Blog de Marketing Digital de Resultados

SEO Avançado: Como fazer Guest Post em Grande Escala

A maioria das pessoas já não aplicam mais estratégias de guest post por terem sido banalizadas nos últimos tempos. Deixar a estratégia por esse motivo pode até fazer sentido, mas, em vez de abandoná-la, evoluí-la pode ser mais interessante.

Qualquer um que trabalha com SEO sabe que uma das mais antigas práticas de link building é a tática de guest post. A técnica se tornou a mais conhecida em link building por se tratar de um método fácil de se entender e aplicar em qualquer negócio. Muitos, no entanto, não conseguem enxergar o valor dessa tática por experiências ruins com a prática no passado. Mas as vantagens de se fazer guest post são simples de se entender:

  • Alavancar o posicionamento no Google de palavras-chave específicas;
  • Ter perfeita clareza sobre onde exatamente você está atacando;
  • Ajuda a criar novos relacionamentos que podem ser bastante benéficos para futuras estratégias de SEO/Marketing;
  • Em alguns casos, conseguir construir uma máquina recorrente para criação de links;
  • Aumentar o tráfego por referências para o seu site;
  • Aumentar a autoridade do seu domínio e de páginas específicas;
  • Ajuda a construir sua marca, disseminando-a no mercado;
  • Entre outros.

Neste post, vamos ensinar a você mais do que simplesmente fazer um guest post, mas também a aplicar essa tática em grande escala para, assim, conseguir extrair o máximo dela. Para isso, vamos dividir o post em 6 fases, mostrando como pôr em prática cada uma delas. Abaixo, você pode conferir um menu que fizemos, caso queira se direcionar para uma parte específica do post:

Entendendo e traçando a estratégia

A primeira coisa necessária para planejar sua estratégia de guest post é uma pesquisa de palavra-chave priorizada. Por estar lendo um post avançado de SEO, é bem provável que você já tenha essa pesquisa pronta. Porém, se esse não é o caso, você pode conferir a minha entrevista para o SEMRush no post Dicas de Especialistas para Keyword Research. Já tendo claro quais palavras-chave você quer atacar, podemos dar início ao planejamento dos guest posts em si.

Neste guia, vamos dividir os guest posts em três possíveis tipos:

  • Guest posts recorrentes: Sites que abriram espaço para você publicar posts em seus espaços periodicamente.  
  • Guest posts pontuais: Sites que abriram espaço para uma publicação sua.
  • Guest posts especiais: Sites potenciais para guest post que entraram no seu “framework de relacionamento com canais” (falaremos sobre mais a frente).

Sabemos que para nós, que trabalhamos com SEO, é mais interessante que tenhamos 10 links para o nosso site em 10 domínios fortes distintos do que ter os 10 links em apenas um domínio forte. Por essa razão, é interessante que sempre variemos os canais para guest post.

Ao mesmo tempo que a premissa é verdadeira, conseguir guest posts recorrentes no mesmo domínio também pode trazer bons ganhos, já que todo link tem seu valor e, como se não bastasse, o trabalho para se conseguir links não é nada fácil. Em decorrência da coexistência desses dois lados da mesma moeda, criamos um minimodelo para equilibrar bem as duas coisas, tornando todos os ganhos da tática proporcionais e equivalentes ao grau de priorização da estratégia macro.

O modelo é: tenha um grupo de palavras-chave de importância para seu negócio para trabalhá-las em todos os guest posts pontuais e únicos que conseguir. Ao mesmo tempo, tenha um outro grupo de palavras-chaves priorizadas de forma secundária para trabalhar nos guest posts recorrentes. Dividindo seus esforços dessa forma, os ganhos em força tendem a ser mais proporcionais às suas prioridades de keywords.

Estabelecer e acompanhar separadamente desde o início os três tipos de guest posts citados aqui é importante para que depois você consiga ter uma visão clara do potencial em mãos com sua “máquina de guest posts”.

Tendo bem claro essa primeira parte, vamos para a parte de prospecção de canais.

