Blog de Marketing Digital de Resultados

10 razões pelas quais ninguém compartilha seu conteúdo – e como solucionar este problema

Conheça algumas boas práticas de produção de conteúdo que podem ajudar e muito a fazer com que seus materiais se tornem mais atraentes de serem consumidos – e compartilhados.

Você já passou pela situação de criar um conteúdo, empregar tempo e investimentos para gerar um material de qualidade e depois de todo o trabalho ter apenas alguns poucos likes e compartilhamentos como resultado?

Se sim, pode acreditar que você não está sozinho. Muitas empresas que fazem Marketing de Conteúdo enfrentam esse problema: elas produzem conteúdo, mas veem todo o seu esforço jogado fora pelos resultados fracos que obtêm. Além do tempo e recursos investidos sem sucesso, o sentimento é de frustração, o que pode fazer com que essas empresas pensem que o Marketing de Conteúdo não funciona.

Mas, na maior parte das vezes, isso acontece porque a produção de conteúdo está longe do ideal: falta planejamento, estratégia e o conteúdo produzido não está de fato gerando valor para a audiência. E isso se traduz em conteúdo que passa despercebido pelo público, sem ser compartilhado.

Felizmente adotar algumas boas práticas na produção de conteúdo pode ajudar e muito a fazer com que seus materiais se tornem mais atraentes de serem consumidos – e compartilhados. Por isso, a Resultados Digitais separou algumas delas – a maioria é relativamente simples e pode ser incorporada já no processo de produção. ;)

1. Seu conteúdo não resolve problemas práticos

Problema

Não se esqueça de que, acima de tudo, um conteúdo tem como objetivo ser útil e instrutivo para o público-alvo. Por isso, conteúdos muito genéricos, que dão dicas pouco ou nada aplicáveis e que não respondem as dúvidas ou sanam as dores da audiência não geram valor. Consequentemente, não serão o tipo de conteúdo que será lembrado – e compartilhado.

Solução

De acordo com um estudo realizado por Jonah Berger, autor do livro Contágio: Por Que as coisas pegam, os conteúdos mais compartilhados não são apenas interessantes e surpreendentes, mas também informativos. Outro estudo realizado pelo NYT Insight Group aponta que 94% das pessoas analisa a utilidade do conteúdo antes de compartilhá-lo.

Por isso, a solução é criar conteúdos com instruções claras e conselhos acionáveis. Por exemplo, conteúdos do tipo “como fazer sua própria decoração de Natal” e “o passo a passo para montar uma empresa do zero”, se feitos com qualidade, têm o potencial de serem muito compartilhados, pois ensinam de fato o leitor/ouvinte/espectador a concretizar alguma coisa. É só vermos como vídeos curtos de receita fazem sucesso em redes sociais como Facebook e Instagram.

2. Você não sabe para quem está criando conteúdo

Problema

Afinal de contas, você sabe com quem está falando? Quem é sua audiência? Quais são as características dela? Não conhecer seu público pode fazer com que você caia na cilada de produzir um conteúdo genérico, sem resolver o problema de ninguém. Novamente, você não está gerando valor e, consequentemente, seu conteúdo será facilmente esquecido.

E não adianta você conhecer apenas o seu público-alvo, pois mesmo este recorte de pessoas possui um espectro grande de diferentes pessoas a quem você pode se dirigir de formas diferentes. Por exemplo, se você vende um produto ou serviço que atende diferentes problemas dos públicos masculino e feminino, o ideal é não se comunicar com esses dois segmentos da mesma forma.

Solução

Se você ainda não criou as personas da sua empresa, a hora de fazer isso é agora. Ao contrário das informações de determinado público-alvo, que costumam ser genéricas e englobar pessoas com características bem diversas, a persona é uma representação do cliente ideal da sua empresa, ou seja, um personagem com características muito mais específicas e, por isso mesmo, alguém com quem você pode se comunicar muito mais facilmente. Veja só a diferença:

  • Público-alvo: Homens e mulheres, de 24 a 30 anos, solteiros, graduados em arquitetura, com renda média mensal de R$ 3.500. Pretendem aumentar sua capacitação profissional e gostam de viagens.
  • Persona: Pedro Paulo tem 26 anos, é arquiteto recém-formado e autônomo. Pensa em se desenvolver profissionalmente através de um mestrado fora do país, pois adora viajar, é solteiro e sempre quis fazer um intercâmbio. Está buscando uma agência que o ajude a encontrar universidades na Europa que aceitem alunos estrangeiros.

Não é muito mais fácil trazer informações úteis e relevantes no segundo caso? Então desenvolva as personas do seu negócio e as tenha sempre em mente na hora de criar o conteúdo.

