Blog de Marketing Digital de Resultados

7 dicas para as primeiras contratações do seu time de conteúdo

Chegou a hora de contratar mais gente para acelerar a produção de conteúdo na sua empresa? Veja alguns passos essenciais para garantir um processo fluido e com foco em resultados.

Como profissional de Inbound Marketing, fico feliz em ver a crescente adesão da metodologia por empresas de diferentes nichos do mercado. Mas sei que desde o momento de iniciar as estratégias, começar a gerar resultados e partir para a fase de escalar os processos, há um caminho a ser trilhado. E esse caminho eu tive a oportunidade de percorrer aqui dentro da equipe de marketing da RD.

Assim como em muitas empresas, a nossa operação de produção de conteúdo começou enxuta. Depois que a área começou a ganhar força e exigir mais entregas, vieram as primeiras contratações. Depois disso, as primeiras estruturações de novas áreas: conteúdo para agências, segmentos específicos do mercado, conteúdo para outros países.

É no momento de fazer as primeiras contratações que muitos profissionais têm dúvidas: como dividir as jobs? Como garantir alinhamento com a operação existente? Quais resultados cobrar? Fiz um compilado das principais dúvidas que ouço neste processo para tentar ajudar este seu momento. Vamos lá?

1. Defina a job antes de contratar

Muita gente erra aqui. Sai contratando alguém para “tocar ou dividir a função de produção de conteúdo”, mas na hora que a pessoa entra na empresa não sabe exatamente o que fazer com ela.

Antes de abrir a vaga, é importante ter clareza sobre o seu objetivo: a pessoa deve entregar o quê? Por quais resultados deve responder? Ela vai assumir toda a produção ou dividir com alguém?

Nos primeiros passos, é comum que a job seja mais generalista, ou seja, uma pessoa que toque mais de uma função. Quando eu entrei na RD, por exemplo, eu produzia conteúdo para o blog, escrevia eBooks e outros formatos de conteúdos ricos, desenhava cases de sucesso, escrevia para o blog do RD Station e era responsável pela comunicação com clientes. Hoje há pelo menos uma pessoa para cada uma dessas funções.

Quer mais um motivo para definir a job antes de contratar? Garantir alinhamento com o novo funcionário desde o início. Se ele passar pelo processo de contratação entendendo exatamente o que vai fazer, as chances de ter suas expectativas atendidas no novo emprego são muito maiores. ;)

Leia também o post O profissional de Marketing Digital ideal para sua empresa: o que faz e como escolher.

2. Job definida? Hora de pensar na meta

A sua empresa mede os resultados da produção de conteúdo? Muito bem! Se não mede, está na hora de olhar para isso. Sempre falamos que o Inbound Marketing é o Marketing Digital de resultados – e, se o conteúdo é um de seus principais pilares, ele deve trazer retorno.

Algumas métricas comuns de serem acompanhadas pelo time de conteúdo podem ser: tráfego, geração de Leads, ranking de palavras-chave do Google, entre outras. É importante que o novo liderado entenda o que ele precisa alcançar (mensalmente, trimestralmente, anualmente). As metas devem ser traçadas de acordo com os objetivos da empresa e seu acompanhamento deve fazer parte da rotina dele.

Algumas pessoas podem ter resistência em responder por metas, mas isso pode ser um ótimo ponto de venda: sem metas, como é possível provar o valor do trabalho feito?

3. Apresente (ou crie) as personas

Contratação feita, metas alinhadas, hora de começar o onboarding do novo funcionário. E, se estamos falando de conteúdo, o primeiro passo deve ser justamente a apresentação da persona para quem ele deve focar suas atividades.

Se a persona já existe, este passo pode ser apenas uma apresentação. Porém, em alguns casos, esta pode ser uma boa oportunidade para a pessoa revisar a persona: ela ainda faz sentido para a empresa? Alguma coisa mudou em seu hábito de consumir conteúdos? Suas dores? O momento atual do mercado?

 

Um outro caso pode ser a criação das personas, especialmente se a pessoa for contratada para iniciar a produção de conteúdo para uma nova vertical. Neste caso, o desenho da persona já serve como um excelente passo para começar a construir um conhecimento valioso sobre o mercado onde ele vai atuar.

