Blog Agências de Resultados

Dia do Jornalista: por que esses profissionais são tão bons produtores de conteúdo? 📝

Em 7 de abril é comemorado o Dia do Jornalista; saiba mais sobre a participação desses profissionais no Marketing Digital e descubra por que se encaixam tão bem na produção de conteúdo

Curiosidade e inquietude. Vontade de aprender sempre um pouco mais. Escutar diferentes versões. Contar histórias. Conhecer pessoas e culturas diferentes. Pesquisar e apurar. Simpatia e facilidade com o mundo da escrita. Dia a dia agitado e sem monotonia. Pressão, deadlines e mais deadlines. Emoção e prazer.

Agora você deve estar tentando entender qual a relação entre todas essas palavras e expressões acima, não?

A não ser que você seja um jornalista. Porque, se você for, com certeza se identificou no mesmo minuto com essas características, já que elas devem ter sido as grandes responsáveis pela sua escolha na universidade e, provavelmente, na vida. Arrisco dizer isso porque estou no mesmo barco. Falando de jornalista para jornalista.

Mesmo não tendo seguido exatamente o caminho das redações, rádios ou emissoras de TV, ainda escrevo “Jornalista” como profissão nas fichas médicas ou qualquer outro formulário que precise preencher. Força do hábito? Talvez.

O que sei é que a paixão pelo universo das palavras não acaba de uma hora para a outra e continuo me sentindo contemplada a cada 7 de abril, conhecido oficialmente como Dia do Jornalista.



Marketing de Conteúdo: o passo a passo para agências

Tudo o que você precisa saber para trabalhar com esse serviço e entregar sucesso aos seus clientes

Um pouco da história sobre o Dia do Jornalista

Instituído pela Associação Brasileira de Imprensa, a data foi criada para homenagear João Batista Líbero Badaró, médico e jornalista que morreu assassinado por inimigos políticos, em São Paulo, em 22 de novembro de 1830. O movimento popular gerado por sua morte levou à abdicação de D. Pedro I, no dia 7 de abril de 1831. Um século depois, em 1931, em razão desse acontecimento, o dia 7 de abril foi instituído como o “Dia do Jornalista”.

É uma forma de reconhecer e valorizar o trabalho exercido pelos profissionais da mídia, encarregados de apurar fatos e transmitir informações. Seja para um público local, regional, nacional e até mesmo internacional. Os veículos também podem ser variados: rádio, TV, revista, jornais impressos. Assim como os tipos de textos jornalísticos, que às vezes vem em formato de notícia, editorial, crônica, ou algum outro estilo.

Apesar desse grande mar de possibilidades que rodeia o mundo dos jornalistas, uma premissa básica se mantém: eles precisam saber produzir conteúdo – seja no formato que for.

Como os jornalistas estão mergulhando no universo do Marketing Digital

Com o avanço da tecnologia e uma sociedade cada vez mais moderna e freak por inovação, é preciso se atualizar, acompanhar as tendências e se reinventar o tempo todo. Caso contrário, nós, jornalistas, perdemos o bonde e ficamos do lado de fora, apenas vendo as coisas acontecerem.

Neste contexto, um estudo da NewsCred – empresa que é líder global de marketing de conteúdo – mostra que existe uma tendência no jornalismo mundial: a mudança da mídia tradicional para o marketing em estratégias, envolvendo produção de conteúdos focados em jornada de vendas e também para marcas, mais conhecido como brand journalism (ou jornalismo de marca, em português).

Cada vez mais popular e com mais credibilidade, o início do brand journalism remete ao ano de 2004, quando o McDonalds apresentou ao mundo uma nova nomenclatura para definir os profissionais de jornalismo que atuam nas corporações. Após anos de pesquisa, a companhia concluiu que contratar jornalistas era a melhor estratégia para a produção e distribuição assertiva de conteúdos que elevassem a experiência de seu público-alvo e melhorassem a reputação da marca.

A estratégia do brand journalism

Apesar de haver muita discussão acerca do tema (sobre ser considerado ou não como jornalismo), sabe-se que o brand journalism incorpora a mentalidade jornalística. Ele é capaz de informar a um público sobre tendências relevantes e desenvolvimentos em um mercado específico, mesmo se não afetarem diretamente uma empresa de alguma maneira.

