Blog Agências de Resultados

Como sua agência pode ajudar os clientes dos segmentos de mercado mais afetados pelo Covid-19

Veja dicas práticas para apoiar seus clientes dos setores de Restaurantes, Hotelaria, Agências de Viagens, Eventos e Imobiliárias em meio à crise

Eu poderia começar esse blog post com uma introdução sobre o coronavírus e seus efeitos, que estão se expandindo cada vez mais para áreas além da saúde pública. Mas você, assim como eu, provavelmente já deve estar cansado de ser bombardeado por esse tipo de notícia. 

Supondo que todos já estamos por dentro dos acontecimentos mais recentes, continuarei o texto com um único propósito: trazer um pouco de luz para o cenário atual.

Você que está inserido no universo das agências e consultorias de marketing já deve ter percebido que, nas últimas semanas, alguns segmentos de mercado estão sendo mais afetados do que outros. Esse é o caso, por exemplo, dos setores de restaurantes, hotelaria, imobiliárias, agências de viagens e eventos. 

Se você possui clientes que atuam nesses nichos, a boa notícia é que trago aqui dicas práticas de como você pode ajudá-los a enfrentar esse período difícil. O conteúdo foi preparado por gestores de agências parceiras da RD, e está disponível também em formato de vídeo no perfil @rd.partners no instagram. Caso você prefira conferir o conteúdo por lá, é só ir nos destaques “aulas com especialistas” 😉

Gestão e operação de Marketing e Vendas à distância

Este kit possui conteúdos e ferramentas que vão ajudar a sua empresa a se adaptar à quarentena
  

1. Bares e Restaurantes 

As dicas a seguir foram compartilhadas por Renan Caixeiro, Diretor da agência E-Dialog.

Dica 1: Cuide do conteúdo relacionado à higienização

Se os seus clientes estão trabalhando com delivery agora que os restaurantes estão fechados, o ideal é você usar a ajuda do marketing para mostrar claramente como está esse processo. E as redes sociais são bem importantes nesse momento. 

Se você puder publicar no feed do seu cliente dicas e medidas que o restaurante está tomando referente à higiene, o público que pede delivery ficará ciente desse processo e se sentirá mais tranquilo ao realizar pedidos. Postar esse tipo de conteúdo diariamente nos stories é algo que ajuda o público a construir confiança na marca do restaurante.

Dica 2: Não se preocupe com os números do passado, e sim com a adaptação do cenário atual

Agora estamos em outro cenário. Se antes o cliente faturava X em delivery, provavelmente agora ele irá faturar bem mais do que isso. É preciso ficar atento à isso, pois muitas pessoas estão achando que o número de delivery vai cair quando na verdade a tendência é que ele suba.

 Mas, ao mesmo tempo, a gente sabe que a concorrência pode aumentar e que alguns restaurantes vão sofrer mais com isso por terem produtos que são mais difíceis de adaptar. Então, o ideal é ajudar o seu cliente a encontrar novas formas de migrar os seus produtos. Exemplo: existem casos de restaurantes à quilo que se adaptaram para trabalhar com marmitex. Avalie essas possibilidades e use o marketing como aliado para fazer uma nova estratégia.

Dica 3:  Foque no relacionamento com seus clientes neste período

Mostre a realidade. Nesse período, os clientes também estão mais dispostos a te ajudar, de certa maneira. Então, ao se mostrar real, vulnerável e transparente isso pode te ajudar na comunicação.

Dica bônus 

Não deixe de investir em mídia, de patrocinar os seus posts, ou de buscar parceria em outros comércios (ou com influenciadores). Durante esse período, se você fizer ações legais há altas chances de alguém mencionar o restaurante do seu cliente e de mostrar como é o processo. Isso estimulará outras pessoas a fazerem o mesmo e a pedirem delivery do seu cliente mais vezes (e até mesmo quando isso tudo passar).

