Blog de Marketing Digital de Resultados

Os 7 maiores desafios do CMO de uma empresa de alto crescimento

Diego Gomes, Diretor de Marketing da Rock Content, fala quais foram os maiores desafios que enfrentou no último ano e como eles foram/estão sendo resolvidos.

Ei, CMO*. Eu sei, sua vida aos olhos dos outros parece muito boa, certo? Você tem um trampo legal, numa área interessante, muito tráfego e muitos Leads bons chegando, não é mesmo?

Não é tão fácil quanto parece, eu sei.

Quando você está pilotando uma máquina em alta velocidade, é difícil garantir a precisão e que todas as engrenagens da máquina estejam rodando perfeitamente. Algo sempre vai quebrar.

Se você é como eu, constantemente olha para o seu time e pensa no copo meio vazio: as coisas estão desorganizadas. Falta gente para tantas tarefas. Falta treinamento em algumas habilidades chave.

Nos últimos anos, essa foi a minha vida. Mas, aos poucos fomos resolvendo alguns desses problemas, e gostaria de compartilhar com vocês um pouco do que pegou, como resolvemos e o que eu acho que vai pegar no futuro.

Ano passado, saí de um time de 3 pessoas em marketing para um total de 15. De um time sem gestores, para um time com gerentes, analistas, estagiários e especialistas. Um time trabalhando duro, mas ainda com muito a melhorar. Eu sei, é complicado! .

Senta que lá vem história. Abaixo vão os maiores desafios que enfrentei nesse período e como eles foram/estão sendo resolvidos.

Vamos nessa?

Desafio #1: Contratar e treinar as pessoas certas

Eu sempre trabalhei com internet, blogs e redes sociais, mas na Rock Content — a empresa que fundei com meus amigos — foi o primeiro lugar onde assumi um time de marketing, com metas agressivas de Leads, tráfego e vendas, mantendo os custos sob controle.

Confesso que eu fiquei bastante perdido no começo. Nos primeiros dias era fácil. Eu mesmo podia subir um post de blog para um tema solicitado pelo time comercial ou escrever um eBook para ajudar a gerar mais Leads.

Logo, logo, notei que eu não ia conseguir fazer tudo. E precisei contratar.

No começo, foi por pura sorte. Conheci alguns malucos que também não tinham muita experiência em marketing (Guido, Hank e Liz), mas que tinham muita vontade de fazer algo grande e relevante.

Ajudou demais, e esses caras foram/são fantásticos. Mas, depois de um tempo, confiar que você vai ocasionalmente trombar com malucos geniais deixa de funcionar, e você precisa colocar algo escalável rodando.

Como resolvi isso?

O primeiro passo foi estudar. Se eu queria atrair bons talentos, eu precisava aprender como avaliá-los e gerenciá-los.

Comi livros sobre como os principais times de marketing funcionam, tomei muitos feedbacks de amigos brazucas (obrigado, André Siqueira) e fiz muito benchmarking com empresas gringas que eu admirava.

O segundo passo foi aprender mais sobre liderança e gestão de equipes. Meu livro favorito sobre o assunto é o High Output Management, do Andy Groove.

Nele, Andy fala muito sobre coaching e desenvolvimento de talentos, e eu aprendi muito sobre tipos de coaching diferentes para tipos diferentes de profissionais. Leia se você quer se tornar um gestor melhor.

Para continuar atraindo bons talentos, 3 coisas foram essenciais:

  • Documentar nossa cultura e compartilhar com o mundo o tipo de profissionais que buscávamos;
  • Criar um funil de contratações que envolvesse tarefas desafiadoras e certificações (eu recomendo essa aqui, que é a que eu uso para filtrar candidatos);
  • Criar um sistema de aprendizado contínuo, e no qual as pessoas são valorizadas por suas realizações.

Não considero esse um problema resolvido. Todos os meses ainda me tira o sono a possibilidade de não encontrar um rockstar para aquela posição aberta.

Se souber de alguém para me recomendar (ou, se você for o cara certo, candidate-se aqui). Eu errei algumas vezes, mas acho que estamos tirando um 9 em 10 nesse quesito.

Desafio #2: Decidir a hora de especializar e criar as primeiras lideranças

No início, faltava braço. Nosso time fazia muitas coisas, mas elas eram simples e a comunicação fluía tranquila. Erros impactavam poucas pessoas e eram fáceis de corrigir.

Com o tempo, as coisas ficam complicadas. É realmente difícil cometer um erro quando você impacta centenas de milhares de pessoas por mês.

O pedido de desculpas e a humildade ainda funcionam, mas você precisa de pessoas acompanhando o processo e garantindo que a comunicação continue fluindo.

Como resolvi isso?

Se você não está mais conseguindo responder à sua equipe no mesmo dia, você provavelmente precisa de ajuda.

Tive a sorte de ter um cara (Hank, de novo), que me acompanhou nisso e para quem pude, aos poucos, delegar o acompanhamento de tarefas de terceiros.

Hoje, ainda tenho um time grande e extremamente horizontal, mas já sinto a necessidade de novas lideranças.

Ainda não estou satisfeito com minhas habilidades de formar líderes e estou buscando desenvolver um programa de coaching para criar novos líderes internamente. Nesse quesito, eu me daria uma nota 6 de 10.

