Blog de Marketing Digital de Resultados

8 mitos sobre Otimização de Conversão (CRO) que você precisa deixar para trás para aumentar suas taxas

Confira 8 falsas convicções sobre Otimização de Conversão que vão fazer você mudar a forma como você enxerga e aplica seus testes!

A Otimização de Conversão (CRO) é um tema relativamente novo no mercado de Marketing Digital. Justamente por ser uma novidade, o que não falta no mercado são “especialistas” transformando táticas bastante pontuais em regra geral. Como se um caso de sucesso específico de um site sobre inseminação artificial na Malásia funcionasse também para um ecommerce de artigos esportivos.

Bom, apesar do tom irônico, sabemos que esse tipo de situação é bem mais comum do que parece. Todos os dias pessoas aplicam técnicas, métodos e conceitos de CRO sem o menor pudor. E o pior, ainda crentes de que estão adotando as ações certas para o sucesso da taxa de conversão do seu site. Em alguns casos os resultados até se tornam positivos, mas apenas por sorte ou casualidades.

Os impactos paradoxais que o CRO pode fazer a um negócio são, sem sombra de dúvidas, reais. Muito provavelmente em consequência disso – e do anseio de TODOS em “não ficar de fora dessa” – o conhecimento acabou sendo banalizado.

Várias falsas convicções começaram a surgir aos montes no mercado, e é sobre isso que vamos falar e tentar esclarecer para você nesse post.

Mito #1: CRO é uma lista de boas práticas que, quando seguidas, aumentam a taxa de conversão

Como já começamos a retratar nesse post, o CRO está longe de ser uma lista de boas práticas.

Não existe uma fórmula infalível ou mesmo um checklist de mudanças e alterações que se deve fazer para ter uma alta taxa de conversão no seu site. O que existe são estudos, testes e experimentos. Estes sim são capazes de munir um especialista com informações para uma otimização certeira na taxa de conversão de um site.

Mito #2: Pra fazer um bom CRO eu preciso testar? Ótimo! Vou testar novas mudanças em tudo, todos os dias!

Tome bastante cuidado! Até mesmo os testes precisam ser embasados em estudo e estatística. Para fazer testes e experimentos é preciso fazer planejamento.

Também não podemos deixar de destacar que, quanto maior o número de testes acontecendo simultaneamente, maiores os riscos de resultados inconclusivos. Determinar até que ponto um experimento afeta outro experimento exige muitíssima perícia e atenção.

Mesmo sites que dispõem de vários profissionais para trabalhar nisso evitam realizar testes nesse nível de complicação.

Então, antes de partir para testes mais elaborados, faça o básico muito bem feito. Isso pode lhe dar conhecimento e experiência para aos poucos poder ir aprimorando.

Mito #3: CRO é fazer Teste A/B

O Teste A/B é uma ferramenta simplesmente fantástica para chegar a conclusões de muitos assuntos divisores de opiniões. Mas saiba que, se você faz apenas isso e anuncia por aí que é um conhecedor de CRO, você está bem longe de entender o real significado da Otimização de Conversão.

Como já dito, apesar de ser muito útil, está muito longe de representar ao menos metade do trabalho de um especialista no assunto. Há muito mais formas de otimizar as conversões de um site. Poderia citar vários outros elementos de CRO tão importantes quanto o Teste A/B, mas vêm vindo mais mitos aí para discutirmos

Mito #4: Quanto menos texto, melhor para uma boa taxa de conversão. Ninguém gosta de ler na internet.

Errado! Isso inclusive é uma inverdade que vem se espalhado como um vírus no mercado de Marketing Digital. O usuário é capaz de ler textos maiores que o padrão, sim. O que vai determinar se isso vai acontecer ou não será a forma com que ele será instigado a ler o texto e a forma em que a página vai despertar esse interesse nele.