Para começar a criar suas personas ou validá-las, reúna informações sobre os melhores clientes da sua empresa e crie um personagem que reúne todas essas características. Os dados devem incluir desde nome, idade e profissão até suas principais dores e dúvidas que se relacionam direta ou indiretamente ao seu mercado.

Se você ainda não tem suas personas ou quer validá-las, acesse nosso Gerador de Personas para facilitar o seu trabalho.

3. Seu conteúdo não reflete suas personas e público-alvo

Problema

Você pode até ter as personas da sua empresa definidas, mas, se você não utilizar as informações relacionadas a elas para criar seu conteúdo, você cairá na vala comum dos conteúdos genéricos e que não geram valor para seu público. E dificilmente terá seu conteúdo compartilhado.

Solução

Estude bem suas personas, tanto para criá-las quanto para utilizar suas informações para produzir conteúdo. Quanto mais detalhada for a sua persona, mais você conseguirá criar conteúdos personalizados para ela. Não se esqueça de que, não importa qual seja a persona, ela passará por diferentes estágios da jornada de compra e, por isso, você deve criar diferentes conteúdos para cada etapa do funil.

Para criar as jornadas de compra de suas personas, utilize nosso Gerador de Jornada de Compra.

Outra forma de criar um conteúdo bem específico e focado em sua persona é mostrar casos de uso para sua solução, principalmente se o seu produto ou serviço ainda não é bem conhecido no mercado. Isso vai naturalmente fazer com que o público-alvo entenda que sua solução serve para resolver o problema dele.

Além disso, conforme a pesquisa de Berger, 68% das pessoas tendem a compartilhar conteúdos que mostram quem elas são e com o que elas se importam, e 84% afirmam que compartilham conteúdos para mostrar as causas que apoiam. Por isso, foque no que é importante para suas personas e você terá muito mais chances de produzir um conteúdo compartilhável.

4. Seu conteúdo é de difícil entendimento

Problema

Alguns segmentos, principalmente aqueles que são Business-to-Business (B2B) e/ou possuem processos de venda complexos, muitas vezes encontram dificuldades em escrever conteúdo para seu público, pois têm um vocabulário muito específico de sua área e não conseguem “traduzi-lo” para sua audiência.

Por isso, muitas vezes o conteúdo se torna difícil demais justamente para aqueles que deveria atender e, por isso, deixa de ser atrativo e compartilhado. Às vezes, isso acontece porque o profissional, embora entenda muito bem da sua área, não sabe como passar sua ideia de forma mais acessível.

Solução

Não se trata de considerar que sua audiência não sabe nada, mas, para conseguir colocar suas ideias em uma linguagem mais democrática, você precisa partir do pressuposto que seu público não conhece todos os aspectos do seu mercado. Se precisar utilizar uma linguagem mais técnica, use exemplos e dicas acionáveis para que as pessoas entendam do que você está falando.

5. Você vende seu produto/serviço, e não a solução

Problema

É claro que em algumas ocasiões você terá que falar diretamente do seu produto. O problema é se você aborda APENAS o seu produto e se esquece de falar o que ele pode fazer pelo seu público, ou seja, qual solução ele traz para seus potenciais clientes.

Isso faz com que seu conteúdo se torne desinteressante e distante das pessoas. Isso porque apenas uma pequena parcela da sua audiência está pronta para ver o valor do seu produto. O restante ainda está em etapas menos maduras da jornada de compra, ou seja, precisa conhecer mais sobre o seu mercado para entender que seu produto é a solução para elas.

Não se esqueça de que, no final das contas, seu produto ou serviço é apenas um MEIO para que seu público-alvo chegue a um FIM, ou seja, resolva seu problema.

Solução

Crie conteúdo que se conecte com as pessoas e que vá além das features que você oferece. Faça as pessoas perceberem qual é o problema delas, o que elas podem fazer para resolvê-lo, mostre exemplos de quem conseguiu resolver o problema e só então se ofereça como a melhor alternativa para a solução. Ou seja, eduque seu público para seu mercado e para as possibilidades que ele traz.

Um exemplo bem prático são sites de venda de passagens. Em vez de focarem na venda propriamente dita, muitos deles dão ênfase na possibilidade de a pessoa fazer uma viagem, e com isso realizar um sonho, descansar, aprender novas coisas, ampliar seus horizontes pessoais e profissionais etc.

Outro exemplo é o da própria Resultados Digitais: em vez de nos focarmos apenas em falar sobre o RD Station, nosso software para Automação de Marketing Digital e gestão de Leads, entendemos que é preciso que nosso público-alvo compreenda a importância do Marketing Digital e do Inbound Marketing para o desenvolvimento e crescimento estratégico das empresas e do mercado.

