Moodboard em projetos de marketing: O que é, para que serve e como fazer

O moodboard pode facilitar muito a criação de peças para redes sociais, sites e diversas ações de Marketing Digital


Este artigo foi escrito por Joaquin Fernandez, proprietário e Diretor de Criação da agência Pontodesign.

Se formos traduzir para o português, moodboard quer dizer “painel semântico”, “quadro de humor”, ou ainda “quadro de temperamento”. Ele basicamente é uma forma de mostrar o “mood”, que em inglês significa humor ou sentimento, de um projeto, ação, campanha, produto, persona, ou marca. É através do moodboard que você vai captar a vibe da criação.

O moodboard pode ser físico ou digital, e a proposta é preencher uma tela em branco com elementos e imagens que representem a atmosfera e a emoção do projeto em questão. Podemos dizer que se trata de uma técnica usada para facilitar a transmissão do conhecimento sobre determinada ação para outras pessoas. 

Esta ferramenta é conhecida por designers gráficos e de produto há muitos anos. Mas ela também vem sendo usada em diferentes cenários e profissões, como por estilistas de moda, arquitetos, designers de interiores, profissionais de marketing, etc. Isso acontece porque o moodboard é uma excelente forma de dar vida e cor ao que antes era apenas planejamento e imaginação.

Muitos gestores de projetos, atendimentos de contas e até CS’s de agências acabam perdendo muito tempo com alterações em projetos visuais, porque não tem bem estabelecido a parte criativa. Ou, pior ainda, porque as pessoas que recebem o briefing, não conseguem compreender a verdadeira atmosfera do projeto.

Para te ajudar a não perder mais tempo, neste artigo vamos te explicar o que é o moodboard. Você também vai conferir como fazer um, e dicas de como aplicar essa ferramenta no seu dia a dia de criação de projetos. Acompanhe!

Kit de Briefing: O primeiro passo para um moodboard perfeito

O guia completo para coletar as informações certas para o seu projeto

- Ao preencher o formulário, concordo * em receber comunicações de acordo com meus interesses. - Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de privacidade. * Você pode alterar suas permissões de comunicação a qualquer tempo.

O que é moodboard?

De forma prática, podemos dizer que o moodboard é uma coletânea de referências visuais, auditivas, textuais e até sensoriais para serem usadas como forma de dar visibilidade a uma ideia ou um pensamento. Ele é um quadro que pode ser feito tanto no Photoshop ou Canva, juntando essas referências de forma digital, ou de forma física, com colagens, fotos, cheiros e demais elementos que você queira usar.

Não tem regra aqui: você pode gerar um arquivo de imagem ou um PDF com links e sons, ou conforme for, pode imprimir todas essas ideias e referências e colar em um quadro na parede. Nesse sentido, é uma prática que lembra um pouco o Kanban.

Inclusive, anos atrás, quando as revistas eram muito mais comuns e programas gráficos mais raros, frequentemente os moodboards eram uma grande quantidade de recortes de revista colados em uma cartolina da parede, com imagens de revistas de moda (para mostrar o que a persona veste), de carros, pratos de comida e destinos turísticos (para mostrar suas preferencias) e coisas desse tipo.

Mas trazendo para a realidade das agências de marketing e publicidade, podemos dizer que o moodboard é o que dá vida ao briefing. Você já fez um briefing incrível para sua equipe, com conteúdos e estratégias bem elaboradas, mas na hora de tirar do papel a criação e a identidade visual, o resultado acabou não sendo o que imaginava? Se isso já aconteceu, é porque você não criou um moodboard para acompanhar o projeto.

Por que criar moodboards? O que podemos conseguir com isso?

Bom, antes de responder essa pergunta, quero que você se imagine tomando uma coca-cola KS, aquela de garrafa de vidro de 250ml, bem geladinha. Imaginou? Provavelmente junto com essa imagem você pensou também em um comercial da coca-cola com toda a vibe que ele trás: sorrisos, dias quentes, amigos, diversão, e por aí vai.

Repare em como o mood da marca coca-cola é bem definido. Ele fica gravado na mente do público e provoca sensações que são reconhecidas em sua publicidade. O poder de um moodboard é parecido com isso: ele cria uma atmosfera que faz o público perceber do que aquele produto, ação ou projeto se trata. E é justamente por conta dessa clareza e dessa compreensão que você deve usá-lo em seus projetos de marketing.

Um bom moodboard, além de dar vida ao briefing, garante que o resultado do projeto sairá como o esperado. Ele cria um alinhamento visual muito claro entre cliente e agência. Não é à toa que em projetos de identidade visual, normalmente os profissionais criam um moodboard e compartilham com o cliente antes de criar uma primeira versão do logotipo.

O moodboard é um jeito muito legal de envolver o seu cliente no processo criativo, o que faz com que ele ganhe mais confiança no seu trabalho. Além disso, ele pode diminuir muito o risco de refação, te poupando tempo e dinheiro.

Como fazer um moodboard para o meu projeto?

A boa notícia é que fazer um moodboard é muito simples. Resumidamente você precisa se preocupar com os seguintes pontos:

Vamos partir da ideia de que, ao criar um site para um cliente ou uma campanha para sua empresa, o briefing e a reunião de ideias já existem. Dessa forma, fazer o moodboard fica muito mais fácil. 

Ao ter uma ideia de uma campanha, por exemplo, você vai pesquisar caminhos, campanhas anteriores e concorrentes ou similares, e colocar as imagens mais relevantes no moodboard. Essa é a melhor forma de tentar expressar para quem for ler o que está no briefing. 

