Blog de Marketing Digital de Resultados

Facebook começa a testar anúncios em meio aos vídeos

Por enquanto, as atualizações estão disponíveis somente nos Estados Unidos, mas a ideia é levá-las a outros países em breve; veja como funcionam e como podem ser usados por empresas.

O Facebook anunciou que tem testado, com páginas dos Estados Unidos, três atualizações que podem auxiliar usuários a monetizarem seus vídeos na rede social.

A ideia é, segundo o comunicado feito em 23 de fevereiro de 2017 no blog da companhia, ajudar os parceiros do Facebook a ganharem dinheiro com seus conteúdos de vídeo tanto dentro da rede social quanto em seus websites e aplicativos.

Atualmente, os recursos estão disponíveis apenas nos Estados Unidos, mas é possível que cheguem em breve a outros países.

Saiba um pouco sobre cada um deles:

Testes do Ad Breaks em vídeos ao vivo

Um pequeno grupo de criadores de vídeos tem testado o Ad Breaks para ganhar dinheiro com vídeos ao vivo. Como o nome já diz, os Ad Breaks permitem que os criadores insiram curtos intervalos para anúncios durante suas transmissões.

Ao optar por inserir os Ad Breaks, as pessoas que estão assistindo aos vídeos verão um anúncio de até 15 segundos de duração e 5 segundos de transição, totalizando um intervalo de, no máximo, 20 segundos. Os criadores de conteúdo receberão uma parcela da receita publicitária.

Desde 23 de fevereiro de 2017, o recurso está disponível para mais criadores de vídeos ao vivo. Páginas elegíveis e perfis terão a opção para usar Ad Breaks em qualquer transmissão ao vivo que atinja mais de 300 visualizações simultâneas. O recurso está disponível apenas para os Estados Unidos, mas é possível que chegue em breve a outros países.

Como usar Ad Breaks nos vídeos ao vivo

  • Por enquanto, páginas e perfis dos Estados Unidos podem se qualificar para testar os Ad Breaks se tiverem mais de 2000 seguidores e 300 visualizações simultâneas em um vídeo recente;
  • É possível colocar Ad Breaks durante qualquer transmissão ao clicar no símbolo “$” dentro da janela de composição do Facebook Live;
  • É possível inserir o primeiro Ad Breaks após 4 minutos de transmissão, no mínimo. Depois do primeiro, será possível inserir novos anúncios com, no mínimo, 5 minutos de intervalo entre um e outro;
  • Cada Ad Break tem duração de até 20 segundos

No comunicado, o Facebook lembra que páginas e perfis com propriedade intelectual ou padrões da comunidade violados podem ser negados para utilização o Ad Breaks. Aqueles que forem qualificados receberão uma notificação na próxima vez em que fizerem uma transmissão ao vivo.

Ad Breaks em vídeos on demand

O Facebook também anunciou que está começando a testar os anúncios em vídeos on demand, o que permite que anunciantes incluam pequenos intervalos de anúncios em vídeos que já estão na rede social.

Diversos parceiros dos Estados Unidos estão participando do teste e, segundo o comunicado, nós próximos meses a companhia vai trabalhar com eles para analisar, aprender e finalizar a versão inicial do recurso. O Facebook diz que espera expandir o teste para outros parceiros no futuro.

Anúncios em vídeos do Audience Network

O Audience Network é um serviço que insere publicidade de anunciantes do Facebook em sites e aplicativos terceiros.

A ferramenta, que também não está disponível no Brasil até o momento, permite que os anunciantes subam seus vídeos no Facebook com antecedência. Depois, o Facebook roda rapidamente um leilão e retorna com anúncios que trazem boas experiência para as pessoas que os assistem.

De acordo com o Facebook:

“Durante nossos testes, anunciantes como a Univision e a Collective Press viram o benefício dos anúncios em vídeo in-stream do Audience Network. A Univision, site mais visitado em espanhol entre os hispânicos americanos, quis complementar seu negócio de vendas diretas com anúncios em vídeo do Audience Network e tiveram sucesso ao implementar vídeos in-stream com foco nos Estados Unidos, Espanha, Colômbia, Argentina e México. Desde a implementação, em outubro, os eCPMs americanos do Audience Network estão 52% maiores do que com outros parceiros de monetização”.

Concluindo

Para quem se interessa por vídeo, o Facebook tem investido em diversas atualizações voltadas a esse tipo de conteúdo – aqui no blog, falamos recentemente sobre mudanças que incluem a possibilidade de assistir a vídeos enquanto navega pelo feed de notícias e um aplicativo para TV, além de uma atualização no algoritmo que dá mais espaço a vídeos longos.

Tudo isso porque, de acordo com a rede social, “as pessoas estão assistindo e compartilhando mais vídeos no Facebook do que nunca” e por isso é necessário melhorar a experiência do usuário ao exibir esse tipo de conteúdo.

Se você quer saber mais sobre tendências do uso de vídeo online para o ano de 2017, não deixe de ver o nosso material sobre o assunto.

Marcadores:

Deixe seu comentário