Prospectando canais

Há quem diga ser mais interessante iniciar as ações de guest post pela criação de conteúdo. Para mim, começar pela prospecção de canais é mais interessante, já que as informações que você aprender nessa primeira fase vão ser essenciais na hora de guiar a produção de conteúdo. Fazendo antes a prospecção de canal, você, por exemplo, poderá determinar com mais propriedade:

  • O potencial da demanda de conteúdo de acordo com a quantidade de canais encontrados;
  • O estilo de conteúdo ideal para seus canais.

Antes de você sair procurando por canais no Google, redes sociais e afins, faça o mais básico, que é procurar os canais nos quais você já tem abertura e nem sabe.

Faça uma reflexão e anote todos aqueles sites em que você acha que pode ter uma abertura mais fácil. Essa é a hora de lembrar daqueles favores que muitos “estão te devendo”.

Depois que listar todos esses sites que você imagina já ter abertura, faça uma lista de amigos próximos que podem ter aberturas com outros canais. Se você trabalhar em uma empresa ou agência, envie um email para todos, pedindo para passarem os canais nos quais eles imaginam terem uma abertura fácil para a negociação de um guest post. Depois de reunir e listar todos esses canais, é hora de procurar por canais avulsos.

Dica extra: Também uma boa forma de conseguir canais com uma certa abertura com você é através do Google Alerts: cadastre termos relacionados à sua marca no Google Alerts e, quando algum canal interessante o citar, salve aquele canal como um em potencial.

Procurando através de footprints

O jeito mais fácil de procurar por canais para guest post é através de footprints. Você com certeza já deve ter visto em algum post “da gringa” aquelas clássicas listas de footprints para link building. Bom, aquelas listas funcionam muito bem lá fora, mas aqui no Brasil, nem tanto. Isso porque os padrões de comunicação dos sites lá fora são bem diferentes dos do Brasil (a começar pelo idioma). Sendo assim, segue abaixo uma lista de footprints interessantes para caçar canais interessantes para guest posts pela internet.

  • palavra-chave inurl:categoria/convidado;
  • palavra-chave inurl:categoria/guest;
  • palavra-chave “guestpost”;
  • palavra-chave “coluna * convidado”;
  • palavra-chave “seja um colunista”;
  • palavra-chave “contribua com * site”;
  • palavra-chave “seja * contribuidor”;
  • palavra-chave inurl:contribuidores;
  • palavra-chave “escreva para mim”;
  • palavra-chave “colaborar com * site”;
  • palavra-chave “escreva para nós”;
  • palavra-chave inurl:colunista.

Com base nessa lista, você pode fazer outras combinações e criar seus próprios footprints. Inclusive é o que recomendamos.

Procurando através de concorrentes

Como sempre costumo dizer, SEO é 100% relacionado a concorrência. Pra você estar em primeiro, você tem que ser melhor que o primeiro (seu concorrente). Na hora de fazer sua prospecção de canais para guest post, o seu concorrente pode ser uma ótima fonte para você. Através de alguma ferramenta de link building, você pode stalkear seus concorrentes em busca de links que eles possuem em outros sites.

Um link do seu concorrente em outro site não significa que trata-se necessariamente de um guest post. Entretanto, se esse site já publicou um link para seu concorrente, sem saber nenhuma outra informação sobre o site, já poderíamos especular em cima pressupondo que, se esse site publicou um link para meu concorrente, provavelmente deve ser possível você conseguir um link lá também.

Não é sempre que isso será uma verdade, mas, mesmo não sendo, o site pode acabar levando você a conhecer outros sites do nicho, fazendo a estratégia valer a pena.

Organização e priorização de suas listas

Por trás da estratégia de guest post podem existir vários objetivos. Entretanto o objetivo mais comum da estratégia é trazer juice (força) para páginas específicas do seu site, e assim alavancar ganhos de posições no Google. Então, neste caso, os sites ideais para se fazer guest post são aqueles que possuem bastante força, e organizá-los e priorizá-los a partir de alguma métrica que represente essa grandeza é sem dúvida uma ótima ideia.

