Blog Agências de Resultados

9 mulheres incríveis que estão fazendo acontecer dentro das agências

Veja dados que refletem a situação das mulheres no ambiente de trabalho e conheça as histórias de forças femininas que estão se destacando pela liderança e pelas entregas de sucesso aos seus clientes

O post de hoje tem um objetivo especial: trazer dados que refletem a situação das mulheres no ambiente de trabalho e contar a história de forças femininas que estão se destacando pela liderança e pelas entregas de sucesso aos seus clientes.

Dentro do nosso próprio ecossistema de agências parceiras da Resultados Digitais, existem inúmeras personalidades inspiradoras que gostaríamos de ressaltar. Mas tivemos que nos conter e selecionar 9 para representar a poderosa comunidade feminina dentro das agências digitais no Brasil.

Antes de contar quais são os 9 nomes, trazemos uma breve explicação de onde vem esse tal de Dia Internacional das Divas (Mulheres).



Os 6 principais desafios de gestão de agências

Organização de processos? Sobrecarga dos sócios? Contratação de profissionais? Saiba quais são os maiores problemas enfrentados pelas agências digitais brasileiras e como rebatê-los para ter sucesso em 2018

Um pouco de história do Dia da Mulher

O Dia Internacional da Mulher surgiu no final do século XIX em função das lutas femininas nos Estados Unidos e na Europa por melhores condições de trabalho, de vida e direito ao voto.

‘O 8 de março deve ser visto como momento de mobilização para a conquista de direitos e para discutir as discriminações e violências morais, físicas e sexuais ainda sofridas pelas mulheres, impedindo que retrocessos ameacem o que já foi alcançado em diversos países’, explica a professora Maria Célia Orlato Selem, mestre em Estudos Feministas pela Universidade de Brasília e doutoranda em História Cultural pela Universidade de Campinas (Unicamp).

No Brasil, a luta pelos direitos femininos começou no início do século XX. Conquistamos o direito ao voto somente em 1932, mas foi a partir de 1970 que os movimentos ganharam força e as primeiras discussões sobre igualdade de gênero, sexualidade e saúde da mulher entraram em pauta. Em 1982, foi criado o Conselho Estadual da Condição Feminina em São Paulo e em 1985 surgiu a primeira Delegacia Especializada da Mulher.

São conquistas recentes e ainda em fase de transformação/amadurecimento.

Em abril de 2017, o produtor Bruce Miller lançou a série The Handmaid’s Tale (aqui no Brasil, O Conto da Aia), baseado no romance de mesmo nome da escritora canadense Margaret Atwood.

A série chamou a atenção pelos paralelos traçados entre a situação que acontece na ficção e as pressões conservadoras que as mulheres enfrentam atualmente. Aqui vale um destaque para fala da professora Maria Célia: “…impedindo que retrocessos ameacem o que já foi alcançado em diversos países”.

É justamente esse questionamento que a série nos provoca. Será que o que temos hoje como “conquista” de fato se concretiza?

Um pouco de números para entender o cenário hoje

O Vale do Silício é notoriamente conhecido como a ilha (terra) do empreendedorismo, da inovação e da liberdade de expressão e pensamento. No entanto, uma pesquisa realizada por lá entre abril e maio de 2015 prova que ainda há um vasto caminho para essas premissas se concretizarem em todas suas vertentes.

A pesquisa The Elephant in the Valley (O Elefante no Vale) mostra que há uma disparidade de informações entre o que as mulheres enfrentam e como isso é percebido. Mais de duzentas mulheres com mais de dez anos de experiência no mercado de trabalho participaram da pesquisa.

Esses foram os resultados:

Spoiler alert: os números são preocupantes!

  • 90% das entrevistadas testemunharam um comportamento sexista na empresa e/ou conferências da indústria;
  • 88% experienciaram clientes e colegas direcionando perguntas que deveriam ser para elas ao seu par masculino;
  • 75% foram questionadas sobre família, estado civil e filhos;
  • 60% das mulheres relataram interações sexuais não desejadas.

A pesquisa retrata mais dados e você pode conferir a versão completa aqui.

E aqui no Brasil, será que estamos muito distantes dessa realidade?

Uma pesquisa similar à do Vale foi respondida anonimamente por cerca de 200 publicitárias em 9 estados do Nordeste entre julho e agosto de 2017. Os dados são tão ou mais alarmantes quanto os do Vale:

  • 34,9% das publicitárias no Nordeste já foram obrigadas a se vestir para agradar chefes e clientes;
  • 71% já sofreram assédio;
  • 55,5% já se sentiram acuadas ou perseguidas por colegas no trabalho;
  • 77,4% tiveram que ignorar piada machista por medo de represália;
  • 81,3% se sentiram julgadas por sua aparência;
  • 85,8% souberam de algum caso de assédio envolvendo uma colega de trabalho;
  • 80,6% já deixaram de usar determinadas roupas para não chamar a atenção dos homens;
  • 37,4% receberam tarefas muito inferiores a sua capacidade apenas por serem mulheres;

Precisamos mesmo falar sobre isso?

