Mapa Conceitual: O que é, como fazer e quais ferramentas usar

O mapa conceitual é uma ferramenta que representa visualmente a relação entre as ideias de um tema. Aprenda como fazer neste post


Você se lembra da época do colégio, quando os professores faziam mapas mentais para resumir um conteúdo muito denso? A intenção dessa prática era facilitar a nossa absorção de uma matéria. E isso nada mais é do que um exemplo prático de um mapa conceitual. 

Apesar de ser muito utilizado por estudantes, a utilidade dos mapas conceituais vai além da academia. Pense no caso da sua própria agência. Você já foi bombardeado de informações no briefing com o cliente e sentiu necessidade de organizar as ideias? Já teve dificuldade de passar para o designer exatamente os conceitos sobre o projeto?

Nessas e em diversas outras situações, fazer um mapa conceitual pode ser extremamente útil e facilitar a sua vida.

Mas, afinal, como fazer um mapa conceitual? É exatamente sobre isso que vamos falar nesse post. Boa leitura!

O que é um mapa conceitual

Podemos dizer que o mapeamento de conceitos é um brainstorming com um propósito. Você parte de um conceito abrangente, ou de um super tema, e vai quebrando isso em pequenas partes, com setas e elementos que mostram a conexão entre elas. A proposta do mapa é organizar as informações para que o seu pensamento criativo e visual possa ser direcionado. 

Visualmente, o mapa conceitual mostra a relação entre as ideias de um tema. É uma ferramenta que nos ajuda a organizar os conceitos, auxiliando assim na estruturação do conhecimento ou de um projeto. Com as informações organizadas, é muito mais fácil de assimilar o conteúdo ou de transmiti-lo a outras pessoas.

O uso do mapa conceitual não é novo; essa ferramenta começou a ser utilizada na década de 1960. Porém, é uma técnica que se mantém extremamente atual. Além de ser muito útil quando se está estudando, o mapa conceitual também pode ser utilizado no planejamento estratégico do seu negócio, na produção de conteúdo para clientes ou para a própria agência, e no desenvolvimento de novos produtos ou projetos.

Planejamento estratégico para agências de marketing

Neste kit, separamos diversos materiais para ajudar você a colocar a mão na massa e planejar os próximos passos da sua agência. Confira já!

- Ao preencher o formulário, concordo * em receber comunicações de acordo com meus interesses. - Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de privacidade. * Você pode alterar suas permissões de comunicação a qualquer tempo.

O que um mapa conceitual precisa ter?

Antes de falarmos efetivamente sobre como fazer um mapa conceitual, você precisa conhecer a composição dessa ferramenta. Assim ficará muito mais fácil de criar os seus próprios mapas. Então, vamos lá:

Ideia ou conceito central

Todo mapa conceitual deve partir de uma ideia ou conceito central que será quebrado em partes menores. Esse elemento central é o ponto de referência que irá contextualizar os demais conceitos ou ideias presentes no mapa. Ou seja, é o elemento número um da hierarquia que o mapa vai trabalhar.

Como identificar a sua ideia ou conceito central? Simples: ela se trata do problema ou do objetivo que o mapa deve ajudar a desvendar ou solucionar. 

Conceitos

Essas são as partes menores que citamos acima. Os conceitos são fragmentos da ideia central, e são compostos por palavras-chave essenciais à compreensão do elemento central.

Se o seu conceito central for o filme Harry Potter, por exemplo, Rony e Hermione serão alguns dos conceitos.

Hierarquia

Como você já pode ter percebido pela ideia central, um mapa conceitual deve seguir uma hierarquia. A proposta é que a análise do mapa seja feita “de cima para baixo”. Isso é, partindo do conceito central para os conceitos menores e suas definições. Esses elementos devem ser conectados por setas, linhas, descrições – qualquer coisa que esclareça a relação entre eles e facilite o entendimento da relação entre as informações.

Frases de ligação

Como o próprio nome já diz, as frases de ligação servem para ligar conceitos. Elas são elementos intermediários, que se encontram nas linhas que conectam os diferentes níveis hierárquicos. Para melhor compreensão, as frases de ligação devem ser curtas e utilizar verbos. 

Definições

Após quebrar a ideia central em conceitos menores, chegará um momento em que você precisará de definições. Esses elementos são fundamentais para que você possa de fato memorizar ou aprender sobre o tema do mapa. 

