Mês do Orgulho LGBTQIA+: Veja como agências estão trabalhando a diversidade e inclusão em suas rotinas

Junho é o mês do Orgulho LGBTQIA+ e nós convidamos algumas agências parceiras RD Station para contar como a diversidade vem sendo exercitada na empresa


Junho é o Mês do Orgulho LGBTQIA+, isso você já sabe. Mas muito além das cores do arco-íris estampando os logos, a data tem sido ponto de partida para iniciativas de diversidade dentro das empresas. 

Eu sou gerente da comunidade de agências parceiras RD Station, e tive a oportunidade de conhecer agências que estão conseguindo tirar do papel ações práticas pautadas no tema. E assim, estimulando o crescimento e desenvolvimento dos seus funcionários, clientes e stakeholders. 

Convidei três delas para contar um pouco mais sobre como isso é possível aqui para vocês.

Responsabilidade social e diversidade não são mais um pré-requisito, e sim uma necessidade

A Hubify, agência parceira RD Station, entende que a responsabilidade social das empresas dentro das comunidades das quais elas fazem parte não é mais um pré-requisito, e sim uma necessidade. Por isso, diversidade é um dos pilares na cultura da agência. 

Laís Bolina, líder da frente diversidade, nos contou que um dos exemplos dessa necessidade é o cenário causado pela pandemia do novo coronavírus, que ressalta ainda mais o quanto a humanização e a diversidade são fundamentais para superar momentos de crise e impactar positivamente pessoas em pequena ou grande escala. 

Além disso, ela acredita que é impossível falar de um marketing feito para pessoas diversas, sem que as cabeças diversas estejam contribuindo para gerar essas soluções. 

Os maiores erros das empresas no quesito diversidade poderiam ser evitados se mais pessoas de diferentes backgrounds e vivências fossem não só parte da empresa, mas convidadas para o processo de tomada de decisões. (Laís Bolina, líder de diversidade da agência Hubify)

Além da teoria, é necessário colocar essas ações na prática. E a Hubify têm alguns exemplos super interessantes de como fazer isso:  

  1. Hoje uma das pessoas do time é responsável pela frente de diversidade para empresas associadas da IAB (ou Interactive Advertising Bureau). Ela organiza reuniões, documentos e guias para que todas as empresas do grupo tenham insumos suficientes para promover e receber a diversidade dentro dessas três principais frentes;
  2. Os líderes da agência recebem treinamentos voltados não só para contratar de forma diversa, mas para incluir pessoas diversas dentro da realidade da Hubify;
  3. Foi realizada uma iniciativa com a Prefeitura de Mogi das Cruzes, cidade sede da agência, para capacitar pessoas de baixa renda sobre Marketing Digital e possibilitar também a abertura para frentes de diversidade que ficam menos evidentes, como a socioeconômica e etária.

A Hubify tem muito orgulho em dizer que tem hoje o equilíbrio de exatamente 50% entre os gêneros em todos os níveis de liderança e gestão da empresa, desde supervisões até o quadro de decisores, incluindo o quadro societário.

Agora o desafio é trazer outras frentes de diversidade, com outras raças, orientações sexuais e de diversidade de gênero para essas mesmas posições. 

É importante fazer a lição de casa antes de se posicionar para o mercado 

A agência CUPOLA, que atua no mercado imobiliário, considerado bastante conservador, foi fazer primeiro a lição de casa para, então, avançar com essa discussão junto ao mercado e clientes. 

A estratégia utilizada foi a criação de um squad de Diversidade e Inclusão. Rodrigo Werneck, CEO da agência, nos contou o que os levou a essa decisão:

A criação do squad foi uma evolução natural do desenvolvimento da nossa gestão de pessoas. Tínhamos a necessidade de amadurecer a discussão sobre diversidade e inclusão, o que ficou evidenciado no processo de certificação que fizemos para o Great Place to Work. Contratamos uma consultoria especialista em Diversidade e Inclusão, que nos auxiliou na sensibilização inicial da equipe e na escolha do formato de atuação, como squad, algo que já funciona dentro da estrutura da CUPOLA.

O squad é formado por dois representantes fixos – um dos sócios e um profissional do RH, além de um grupo de 6 representantes dos demais squads. Estes têm uma espécie de mandato com 6 meses de duração. 