Desafio #3: Transformar talentos juniores em especialistas

Esse é complicado. É muito legal um time no qual todos sabem um pouco de tudo, porém isso realmente não é escalável.

Para escalar, você precisa criar um cara que é f**** em cada competência de Marketing Digital, e isso não é fácil.

Dá trabalho tirar as pessoas de tarefas que muitas vezes elas gostam e delegar para outras pessoas, mas isso é crucial para garantir o sucesso do time no longo prazo.

Como resolvi isso?

Do lado de desenvolver especialistas, acho que as coisas estão indo bem. Tenho ótimos videomakers, designers, pesquisadores, profissionais de Email Marketing, de redes sociais. Como fiz isso?

  • Encontrando referências, conteúdos e cursos para que eles se especializem cada vez mais;
  • Acompanhando os progressos e aprendizados individuais de cada um em reuniões um a um semanais.

Nesse quesito, me daria um 9 de 10 de novo!

Desafio #4: Gerenciar um calendário editorial escalável

Cara, quando você conversa com milhares de pessoas diariamente no seu marketing, é difícil pra caramba gerenciar o volume de conteúdo e que seja adequado para todas as suas personas. Sério, é cabuloso.

Como resolvi isso?

Não resolvi. Sou um cara um pouco bagunçado. Por isso é importante contratar alguém melhor que você.

Hoje tenho responsáveis pela área que cuidam de constantemente revisar nossas personas, calendários e Co-Marketings. Na última contagem que fiz, estávamos publicando quase mil peças de conteúdo por mês em mais de 10 canais diferentes.

São 2 blogs (marketingdeconteudo.com & saiadolugar.com.br), canais em Facebook, YouTube, LinkedIn, Instagram, Twitter, Snapchat, entre outros.

Aceitar a derrota e encontrar alguém melhor que você é, muitas vezes, a chave do sucesso.

Desafio #5: Escalar sem perder a personalização

Você cresce. Tem milhares de visitantes e Leads todo mês. Você vira um mala, que fala igual com todos os seus públicos. Isso vai acontecer com você.

Como resolvi isso?

Ter clareza das personas da sua empresa é essencial. Revisitamos nossas personas, mapeamos a jornada de compra de cada uma delas e investimos em personalização do nosso conteúdo para esses segmentos.

O segredo aqui é revisar sempre. Todo trimestre revisamos nossa atuação, nossos conteúdos para cada persona e nossos mapas de jornada.

Parece que está funcionando: temos crescido assustadoramente mês a mês, e cada vez mais as pessoas elogiam nossa comunicação. Nota: 8/10.

Desafio #6: Vendarketing

Milhares de Leads nunca serão o suficiente se o discurso de marketing não conversa com o time de vendas! Para crescer, esse alinhamento é essencial.

Nós demos várias pisadas de bola com nosso time irmão aqui na Rock, mas hoje temos feito grandes progressos.

Como resolvi isso?

Contratamos um cara foda de vendas (Matt), que entende muito de Marketing Digital também.

Criamos reuniões semanais de acompanhamento dos KPIs e entregas de marketing para vendas (go #vendarketing).

Criamos também uma grande disciplina de acompanhamento, na qual cada membro do time dá um relatório semanal contando como está com relação à sua meta individual.

Criamos um ambiente de confiança no qual erramos e somos compreendidos dos dois lados.

Também aprendi muito sobre vendas com o time comercial, o que nos ajudou a escalar em alta velocidade dos dois lados. Nota: 10/10.

Isso mesmo, somos bons nisso.

Desafio #7: Velocidade!

Hoje essa é minha maior preocupação.

Como continuar crescendo, gerando cada vez mais tráfego, Leads e vendas sem perder a velocidade? Cada vez mais gente, mais processos, mais burocracia.

Mais gente, menos velocidade, certo?

Como resolvi isso?

Adotamos um modelo que preza pelo aprendizado e a velocidade. Usamos uma metodologia chamada High Tempo Testing, na qual velocidade é a maior prioridade. Afinal, testes vão falhar, mas os aprendizados ficam.

Hoje, nosso time experimenta cada vez mais rápido, e as pessoas sempre podem sugerir ideias de experimentos.

Temos apenas uma reunião semanal, sendo que nela priorizamos os próximos experimentos e avaliamos os resultados dos experimentos em andamento.

Se você não ouviu falar do High Tempo Testing, recomendo que dê uma olhada. Funciona bem e cria um ritmo legal para o time, que fica sempre empolgado com novidades e resultados reais das suas ideias sendo colocados em prática com alta velocidade (#recomendo). Nota: 8/10.

Epílogo

Sim, acho que, como responsável pelo time de marketing da Rock Content, gerando mais de meio milhão de visitantes e 30 mil Leads por mês, temos feito um bom trabalho.

Patinamos às vezes, mas os resultados têm vindo, e com velocidade. Feliz sempre, satisfeito nunca.

Ainda temos muito a melhorar e espero, em um ano, poder compartilhar mais sobre a jornada com vocês.

Deixo aqui registrado também um agradecimento ao meu time: Rockers, vocês bombam e eu espero não estar atrapalhando muito o brilho de vocês!

 

*CMO: Chief Marketing Officer ou Diretor de Marketing

 

Este post foi escrito por Diego Gomes, CMO da Rock Content.

Marcadores:

Deixe seu comentário