Neste processo, eu costumo recomendar conversas com clientes, Leads e pessoas de outras áreas da empresa que tenham contato com este público para, além da persona, ser possível desenhar a sua jornada de compra.

Leia também o post Persona: Como e por que criar uma para sua empresa.

4. Imersão na sua solução

Apresentada a persona, já é possível ter clareza sobre em quem serão focados os esforços. Porém, há outros pontos importantes de serem alinhados desde o início: como funciona a sua solução (produto ou serviço)? Quais são os “pontos de venda” dela para o mercado? Quais dores principais são trabalhadas em conteúdo e qual é o discurso para saná-las?

Para garantir um bom alinhamento, eu recomendo uma imersão semanal de 1h ou 2h com foco em cada ponto que seja importante deixar claro (até para não sobrecarregar o novo profissional de informações). Outra possibilidade é a criação de um documento onde estejam centralizadas as informações. ;)

Leia também o post Integração de novos colaboradores: os primeiros passos para uma trajetória de sucesso.

5. Processos claros

Concluído o onboarding, agora é colocar a mão na massa. Quando há apenas uma pessoa fazendo tudo, é mais fácil gerenciar o próprio trabalho. Porém, quando chega mais alguém é hora de determinar alguns processos para facilitar o dia a dia.

Uma opção interessante para produção de conteúdo é ter claro as etapas que a envolvem, desde o planejamento, definição de pauta até a publicação e distribuição.

O apoio de ferramentas que permitam desenhar os processos pode ser fundamental aqui, especialmente quando o time escalar mais.

produção de conteúdo rico

Um exemplo claro disso é o kanban de conteúdos ricos que usamos na RD.

Você pode ver na imagem acima que temos diferentes etapas, e dentro de cada uma há um checklist com cada passo necessário dentro do estágio do conteúdo.

Para cada novo integrante da equipe é muito mais fácil conseguir entender o processo e se habituar com ele – e são minimizadas as chances de haver entregas desalinhadas ou com algum ponto faltando.

Conheça o passo a passo que seguimos na produção dos nossos conteúdos e acesse um template para ganhar produtividade no trabalho.

Baixar template

6. Garanta os recursos necessários

Não basta sentar na frente do computador e começar a produzir. A não ser que a pessoa seja responsável por outras entregas, como a produção de imagens, diagramação de conteúdo, publicação em mídias sociais, envio de Email Marketing etc.  – o que pode ser sua realidade neste momento – ela vai precisar desses recursos.

Se houver outros fornecedores para isso (dentro ou fora da empresa), é importante definir (ou se tornar) uma interface entre eles e o responsável por conteúdo. Uma sugestão de como fazer isso é programar 1h semanal de conversa entre o responsável por conteúdo e cada fornecedor. Nesta conversa devem entrar o planejamento das ações da semana, assim como a checagem das ações anteriores e resultados.

7. Acompanhe entregas e competências

Tudo pronto para seguir com a operação? Um bom hack para extrair os melhores resultados é fazer um acompanhamento próximo do liderado, e isso implica em duas frentes: entregas e competências. Para tal, você pode fazer:

  • Uma reunião semanal com foco em entregas (sprint): Separe 1h30 para entender o que foi realizado na semana anterior e desenhar em conjunto as ações para os próximos dias. Aqui o papo é em cima das entregas: qualidade, prazo, dificuldades encontradas e aprendizados.
  • Uma reunião mensal com foco em competências: Separe 1h ou 2h para conversar com o liderado sobre as suas skills: o que está bom e o que pode melhorar. Exemplo: ele tem dificuldade em organização? Tem facilidade em se comunicar com outras pessoas do time ou de fora? De acordo com as entregas que ele deve fazer e seus objetivos de desenvolvimento de carreira, é possível identificar quais os “gaps” que precisam ser trabalhados e traçar planos de ação em conjunto – que serão checados a cada nova conversa.

Bom, aí estão as dicas. Espero que possam ajudar neste seu momento. Ficou com alguma dúvida ou quer saber como lidar com algum ponto não abordado? Não deixe de comentar abaixo. ;)

Marcadores:

Deixe seu comentário