Além da consultoria e treinamento inicial, a CUPOLA também criou o código de conduta ética, que estabelece parâmetros para a convivência acolhedora entre a equipe. “Já realizamos o censo de diversidade, que foi fundamental para definir os objetivos de atuação do squad, e já estamos realizando encontros do nosso coletivo. Inclusive fizemos um hoje para falar sobre expressões lgbtfóbicas a evitar, por conta do Dia do Orgulho LGBTQIA+”, disse Michel Prado, líder do squad de Diversidade e Inclusão da CUPOLA.

Além disso, o squad irá realizar encontros com o coletivo da CUPOLA para tratar de temas como diversidade religiosa, geracional e de gênero e inclusão de pessoas com deficiência.

As ações impactam na melhoria do clima organizacional

Nós ampliamos a nossa discussão junto à equipe, criando novos pontos de escuta, tanto por meio dos encontros do coletivo como pelo estabelecimento de canais de denúncias que antes não havia. Nós também conseguimos ampliar a nossa diversidade, atraindo para a nossa empresa talentos que nunca haviam feito parte da equipe, como pessoas com deficiência e pessoas trans. (Rodrigo Werneck)

Para o mercado, a CUPOLA se considera na etapa de sensibilização. Já inseriu a pauta da diversidade e inclusão em conteúdos no Imobi Report, que é a sua plataforma de conteúdo especialista para o mercado imobiliário, com mais de 15 mil assinantes, e também como tema de palestra no Cupola Diving, evento restrito aos clientes da agência, realizado no final do de 2020.

Diversidade além do Dia do Orgulho

“A data do Dia do Orgulho é sempre um marco importante pois está intrinsecamente conectado com a nossa cultura de diversidade”, disse Samira Cardoso, CEO da Layer Up.

Ano passado, a questão da pandemia ainda era algo muito recente e os pegou despreparados, pois a ideia era comemorar o Dia do Orgulho com um happy hour presencial, o que não era mais possível. Mas então surgiu uma ideia mais intimista e pessoal que o momento exigia. 

Junto com um pequeno grupo multidisciplinar, criado para discutir e criar ações de endomarketing, uma das profissionais se disponibilizou para escrever uma carta para o time. Essa carta foi enviada por email, e deixou todos emocionados. 

“Foi muito legal a integração na equipe no nosso grupo do Skype após o email e, principalmente, a conscientização que gerou”, disse a CEO da agência. 

Na Layer Up, há um momento especial no onboarding de novos colaboradores para entrar no delicado tópico “o que pega mal por aqui?”. Depois de apresentar a história e valores da empresa, é realizado um momento para esclarecer tudo que não é admitido, como desrespeito e preconceito de qualquer natureza, e ressaltar que a diversidade do time em todos os aspectos é valorizada. 

“Brincadeiras e piadas machistas, racistas, homofóbicas, gordofóbicas ou que desrespeitem qualquer forma a natureza e a identidade de alguém é zero tolerado e realmente pega muito mal”, disse Samira Cardoso, CEO da Layer Up.

Depois esse clima mais sério é quebrado com fotos de festas a fantasias e coisas super divertidas, contrapondo que a liberdade não pega nada mal por aqui.

Para o mercado, a Layer tem um posicionamento claro não só no dia ou mês do orgulho, mas em momentos onde é importante lutar contra retrocessos, como no momento da votação da PL504.

 E nesse mês de junho todos os canais digitais foram customizados com algumas publicações produzidas para contribuir positivamente com a comunidade LGBT. 

Acreditamos que quanto mais empresas e pessoas demonstrarem apoio e respeito à diversidade, maior será a nossa influência no combate à homofobia. (Samira Cardoso)

 Excelente desempenho e notas acima na média de mercado

O time da Layer Up reconhece e valoriza muito a agência pelo compromisso e seriedade com o tema Diversidade. Nas palavras da CEO: 

Sentimos que todas essas ações reforçam para o nosso time a construção de respeito que exigimos entre as pessoas.

Na certificação do GPTW, a agência teve um excelente desempenho e conseguiu notas acima na média de mercado nos itens de Imparcialidade. “Realmente saber que criamos e fortalecemos um espaço profissional que se baseia em respeito é para nós o maior dos nossos prêmios, e (pessoalmente para mim) a mais honrosa conquista profissional”, disse Samira.

O que a sua agência está fazendo em prol da Diversidade e Inclusão?

Deixo vocês com essa reflexão, ou convite para compartilhar nos comentários as ações que você tem feito por aí. Mais do que simplesmente celebrar o mês do orgulho LGBTQIA+, é  importante que haja o compromisso de construir um mercado melhor, mais diverso e inclusivo todos os dias.

Deixe seu comentário

Comentários