O efeito negativo que muitos se habituaram a afirmar que acontece, pode ser inclusive o oposto. Duvida? A empresa Supersonic,  a primeira especializada em Otimização de Conversão no Brasil, divulgou há um tempo um case de CRO que provou exatamente o que estamos abordando nesse mito. Produzindo uma página 8 vezes maior que a original, a taxa de conversão do respectivo site teve um aumento de 662%.

O caso ilustra que, com a aparência e as palavras certas, é possível sim ter mais texto com mais conversão.

Mito 5#: Vou acompanhar as otimizações que têm feito sucesso no mercado e replicar no meu site

Cada nicho de mercado tem suas peculiaridades. Pensando que o CRO é baseado 100% no público-alvo (no usuário), é quase impossível generalizar uma Otimização de Conversão de um negócio aleatório para o seu negócio.

Um usuário de um negócio distinto do seu possui características e necessidades diferentes do seu negócio. Portanto, esse tipo de ação baseada no que outros fizeram contem um alto risco de não funcionar para você.

“Mas eu anotei uma dica de CRO em uma palestra, apliquei no meu site e tive ótimos resultados”

Ainda bem! Sim, isso pode acontecer, mas como já mencionamos, na maioria das vezes você precisará contar com a sorte e a casualidade para ter melhorias significativamente positivas na sua taxa de conversão.

Entretanto, é importante enfatizar que a mensagem passada aqui não é a de que palestras, dicas e cases sobre CRO não possuem utilidade, mas sim a de que não podem ser interpretados de forma avulsa, sem levar em consideração o contexto mercadológico do palestrante, do case etc. Então fique atento.

Mito #6: Para fazer CRO eu preciso usar meus instintos de Marketing Digital para entender o comportamento do meu usuário

Pode ter certeza de que seus conhecimentos de Marketing Digital são extremamente úteis para aplicar CRO em um site, mas não para tomar decisões baseadas 100% neles, e sim para usá-los atrelados a dados, estatísticas de estudo e pesquisas realizadas por você.

Entender os dados e transformá-los em ações fundamentadas neles é algo que exige, sim, conhecimentos de Marketing Digital. O que não podemos nunca fazer é tomar as decisões com base no tão comentado achismo.

Mito 7#: Não preciso fazer pesquisa para conhecer meus clientes. Há anos tenho contato com eles e já os conheço bem.

Eu não tenho dúvidas de que dificilmente haverá alguém melhor que você para conhecer o seu cliente, mas saiba que isso pode se tornar algo perigoso.

É extremamente comum, depois de entrevistas e estudos dos seus clientes, descobrirmos características e informações simplesmente fascinantes. Estou falando de fatos que você tinha a perfeita certeza de serem reais, mas que na verdade não passam de preconceitos decorrentes da sua rotina cheia de trabalho.

Não podemos deixar de fora também as muitas outras informações adicionais que é possível de se descobrir e que nem fazíamos ideia que existiam. Se isso não bastasse, ainda percebemos o quão úteis são essas informações para identificar oportunidades inexploráveis.

Sendo assim, nunca duvide de uma boa pesquisa aprofundada de clientes e público-alvo.

Mito #8: Você precisa fazer uma escolha: ou é usabilidade ou é estética

Tenha certeza de que o visual e a usabilidade de uma página podem e DEVEM ser trabalhados de forma conjunta. O que acontece muitas vezes é que, por falta de expertise em web design e UX, não conseguimos aliar as duas coisas, restando a nós escolher um caminho.

Quando o assunto é esse, tenha conhecimento de que é totalmente válido investir bastante tempo e esforço para encontrar a melhor solução. Usabilidade e estética de forma alguma competem entre si.

Conclusão

A otimização da taxa de conversão é uma arma poderosa, mas que só funciona nas mãos certas. É preciso estar sempre atento aos conhecimentos que são passados no mercado sobre esse e qualquer outro assunto. Para não haver chances de errar, é importante que você sempre estude, teste, aplique e analise.

Tem dúvida sobre alguma outra técnica, método ou conceito mirabolantes que tem ouvido no mercado? Deixe um comentário para discutirmos sobre o assunto!

Marcadores:

Deixe seu comentário