Já é 2018 e a gente ainda está discutindo isso? Essa é uma pergunta muito perigosa, pois parte do pressuposto de que, uma vez que alguma coisa está construída, você não precisa mais fazer nada a respeito.

Como vimos, os dados mostram que ainda temos um cenário para melhorar, inclusive para desconstruir a cultura patriarcal que faz parte de alguns ambientes de trabalho.

Mas certamente avançamos. E para isso, é fundamental reconhecer a longa jornada de lutas travadas pelas mulheres e quem são aquelas que estão defendendo muito bem o potencial do gênero em fazer as coisas acontecerem nos mais diversos ambientes, inclusive nas agências de marketing.

Muitas mulheres podem ter passado pela situação de duvidarem da sua capacidade ou receberam explicações sobre assuntos que já sabiam ou tinham muito mais experiência do que a pessoa — o chamado mansplaining.

Mesmo assim, elas se destacaram em posições de liderança, e são muitos os bons exemplos em nosso ecossistema. São mulheres que estão dando um show e mostrando que são totalmente capazes de realizar grandes projetos.

É em homenagem a todas elas que resolvemos destacar 9 mulheres que estão fazendo acontecer.

Rufem os tambores… Aqui estão ELAS!

Isabela Mendes, CEO da Surfe (Belo Horizonte – MG)

mulheres incríveis

Isabella Mendes é graduada em psicologia pela Universidade Federal de São João Del Rei, com especialização em gestão estratégica de pessoas pela FDC. Atuou como Business Partner de Relações Humanas na TOTVS durante 4 anos.

Iniciou sua carreira em uma grande rede varejista mineira, com passagem por diversas empresas de consultoria, possui vasta experiência em gestão e RH para empresas/fábricas de software e desenvolvimento web.

Hoje é CEO da Surfe Digital, empresa especialista em vendas e Marketing Inbound. É uma apaixonada por pessoas, gosta de gastronomia, videogames e é também estudiosa de tudo que está ligado à moda e ao design.

Obs.: a Surfe Digital é um destaque como parceira da Resultados Digitais. Saiba mais sobre como o negócio cresceu mais de 900% depois de vivenciar o ano mais difícil da sua história.

Stephania Souza, diretora da Mercato Marketing (Goiânia – GO)

mulheres incríveis

Stephania Souza sempre gostou de resolver problemas e a comunicação a fascinou desde pequena. É encantada por desafios e está em constante busca por conhecimento, querendo aprender mais e mais. Atuou na área de comunicação, marketing, propaganda e publicidade em diversos segmentos de empresas privadas de pequeno, médio e grande porte.

Por seis anos esteve à frente da Smart Comunicação e Publicidade, agência que, nos anos 1990, atendeu nacionalmente grandes contas regionais, como Sabão Geo, Jerivá, Drogana, Coming e Poolcor Seguros.

Foi docente em cursos de graduação e pós-graduação.

Criou a Mercato Digital após se apaixonar por comunicação digital. A agência nasceu do sonho em oferecer ao mercado um trabalho diferenciado, com ênfase na comunicação estratégica de resultados.

Hoje é diretora da agência e juntamente com a equipe desenvolve trabalhos de comunicação sempre focados em resultados.

No mundo das agências, as mulheres estão conquistando cada dia mais espaço, através de seu talento, competência e aprendizado constante.  Ainda temos muito a alcançar, mas estamos no caminho certo, onde o conhecimento, a persistência e a dedicação são as chaves do sucesso.

Elis Magri, fundadora e diretora de negócios na Seen (Passo Fundo – RS)

mulheres incríveis

Apaguem os holofotes pois ela já possui seu brilho próprio! Apaixonada pelo que faz, Elis Magri cativa a todos com seu alto astral e extroversão. Tem nela a vontade de conhecer mais sobre o mundo e as pessoas. E, como uma estrela não brilha sozinha, sua constelação é cheia de amigos. Uma profissional com visão, garra e responsabilidades que fazem dela uma mulher batalhadora e que tem a felicidade como objetivo de vida.

Formada em marketing, com vasta experiência na área de negócios, relações públicas, redes sociais, internet, CRM, marketing direto, entre outros. Atua como Diretora de Negócios da Seen Digital.

Somos empreendedoras, mulheres sonhadoras, focadas em construir negócios.  Por isso, merecemos reconhecimento todos os dias.

