Blog de Marketing Digital de Resultados

Links internos: 5 dicas para o seu site decolar

No meu último artigo aqui no blog da Resultados Digitais falei um pouco sobre link building e como ele pode ajudar seu site a obter melhores posições no ranking orgânico. Apesar de ser uma ótima estratégia, demanda bastante tempo e recursos.

Nesse artigo vou explorar a estratégia de link building interno, ou seja, criação de links internos.

O que são links internos?

De maneira simples, são links em seu site que apontam para outro artigo ou página do seu próprio site.

A estruturas de links internos e arquitetura do site são fatores muito importantes para otimização de SEO on page, ou seja, que otimiza a estrutura interna do site sem influência externa, diferente do off page que parte de uma fonte externa ao seu site.

Por que você tem que criar links internos?

A criação de links internos é de certa forma uma prática muito simples de ser aplicada e que traz benefícios de curto a médio prazo bastante expressivos. Se no seu site você não utiliza essa estratégia, provavelmente está desperdiçando um grande potencial de melhora no peso do seu domínio para o algoritmo do Google.

Por outro lado, enquanto aparenta ser bem simples, ele pode se tornar altamente complexo ao  tirar da teoria e por em prática. Para ter certeza que você está fazendo a coisa certa se pergunte:

  • Quais são as melhores práticas para criar esses links?
  • Faz sentido seu post no blog ter um link para outro post do seu blog?
  • Esse link é diretamente relacionado ao conteúdo que ele está apontando?
  • Deve ser utilizada uma âncora perfeita ou uma âncora parcial?

Uma estratégia bem definida de linkagem interna é uma técnica muito poderosa a favor do SEO do seu site, principalmente se sua empresa trabalha com estratégia de conteúdo, como trabalhamos na Resultados Digitas. Isso porque é uma das estratégias mais simples e diretas para passar valor de páginas mais importantes para páginas que ainda não tem a mesma força. Com isso, distribuir a força de páginas importantes para quase todas as páginas de um site melhora e muito o domínio como um todo.

Não adianta ter só a home page como única página forte do domínio se os produtos da sua empresa ou os posts explicativos do seu blog não aparecem bem na busca do Google. Vale ter em mente que os usuários que chegam diretamente a uma página de produto já estão em uma fase avançada do processo de compra, faltando apenas encontrar a melhor oportunidade.

Arquitetura e hierarquia do site

Um dos fatores fundamentais de um site bem construído é a arquitetura e organização de todas as url’s. É interessante analisar como as páginas se comunicam entre si, se todas as páginas que devem ser visitadas estão visíveis e de fácil acesso para todos os tipos de usuários, sendo eles menos experientes ou experts.

Para isso não existe uma receita de bolo pronta que todos os sites devem seguir, mas sim, diversas formas de montar esse tipo de arquitetura dependendo do tipo de negócio. Desde os modelos mais simples como blogs e sites institucionais até e-commerces com milhares de páginas.

Existe uma forma básica de organizar essas informações e utilizar como modelo para construção do site como um todo. Para isso, devemos adotar uma estrutura e organização de indicação de páginas para cima e para baixo pensando em uma estrutura de pirâmide, onde a home page é o topo mais alto e as páginas de conteúdo as mais baixas.

  • Home Page deve ter links para todas as categorias  (para baixo)
  • Páginas de Categoria
    • Toda categoria deve ter um link para Home Page (para cima)
    • Toda categoria deve ter um link para todas as categorias (transversal)
    • Toda categoria deve ter um link para seus próprios tópicos (para baixo)
  • Tópicos
    • Todo tópico deve ter link para home page (para cima)
    • Todo tópico deve ter link para todas as categorias (para cima)
    • Todo tópico deve ter link para os tópicos da mesma categoria (transversal)
    • Todo tópico deve ter link para seus próprios sub-tópicos (para baixo)
  • Sub-tópico
    • Todo sub-tópico deve ter link para home page (para cima)
    • Todo sub-tópico deve ter link para todas as categorias (para cima)
    • Todo sub-tópico deve ter link para todas as páginas de tópico da mesma categoria (para cima)
    • Todo sub-tópico deve ter link todos os sub-tópicos da mesma categoria (transversal)
    • Todo sub-tópico deve ter link para as próprias páginas de conteúdo (para baixo)
  • Páginas de conteúdo
    • Toda página de conteúdo deve ter link para home page (para cima)
    • Toda página de conteúdo deve ter link para todas as categorias (para cima)
    • Toda página de conteúdo deve ter link para todos tópicos da sua categoria (para cima)
    • Toda página de conteúdo de ter link para todos os sub-tópicos da mesma categoria (para cima)
    • Toda página de conteúdo deve ter link para outros conteúdos do mesmo sub-tópico (transversal)

Para ilustrar um pouco dessa ideia de estrutura do tipo pirâmide você pode analisar a seguinte imagem:

links-internos-estrutura-01

Com essa estrutura o valor da home page (ou page rank) é distribuído para o site inteiro, mas ao invés de só diluir esse valor para baixo, nós também o “empurramos” para cima e para as páginas principais.

