Blog de Marketing Digital de Resultados

Redirect 301 e Canonical Tag: Por que são importantes para SEO e quando utilizar

Quem trabalha com Marketing Digital muitas vezes precisa saber de alguns conceitos técnicos que parecem complicados. Isso é mais evidente em áreas como SEO, onde há uma série de detalhes que fazem a diferença. Até por isso já escrevemos que SEO é uma tarefa da área do Marketing, e não (exclusivamente) de TI.

Dois desses itens de bastante importância para o Google são o Redirect 301 e a Canonical Tag. Conhecer mais sobre a aplicação de ambos pode fazer muita diferença no volume de tráfego que sua empresa atrai via busca orgânica.

Por que são importantes e para que servem

O grande papel do Redirect 301 e da Canonical Tag é unificar a força de um mesmo conteúdo que pode estar diluída em várias páginas semelhantes.

A ideia é simples: para estar nas primeiras posições do Google é melhor ter uma página forte do que duas médias.

redirec 301 e canonical

Redirect 301

Se temos um único conteúdo e queremos que diferentes formas de acesso levem a esse conteúdo, a saída perfeita é o Redirect 301.

O Redirect 301 avisa ao navegador e às ferramentas de busca que o conteúdo daquela página foi movido de forma permanente para um outro endereço. Com isso,  as ferramentas de busca acabam transferindo quase toda (de 90% a 99%) a autoridade da página para o novo endereço.

O exemplo mais clássico são os endereços com e sem o www. O conteúdo de www.resultadosdigitais.com.br/blog seria exatamante igual ao de resultadosdigitais.com.br/blog. Ao invés de deixar as duas versões ganharem autoridade de forma separada, escolhemos uma versão principal e na outra fazemos o redirecionamento para a versão escolhida.

O Redirect também funciona para domínios diferentes. Quando o Banco Real foi comprado pelo Banco Santander, por exemplo, o endereço bancoreal.com.br foi redirecionado ao santander.com.br, transmitindo ao novo endereço a autoridade do antigo.

Uma observação importante: há também o Redirect 302 (temporário) e outras formas de fazer um redirecionamento (como usando Javascript). Nesses casos, a autoridade da página não é transmitida e não há valor para as ferramentas de busca.

Por isso, confira diferentes formas de acessar seu site (com e sem www, com e sem “/”, com algum final diferente como “/home”) e verifique se há algum caso de conteúdo duplicado. Se houver, a melhoria nos resultados costuma ser significativa após a correção.

(Obs. Não mencionamos neste artigo a aplicação do 301 em projetos de migração e reformulação de sites, onde ele é ainda mais importante. Faremos um novo post em breve para cobrir esse assunto.)

Canonical Tag

Enquanto o Redirect 301 é feito no servidor, a Canonical Tag é implementada na própria página.

Basta colocar no <head> do HTML o seguinte código:

<link rel=”canonical” href=”www.enderecoescolhido.com.br” />

Com isso, as ferramentas de busca entendem que essa é apenas uma versão da outra página e acabam transferindo a autoridade para a página principal, da mesma forma que o Redirect 301. Uma diferença dos dois, no entanto, é que a Canonical Tag indica o redirecionamento somente para as ferramentas de busca, ou seja, os usuários de fato vêem endereços diferentes.

A Canonical Tag acaba sendo muito útil quando as páginas são praticamente iguais, mas apresentam pequenas diferenças relevantes. Um caso bastante clássico é o das cores de um produto.

O nome do produto, a descrição, as funcionalidades, a categoria, tudo na página é igual. A única exceção normalmente é a imagem ou um pedaço mínimo de texto.  Nesse caso, a recomendação é escolher uma das cores e, nas outras, indicar com a Canonical Tag qual é a página (cor) principal.

Em muitos sites, o endereço também reflete a navegação do usuário e isso pode gerar conteúdo duplicado (e autoridade diluída).

Dois caminhos diferentes podem levar a uma página de conteúdos iguais:

site.com.br/roupas-masculinas/nike/
site.com.br/nike/roupas-masculinas/

Nesse caso a Canonical Tag para uma das opções também resolve.

O que não fazer

O que recomendamos que não seja feito é tentar manipular o Google.

Só faça redirecionamentos e uso da Canonical Tag para páginas que realmente tenham um relação entre si, isto é, o conteúdo é igual ou um bom substituto.

O Google tem ficado cada vez melhor em perceber intenções manipulativas e esse tipo de prática pode prejudicar muito mais do que ajudar.

Marcadores:

Deixe seu comentário