2. Hotelaria 

A seguir você confere as dicas do Jean Vidal, CEO da Conexorama:

Dica 1: Apoie o cliente nas suas comunicações internas e externas

É importante que a agência apoie o hotel a tomar todos os cuidados, a fazer todas as comunicações que devem ser feitas para cuidar das pessoas. Por mais que não se tenham hóspedes, é muito comum em hotéis ter unidades que foram vendidas, ter pessoas que moram nos apartamentos. Por isso, é preciso ter uma comunicação interligada à todo esse cuidado humano que estamos tendo durante esse período. 

O hotel vai precisar emitir notas, cuidados, artes, avisos, controles, e este é o primeiro ponto em que a agência é essencial e precisa ajudar apoiando o hotel.

Dica 2: Fomente a campanha de “não desmarque, remarque”

Ao invés de cancelar estadias, crie a possibilidade dos clientes do hotel agendarem uma nova data para a reserva. Seja criativo na forma de divulgar essas campanhas.

E há também um pontinho extra: a agência tem um papel de consultoria, de passar informações para o seu cliente. Uma frente que o hotel muitas vezes acaba esquecendo de assumir é entrar em contato com os clientes de suas reservas previamente, mostrando o lado humano e a preocupação, dando formas de parcelar, e de estabelecer novas datas.

Que tal se a agência fomentar essa campanha, ajudar nas comunicações e dar alguns insights: por exemplo, um brinde especial durante a estadia do hóspede que aderir à essa campanha? 

Dica 3: Mantenha pelo menos o mínimo de Marketing Digital funcionando

Em outras palavras: a demanda deixou de existir por vários contextos, mas o público não. Então, o hotel precisa estar nas redes sociais, mandar e-mail marketing, lançar eBooks. 

Este é um período que pode ser usado para gerar novos Leads, porque passado este período as pessoas estarão loucas para voltar ao cotidiano, para tirar férias. Haverá demanda. Se o hotel conseguir se organizar financeiramente neste período e se manter o mínimo possível presente na vida deste público, quando chegar o momento certo, o hotel vai conseguir um retorno muito maior.

A Tribuzana, outra agência parceiria da RD, fez um eBook com mais dicas sobre esse segmento. Você pode acessá-lo aqui: Como minimizar os impactos da crise na hotelaria

3. Agências de Viagens 

Abaixo seguem as dicas do Rogério Costa, fundador da agência OIBE.

Dica 1: Invista nos processos da área comercial (CRM)

“A equipe comercial das agências que atendo estão conseguindo, neste momento, administrar melhor a situação, trabalhar remotamente e desenvolver um bom trabalho por conta do CRM”, disse Rogério. 

Se você quer manter seus processos funcionando, desde a pré venda até o fechamento e gestão das atividades, nada de planilha, e-mail e anotação. Use um CRM. Proponha isso para o seu cliente e ajude-o a reorganizar a cabeça em termos de venda, de pacotes, de destinos, roteiros, etc.

Dica 2: Invista em SEO

O principal canal de origem dos Leads em vendas neste nicho é o orgânico. Se você tem um cliente que já está investindo em conteúdo, otimize e desça um pouco no funil. Se está faltando conteúdo e tiver lacuna no fundo de funil, preencha essa lacuna e otimize este conteúdo. Talvez agora seu cliente não esteja vendendo, mas daqui 6/8 meses ele vai voltar a vender e este trabalho de SEO vai fazer toda a diferença lá na frente. 

Dica 3: Reforçe as automações de relacionamento e marca

 

Não é hora de focar em automação de produto, e sim em conteúdo institucional, prova social, e depoimentos. Se possível, mantenha o investimento em um software de automação. “É nisto que estamos atuando e o RD Station está funcionando muito bem, porque faz com que esse conteúdo e essa comunicação entre em movimento e sinergia com o que buscamos no momento”, finaliza Rogério.

4. Eventos 

Para o nicho de eventos, a Priscila Kempner, sócio-diretora da Agência 110, compartilhou as seguintes boas práticas: 

Dica 1: Entenda como o Covid-19 afeta diretamente o seu cliente

“Nós buscamos respaldo no código do consumidor para entender quais seriam as aplicações legais para nossos clientes e descobrimos que o cancelamento dos eventos, por exemplo, não daria direito à danos morais para o público. 