Hoje, 14 anos após o conceito ter nascido com a história do Mc Donalds, muitos outros players do mercado apostaram no brand journalism e obtiveram um grande sucesso, como Coca-Cola, Cisco e Red Bull. As empresas seguem atrás de escritores talentosos para produzir conteúdo para seus produtos e/ou serviços e contar histórias atrativas, poderosas e que engajem.

Com o fortalecimento do Marketing de Conteúdo a partir de 2010 como uma forma eficiente de atrair e se relacionar com os consumidores, hoje 69% das empresas brasileiras já aderiram a essa estratégia. Consequentemente, a demanda por produção de conteúdo especializado não para de aumentar.

Agora que já entendemos a razão da frase “Content is King” (em português, “O Conteúdo é Rei”) ser tão conhecida e percebemos que o conteúdo vai fazer cada vez mais diferença na escolha de produtos e serviços, fica a pergunta: quem é o profissional ideal para produzi-lo?

Muitos especialistas da área de comunicação e até mesmo empresários de grandes marcas arriscam dizer que são os jornalistas. E eu tenho a mesma opinião (mesmo sendo suspeita, rs).

Mas, afinal, por que jornalistas são tão bons produtores de conteúdo?

Seguem aqui algumas razões que explicam por que os profissionais desse segmento se destacam quando o assunto é criar conteúdo:

1. Criatividade

dia do jornalista

Todos sabem que habilidades de escrita são extremamente importantes quando tratamos de textos. No entanto, além de criar conteúdo, é preciso saber fazê-lo considerando estratégias comerciais para vender, fidelizar ou engajar mais. E é aí que entra a criatividade. Para muitos responsáveis por contratações de conteudistas, ser criativo é um fator que consegue superar uma “boa escrita”. E o jornalista, além de escrever bem, sabe ser criativo.

Ele tem a capacidade de adaptar textos para diferentes formatos – artigo de blog, informativos, relatórios, eBooks, entrevistas.  Sabe criar notícias e reportagens que fujam do convencional. E se for preciso transformar o “material bruto” em podcast, webinar, vídeo, apresentação em slides, ele vai fazer sem problema nenhum .

Jornalistas estão acostumados a fugir de clichês, investem em textos mais humanos, formatam chamadas impactantes e são capazes de criar conexão e diálogo com os leitores.  Tudo de maneira fluida e natural. Sempre inovando e se reinventando.

2. Boa preparação, através de estudo e pesquisa

dia do jornalista

Antes de começar a produzir um conteúdo, qualquer profissional precisará de um bom embasamento teórico – informações que sustentem e validem um material como “rico”. É preciso aprofundar, se atentar a detalhes, para realizar uma entrega completa e que faça sentido para a realidade do público que se pretende atingir

Normalmente, para que esse processo aconteça, são realizadas entrevistas com referências ou pessoas indicadas pelo próprio cliente. É fundamental chegar bem preparado para abordar o assunto, mesmo que muitas vezes o tema não faça parte da rotina do produtor de conteúdo. E dessa realidade, os jornalistas entendem bem.

Afinal, tal profissão requer competências como saber pesquisar, buscar informações, entrevistar, ler nas entrelinhas e depois traduzir tudo isso em palavras. Somado a esses pontos, jornalistas também têm a vantagem de conseguir extrair o máximo de suas fontes.

Às vezes, dentro das empresas, existem profissionais que são mais técnicos e especialistas em suas funções. O problema é que eles nem sequer cogitam que tal conhecimento pode ser utilizado para fortalecer a imagem da marca ou até atrair novos clientes. Se o jornalista chegar até estas pessoas, com certeza captarão informações valiosas e ideias que surgirão de um simples “bate-papo”.

Saiba como sua agência pode envolver os clientes na etapa de criação de conteúdo

3. Sabem contar histórias como ninguém

dia do jornalista

Se um jornalista não souber contar uma história, desconfie. Essa é uma das principais características de um bom profissional da área. Eles sabem como envolver o público, usando enredos e personagens que se conectam com fatos ou sejam impactados por eles.

Um grande diferencial dos jornalistas é o poder de conexão, de conseguir amarrar informações entre parágrafos de maneira fluente e atrativa. Eles sabem como humanizar uma história e prender a atenção dos leitores. São amantes e adeptos do storytelling.