Pode parecer um pouco confuso, mas existem diversas formas de fazer essa ligação quase que automaticamente.

Por exemplo, no site da Resultados Digitais usamos o mesmo header (home, blog, produtos, etc) para todas as páginas e para as páginas do blog utilizamos também a mesma sidebar (as categorias do blog, ao lado). Isso já é nativo no nosso template e em quase todos os templates de WordPress. Cada vez que criamos um post novo ou uma página nova essa estrutura de link é replicada automaticamente, menos os links de conteúdos relacionados que é feito parte manualmente e parte por plugin.

5 dicas para criar links internos no seu site

Depois de criar toda a hierarquia e estrutura que você deseja aplicar em seu site, podemos otimizar ainda mais o potencial e o valor dessa estratégia. Para isso, preparamos 5 dicas simples e efetivas para você aplicar no seu site o quanto antes.

1 – Teoria dos 3 cliques de distância

Existem alguns estudos e algumas teorias que dizem que nenhum conteúdo da sua página deve estar a mais de 3 cliques de distância para um usuário, desde a home page até o conteúdo.

Essa teoria diz mais sobre a experiência do usuário do que o próprio algoritmo do Google, porém, se as páginas do seu sites estão em camadas muito profundas é pouco provável que o Google bot vai valorizar o conteúdo dessa página. Por estar tão abaixo na hierarquia do seu site, ele assume automaticamente o conteúdo que pode não ser tão relevante para os usuários.

Utilizando o site da Resultados Digitais como exemplo, se um usuário está interessado em ler um posts sobre o Facebook ele utilizará 3 cliques para chegar ao conteúdo.

Entrada na Home Page

1º clique no botão “Conteúdo” na barra superior

2º clique no menu “Blog”

links-internos-estrutura-02

3º clique na sidebar direita que lista todas as categorias e sub-categorias

links-internos-estrutura-03

Para deixar claro, isso não é uma regra que todos os sites devem seguir e sim uma boa prática caso seja aplicável a seu negócio.

Talvez não sirva para sites que contenham milhares de páginas, categorias, sub-categorias, tópicos, sub-tópicos, diversos tipos de produtos de várias marcas diferentes. Porém, alguns sites com essas características de muitas páginas utilizam diversos critérios de busca com filtros avançados para que os usuários encontrem o que desejam da forma mais rápida e simples possível com menos cliques.

Quando for a hora de pensar na estrutura e hierarquia do seu site, pense em manter todos os conteúdos acessíveis com menos cliques possíveis. Assim será muito mais fácil de manter uma arquitetura limpa e organizada para uso interno e também será muito mais fácil para a navegação do usuário e a leitura do Google Bot.

2 – Utilizar Breadcrumbs

Breadcrumbs são trilhas de navegação do seu site. É uma excelente forma de criar links internos e relação entre as páginas do blog e do site.

links-internos-estrutura-04

Podemos ver no exemplo acima que a trilha de navegação contém links para todas as páginas anteriores a hierarquia do site, seguindo o exemplo da pirâmide, da página com maior força (home) até a página do conteúdo.

Não é muito difícil de ser configurado em seu site, mas é recomendado que seja feito por um desenvolvedor. Podem ser aplicados diversos tipo de CSS no breadcrumb do seu site para manter o mesmo padrão visual.

Se o seu site é feito em WordPress o próprio plugin do Yoast cria um código de breadcrumb que entende a estrutura do seu site, categorias, subcategorias e o cria de forma dinâmica.

A parte que pode requerer um desenvolvedor é no momento em que o script for inserido no tema, ele deve ficar na parte correta do seu template que, na maioria dos casos, seria do começo do body html da sua página.

links-internos-estrutura-05

Para maiores informações leia esse artigo do Yoast que ensina como configurar o breadcrumb com segurança. (em inglês)

Além de ajudar na estrutura de links internos do seu site, o plugin do Yoast ajuda o Google a entender o conteúdo do seu site via trilhas de navegação e também mostra seu site no resultados de pesquisa de uma forma muito mais limpa e atrativa para o usuário.

