Saiba quem foi Peter Drucker e quais seus principais legados para a Gestão e o Marketing modernos

Conhecido como "pai da Administração moderna", Peter Drucker deixou lições que as empresas utilizam até hoje, mesmo sem saber que partiram dele. Saiba mais


Você já ouviu falar em Peter Drucker? Se você estudou ou estuda administração e marketing, provavelmente sim. Peter Drucker foi um dos pensadores mais renomados e influentes sobre gestão. Embora ele tenha falecido em 2005, seu trabalho continua vivo e pulsando em universidades, empresas e pesquisas em todo o mundo.

Durante sua carreira, Peter Drucker se interessou e permeou por diversas áreas, como jornalismo, redação, consultoria e, claro, gestão. Com 39 livros publicados e traduzidos para mais de 30 idiomas, o autor foi pioneiro nos estudos modernos de administração. Não à toa, ficou conhecido como o “pai da Administração”. 

Mas, afinal, qual foi a contribuição de Drucker para a área administrativa? Qual seu legado? Que obras ler para entender mais sobre suas teorias? Essas e outras questões sobre o autor são respondidas neste post. 

Quem foi Peter Drucker?

Peter Ferdinand Drucker nasceu em 1909 na cidade de Viena, na Áustria, em uma família intelectual que o colocou em contato desde cedo com a elite cultural da Viena do pré-guerra. Ele iniciou seus estudos na Universidade de Hamburgo, mas logo se transferiu para a Universidade de Frankfurt, onde se tornou Doutor em Direito Público e Internacional em 1931.

Quando estava em Frankfurt, Drucker trabalhou no jornal General Anzeiger da cidade, onde chegou aos cargos de editor financeiro e estrangeiro. Por ser reconhecido como um escritor de talento, Drucker recebeu uma oferta de emprego no Ministério da Informação. Enquanto estava no Ministério, o mundo observava a ascensão dos nazistas ao poder. Foi nesse contexto que Drucker escreveu um ensaio filosófico criticando o nazismo, e foi essa razão que apressou sua partida para a Inglaterra em 1933.

Mas foi apenas em 1937 que o autor partiu para os Estados Unidos, onde se tornou consultor de investimentos da indústria britânica e correspondente de vários jornais britânicos, incluindo o Financial Times (na época chamado de Financial News). Em 1950, na Universidade de Nova York, Drucker ingressou em uma nova carreira que durou 21 anos, e se tornou professor de gerenciamento. 

Nesse mesmo período, o austríaco também iniciou seus trabalhos de consultoria, atendendo gigantes como Sears, IBM e Roebuck. A carreira de Drucker foi uma de muito sucesso, tendo continuado em ascensão até seus 93 anos, quando ele encerrou as atividades como professor. Em 2005, em Claremont, EUA, ele faleceu com 96 anos de idade.

Planejamento estratégico para agências de marketing

Aprenda a fazer, na prática, um planejamento estratégico que deixaria Peter Drucker orgulhoso

- Ao preencher o formulário, concordo * em receber comunicações de acordo com meus interesses. - Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de privacidade. * Você pode alterar suas permissões de comunicação a qualquer tempo.

Você sabia que Drucker também teve contato com a economia brasileira?

Peter Drucker passou pelo Brasil algumas vezes para participar de conferências e realizar seminários. Na década de 1950, inclusive, ele se encontrou com o então presidente Juscelino Kubitschek, revelando ser um entusiasta do projeto de construção de Brasília. Nessa mesma época, Drucker também conheceu mais sobre a Petrobras e a Embraer.

Drucker também se interessou por outros países da América Latina, que foram seus objetos de estudo. O autor defendia a ideia de que não há países subdesenvolvidos, e sim países subgeridos. Seguindo essa linha de raciocínio, ele acreditava que o principal desafio para o desenvolvimento brasileiro é a integração socioeconômica entre as regiões Norte e Sul.

Por que Peter Drucker é considerado o pai da Administração?

O autor foi uma das primeiras pessoas a classificar a Administração como uma disciplina que deveria ser ensinada na Academia. Em suas obras, Drucker esclarece que a Administração é uma prática que precisa ser fomentada por outras disciplinas, como Economia, Filosofia, Matemática e História, se quisermos criar conhecimento útil no dia-a-dia.

Peter Drucker acreditava que o trabalho do administrador é planejar, organizar, ajustar, medir e formar pessoas. Em suma, para ele “administração é fazer as coisas direito”. Ou seja, ele enxergava essa área como necessária para o bom funcionamento de qualquer empresa ou organização. 