Todos esses fatores devem ser levados em conta quando se trata de criar conteúdos corporativo. Afinal, se um jornalista que sabe contar boas histórias é inserido num ambiente com técnicas e práticas de marketing digital, certamente ele conseguirá produzir conteúdos relevantes para uma empresa, ajudando na criação de autoridade de marca. Sempre com ética e credibilidade, da mesma forma que costumam lidar com o mundo das notícias.

“Marcela, produção de conteúdo não é notícia. Mas é informação, não é?”

No fim das contas, tudo se trata de entregar conteúdo de qualidade para o público. Pesquisas mostram que há muitos jornalistas de formação – e pessoas de outras áreas da comunicação – que hoje trabalham na vanguarda de marketing de conteúdo.

4. Empatia

dia do jornalista

Não dá para falar de conteúdo para marcas, sem falar de empatia. Afinal, quem for produzir conteúdo, deverá se colocar naturalmente no lugar do leitor. Precisará traduzir mensagens em diferentes formatos, histórias, abordagens. Terá que identificar iscas e gatilhos que podem envolver o consumidor em cada momento de uma jornada de compra.

O jornalista carrega todas essas características na bagagem. Já está acostumado a trabalhar com diferentes públicos, ouvir versões de todos os lados, ter um olhar de utilidade – que busca levar informações ou serviços relevantes junto à mensagem da marca.

Além de se imaginar no lugar do público que irá ler o conteúdo, o jornalista também costuma se colocar nas funções da sua própria equipe. Ele imagina como o designer vai criar a arte do texto que foi produzido, como o programador vai conseguir realizar algo mais técnico caso seja necessário, como os profissionais de mídia paga irão criar os anúncios – já pensando nos copies e elementos visuais.

Saber se colocar no lugar do outro e compreender diferentes perfis e visões é outra vantagem que os jornalistas dispõem em razão da sua profissão.  

5. Flexibilidade

Quem está acostumado com rotina em redação jornal sabe exatamente o que significa a expressão “sair da zona de conforto”. Pode cobrir notícia geral, política, esportiva, econômica. Entrevistar morador de rua, policial, assassino, reitor. Fazer plantão para cobrir alguma ocorrência na Páscoa, Natal ou Reveillon.

Ser flexível e saber lidar com a imprevisibilidade são características essenciais de um jornalista, pois eles precisam enfrentar acontecimentos de última hora e “apagar incêndios”.

Da mesma forma, tais fatores são imprescindíveis para os produtores de conteúdo – já que eles precisam pesquisar sobre temas que não têm familiaridade de um dia para o outro e escrever páginas e mais páginas de Word, com propriedade e confiança.

Sem contar na flexibilidade que precisam ter para lidar com ajustes e pedidos de mudança no texto exigidos pelo cliente ou agência (quando terceiriza produção de conteúdo), normalmente com deadline para ontem (rs).

Tem dúvidas sobre terceirizar a produção de conteúdo na sua agência? Leia mais aqui

6. Poder de equilíbrio

dia do jornalista

Quando falamos de conteúdo corporativo, não se trata de ficar vangloriando uma marca, falando dos diferenciais e benefícios de seus produtos e/ou serviços. Focar apenas nesse tipo de abordagem significa não atrair, não engajar e nem fidelizar clientes ou Leads.  

Um conteudista precisa fornecer informações que o público quer e também aquelas que ele precisa saber. É um exercício de equilíbrio constante: colocar na balança o que desperta interesse e aquilo que dá efeito. Nada fora do normal para jornalistas, já que foram treinados para diferenciar o que é interesse público do que é interesse do público.

Marketing de conteúdo significa trabalhar com contrapontos, ser criativo, saber prender a atenção – tudo isso aliado a um conteúdo de qualidade, que gere valor à audiência.

É preciso analisar com cautela a jornada do consumidor, equilibrar a produção de materiais de início, meio e topo de funil. Montar uma trilha estratégica para nutrir e educar os Leads até o momento de decisão de compra.

Para alcançar resultados efetivos com Inbound Marketing, é preciso saber atrair pessoas através de conteúdos que elas buscam e também aqueles que elas devem saber. Essa é a grande sacada, que, curiosamente, os jornalistas já estão acostumados a trabalhar.

E aí, após ler esse texto você já se convenceu de que contratar um jornalista para produzir conteúdo pode ser uma excelente opção? Caso ainda reste alguma dúvida, é só comentar aqui embaixo que responderei com o maior prazer!

Marcadores:

Deixe seu comentário