Exemplo com trilha de navegação configurada:
links-internos-estrutura-06

Exemplo sem trilha de navegação configurada:

links-internos-estrutura-07

Podemos notar na linha verde, onde se encontra a url da página de destino, a diferença que o breadcrumb faz visualmente. No primeiro exemplo, sabemos que ao clicar vamos cair em uma página relacionada a SEO e marketing de busca. No segundo exemplo, não temos muita noção de qual é a página de destino, então a chance de um usuário clicar no primeiro exemplo é muito maior.

Para sites que não utilizam WordPress como plataforma, o Google tem as diretrizes certas para habilitar em qualquer tipo de site: https://developers.google.com/structured-data/breadcrumbs (em inglês).

3 – Posts Relacionados ou mais populares

Uma dica valiosa é utilizar plugins, caso você use WordPress, para criar uma lista de posts relacionados no fim de cada post novo. Além disso você pode utilizar um plugin na side bar do seu blog ou site com os posts mais populares, mais comentados, mais compartilhados e assim por diante.

Além de aumentar o número de páginas visitadas por usuários e tempo de permanência no site, o que é ótimo ao olhos do Google no quesito de experiência do usuário, ajuda a criar uma estrutura de link interna muito mais sólida que é feita automaticamente por plugins.

No blog da Resultados Digitais utilizamos o Related Post By Zemanta. Além de não atrapalhar muito na velocidade de carregamento das páginas (fator de ranqueamento usado pelo Google), ele tem diversas opções de personalização e critérios para escolha dos posts relacionados.

4 – Criação de muito conteúdo

Um dos passos mais importantes é a criação de muito conteúdo. É necessário ter muitas páginas com um conteúdo de qualidade e linkável para se criar uma boa estrutura de link interno e tirar o maior proveito disso.

Com uma estratégia bem definida de conteúdo é possível criar, em quase 100% dos posts, links para outros posts relevantes ao tema. Além de melhorar a estrutura de links, pode ajudar a diminuir o bounce rate (taxa de rejeição), caso muitos usuários entrem no seu site direto naquele conteúdo. Lembrando que quanto menor o bounce rate, melhor o Google avalia seu site para questão de usabilidade de usuário, melhorando o posicionamento do seu site em vários pontos na busca orgânica.

Analise esse mesmo post e veja quantas vezes indicamos outros links do blog ao longo do texto.

5 – Âncoras relevantes e evitar super otimização

Como dito no meu post sobre link building efetivo em 2015, âncoras tem um papel muito importante aos olhos do Google e é imprescindível tomar cuidado com essas escolhas. Mesmo criando links internos, não utilizem somente âncoras perfeitas para o post relacionado.

O Google vai entender que você está tentando manipular o algoritmo da mesma forma, como se fosse link building e sendo assim, você pode ficar passível de uma punição severa do Google (devido a prática de black hat), com a chance de prejudicar muito suas receitas, visitas e todas as partes do seu negócio online.

Utilizar sempre âncoras naturais, com contexto no parágrafo em que ele for colocado e a página alvo deve sempre manter o mesmo conceito que foi dito no conteúdo apontando pra ele.

Conclusão

O uso de Links Internos é uma das táticas mais eficientes e simples de ser aplicadas no seu site que podem ser feitas a qualquer momento. Essa otimização on page de links internos traz resultados a médio prazo e aqui na Resultados Digitais nós chamamos de “Quick Wins”.

Desde que começamos a fazer essa estrutura de links internos com mais qualidade e critério, nossos rankings subiram e o número de visitas orgânicas cresce constantemente todos os meses de forma natural.

É um trabalho constante, com periodicidade semanal, onde deve se checar todos esses links e verificar se nenhum está apontando para a página errada. Aqui no nosso blog  temos diversos autores, então estamos sempre de olho no que acontece em cada post.

Dica Extra: Se o seu blog não utiliza WordPress, é importante repensar essa estratégia. O WordPress já vem com a sua configuração 90% amigável para SEO e com plugins que podem automatizar a maioria do seu trabalho manual.

Se surgir alguma dúvida, deixe no comentário que responderei o quanto antes.

Marcadores:

Deixe seu comentário