Blog de Marketing Digital de Resultados

O que o Marketing Digital tem em comum com o mercado financeiro

Há alguns dias assisti a um documentário que falava sobre o funcionamento dos bancos e do mercado financeiro. Como minha cabeça funciona ligada em marketing o tempo todo, comecei a perceber como alguns itens se pareciam com as coisas que discutimos aqui no blog. Afinal de contas, investimentos em marketing digital não deixam de ser investimentos.

Por isso comparamos o funcionamento de alguns dos serviços do mercado financeiro com as opções de marketing que sua empresa possui. É claro que simplificamos e resumimos bastante coisa, mas podemos ver relações interessantes:

Links patrocinados = investimento capital de giro

Os links patrocinados funcionam como o investimento em capital de giro em uma empresa. É aquele dinheiro que se renova rapidamente, o tempo todo.

É importante colocar que isso só é verdade se sua empresa souber medir os resultados e investir só no que é lucrativo, assim como o capital de giro só faz sentido quando os recursos são investidos naquilo que pode gerar lucro em curto prazo.

Email Marketing e perfis em mídias sociais = poupança

A poupança está entre as opções mais seguras de investimento, já que os ativos ali colocados são seus e continuarão sempre disponíveis.

De forma semelhante funciona a audiência que sua empresa constrói nas mídias sociais ou na lista de emails. Nesse meio, os investimentos vão se “acumulando” e a base de seguidores/assinantes torna-se um ativo permanente bastante valioso, que pode ser usado a qualquer hora.

Seu problema no entanto, é que não adianta deixá-lo de lado por um tempo: os rendimentos são muito pequenos. É preciso estar o tempo todo presente e investindo ali para de fato conseguir fazer esse ativo crescer.

Blog = fundos de longo prazo

Assim como nas mídias sociais, os investimentos na construção de uma base de leitores também configuram um ativo permanente.

O diferencial do blog é ser mais atemporal, ou seja, mesmo que sua empresa deixe de investir nele mais à frente (e decida “viver de juros”), o conteúdo antigo continuará existindo e tendo valor, podendo ser encontrado através de ferramentas de busca e compartilhado pelos usuários nas mídias sociais. Por isso dizemos que funciona como um fundo de longo prazo: deve-se ter paciência para colher resultados, mas a soma de assinantes+autoridade para o Google garante resultados exponenciais ao longo do tempo.

Esse é mais um motivo pelo qual acreditamos que a produção de conteúdo é a melhor aposta em marketing digital.

Campanhas “inovadoras” nas mídias tradicionais = compra de ações

As campanhas de mídias tradicionais se parecem com as compras de ações em muitos aspectos. O primeiro deles é o grau de risco. Ao mesmo tempo em que algumas campanhas “pegam” e dão ótimos resultados, é considerável também o número de veiculações que não dão certo e fazem as empresas acabar sem nada. Apesar de terem todo um glamour, só quem conhece e tem experiência no assunto se dá bem e consegue ter um bom retorno.

Outro ponto em comum é que normalmente fica difícil investir tendo pouco dinheiro em caixa. Primeiro porque o investimento inicial costuma ser alto, principalmente quando é contratada uma agência bem sucedida e compra-se mídia em veículos de grande alcance. Segundo porque quem tem pouco dinheiro em caixa não pode se dar ao risco de colocar todos os ovos no mesmo cesto e perder tudo (ainda assim, diversas empresas fazem isso…).

Empresas grandes estão cientes desse risco e podem absorver as perdas de campanhas mal-sucedidas. Já para as empresas que possuem recursos limitados, é necessária uma assertividade muito maior antes de entrar.

Onde investir então?

Como no mercado financeiro, o investimento em marketing também depende do perfil da empresa e de seus objetivos.

Links patrocinados são uma ótima forma de trazer resultados de curto prazo, desde que bem mensurados. Por isso, trazem um risco menor.

Para não ficar só preso ao curto prazo e garantir um futuro lá na frente, é muito importante investir na produção de conteúdo, equilibrando coisas que possuem mais “liquidez” (ex. email marketing) com coisas onde o retorno demora um pouco mais para aparecer, especialmente o blog.

Por fim, as campanhas em mídias tradicionais (como a compra de ações) não são necessariamente ruins. Se sua empresa não vê problema em arriscar e quer resultados instantâneos, os “canhões de mídia” podem ser uma boa opção.

Mas de uma forma geral, mais uma vez apoiando nos conselhos financeiros, o mais indicado é um balanço entre as coisas.

Marcadores:

Deixe seu comentário