O consultor dedicou grande parte da sua carreira a estudar e melhorar a forma como as organizações são administradas. Suas contribuições se deram tanto no campo teórico (com a produção de diversos artigos e mais de 30 livros) quanto no prático (com consultorias, aulas e palestras).  

O título de pai da Administração moderna foi sendo cunhado ao longo de sua carreira, mas ganhou força especialmente após a publicação de duas obras: “Conceito da Corporação” (1946) e “Prática da Administração de Empresas” (1954). O primeiro é uma obra descritiva da gestão realizada na GM; já o segundo reúne assuntos presentes na rotina de qualquer administrador. 

Principais livros do autor

Os diversos livros e artigos escritos por Peter Drucker podem ser divididos em quatro categorias. Seus primeiros trabalhos, como The End of Economic Man (1939) e The New Society (1950), discutem a natureza da sociedade industrial. A segunda linha de livros, incluindo Concept of the Corporation (1946) e The Practice of Management (1954), explica ideias gerais sobre a gestão empresarial moderna. 

O terceiro conjunto de trabalhos, incluindo America’s Next Twenty Years (1957) e Technology, Management and Society (1970), especula sobre os impactos futuros de desenvolvimentos como as mudanças tecnológicas. Há ainda os escritos que falam de questões de gestão empresarial prática, como Managing in Turbulent Times (1980) e a coleção de ensaios The Changing World of the Executive (1982). 

Peter Drucker trouxe um frescor também ao conceito de empreendedor, em seu livro Inovação e Empreendedorismo (1985). Ele escreveu ainda dois romances, muito inspirado por obras de autores como Jane Austen. Em 1990, a organização Peter F. Drucker Foundation for Nonprofit Management (rebatizada de Leader to Leader Institute em 2003) foi criada em sua homenagem.

Caso queira aprofundar nos ensinamentos de Drucker, segue uma lista com outras obras que ele escreveu. Os títulos já estão em português para facilitar a sua vida:

  • Introdução À Administração
  • Administrando para Obter Resultados
  • A Sociedade
  • O Essencial de Drucker
  • O Gestor Eficaz
  • O Gestor Eficaz Em Ação
  • Inovação e Espírito Empreendedor – Prática e Princípios
  • Sociedade Pós-capitalista
  • Tecnologia, Administração e Sociedade
  • Gestão Management
  • As Fronteiras da Administração
  • As 5 Perguntas Essenciais que Você Sempre Deverá Fazer Sobre Sua Empresa
  • A Administração na Próxima Sociedade

Para o pai da administração moderna, qual é a principal finalidade das empresas?

Peter Drucker introduziu as empresas ao papel social, abandonando a ideia de que as companhias existem meramente para dar lucro. Para o autor, o maior objetivo de uma empresa é suprir as necessidades e desejos dos seus clientes. Ou seja, entregar valor à sociedade, deixando seus consumidores mais satisfeitos.

O consultor acreditava fortemente que as empresas precisam coexistir harmonicamente com o seu entorno. O que isso quer dizer? Que, na prática, os impactos na comunidade e no meio-ambiente não devem ser afetados negativamente pelo lucro. 

Foi justamente em decorrência dessa visão que o autor apontou a necessidade da gestão ser humanizada, focando seus esforços em melhorar os resultados da companhia mas também elevando a qualidade de vida dos profissionais, ao invés de sugá-los.

O legado de Peter Drucker: Grandes lições de Gestão e Liderança que o administrador nos deixou 

Talvez você não saiba, mas muitas práticas e crenças que você provavelmente tem hoje na sua empresa tiveram sua origem em Peter Drucker. O autor desenvolveu conceitos de gestão que deixaram muitos ensinamentos sobre o desenvolvimento empresarial e as visões do futuro na época, que hoje se fazem presente. 

Listamos as principais:

1. Criatividade e inovação

Peter Drucker costumava dizer que continuar fazendo a mesma coisa é mais arriscado que buscar mudanças. Segundo ele, o objetivo primordial da gestão é a inovação, sendo que inovar envolve: ter novas ideias, combinar novas e velhas ideias, e adaptar ideias de outros campos à área em questão. Se você prestar atenção, verá esses fatores em qualquer curso e explicação sobre criatividade por aí. 

Ademais, o autor também dizia que incentivar outras pessoas à inovação também faz parte do processo de gestão, e que a criatividade tem origem no comprometimento com a inovação. Por isso, os gestores devem ser estratégicos e garantir o ambiente necessário para que todos colaborem em prol da criatividade.

2. Gestão por objetivos

O autor defendia a realização de um planejamento estratégico empresarial, no entanto, frisava que este devia ter suas definições constantemente revisadas. Afinal, é um documento dinâmico que deve acompanhar os objetivos da organização (e estes, por sua vez, podem mudar). 