A métrica que utilizamos para organizar e priorizar nossas listas de prospecção é o Domain Authority, da empresa MOZ. O motivo de escolher essa métrica para guiar nossas estratégias está no fato de que ela traduz muito bem o nível de força de um site. Se você costuma ter o mesmo tipo de análise através de outras métricas, não há problema algum em usar essas nesse momento de organização e priorização de sua lista de canais. A mensagem importante desse parágrafo é: tenha algum método que qualifique e priorize os canais prospectados.

Dica extra: É importante que você organize todos os sites que tiver em mãos de forma separada. Isto é: tenha um lugar para organizar somente os sites que você já tem abertura e, em outro lugar, os sites que você prospectou pesquisando no Google. O tipo de estratégia e abordagem para cada um será diferente, e por isso é interessante separarmos.

Obs.: Para todo site que você prospectar, faça uma revisão de seus links para conferir se no site não há nenhuma linkagem black hat com o potencial de prejudicar você.

Criando conteúdo

Sem conteúdo, não conseguimos ir a lugar algum na estratégia de guest post em grande escala. Você precisa não só de conteúdo em quantidade, como também que cada um deles seja feito com qualidade.

Para dar início a essa fase, a primeira coisa a se fazer é verificar sua atual capacidade de produção de conteúdo, para depois você poder cruzar esse dado com o número de guest posts por mês que você deseja fazer.

Escolha o número de guest posts que deseja fazer por mês baseando-se na etapa de prospecção de canais. Se o número de guest posts que você deseja fazer está muito maior que sua capacidade de produção, considere terceirizar a produção através de um redator freelancer ou de uma empresa produtora de conteúdo, como a RockContent.

Para que as pessoas aceitem o seu texto com maior facilidade, ele precisa ter qualidade (principalmente se for para algum dos sites grandes no qual você está batalhando por um guest post especial). Por essa razão, se for preciso, em vez de passar apenas a pauta para o texto ser produzido, passe a estrutura do post, já determinando qual será o link e o texto âncora para seu site, o que será H1, H2, H3 etc. e outras informações que, para você, são determinantes para a qualidade de um texto.

Como estamos falando de fazer guest posts em grande escala, seja qual for sua forma de produção de conteúdo, nossa recomendação é que você crie uma planilha de acompanhamento onde possa conferir o status da cada texto. Por exemplo: se ainda está em produção, se já foi entregue, se está programado para ser entregue apenas para o mês que vem etc.

Escolha dos temas

Para escolher os temas, você deve levar em consideração as keywords que selecionou na fase “Entendendo e traçando a estratégia”, para que o link se encaixe perfeitamente no contexto do artigo assim que for inserido no texto.

Escolher os temas dos guest posts com base no volume de busca da keyword e no tipo de conteúdo que o canal escolhido costuma fazer sem dúvida é uma ótima prática, que pode aumentar bastante a taxa de aceitação de seus guest posts. Porém, pode também ser algo muito trabalhoso, e por isso só recomendamos essa estratégia em alguns casos específicos. Falaremos disso logo mais.

Framework de relacionamentos/abordagem

Essa é a fase de todo o processo que passa a ter um nível de complexidade um pouco maior. Muitos que tentaram utilizar a tática de guest post para aquisição de links acabaram abandonando a estratégia logo no início, por receberem muitos “não” e terem perdido muito tempo. O que ocorre é que, muitas vezes, o maior motivo disso é o jeito errado de abordagem, sem planejamento nem preparação.

Nesta etapa, passaremos frameworks que poderão auxiliar você no momento de efetivamente entrar em contato com os canais. Na metodologia que estamos passando, a forma para se relacionar/abordar um canal especial é bem diferente da forma de se fazer isso com um “canal comum” (guest post recorrente e guest post pontual).

Framework de relacionamento/abordagem para canais especiais

Das metodologias existentes para se pedir um guest post, sem dúvida a que vamos explicar agora é a que exige mais esforço. Como se tratam de sites maiores e com os quais você não tem nenhum tipo de contato, devemos ser bastante cautelosos para ter sucesso na abordagem, e não apenas “queimar cartucho”. Vamos passar agora algumas dicas que não garantem 100% de eficácia em suas abordagens, porém podem aumentar (e muito) as chances de sucesso do seu contato.

