Direto dos especialistas: dicas de Marketing Digital e de boas cervejas para 2016


inbound marketing

Fim do ano é um ótimo momento para encontrar os amigos. Para aqueles que são fascinados com o trabalho e não consegue fugir do assunto, encontrar amigos que também trabalham com marketing é melhor ainda.

Ao visitar minha família em BH no fim de 2015, aproveitei para marcar uma cerveja com meus amigos conterrâneos que são referências nacionais em Marketing Digital: Diego Gomes e Vitor Peçanha (Rock Content), Pedro Filizzola e Fernando Pacheco (Sambatech), Cleiton Maranhão (Hotmart) e Lígia Braga (Smartalk).

Aproveitamos o bate-papo descontraído para construir um conteúdo com dicas excelentes para serem executadas em 2016. E como estávamos em um bar, pensamos em já aproveitar e também dar dicas de boas cervejas para tomarmos em 2016.

Veja abaixo as dicas que cada uma das pessoas da mesa trouxe e deixe nos comentários as suas sugestões.

1. Fernando Pacheco (Sambatech): “Videomarketing – Usar coletor de Leads direto em vídeos em páginas específicas”

Uma ótima possibilidade para 2016 é apostar em vídeos nas páginas de produto, seja para ecommerce, serviços ou negócios B2B. Se você já faz isso, ótimo! Mas lembre-se que é possível considerar algo a mais. É possível ter um grande diferencial nesta etapa para aumentar a taxa de conversão e ainda fazer uma melhor gestão dos Leads.

Para ajudar com isso, você pode fazer duas ações dentro dos vídeos:

  • Inserir um formulário no vídeo para que o Lead agende uma conversa com um consultor sobre aquele produto específico;
    Utilizar um CTA para uma página de desconto/teste dentro do vídeo.
  • Legenda: Exemplo de formulário dentro do vídeo.

formulário em vídeos samba tech

Essas duas ações tem um potencial de aumentar muito a conversão especialmente por acontecerem dentro de um contexto muito relevante. Você pode usar estas duas informações acima para qualificar ainda melhor os Leads.

Cerveja recomendada: Wäls Petroleum

2. Pedro Filizzola (Sambatech): “Videomarketing – Árvore de decisão em vídeos”

A árvore de decisões em vídeo é uma excelente forma de fazer o Lead avançar no processo de compra e passar pelo funil. Muitas vezes o processo tradicional de nutrição de Leads pode ser lento, e esta é uma excelente forma para complementar e acelerar este processo.

Ele consiste basicamente em colocar “links” dentro dos vídeos e dar a opção para o usuário escolher qual passo seguir e o que ver de conteúdo. Você não obriga o usuário a assistir um conteúdo enorme para aproveitar apenas uma parte. Esta imagem explica bem o que esta árvore faz.

árvore-das-decisões

Usar a árvore de decisões dentro do vídeo dá um dinamismo muito maior no seu conteúdo, especialmente por dar o poder de escolha ao usuário. Como ele tem controle disso, você consegue aumentar muito o engajamento dele com conteúdo.

Um exemplo de como funciona: Imagine que uma pessoa começou a assistir um vídeo sobre Marketing Digital com conteúdo bem amplo. Depois de alguns minutos de conteúdo básico, damos a opção de diversos assuntos para ele poder aprofundar: SEO, Automação de Marketing, Mídias Sociais, etc. Ao invés de tentar adivinhar o interesse, damos esta opção para o visitante e ele escolhe qual trilha quer seguir.

A Sambatech tem produtos que te ajudam a executar estas estratégias. Tanto o Coletor de Leads e CTA no vídeo quanto a Árvore de Decisões.

Cerveja recomendada: Medieval

3. Cleiton Maranhão (Hotmart): “Se preocupar e investir na Retenção de Clientes, não só Aquisição”

Um dos grandes problemas quando pensamos em aquisição é que normalmente você tem um esforço de vendas muito alto e ele não é compensado no pós-venda. Não é difícil encontrar casos onde o único bom relacionamento entre marca e cliente é o momento da venda. Depois disso, o cliente fica na mão, mal tem suporte ou acompanhamento e esta falta de assistência pode ser uma das maiores causas para a desistência de um serviço ou a não fidelização de um cliente recorrente.

Temos visto cada vez mais startups que trabalham com o modelo de recorrência. Nessas startups, evitar o churn (cancelamento do serviço) é o que vai fazer com que o negócio continue saudável. Você não pode deixar sua base de clientes sofrer grandes quedas, e por isso vem a importância de se mostrar presente na rotina do seu cliente.

