Blog de Marketing Digital de Resultados

Filtros anti-spam: como funcionam e como vencê-los

Usar o email marketing pode ser de fato uma poderosa ferramenta para aumentar as vendas da sua empresa.

No entanto, se os seus emails sempre caem na caixa de spam dos seus clientes, grande parte dos recursos gastos na coleta dos emails e preparação das campanhas serão desperdiçados.

Por isso é importante compreender como funcionam os filtro anti-spam, para então conseguir vencê-los e chegar até a caixa de entrada dos seus assinantes.

Filtro Bayesiano
Diversos aplicativos de email utilizam esse filtro, que costuma funcionar com bastante eficiência. O filtro bayesiano lê as mensagens que os usuários avaliam como spam e procura identificar algum tipo de padrão. Quando uma nova mensagem chega à caixa do usuário, é comparada com os padrões de spam. Dessa forma, aspectos em comum geram uma pontuação para cada item.

Quando há muitos itens em comum e um limite de pontos é atingido, a mensagem é considerada spam.

Para passar pelo filtro bayesiano, nossa recomendação é evitar práticas que são comuns nos spams como, por exemplo:

Usar letras em vermelho claro
COLOCAR MENSAGENS INTEIRAS EM LETRA MAIÚSCULA
Usar diversos pontos de exclamação!!!
Escrever o assunto com palavras como Viagra, free, clique aqui, grátis.

Black lists
Alguns servidores de email, cansados de tantos spams, resolveram rastrear o IP do servidor de quem enviava esses emails e os colocaram em uma “lista negra”. Sempre que um email vem desse servidor ele já é imediatamente considerado spam. A prática funcionou bem e essa lista foi compartilhada com outros servidores. Os principais emails hoje usam essa lista e, uma vez que você entrou nela, é muito difícil sair.

Nossa sugestão para vencer essa barreira é enviar email marketing somente se você tiver permissão. A única forma de sair de uma blacklist é provar que você tinha o opt-in para enviar a mensagem.

Respostas/Desafio
Já deve ter acontecido com você ao enviar uma mensagem para alguém que tenha email do BOL ou UOL. Se você não está na lista de contatos de quem vai receber o email, o servidor te considera um desconhecido, uma ameaça de spam.

Por isso ele responde com um desafio, que pode ser tanto uma pergunta para você responder quanto um link para você clicar. Assim é possível identificar se você é um humano ou um robô de spam. Se você cair numa resposta/desafio, realmente não há outra forma de entregar a mensagem que não seja responder ao desafio.

Por isso temos duas sugestões para superar esse obstáculo. A primeira é, no momento em que o usuário se cadastra na sua lista, pedir para que ele adicione o endereço de email da newsletter na lista de contatos dele.

O segundo passo é garantir que o email de envio da newsletter seja um email válido para resposta e que há alguém acompanhando os emails que voltam. Dessa forma você pode manualmente garantir o envio para os usuários que não te adicionaram na lista de emails.

Firewalls
São usados por algumas grandes empresas para aumentar ainda mais o bloqueio de emails. Os firewalls atuam antes mesmo do email chegar aos filtros. Eles combinam um pouco dos filtro bayesianos, das black lists e até um pouco de “achismo” para evitar os spams. São avaliados itens como a frequência de emails recebidos do seu servidor, o tempo em que seu servidor está atuando e alguns outros pontos que podem indicar confiabilidade da sua mensagem.

Os firewalls são realmente os mais difíceis de ultrapassar. A melhor forma de vencê-los é deixar claro para o assinante da Newsletter que ele deve adicionar o seu email à lista de contatos.

Há ainda alguns aspectos do código de email que podem fazer diferença. Abordamos os detalhes técnicos e diversos outros aspectos de uma boa ação de email marketing no nosso eBook Relacionamento com Email Marketing. Clique no link e aproveite o download gratuito.

Marcadores:

Deixe seu comentário