Planejamento estratégico para agências de marketing

Aprenda a fazer, na prática, um planejamento estratégico que deixaria Peter Drucker orgulhoso

- Ao preencher o formulário, concordo * em receber comunicações de acordo com meus interesses. - Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de privacidade. * Você pode alterar suas permissões de comunicação a qualquer tempo.

Os objetivos, segundo Peter Drucker, devem ser criados em três esferas:

  1. Âmbito estratégico: é o que contém os objetivos a longo prazo;
  2. Âmbito tático: contém os objetivos a médio prazo;
  3. Âmbito operacional: contém os objetivos de curto prazo.

Provavelmente você já está habituado com essa abordagem, pois o Marketing Estratégico se fundamenta nela.

3. Autonomia e descentralização

Peter Drucker diz que os profissionais precisam saber quais são as suas forças, seus valores, o lugar ao qual pertencem e quais contribuições são esperadas da sua parte para a empresa. Isso porque os gestores autoritários não têm mais espaço no topo; a liderança está caminhando para ter cada vez mais um papel de mentor do que de chefe mandão.

Os profissionais precisam saber se autogerenciar, cuidando do seu tempo e do seu trabalho de forma autônoma, sem depender de um líder para isso. Dessa forma, toda a cadeia produtiva ganha espaço para contribuir diretamente no crescimento da organização. O papel dos líderes, nesse cenário, está muito mais atrelado a trazer recursos necessários para o aperfeiçoamento da equipe, como:

  • Treinamentos e ações de capacitação para atualização do time
  • Promoção de mudanças estratégicas e culturais na empresa
  • Incentivo e confiança para a colaboração entre equipes de forma mais autônoma
  • Promoção de um ambiente de diálogo e decisões coletivas

Peter Drucker deixou ensinamentos que influenciaram profundamente o marketing e a administração moderna, porque muitos de seus conceitos foram desenvolvidos pensando no futuro. É por isso que seu legado permanece tão atual.

Quotes e frases: Inspire-se com algumas citações de Peter Drucker

Quem é que nunca ouviu a frase “a melhor maneira de prever o futuro é criá-lo”? Esse é apenas um exemplo das muitas frases famosas que foram ditas pelo autor. Para conhecer melhor suas ideias e ideais, separamos outros quotes:

O objetivo do marketing é conhecer e entender o consumidor tão bem que o produto ou serviço se molde a ele e se venda sozinho

Peter Drucker enxergava o marketing como a representação do negócio, ou seja, a forma como ele é sob o ponto de vista do cliente. Nessa linha de raciocínio, todos os profissionais de uma empresa, mesmo que não trabalhem no departamento de marketing, participam das ações de marketing indiretamente pois contribuem para construir e manter um relacionamento com o público final. 

Quando você vê um negócio bem-sucedido é porque alguém, algum dia, tomou uma decisão corajosa

Drucker falava muito sobre coragem. Não ter medo de fazer mudanças era um dos princípios que ele alegava que todo gestor e profissional precisa ter.

Uma decisão só se torna eficaz quando os comprometimentos com a ação são incluídos na decisão desde o início

O autor acreditava que um líder que faz muitas promessas e engaja, mas não se compromete pessoalmente com suas ideias, tem grandes chances de frustrar sua equipe. Para ele, o gestor eficaz é aquele que se concentra no que mais domina e se compromete a dedicar o máximo de esforço no cumprimento das suas metas.

A cultura engole a estratégia no café da manhã

Essa é a minha preferida. Com esse raciocínio, Peter Drucker incentivou a criação de conceitos como o de Cultura Organizacional, algo que levamos extremamente a sério aqui na RD, inclusive. Em outras palavras, podemos dizer que os hábitos e comportamentos dos profissionais influenciam muito mais nos resultados que entregam do que as obrigações e condutas engessadas estabelecidas pela empresa.

Encerro este artigo com outras frases famosas de Peter Drucker para você refletir e se inspirar:

  • “O conhecimento era um bem privado, associado ao verbo saber. Agora, é um bem público ligado ao verbo fazer”
  • “Cada decisão é arriscada: ela é um comprometimento de recursos presentes com um futuro incerto e desconhecido”
  • “Mais arriscado que mudar é continuar fazendo a mesma coisa”
  • “A única fonte de lucro é o cliente”
  • “Planejamento de longo prazo não lida com decisões futuras, mas com um futuro de decisões presentes”
  • “O problema em nossas vidas não é a ausência de saber o que fazer, mas a ausência de fazê-lo”
  • “Administração é fazer as coisas direito. Liderança é fazer as coisas certas”

Marcadores:

Deixe seu comentário

Comentários