Modelos tradicionais de retenção normalmente só entram em ação quando o cliente já desiste do serviço. Eu já acredito que hoje nós encaramos um novo modelo de retenção com os profissionais de Customer Success (Sucesso do Cliente). Investindo em CS, você está colocando alguém para acompanhar todas as métricas do seu cliente e ajudá-lo no que for necessário para atingir melhores resultados. Agindo assim, participando do dia-a-dia do cliente, marcando território, prestando assistência e escutando todos os problemas do seu cliente, fica muito mais fácil trabalhar num modelo de retenção mais ativo. É bastante claro que a confiança do cliente fica bem mais alta e aumentam as chances de você reduzir seu esforço de aquisição porque seus clientes vão indicando os novos.

Para complementar a dica do Cleiton, temos posts no nosso blog que falam do assunto e podem te ajudar a implementar uma área de Sucesso do Cliente.

Dica complementar: Usar o preço bem baixo para atrair clientes e investir no upsell

Essa estratégia também é conhecida como venda de um produto “Tripwire”. Você começa oferecendo um serviço ou produto muito barato, a ponto de ele ser “irresistível” para o seu público. Pode ser que você até tenha um pequeno prejuízo com ele ou apenas cubra seus custos, mas o objetivo é conquistar um cliente.

Uma vez que as pessoas já pagaram pelo seu primeiro produto, é bem interessante deixar claro que fazer um upgrade ou evoluir para um próximo passo é essencial. Por exemplo: eu gosto de cozinhar, particularmente, carnes vermelhas. Se eu compro um livro de receitas onde vários cortes são um pouco mais avançados e eu não sei a técnica daquele prato, meu próximo passo seria comprar um livro com técnicas de corte. No final das contas, aquela primeira venda serve apenas para deixar o cliente com o sentimento de que ele realmente precisa de algo a mais. E aí é onde você vem com o upsell!

Cerveja recomendada: Wäls Dubbel

4. Diego Gomes (Rock Content): “Otimizar posts que estão posicionados na segunda página do Google”

Trabalhamos pesado em SEO em 2015, mas algo muito simples e muito eficiente feito na Rock Content foi monitorar e otimizar os posts que estavam posicionados na segunda página do Google.

Mas por que estes posts? Focamos em otimizar estes posts, pois com pouco esforço eles já conseguem ganhar algumas posições e avançar para a primeira página. Claro que sempre queremos buscar as primeiras posições, mas isso costuma ser muito mais trabalhoso e a longo prazo. Mesmo não conseguindo os primeiros lugares, só de já ter melhorado esse posicionamento, o ganho de tráfego é muito signifcativo.

Esta estratégia é bem interessante pois se o seu post já consegue estar posicionado na segunda página, ele já é um bom conteúdo e você tem uma autoridade de domínio razoável para isso. Portanto, com um esforço relativamente pequeno você já consegue impactar muito o tráfego do seu site.

Junto com outras ações, conseguimos aumentar em 615% o tráfego orgânico do nosso blog.

Você pode ver todas as estratégias utilizadas pela Rock Content para otimização nesse post incrível e muito completo: Como a Rock Content aumentou em 615% o tráfego orgânico do blog marketingdeconteudo.com em apenas 6 meses.

Cerveja recomendada: Áustria Weizen

5. Vitor Peçanha (Rock Content): “Investir em fazer segmentações cada vez melhores”

Com o mercado ficando mais maduro e as empresas fazendo cada vez mais Marketing Digital, a disputa pela atenção das pessoas está cada vez mais acirrada. A caixa de entrada do público se tornou uma área extremamente disputada, por isso é necessário se destacar.

Com certeza a melhor maneira de conseguir fazer com que alguém abra seu email é enviando algum conteúdo com um assunto que seja interessante para ele. Para isso, a melhor estratégia para enviar conteúdos interessantes é segmentar muito bem a lista de emails de acordo com características demográficas e comportamentais.

Aqui na Rock nós avaliamos alguns fatores principais na segmentação: estágio do funil, persona e áreas de interesse (baseado em conversões anteriores). Usamos essas informações para customizar o título e o conteúdo perfil. Em geral fazemos um mesmo disparo dividido em até 6 grupos distintos.

Você pode ver os resultados abaixo de uma campanha com 2 segmentações, com taxas bem acima do mercado:

campanha facebook ads

Cerveja recomendada: Kud Tangerine

6. Lígia Braga (SMARTalk): “Investir em parcerias e criar relacionamentos profundos”

A nossa palavra-chave para 2016 é relacionamento.

Em 2015 fizemos várias parcerias de negócio e lançamos muitos materiais compartilhados – o que ampliou consideravelmente a nossa base de Leads e o reconhecimento da SMARTalk. Entre os destaques do ano está a parceria constante com Ingage Digital e Sambatech, empresas que complementaram o nosso trabalho e criaram novas oportunidades para nossas soluções entre seus clientes. Além disso, fizemos uma série de guest posts que nos ajudaram a aumentar a presença digital (você pode ver alguns que fizemos no blog Marketing de Conteúdo).