Se tratando de pandemia, nós estamos amparados pelo caso fortuito que exclui as empresas da responsabilidade da indenização de danos ou prejuízos ocorridos durante a vigência de um contrato e, inclusive, dá ao meu cliente o direito de devolução da quantia paga de forma em que ela foi efetuada. Ou seja, se o usuário pagou parcelado para o meu cliente, o meu cliente também tem o direito de devolver para o usuário o valor de maneira parcelada”, disse Priscila.

Dica 2: Mantenha o cliente do seu cliente muito bem informado

Aqui uma boa sugestão é usar automação em uma plataforma de chat para esclarecer as dúvidas de toda a base que comprou ingressos, como: “O show vai ser cancelado?” ou “Eu vou receber o meu dinheiro devolta?”. Essa é uma das ações que a Agência 110 vem realizando com os clientes desse segmento.

“As ferramentas que nos ajudaram neste processo e que podem auxiliar vocês também: o RD Station, de onde tiramos todas as segmentações de compradores de ingressos daqueles shows, e a ManyChat que possibilitou a automação no Messenger do Facebook”, disse Priscila.

Dica 3: Ofereça novas perspectivas

Uma das opções é alterar o formato de evento presencial para o online. É legal manter uma estrutura para realizar eventos digitais porque se pode usar isso como incentivo para as pessoas ficarem em casa neste período de quarentena. 

“Já para os clientes que trabalham com datas especiais e momentos marcantes da vida das pessoas, como casamento, aniversário de 15 anos, formatura, etc, nós aderimos a hashtag #NãoCancele-Remarque visando incentivar a busca por novas datas. 

Tivemos uma abertura muito positiva por parte do público. Para auxiliar, desenvolvemos artes e mockups para que eles pudessem enviar aos seus clientes sugerindo o reagendamento e também desenvolvemos algumas peças para que eles usassem com os fornecedores para negociar novos prazos”, conta Priscila.

5. Imobiliário

Por fim, temos as recomendações do Rodrigo Werneck, consultor especialista em Marketing Imobiliário e diretor da agência Cupola.

Dica 1: Leve informações que podem ajudar o seu cliente a enfrentar esse momento de adversidade

 Os gestores de imobiliárias em geral, estão desorientados e sem referenciais para a tomada de decisões. Quando um player de fora leva informações sobre o nicho dele, isso faz todo sentido e encontra uma grande aceitação. 

“Nós estamos trabalhando com reports diários. Procurando subsidiar os nossos clientes com insights e informações que possam ser úteis para eles, tanto em termos de gestão, quanto em termos de marketing e vendas”, conta Rodrigo.

Dica 2: Ajudar os clientes na reestruturação de processos

A jornada comercial do cliente do mercado imobiliária vai ser completamente transformada pelo novo Cronavírus. Então, a experiência de visitas aos imóveis e ao showroom vai mudar bastante. O cliente vai, nos próximos meses, procurar distância. Vai preferir as visitas virtuais. E para isso ele precisa de uma consultoria, de uma agência que o oriente e o conduza para que, inclusive, os sites sejam readequados para esse novo momento em que o cliente que mais distância. 

Dica 3: Planeje a retomada

A retomada vai acontecer na medida que a quarentena for flexibilizada e nesse cenário vai ocorrer uma grande corrida aos negócios. Muitas empresas quebrarão, mas também grandes oportunidades surgirão.

“A gente observa a retomada do mercado. Hoje na China já é 50% do que era comparativamente com 2019, ou seja, vai ter mercado, vai ter consumidor voltando ao mercado imobiliário. Imóvel é uma demanda social, é um produto que não é prescindível, ele precisa sim ser contratado, seja como aluguel ou venda. Então, o mercado vai aquecer e quem estiver melhor preparado, larga em vantagem. As agências podem contribuir neste sentido, preparando essa reaceleração”, disse Rodrigo.

_________________________________________________________________________

Espero que esse compilado de dicas e boas práticas tenham clareado o seu caminho e te dado insights para seguir enfrentando a crise. 

E não deixe de acompanhar nosso blog, em breve também publicaremos um artigo falando sobre os segmentos de mercado que estão aquecidos. Fique ligado e se cuide! 🙂

Marcadores:

Deixe seu comentário

Comentários