Em resumo, como fito um pouco acima, fazer um moodboard consiste em colocar no fotos, animações, fontes, cores, gráficos, padrões, exemplos de destinos que ele frequentaria, de tipos de arte, roupas ou comida, que a persona gosta. 

Alinhamento de ideias e briefings

Tudo, absolutamente tudo em projetos de marketing começa com um bom briefing. Portanto, o primeiro passo é coletar o máximo de informações possíveis junto ao cliente ou aos demais envolvidos no projeto. Essas informações serão o seu norte para buscar inspirações que estejam alinhadas com os sentimentos e experiências do projeto.

Kit de Briefing: O primeiro passo para um moodboard perfeito

O guia completo para coletar as informações certas para o seu projeto

- Ao preencher o formulário, concordo * em receber comunicações de acordo com meus interesses. - Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de privacidade. * Você pode alterar suas permissões de comunicação a qualquer tempo.

Vamos assumir aqui que você já está com essa parte dominada, então vamos aos passos que dizem mais respeito ao moodboard em si:

Design e comunicação

 Para começar, você precisa definir qual linha de design e comunicação quer seguir. Sua marca quer falar com o público de que forma? Séria ou descontraída? Você quer mostrar algo profissional/tradicional ou mais inovador? Você quer trazer um ar mais minimalista ou cheio de informações? Traços urbanos ou algo natural? Cores quentes ou frias? 

Existem inúmeras formas de expressar a identidade visual que você pode querer seguir na criação do seu site, campanha de marketing ou produto. Sendo assim, esteja atento às tendências e ao que cada símbolo significa para o consumidor. E, assim que você encontrar a linha a ser seguida, comece a buscar referências desse tipo.

Importante: você não precisa se prender a referências do seu mercado. Por exemplo, se você vai criar um site para uma cliente que tem uma loja de moda praia, você não precisa buscar apenas elementos que remetam ao litoral para montar o seu moodboard. Você pode pegar imagens de comida que essa persona gosta, tipos de hotel que ela se hospedaria, programas que ela gosta de fazer aos finais de semana, esportes que gosta de praticar, etc. Pense em toda a atmosfera que você deseja criar e conte uma história.

Paleta de cores e tipografia

As cores são um ponto de grande importância quando o assunto é identidade visual. Por isso, use recursos tecnológicos para construção de paletas de cores para o seu moodboard. Busque o significado de cada uma delas e como se comportam dentro de artes visuais. Afinal, a escolha bem feita de cores pode ser um chamativo para o consumidor.

A tipografia de um projeto também diz muito sobre ele. As fontes nos transmitem sensações diferentes, por isso o tipo de fonte que será usado deve combinar com o mood do projeto. Sendo assim, não deixe de pesquisar o máximo que puder de fontes diferentes, fuja do básico e arrisque novas formas de transmitir uma mensagem escrita. 

Indo além da imagem

O moodboard pode ir além de imagens. Você pode trazer texturas, vídeos, sons e até mesmo cheiros ao seu quadro de referências. As texturas por exemplo têm uma parte muito importante que podem trazer conforto ou desejo. 

No design de moda, no design automotivo e até na arquitetura, muitas vezes é feito um primeiro moodboard no computador, com recortes de imagens. Depois ele é impresso e são colados sobre ele tecidos, texturas, amostras de lâmina de madeira ou de outros tipos de acabamento. Como dito, muitas vezes a sensação do toque ou textura daquele tecido consegue levar as pessoas a perceber mais facilmente o que quer ser transmitido. Da mesma maneira acontece com vídeos e sons. 

Afinal, esses recursos estão diretamente ligados a parte psicológica do consumidor, afetando áreas da mente que podem despertar sentimentos com relação a identidade visual do projeto, por isso, explore eles se medo.

Pesquisas e referências 

Depois de toda essa ideia alinhada, é preciso pesquisar, buscar informações e inspirações. Essa busca vai além do Google ou banco de imagens. Por isso, vá atrás de sites que transmitem a mesma ideia que você quer passar. Procure também perfis em redes sociais que usam uma identidade visual desejada a que você deseja, e aí vai um macete. Não precisa ser de teu segmento, apenas precisar parecer com o que você desejaria.

E não pare por aí, vá além nas pesquisas. O ambiente digital é uma infinidade de ideias, pensamentos e pessoas colocando toda sua criatividade à mostra. 

Ferramentas digitais para criar seu moodboard

Caso você opte por fazer o seu moodboard de forma digital, existem três ferramentas que vão ser suas melhores amigas:

Canva

O Canva é um programa de edição de imagens bem famoso e que você provavelmente já conhece. É uma ferramenta super intuitiva e fácil de usar, na qual de forma simples você consegue separar suas inspirações e agrupá-las em um painel. Você pode salvar em diferentes formatos e também compartilhar o quadro com seu time, para que as pessoas possam fazer comentários e sugestões.

Pinterest

O Pinterest é o clássico das referências. Você tem uma facilidade enorme para navegar na plataforma e salvar suas inspirações direto na pasta chamada “moodboard”. O site também oferece recomendações com base no que você salvou.

InVision

Se você é do tipo que ama um drag and drop (arraste e solte), essa ferramenta vai te agradar. o InVision é uma plataforma colaborativa e também muito simples de usar.

Gostou do moodboard como uma ferramenta a mais para a criação visual dos seus projetos?  Se quiser saber mais sobre identidade visual de uma marca ou projeto, acompanhe nosso blog!

Este artigo foi escrito por Joaquin Fernandez, proprietário e Diretor de Criação da agência Pontodesign.

Deixe seu comentário

Comentários