Portanto, a nossa dica é se esforçar para conhecer outras empresas e pessoas, conversar bastante e estreitar o relacionamento com elas. A partir daí, as possibilidades são muitas: se ajudar com oportunidades de negócio, educar o mercado juntos, criar e participar de eventos em parceria, guest posts, compartilhamento de boas práticas de gestão, e muito mais.

Queremos manter os parceiros que estão conosco desde o início e fortalecer os relacionamentos, além de expandir cada dia mais as oportunidades de troca e aprendizado com novas organizações. Entender que todos possuem qualidades que podem ser importantes para o seu desenvolvimento é essencial para manter esse investimento constante e uma agenda repleta de boas interações.

Cerveja recomendada: Grimor 21 – Hibisco

7. Gabriel Costa (Resultados Digitais): “Escalar a produção de conteúdo da sua empresa e transformar este conteúdo em vários outros”

A minha dica foi algo que eu vi na viagem que fizemos para o Vale do Silício (falo bem detalhadamente dela no post Os aprendizados de Growth Hacking no Vale do Silício – parte 1). Quem deu a dica foi a Maria Pergolino, que criou a area de marketing na Marketo.

Um dos recursos para escalar a produção de conteúdo é pedir auxílio de outras áreas da empresa. Geralmente várias pessoas se interessam em contribuir, mas devido as tarefas do dia-a-dia, não conseguem entregar esse conteúdo. A dica vem exatamente nesse momento: assim que estas pessoas se mostrarem interessadas em produzir conteúdo, ao invés de pedir a produção de um post ou eBook, combine a apresentação de um webinar ao vivo e anuncie-o publicamente. A partir do momento em que este compromisso público é gerado, a chance de esta pessoa cancelar e não apresentar o conteúdo é muito pequena.

Desta forma você já consegue aumentar a produção de conteúdo com pessoas de outras áreas. Mas para potencializar ainda mais os resultados, comece a reutilizar este webinar produzido. Para apresentar o webinar a pessoa vai precisar organizar as informações em uma sequência lógica e produzir slides de suporte. A partir desse conteúdo (slides + história contada com uma sequência lógica), você consegue gerar muitos outros conteúdos: transcreva o webinar e você tem um post, dê uma arrumada nos slides e você tem um whitepaper ou ebook; pegue apenas o áudio e você tem um podcast; pegue alguns trechos do vídeo e produza um teaser para redes sociais. Será necessário fazer algumas adaptações, mas com um custo muito pequeno e que pode proporcionar resultados incríveis.

repurposing content

Cerveja recomendada: até agora só foram recomendadas cervejas mineiras. Mas apesar de ser mineiro, vou defender as cervejas do estado que moro hoje (SC) e recomendar a Schornstein IPA (obs: sou fascinado com a Medieval e Wäls Dubbel).

Conclusão e pergunta final

Todas as dicas são muito boas, mas é necessário colocá-las em prática (tanto as dicas de marketing quanto as de cerveja). Para ajudar com isso, temos um material que pode te ajudar a planejar o próximo ano e colocar em prática: Kit Planejamento de Marketing Digital 2016.

Para finalizar, nós gostaríamos de saber: Qual a sua dica de marketing para 2016 (que você fez em 2015 e te trouxe resultados) e qual a cerveja que você recomenda?

Saiba mais:

Kit Planejamento de Marketing Digital [eBook + Planilha + Bate-papo]

Software de Marketing Digital - RD Station


Categorias: Estratégia em Marketing Digital

  • Ricardo Ferrari

    Recomendo investir em anúncios no Facebook Ads, mas claro, com um bom planejamento antes de começar a investir a verba. E A cerveja que recomendo é Karavele aqui da minha cidade, Indaiatuba – SP.

  • http://papodemarketingdigital.com Roberto Ronzella de Lima

    Recomendo também colocar plugins de captação de e-mails como o Sumome, mas algum que possa ser inserido na imagem, onde no momento que o usuário clica para expandir a imagem a caixa de optin apareça também, assim como aqueles plugins de anúncios para imagens, porém ao invés de anúncios, um opt in.

  • http://papodemarketingdigital.com Roberto Ronzella de Lima

    Outra dica, colocar na Thank you page, as redes sociais para encontrar você/sua empresa, com isso você pode traçar metas para likes na sua página, seguidores no instagram, twitter, etc.

  • http://rodrigoseo.com.br/ Rodrigo Nogueira

    Artigo Sensacional parabéns pelas dicas pessoal!