Blog de Marketing Digital de Resultados

Os 5 erros mais comuns em Google Adwords

Uma das maiores dificuldades de empresas que começam a usar a Internet é atrair visitantes para seus sites.

Por esse motivo o Google Adwords acabou se tornando uma excelente opção de publicidade, oferecendo visibilidade bem segmentada e preços acessíveis.

Apesar de ser uma ferramenta com possibilidades de uso bastante complexas, mesmo iniciantes conseguem fazer o setup de uma campanha e colocar os anúncios no ar.

O problema é que com essa facilidade, acabam passando também muitos erros que podem fazer seus resultados (e seu dinheiro!) escorrerem pelo ralo. Nesse post separamos 5 erros extremamente comuns e que merecem uma atenção especial:

1 – Direcionar o usuário para a Home ao invés de uma Landing Page

Esse é certamente um dos erros mais comuns. A Home costuma funcionar bem como um ponto central apresentando tudo o que o site tem disponível.

O problema é que normalmente os anúncios são direcionados para uma oferta específica, seja ela um produto, serviço ou conteúdo, e não faz sentido fazer com que o usuário fique procurando por isso no seu site.

A taxa de conversão costuma aumentar muito quando há uma página específica para a oferta anunciada: essas páginas são as Landing Pages (clique no link para assistir nosso webinar gratuito sobre como criar boas Landing Pages).

Além disso, boas Landing Pages alinhadas com os textos do anúncio influenciam positivamente no Quality Score, atributo que o Google Adwords usa para avaliar a qualidade do anúncio. Como consequência, boas Landing Pages permitem que o anunciante gaste menos para ter uma boa visibilidade.

2 – Escolher mal as Keywords

Boas keywords costumam ser aquelas que representam exatamente a oferta. Vemos com frequência empresas usando palavras chave que não possuem muita relação com a oferta ou então são muito amplas ou ambíguas.

Se sua intenção é vender um software de email marketing, “ferramenta de email marketing” ou “software de email marketing” são keywords que costuma converter melhor de que “email” ou mesmo “email marketing”, que podem representar buscas com diferentes intenções (saber o que é, como funciona, como ter melhores resultados, etc).

Já a ambiguidade pode aparecer em palavras como “servidor”, em que o usuário pode estar procurando por algo em computação ou servidores públicos.

Vale a pena investir algum tempo montando uma lista e depois filtrando as keywords.

3 – Usar grupos de anúncios com muitas palavras chave e pouca relação entre o texto do anúncio e as keywords

Quanto mais parecidas forem as keywords com o texto do anúncio (o título principalmente), maior costuma ser a taxa de cliques.

Por isso recomendamos que sua empresa trabalhe com grupos pequenos (3 ou 4 keywords) para que cada anúncio reflita exatamente aquele conjunto de keywords.

Mesmo sinônimos podem ser colocados em grupos separados (ex. programa e software) para que o anúncio contenha o termo exato.

4 – Não há acompanhamento no Analytics

Uma das grandes vantagens de links patrocinados é poder mensurar o desempenho das campanhas com exatidão. Há como fazer um link entre os dados do Google Adwords e Google Analytics e saber qual a taxa de conversão de cada termo específico.

O problema é que nem sempre há nas empresas processo claros de Web Analytics para acompanhar esses números e fazer otimizações.

5 – Não há testes

Apesar de falarmos sobre boas práticas para anúncios, Landing Pages e keywords, isso tudo é tirado de observações gerais e nem sempre os melhores resultados para sua empresa surgem do senso comum.

É essencial testar os diferentes itens e conferir com os próprios olhos o que está funcionando e o que não está. Com o acompanhamento de Analytics que mencionamos acima, fica mais fácil perceber os resultados e cortar o que não está funcionando.

Não se preocupe por ter pago caro por uma ou outra keyword que não converteram bem. Mesmo os profissionais mais bem sucedidos acabam fazendo isso no começo. Pense que sua empresa não está pagando somente o preço da keyword: está pagando para aprender o que funciona e o que não funciona.

Marcadores:

Deixe seu comentário