Como fazer um mapa conceitual: Passo a passo

Agora que você já está familiarizado com a estrutura de um mapa conceitual, vamos à parte prática. Existem 5 passos principais para criar essa ferramenta:

1. Escolha o meio para fazer o mapa conceitual 

Um mapa conceitual pode ser feito no papel ou no meio tecnológico, através de diferentes aplicativos e plataformas. No próximo tópico vamos mostrar algumas opções de ferramenta que você pode utilizar, mas por hora apenas saiba que o primeiro passo é escolher qual meio será usado.

2. Defina a ideia central

Como vimos no tópico anterior, tudo começa com uma ideia central. Portanto, o primeiro passo é defini-la. Aqui a sugestão é criar uma lista. Você pode listar todas as ideias e então analisar qual melhor representa a ideia central, classificando as restantes como ideias secundárias. 

3. Liste todos os conceitos que têm relação com a ideia central

Lembra que dissemos que fazer um mapa conceitual é fazer um brainstorming com propósito? Chegou a hora de brainstormar!

Em uma folha ou página separada do mapa, faça uma lista com todas as ideias que podem se relacionar ao tema central. Por exemplo, se o seu conceito central for “Inbound Marketing”, sua lista pode conter termos como:

  • Marketing de Conteúdo
  • Redes sociais
  • Jornada de compra
  • Funil de vendas
  • Canais 
  • Email marketing
  • Mídia paga
  • Software de automação de marketing
  • Etc

Dessa lista, você vai selecionar os principais, por exemplo, Jornada de Compra, Marketing de Conteúdo e Canais. Os itens selecionados devem ser aqueles que englobam os outros tópicos, lembrando sempre da hierarquia.

4. Defina um método de organização

Lembre-se que o mapa conceitual tem como premissa representar visualmente a ideia central. Por isso, escolher a forma que você vai conectar os conceitos é muito importante. Você pode optar por usar setas, círculos, quadrados, linhas, enfim – qualquer elemento que seja mais intuitivo para você e sua equipe.

Este é o momento de já ir preparando o terreno do seu mapa, isso é, criando seu layout. Por exemplo, se for usar quadrados, deixe as formas vazias já prontas ou desenhadas para ir preenchendo depois.

5. Posicione e relacione os conceitos

Esta é a etapa final. Depois de ter a estrutura pronta, é hora de colocar os conceitos em seus devidos lugares. Pense nas conexões que você vai fazer entre eles e vá preenchendo seu mapa. Se precisar, pode utilizar as frases de ligação também.

PS: todos os conceitos que forem utilizados no mapa devem estar conectados a pelo menos mais um conceito. Não podem existir ideias soltas. 

Para clarear, veja o seguinte exemplo de mapa conceitual:

Fonte: Pinterest

Ferramentas para criar um mapa conceitual

Ok, mas como colocar a construção do mapa em prática? Para isso, você pode usar ferramentas como:

 

Canva

O Canva é uma ferramenta super completa para profissionais de agências, e além de servir para criar apresentações e templates para redes sociais, ele também pode ser usado para fazer um mapa conceitual. A plataforma conta com diversos templates de fluxogramas (alguns inclusive gratuitos), que você pode utilizar e personalizar como preferir. 

Miro

O Miro é outra ótima opção para criar mapas visuais. Além de contar com diversos templates agrupados por funcionalidade, você também pode construir times e trabalhar em conjunto com a sua equipe no mesmo lugar. A plataforma conta com grandes quadros brancos que te dão muita liberdade para criar o seu mapa conceitual como você preferir.

LucidChart

O LucidChart também é um aplicativo bem completo para criação de mapas conceituais, disponível na versão mobile tanto para Android quanto para iOS. Ao selecionar um template para o seu fluxograma, você pode escolher entre diferentes categorias como: Educação, Gerenciamento de Serviços e Engenharia. Assim fica mais fácil direcionar o estilo do projeto. Você também tem liberdade para alterar formas, fazer comentários e adicionar imagens.

SimpleMind

Se você quer iniciar um projeto mas ainda não conseguiu estruturar as ideias e está perdido sobre por onde começar, o SimpleMind pode ser de grande ajuda. O aplicativo, disponível na Play Store e App Store em duas versões – gratuita e paga -, se posiciona como “um app descomplicado para criar mapas mentais”. A plataforma é bem simples de usar e muito intuitiva.

miMind

O miMind segue a mesma linha do SimpleMind, com a diferença de possuir fluxogramas cadastrados na plataforma, além da forma de criação livre. 

Papel

Por fim, se você acha que já trabalha com tecnologias demais e faz parte do time old school que prefere esquematizar mapas conceituais no papel, saiba que essa também é uma opção! Use canetas coloridas e divirta-se!

Deixe seu comentário

Comentários