Não pense que com um investimento de apenas 5 minutos escrevendo um email para pedir um guest post você vai obter sucesso. Estamos falando de um canal grande e importante, que provavelmente deve receber muitos pedidos semelhantes a esses todos os dias. Para você, um link nesse canal pode ser a diferença entre um primeiro lugar ou segundo. Por isso, considere a possibilidade de planejar e preparar sua abordagem durante algumas semanas ou até meses.

1ª Etapa – Estudo sobre o prospect

Descubra quem é o editor/responsável pelo site e faça uma minipesquisa sobre ele, anotando toda e qualquer intersecção que possa existir entre vocês. Acesse o LinkedIn e outras redes sociais do seu prospect e descubra:

  • Informações sobre a carreira e experiencias profissionais: estudando esse lado do seu prospect, há uma boa possibilidade de encontrar intersecções entre vocês;
  • Eventos da área que participou ou vai participar: Eventos são ótimos lugares para você se relacionar com pessoas sem passar nenhum ar de pretensão. Não descarte a possibilidade de ir num evento de algum outro mercado além do Marketing Digital apenas para criar relacionamentos com alguns prospects do seu nicho;
  • Interesses de entretenimento: Pode parecer exagero, mas utilizar essas informações de forma útil em uma abordagem não será muito difícil;
  • Qualquer outra informação com potencial de relevância.

2ª Etapa – O primeiro contato

Se me pedissem para dizer qual é a melhor forma para um primeiro contato com um possível grande canal para guest post, sem dúvida responderia que é pessoalmente. Um famoso dado que todos estamos bem habituados a ouvir diz que “apenas 7% de toda nossa comunicação ocorre através de palavras”. E é justamente esse o principal motivo para eu acreditar que um encontro pessoal com o responsável por um canal de seu interesse é a melhor forma. Em uma conversa ao vivo, as coisas tendem a ser bem mais naturais e despretenciosas do que em um “oi, vocês têm interesse em fazer um guest post?”.

Apesar dessa minha recomendação, é de meu conhecimento que, na maioria das vezes, encontrar pessoalmente com esse prospect pode ser um pouco complicado. Uma boa alternativa para isso acaba sendo a conversa por chamada de vídeo. Por email ou pelo LinkedIn, entre em contato com a pessoa pedindo para ter com ela uma rápida conversa de no máximo 30 minutos, sob a prerrogativa de trocar experiências profissionais e partilhar desafios atuais pelos quais estão passando. No primeiro contato, não é interessante tocarmos em qualquer assunto relacionado a “guest post” – o foco deve ser realmente apenas criar relacionamento com a pessoa.

Na conversa, utilize as informações que você aprendeu seguindo a 1ª etapa, para assim criar vínculos com seu prospect. Caso você se sinta inseguro em conversar com pessoas “aleatórias”, faça um roteiro flexível para o ajudar no decorrer do papo.

Quebrando de objeções da 2ª Etapa

“Não serei pretensioso e falso?”

De forma alguma. Seu objetivo de criar relacionamento com esta pessoa deve ser autêntico, afinal qualquer um com um pouco mais de experiência profissional sabe o quanto pode ser benéfico para a carreira ter um bom network. Com guest post ou não, um novo relacionamento na área é muito bom para você.

“Estarei aproveitando da boa vontade da pessoa”

A pessoa em questão também tem muito a ganhar com você. Se não bastasse o fato de você também ser um bom network para ela, um guest post no site dela pode ser muito benéfico para sua estratégia de Marketing de Conteúdo. Você precisará vender essa ideia em futuros contatos.

3ª Etapa – Interações com o prospect

Essa etapa consiste apenas em fazer com que o prospect perceba sua existência. Algumas formas de fazer isso:

  • Adicione-o no LinkedIn;
  • De fato, leia os posts do canal em questão e, quando achar pertinente, faça comentários;
  • Quando também for útil, responda a alguma dúvida que surgir em algum comentário;
  • Mencione o canal em questão em algum post do seu blog – mas, antes, peça permissão.

A segunda e terceira etapas podem ser feitas de forma conjunta, não precisando seguir necessariamente a ordem citada aqui.