Por isso, em vez de apenas tentarmos vender nosso produto, buscamos educar o mercado através da produção de conteúdo de qualidade sobre Inbound Marketing e as vantagens que essa estratégia traz.

Leia também Por que produzir conteúdo de qualidade e revelar seus segredos não vai matar seu negócio.

6. Seu conteúdo não é fácil de ler/ver

Problema

Criar um conteúdo de qualidade é essencial para que ele seja compartilhado. Mas não adianta muito você se esforçar e trabalhar para isso se também não se dedicar a dar uma boa cara para ele.

Grandes blocos de texto podem ser muito informativos, mas com certeza não são muito atrativos, assim como vídeos mal editados e com muitos ruídos, eBooks mal diagramados, imagens com baixa qualidade etc.

Solução

Invista em boas práticas para tornar seu conteúdo mais legível (no caso de textos) ou mais assistível (no caso de vídeos), ou seja, para ser mais fácil de ser consumido.

No caso de posts de blog e eBooks, por exemplo, evite os blocões de texto e escreva parágrafos curtos, bullet points (marcadores), ressalte com negrito as partes ou palavras-chave mais importantes (mas não abuse dessa dica) etc.

Se estiver produzindo um eBook, fique atento à diagramação. A leitura em telas já causa um cansaço maior ao olho humano do que a leitura em papel, então crie estratégias para torná-la mais agradável. Uma dica é não colocar muito texto em cada página, e deixar espaços em branco para dar um “respiro”.

Tanto no caso de posts quanto de eBooks, utilize imagens todas as vezes que elas forem ajudar a ilustrar o que você está dizendo.

No caso de conteúdos que dependem de imagens, como gráficos e audiovisual, o cuidado deve ser ainda maior: capriche no layout e faça com que ele reflita a identidade visual da sua empresa.

Leia também 8 dicas para tornar seu conteúdo mais escaneável.

7. Seu conteúdo não é extenso nem desenvolvido o suficiente

Problema

Muitas vezes, quando uma empresa pensa em apostar na estratégia de conteúdo, surge uma dúvida: qual tamanho devem ter meus posts, eBooks e vídeos? Assim, com medo de criar conteúdos longos demais e que dispersem a atenção do público, a empresa acaba tomando a decisão oposta: cria conteúdos sucintos demais e que acabam não abordando satisfatoriamente o assunto, e não criam valor para a audiência.

Dito isso, queremos deixar bem claro que não acreditamos em fazer um conteúdo longo apenas para “encher linguiça”. O problema é que, ao abordar um tema de forma muito breve, é muito provável que você acabe sendo superficial e não desenvolva o assunto do jeito que deveria.

Solução

Crie um conteúdo que desenvolva as ideias de forma detalhada e bem explicada. Embora não seja uma regra, geralmente isso acontece quando o conteúdo tem um tamanho considerável pois, se fosse muito curto, ficaria incompleto. Assim, seu conteúdo causará mais impacto, e a probabilidade de que seja compartilhado é maior.

É só ver o que indica uma pesquisa realizada pelo BuzzSumo: segundo a análise, posts mais longos são, em média, mais compartilhados do que posts curtos. E, quanto mais longo o conteúdo, mais compartilhamentos ele recebe: textos entre 3 mil e 10 mil palavras ficam com a maior média de compartilhamentos (8.859). Ou seja: embora tamanho não seja documento, pode ajudar você a conseguir mais compartilhamentos.

8. Você não dá a possibilidade de as pessoas compartilharem

Problema

Como já dissemos, produzir conteúdo de qualidade e bem apresentado é o caminho para conseguir que ele seja compartilhado. Mas isso não significa que você não deva dar uma mãozinha para seu público-alvo. Esquecer de colocar botões de compartilhamento nas páginas de seus posts ou em suas Landing Pages pode custar caro e reduzir bastante seus resultados nesse sentido.

Solução

Por isso, lembre-se sempre de oferecer a possibilidade de compartilhamento à sua audiência: coloque botões em suas páginas para que eles compartilhem o conteúdo em redes sociais, enviem por email, etc. Também inclua Calls-to-action (CTA ou chamadas para a ação) para estimulá-los.

Além disso, você pode criar outras estratégias para incentivar seu público e ter seu conteúdo mais compartilhado: um exemplo é oferecer descontos, promoções ou realizar sorteios que incluam as pessoas que realizaram o compartilhamento.

9. Você não trabalha seu títulos de forma apropriada

Problema

Da mesma forma que a apresentação visual, os títulos que você usa nos seus conteúdos têm um fator decisivo para ajudar a compartilhá-lo. Isso porque, se eles não forem atrativos, não vão incentivar as pessoas a seguirem a leitura, o que reduz muito a chance de serem compartilhados. Por isso, se seu conteúdo não está gerando muita interação com seu público-alvo, é provável que o título não esteja passando o que seu conteúdo oferece de forma correta.

