Blog Agências de Resultados

Vídeos institucionais: como fugir do clichê de escritório?

Toda empresa que deseja uma presença mais forte na internet sabe da importância de um vídeo institucional. Mas como se diferenciar da concorrência em um mercado acostumado a um único formato de produção?

Take um: a câmera percorre um escritório repleto de funcionários sorridentes. Notamos a amplitude do local e percebemos como as pessoas interagem perfeitamente bem.

Take dois: por trás do ombro de uma pessoa, vemos a tela de um computador lotada de códigos e planilhas complicadas.

Take três: um grupo simula uma reunião, franzindo as sobrancelhas e nos convencendo de que estão discutindo algo importante.

Take quatro: entrevista com alguém importante da empresa, contando a história da companhia e dizendo frases genéricas sobre como é super cool trabalhar ali. E, claro, tudo regado com uma música inspiracional, daquelas encontradas na Youtube Audio Library e usada milhares de vezes em outros vídeos institucionais.

Não me leve a mal, mas…

Quantas vezes você já assistiu ao vídeo institucional que acabei de descrever? 

A maioria das empresas, principalmente as que desejam ter uma presença mais forte na internet, sabem da importância de um vídeo institucional como forma de divulgar seu negócio e atrair novos talentos. Mas até que ponto esses vídeos contam uma história e não são apenas mais um copy + paste da concorrência?

É claro que esse modelo tradicional (se é que assim podemos chamá-lo) funciona. Afinal, se não funcionasse ele não teria se espalhado a ponto de se transformar no modelo replicável que conhecemos hoje. Ele é extremamente efetivo para mostrar o ambiente de trabalho, contar um pouco da história e informações básicas da empresa. Mas talvez sirva apenas para isso.

O problema não está em escolher esse modelo para representar o seu negócio (ou o do seu cliente), mas sim em querer se destacar usando uma receita já banalizada pelo mercado.

E aí vem a pergunta:

Como fugir do óbvio e entregar um material audiovisual diferenciado para seus clientes?



Socorro! Como seguro os clientes da minha agência?

Confira um checklist com 7 estratégias que você precisa fazer para conquistar e reter sua base

Talvez seja essa a pergunta cuja resposta vale um milhão de dólares (ou de espectadores). Seria mentira dizer que sabemos a resposta. Mas, observando alguns exemplos de sucesso, podemos ao menos apontar algumas direções que você deve seguir na hora de planejar seu próximo vídeo institucional — ou o do seu cliente. Vamos conferir?

Transmita a imagem que você deseja passar

Antes de tudo, é preciso que você saiba exatamente qual é a imagem que você deseja transmitir com seu vídeo institucional. Lembre-se de que esse material tem o intuito de apresentar a empresa, seus valores e ideais para o público.

Por isso, se você deseja passar uma imagem de sobriedade e seriedade, não adianta produzir um vídeo com sacadas engraçadas ou brincadeiras despretensiosas.

E o mesmo vale para empresas com perfis mais descontraídos, que optam por materiais audiovisuais mais engessados. Isso é vender uma imagem desalinhada com seus propósitos, o que pode impactar negativamente na experiência de seus clientes.

Portanto, esteja atento sempre à persona da sua agência ou dos seus clientes.

Compare, por exemplo, os vídeos institucionais da Bayer (empresa farmacêutica e química) com o do Slack (aplicativo de comunicação).

Institucional Bayer:

Institucional Slack:

Ambos são vídeos institucionais que fogem do modelo tradicional que vemos replicados na maioria das empresas. Entretanto, cada uma adota um tipo de discurso diferente para se comunicar assertivamente com seu público.

A Bayer, por exemplo, opta por uma linguagem que reforça sua credibilidade, enquanto o Slack se apresenta com uma comunicação mais lúdica e descontraída. O interessante, no entanto, é que nenhuma das duas abre mão do storytelling para passar sua mensagem.

Conte uma história

Se o seu intuito é fazer com que as pessoas vejam seu vídeo, é indispensável que você apresente uma história que desperte esse desejo nelas. Não adianta tentar se convencer que as pessoas serão atraídas por imagens genéricas de escritório ou captações da rotina de seus funcionários. Você precisa oferecer algo valioso em troca dos minutos de atenção do seu espectador.

O que eu ganharia caso aceitasse consumir esse produto? Aprenderia algo importante que não sabia? Teria uma experiência diferente das que já tive antes? Me emocionaria ou me identificaria com alguma passagem do vídeo? Daria boas risadas? Essas são perguntas que devem ser feitas antes de elaborar o roteiro de um vídeo institucional que não seja simplesmente uma peça de divulgação do seu negócio.

No dia do Orgulho LGBT, a Resultados Digitais lançou um vídeo com depoimentos de funcionários que narravam situações de discriminação e superação enfrentadas por eles enquanto membros dessa comunidade.

O vídeo foi um sucesso nas redes sociais por vários motivos mas, com certeza, um deles se deve ao fato de que o material gerou empatia e reconhecimento em muitas pessoas que o assistiram.

Colocar os próprios RDoers para contar suas histórias e explicar como eles se sentem trabalhando na Resultados Digitais é uma forma extremamente efetiva de reforçar a ideia de que a empresa é um ambiente que acolhe e respeita a diversidade. Nesse caso, nem mesmo uma fala de um gestor ou diretor sobre o assunto causaria tanto impacto.

Por isso, pense no que você deseja passar com seu vídeo institucional, encontre a melhor forma de contar sua história e ofereça alguma recompensa para quem se dispôs a assisti-lo.

Explicite sua utilidade

De nada adianta dizer que seu negócio é uma empresa de gerenciamento de dados se você não explicar o que, na prática, seu produto facilita na vida do usuário. Na maioria das vezes, um vídeo institucional pede uma linguagem mais explicativa e ilustrativa para que seu consumidor entenda porque ele precisa de seus serviços.

Este vídeo da Starbucks, por exemplo, apresenta uma situação muito comum no nosso dia a dia: uma pessoa indo para o trabalho, sem muito tempo a perder, e que se depara com o desejo de tomar um café antes de chegar no compromisso.

O vídeo apresenta uma solução para essa situação através do aplicativo da rede que permite que façamos um pedido antes mesmo de chegar na cafeteria. Ou seja, fica evidente a utilidade do serviço justamente por trazer exemplos que reconhecemos no nosso cotidiano.

Algo parecido acontece neste material institucional da TV Globo. A narrativa explicita qual é a função da emissora: a de trazer informação e entretenimento para a casa de milhões de brasileiros. Enquanto ouvimos a história, vemos as imagens do produto da empresa, que são as próprias telenovelas e programas apresentados no canal.

Nós sabemos que, dependendo da complexidade do projeto, o processo de produção audiovisual pode ser complicado e muito trabalhoso. Mas, para se destacar no mercado dos vídeos institucionais, é preciso testar constantemente novos formatos e sempre ter em mente qual é o objetivo do material e qual é a ideia que se deseja passar com ele. Além disso, o resto é prática e muita mão na massa.

E você, conhece algum outro exemplo de vídeo institucional criativo que te marcou? Compartilhe conosco nos comentários abaixo!

Marcadores:

Deixe seu comentário