Blog Agências de Resultados

“O problema com o futuro é que ele continua se transformando no presente” – André Kassu #RDSummit

Confira 7 grandes insights trazidos por André Kassu no RD Summit 2017.

Em sua palestra no RD Summit 2017, o publicitário e sócio da CP+B André Kassu trouxe sua visão sobre processos criativos, a importância do fracasso e da resiliência para a agência começar e se sustentar no mercado.

Separamos aqui sete dos principais insights trazidos pelo Kassu na sua palestra e a interpretação que ele tem sobre cada um dos pontos.

A criatividade é ver as coisas com os olhos de criança

“Quando nós crescemos, acumulamos filtros sociais, filtros do que pode ou não falar. E as crianças têm um olhos mais puro. Às vezes com leituras cruéis, às vezes elas transformam significados. A primeira vez que minha filha viu um Dog Alemão, ela achou que era um cavalo. E isso para mim é criatividade”

Você quer viver ou quer durar?

“Cansei de durar. Hoje eu simplifiquei minha vida ao possível para que viver seja muito melhor do que durar. E acho que as pessoas esquecem isso. Elas passam anos reclamando do seu trabalho e esquecem que podem ter outras opções”

Criatividade dá medo

“Dá pânico! Mas é um motivador. Se você pega os caras que criaram o Pernalonga, o motivador dele era o medo. Medo do fracasso, medo de não ganhar dinheiro, medo de fazer uma escolha errada. E isso faz com que você tenha que inovar, mostrar soluções criativas”

O fracasso é um dos melhores professores

“A gente sempre fala isso, mas experimenta pouco. Eu acho que o aprendizado envolve um momento de fracasso. É uma parte necessária do processo você saber lidar com isso. Um jogador que é um craque também precisa passar por uma partida em que ele não jogou nada e a torcida cobra. Eu acho que a gente já fracassou tanto na agência com coisas que a gente não acredita, que pensava que fosse funcionar, mas não funcionou… isso vai fazendo com que a gente repense o tempo inteiro”

Experts: pessoas com conhecimento suficiente para matar a inovação

“O problema para mim é o cara sempre ter a certeza de que essa especialidade é aquela que vai reinar a partir de agora e nada mais vai acontecer. É esse discurso que me incomoda. Eu aprendi isso na acupuntura – quando ir a um acupunturista com dor nas costas, eu resolvia meu problema no momento. Mas a causa desse problema não estava sendo resolvida”

O nosso negócio é sobre pessoas

“A gente ouve muitas histórias de que estamos reduzindo tudo a algoritmo. Cuidado: atrás de um algoritmo tem uma pessoa. É ótimo contar com dados, mas eu não posso ignorar a impressão humana sobre os fatos.

O algoritmo também causa uma falsa sensação de que todo mundo do grupo pensa igual a você. Com isso, a gente está perdendo a capacidade diálogo, de confrontamento. Confrontamento no bom sentido, porque a gente precisa dialogar. Não acredito que uma máquina vai ser capaz de fazer 100% do que um humano faz hoje. Se a inteligência artificial chegar a um ponto em que  John Lennon estiver operando, qual é a graça disso?”

Sucesso da campanha

“É a combinação perfeita entre a criatividade e a efetividade. É onde você vê que ouve ousadia um pouco mais do que a média, incorporando algo que era inesperado para uma categoria. A loja que fechou na Black Friday é um exemplo. O que ele fez com isso? Construiu marca. E isso que é difícil… Por isso, envolve coragem, envolve risco.

Se você falar para o cara assim: “fecha a sua loja, porque você vai vender mais”. Você é tido como louco. Mas alguém acreditou e colocou para frente”

Marcadores:

Deixe seu comentário