Alguns problemas que seu título pode ter:

  • Não deixa claro o que seu conteúdo oferece;
  • Possui erros de gramática;
  • Não cria nenhuma relação com o público-alvo;
  • É extenso demais, e por isso não é possível lê-lo nos mecanismos de busca e/ou nas redes sociais.

Solução

Para resolver este problema, utilize boas práticas que tornem seus títulos mais atrativos e, portanto, com mais chance de atrair leitores e gerar compartilhamentos. Algumas delas são:

  • Dirija-se diretamente ao leitor, utilizando palavras como “você”, “seu”, “sua” etc.;
  • Utilize números: eles atraem a atenção e, segundo um estudo da empresa Conductor, títulos com números são os preferidos das pessoas (veja outras razões para usar números e listas neste post);
  • Resuma em poucas palavras e de forma clara e direta o que seu conteúdo oferece;
  • Não entregue todo o ouro: atice a curiosidade do seu leitor para que ele tenha mais vontade de consumir o conteúdo e compartilhá-lo.

Além disso, saiba que você também pode criar mais de um título para seus conteúdos, pelo menos quando se trata de blog: você pode fazer um título bem chamativo para o post e para as redes sociais e outro focado em SEO (Search Engine Optimization ou Otimização para Mecanismos de Busca), que é o que aparecerá nas ferramentas de busca, como o Google.

Enquanto o título para o blog e para as redes sociais pode ser um pouco mais longo e mais livre, o título para SEO deve seguir algumas regras, como empregar a palavra-chave do conteúdo e ter um máximo de 70 caracteres (caso contrário ele pode não aparecer inteiro na busca). Há algumas ferramentas que ajudam você a seguir essas regras de SEO. Na RD, utilizamos o plugin Yoast em nosso blog para isso.

Caso seu conteúdo seja um email ou vá ser mais acessado em dispositivos móveis, como smartphones e tablets, o título deve ser ainda mais curto: preferencialmente, não deve passar dos 50 caracteres.

Leia também Como escrever títulos de posts que atraem cliques e conquistam visitantes.

10. Você não divulga seu conteúdo da forma certa

Problema

Pode ser que até aqui você não tenha se identificado com nenhum desses problemas, mas ainda assim seu conteúdo não seja muito compartilhado. Isso pode estar ocorrendo porque, apesar de realizar a produção do conteúdo de forma correta e estratégica, a divulgação não esteja ocorrendo de forma eficiente.

Em muitos casos, é isto que acontece: a empresa cria um conteúdo interessante para seu público, mas esquece de divulgá-lo por Email Marketing ou nas redes sociais certas e, quando o faz, é apenas uma vez, ou seja, não divulga constantemente os conteúdos mais antigos. Além disso, muitas empresas ainda não monitoram os melhores dias e horários para divulgar o conteúdo para sua audiência.

Solução

Mais uma vez, é hora de você avaliar profundamente suas personas: Em quais redes sociais elas se relacionam? Elas utilizam Email Marketing? Qual é o melhor dia e horário para postar nas redes sociais e enviar email e alcançá-las?

Embora cada segmento tenha uma resposta para estas perguntas, a mesma pesquisa do BuzzSumo sugere que o melhor dia para conseguir mais compartilhamentos é segunda-feira ou terça-feira, dependendo da rede social. Enquanto o Facebook, Twitter e Google+ são melhores na terça, o LinkedIn e Pinterest são mais ativos na segunda. Mas, mesmo com essa tendência, não despreze os testes: tente em vários dias e horários e veja o que se encaixa melhor para o seu negócio.

Leia também 5 dicas para você extrair mais da distribuição de conteúdo nas redes sociais.

Conclusão

Seja qual for o seu mercado, nunca se esqueça de que o principal objetivo ao produzir conteúdo é tornar a vida dos seus potenciais clientes mais fácil. Mais do que buscar a disseminação do seu conteúdo, procure ajudá-los a resolver os problemas deles.

Por isso, na hora de criar seu conteúdo, fuja do lugar-comum e aposte cada vez mais na personalização. Seja específico, mas, ao mesmo tempo, simples e claro para o seu público-alvo: isso vai aumentar e muito as chances de seu conteúdo viralizar.

E você? Quais estratégias utiliza para que seu conteúdo seja compartilhado? Você concorda com nossas dicas? Conte para nós!

Leia também o eBook O Guia Definitivo do Marketing de Conteúdo e saiba quais são os primeiros passos para se posicionar como referência no mercado e atrair potenciais clientes através do conteúdo.

Marcadores:

Deixe seu comentário