Obs.: Não aplique todas essas formas acima de uma só vez. Faça da forma mais natural possível, e demore o tempo que for preciso.

4ª Etapa – Escolhendo o tema de guest post

Esta etapa é uma das mais importantes e que mais aumentam as chances de sucesso do seu convite para guest post. Faça uma rápida pesquisa de palavra-chave baseada no tipo de conteúdo que o site em questão está acostumado a escrever. Com base nessa pesquisa, escolha um “tema oportunidade”. Um “tema oportunidade” é aquele que o respectivo site ainda não escreveu e cujo volume de busca é bem interessante. No início, esse tema pode parecer inexistente, mas basta um pouquinho de tempo e esforço dedicados a essa tarefa para que você o encontre.

É muito importante que, assim que o tema for escolhido, você produza esse post antes de entrar em contato com o prospect. Um artigo é sempre útil e, mesmo que o canal não aceite sua proposta, você ainda poderá usar o texto no seu site ou em outro canal que o aceite.

Para aumentar as chances de seu texto ser aceito, faça-o com bastante capricho e qualidade. Escolha apenas um link para aplicar no texto e faça alguns links internos para o site dele.

5ª Etapa – Conseguindo o guest post

Esse não é um canal para o qual você vai enviar aquele email template que sempre usa. Se você for realizar a abordagem por email, confira essas dicas:

  • Se achar que é preciso, comece relembrando quem é você;
  • Explique que você está acompanhando o blog dele há alguns meses e que você identificou uma oportunidade;
  • Explique sobre o tema escolhido e, com o mínimo de palavras possível, mostre o quanto pode ser interessante essa oportunidade para ele;
  • Avise que o texto já está pronto e coloque o link para o documento do texto no email;
  • Pergunte se eles teriam interesse em publicar o artigo no site deles.

Se encontrar oportunidade, use novamente algumas daquelas informações que você anotou na 1ª etapa.

6ª Etapa  – Transforme sua experiência em um método

Agora que você entendeu cada etapa citada aqui na estratégia de guest post, transforme toda a experiência que tiver com esse framework em um método que consiga replicar e automatizar ao máximo, sem perder a naturalidade necessária. Você pode fazer coisas como:

  • Criar rotinas para realizar cada tarefa. Por exemplo, toda segunda-feira de manhã, visitar os blogs desses sites para engajar nos comentários de algum post interessante;
  • Fazer uma planilha para acompanhar o status de cada um dos seus prospects.

Nesta etapa, é mais interessante que você crie seu próprio método de gestão desse processo levando em consideração suas rotinas e responsabilidades. Caso você precise de algum norte para ajudar, confira as dicas do tópico “dashboards de acompanhamento dos guest posts”.

Framework de relacionamento/abordagem de “canais comuns”

Antes de mais nada, é preciso lembrar que são esses “canais comuns” que, quando em grande quantidade, fazem a diferença nos seus resultados no fim do mês, por isso não cometa o erro de menosprezá-los. Todas as técnicas ensinadas no tópico anterior podem ser usadas da mesma forma para estes canais. O que vai determinar se você replicará ou não as técnicas é o tempo que terá disponível para investir na estratégia e também a sua avaliação no quesito “vale a pena?”.

Ainda assim, tenho algumas recomendações mais simples para você que deseja aumentar a taxa de aceitação dos seus guest posts:

  • Procure ao máximo por um amigo em comum com o canal em questão e, encontrando-o, peça a ele para que faça a ponte entre vocês;
  • Tenha um template de email para automatizar um pouco o processo – porém, sempre dê uma personalizada caprichada antes de enviar;
  • Leia bastante o conteúdo do canal em questão e use o que aprender/identificar como argumentação no seu contato;
  • Inicie seu contato já utilizando algumas características/informações que vocês têm em comum para gerar identificação. Isso reduzirá a “bounce rate” do seu pedido.

Faça bastantes testes e mensure os resultados de cada contato. Isso vai ajudar você a constatar o que realmente dá certo e também a descobrir outros “hacks” que podem ajudar nessa tarefa.