Juliana Nunes e Nayla Soutelo, cofundadoras da Social Brain (Rio de Janeiro – RJ)

mulheres incríveis

Juliana Nunes tem capacitação em Inteligência Competitiva e diversos cursos de extensão em Marketing Digital. É sócia da #SocialBrain Inbound Marketing, onde ajuda empresas a gerar receita e resultados previsíveis e escaláveis a partir do Marketing Digital, além de enfocar o sucesso do cliente. Ama estudar e compartilhar conhecimento, e, nas horas vagas, é uma apaixonada contadora de histórias.

Nayla Soutelo: Especialista em Comunicação com o Mercado. É sócia da #SocialBrain Inbound Marketing, onde ajuda empresas a se comunicar de forma criativa e com eficácia na geração de novas oportunidades de negócio. Trabalhou com criação publicitária voltada para web nos últimos 10 anos, desenvolvendo habilidades em Planejamento e Inovação em Novas Mídias. É apaixonada por Content Marketing, Social Media e PR. Nas horas vagas, ama ler e viajar.

Sabemos que somos poucas mulheres à frente de um mercado majoritariamente masculino, como o de Tecnologia. Mas isso não nos desanima no sentido de incentivar outras mulheres a encontrarem o seu espaço, a sua forma de trabalhar, e entregar sucesso, com todas as habilidades que são inerentes a cada uma.

Maria Luiza Maia e Mel Oliveira, sócias na Agência Converse (Salvador – BA)

mulheres incríveis

Maria Luiza Maia é formada em Comunicação Social, com ênfase em Publicidade e Propaganda, pós-graduada em Comunicação Corporativa. Ela possui mais de oito anos de experiência em Marketing Digital. Profissional certificada pelo Google, através do programa Google Advertising Professional – Search Advertising, Display, Google Shopping e Google Analytics Individual Qualification. (GAIQ).

Também possui experiência em planejamento de mídia online e expertise em monitoramento de redes sociais.

Mel Oliveira é diretora de publicidade e novos negócios na Agência ConversePossui mestrado em Negócios Internacionais pela EAE Business School e pela Universidade Politécnica da Catalunha, em Barcelona. A empreendedora trabalhou para uma empresa multinacional como gerente de marketing corporativo para os mercados do Brasil, América Latina e Estados Unidos.

Além disso, trabalhou como executiva para planejamento estratégico e serviço ao cliente em agências de publicidade, atendendo marcas como O Boticário, Shopping Iguatemi, Salvador Shopping, Iberostar Group, FIEB, Governo do Estado da Bahia, Ford, OEA e outros.

Atualmente, além de dirigir a Agência Converse, ela também ministra aulas de pós-graduação e participa de eventos de comunicação como palestrante.

Leandra Soares, toda poderosa na Agência Ki  (Teresópolis – RJ)

mulheres incríveis

Há mais de 14 Anos no mercado de Marketing Digital, Leandra  Soares é professora da PUC e INFNET em cursos de Extensão de Marketing Digital. Fundadora da Agência KI e do IPE (Internet para Empreendedores).

Já prestou consultoria para mais de 500 empresas, dentre elas Unimed, OAB/RJ, Editora Abril, Nasajon, Aeronáutica entre outras. Parceira do SEBRAE para levar a Empreendedores conhecimento sobre Marketing Digital.

Tem como missão auxiliar empreendedores a gerarem novos negócios de maneira eficaz pela internet.

Não só no universo do Marketing Digital, mas em todas as esferas as mulheres estão conquistando seu espaço. Temos um olhar apurado, atento aos detalhes, conseguimos fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo e isso no Marketing Digital faz total diferença. Gerenciar layout, redação, métricas, resultados ao mesmo tempo não é pra qualquer um. Além do espírito maternal de querer cuidar de forma diferenciada tanto da equipe quanto dos clientes. Temos sensibilidade e ao mesmo tempo firmeza, para vencer os desafios do dia a dia e ir em frente, melhorando sempre.

Samira Cardoso, cofundadora e CEO na Layer Up

mulheres incríveis

Cofundadora da Layer Up, empresa especializada em Inbound Marketing, Samira Santos é graduada em Comunicação Social, MBA em Marketing, com atuações em empresas como Editora Abril, Editora Globo e Cers Cursos Online. É também professora do curso de Inbound Marketing da São Paulo Digital School.

O desafio de empreender impulsionou minha sócia e eu a sermos cada vez melhores. Além disso, sempre nos preocupamos em cuidar dos nossos clientes e da nossa equipe da forma mais ética e profissional. Esse cuidado é parte inerente da nossa natureza feminina, por isso crescemos e continuamos a avançar.

É muita inspiração mesmo!

Existem muitas mais mulheres que deveriam ser homenageadas e exaltadas. Pegamos um pouquinho do brilho dessas parceiras para refletir o de todas as mulheres aqui representadas.

Feliz Dia Internacional da Mulher!

Marcadores:

Deixe seu comentário