facebook que tratem de assuntos que você deseja abordar, fazer assinatura de blogs por meio de leitor RSS ou email, utilizar serviços como o Paper.li, entre outras possibilidades.

Levando as questões abordadas neste post em consideração, todos têm a ganhar: leitor, curador e autor original.

Marcadores:

Deixe seu comentário