Dashboard de acompanhamento dos guest posts

Tudo que envolve “grande escala” exige um cuidado maior na parte de organização e gerencial do processo. Perder um timing específico em uma estratégia de guest post pode ser um furo no balde – que já é bastante difícil encher. Para que diminuamos significantemente as chances de qualquer tipo de erro como esse, é importante que consigamos acompanhar e controlar de um lugar só todos os progressos de todos os guest posts. Para cumprir essa missão, eu recomendo o uso de uma planilha de acompanhamento.

Confira na imagem abaixo o modelo de planilha que fizemos para um acompanhamento controlado de guest post para um site fictício do nicho de vinhos.

tabela-guest-post

  • Na coluna A estão todos os canais que foram prospectados;
  • Na coluna B estão as keywords para as quais queremos ganhar força;
  • Na coluna C estão os temas dos posts oferecidos aos canais;
  • A coluna D é a mais importante, pois é por ela que você deve controlar o progresso de cada guest post. A nomenclatura de acompanhamento que escolhemos está na imagem, porém, se você achar necessário, pode criar sua própria;
  • Na coluna E estão os links dos guest posts já publicados;
  • Na coluna F estão as datas em que os guest posts foram publicados.

O maior aprendizado dessa parte do artigo não é exatamente esse modelo de acompanhamento por planilha que estamos passando para você, e sim a ciência de que é extremamente necessário ter uma “central”, na qual você consiga organizar e controlar muito bem todo o seu trabalho.

Para o perfeito funcionamento de tudo que estou ensinando aqui, é necessário que você crie rotinas e hábitos semanais (ou diários) para frequentemente dar sequência em todo o processo. Por exemplo, todo começo de dia atualizar o status de cada guest post.

Mensuração dos resultados

“Será que gastar todo esse tempo e esforço nesse processo vai dar ROI para mim?”

Bom, a última fase desse processo que estamos ensinando é exatamente para entender isso. Como na maioria das vezes o objetivo principal e final da estratégia de guest post é alavancar keywords específicas do seu site, vamos ensinar a mensurar isso de 3 formas diferentes (caso você seja mais avançado em SEO/Marketing Digital, fique à vontade para pular essa parte, já que provavelmente ela será mais básica).

Pelo Google Analytics

A primeira forma de mensurar é através do Google Analytics. Com o seu Google Analytics vinculado ao Google Search Console, acesse a área de “Aquisição” no Google Analytics, depois clique em “Google Search Console” e depois em “Consultas”. Sabendo com exatidão a data em que o guest post feito para alavancar a keyword “x” foi postado, é possível visualizar a evolução da posição dessa keyword no decorrer do tempo.

Outra forma de visualizar um dado semelhante no Google Analytics é acessando a área de “Comportamento”, depois “Conteúdo do site” e depois “Todas as páginas”. Lá você poderá filtrar pela a URL respectiva à palavra-chave que você está acompanhando e, segmentando apenas por tráfego orgânico, você conseguirá ver a evolução de tráfego dessa URL no decorrer do tempo.

Por ferramenta de monitoramento de keywords

Acompanhar os resultados de ganho de posições em uma ferramenta de monitoramento de keywords é mais do que óbvio, porém talvez tenhamos uma dica interessante para esses casos: em muitas ferramentas de monitoramento de keywords, é possível adicionar tags às keywords. Isso pode ser muito útil na hora de acompanhar os resultados dos guest posts. Uma vez que você adiciona a tag “guest posts” em todas as keywords que estão sendo trabalhadas no seu processo de guest post, é possível filtrar pela tag e acompanhar a evolução de cada palavra-chave facilmente.

Conclusão

A maioria das pessoas já não aplicam mais a estratégia de guest post por ela ter sido bastante banalizada nos últimos tempos (como a grande maioria das estratégias de link building). Deixar a estratégia por esse motivo pode até fazer sentido, mas, em vez de abandoná-la, evoluí-la pode ser mais interessante.

Apesar de nosso post ser sobre como fazer guest posts em grande escala, a maioria das informações que passamos são totalmente replicáveis a um guest post ocasional que você decida fazer.

Ficou alguma dúvida? Escreva um comentário abaixo para conversarmos!

Marcadores:

Deixe seu comentário