Blog de Marketing Digital de Resultados

Benchmarking Sessions: os principais aprendizados que tivemos com grandes empresas brasileiras

Série com 6 episódios traz entrevistas com empreendedores que fizeram suas empresas crescerem com velocidade de forma sustentável. Assista gratuitamente!

O projeto Benchmarking Sessions surgiu da ideia de aproximar o mercado das práticas das scale-ups. Queríamos proporcionar algo muito parecido com uma mentoria ao público que acompanha nossos conteúdos. Para isso, listamos empresas com quem nós mesmos, aqui da RD, gostaríamos de aprender, e convidamos pessoas chave delas para gravar conosco.

Ficamos muito felizes que essas pessoas aceitaram. Fomos visitá-las em suas sedes e gravamos horas de conversas muito legais. Neon, Guiabolso, Conpass, Stone, Tera e Creditas abriram as portas para nós, e ofereceram insights de negócios valiosíssimos. Nós juntamos tudo em uma série gratuita de vídeos, que você pode acessar no banner abaixo.

benchmarking sessions

Se você ainda não se convenceu, preparamos este post com os principais aprendizados que tivemos com o Benchmarking Sessions. Continue lendo para ver que vale muito a pena!

Principais aprendizados do Benchmarking Sessions

Conversamos com um total de 10 pessoas de 6 scale-ups. A seguir, vamos contar um pouquinho do que elas dividiram conosco, separando por empresa. Você também terá um link específico de cada uma delas para assistir ao episódio do Benchmarking Sessions, caso tenha o interesse despertado pelos temas que destacamos.

Episódio 1 – Neon

O Benchmarking Sessions começou conversando com Pedro Conrade, Alexandre Alvares e Guilherme Lorensini, da Neon. Talvez você seja um dos mais de 2,5 milhões de clientes dessa fintech, que nasceu com a missão de unir tecnologia e design para redesenhar e simplificar a experiência financeira das pessoas.

Eles falaram, principalmente, sobre a obsessão da empresa em ser customer centric. Pedro explica que a Neon não consegue pensar seus produtos e serviços de outra forma que não seja focado no cliente. Ele aponta que a “falta de experiência” no começo levou os fundadores a querer desafiar o status quo do mercado, o que acabou sendo uma vantagem.

A Neon acredita que só vale a pena fazer algo que seja bom para o cliente. Esse é um aprendizado valioso: às vezes, não prestamos tanta atenção às verdadeiras dores de Leads e clientes, e tentamos resolver problemas que não são relevantes. “Se você pensar no que é bom para o cliente e se colocar no lugar dele, as coisas acabam acontecendo”, diz Pedro.

>> Clique aqui para ver e/ou ouvir o episódio com a Neon << 

Episódio 2 – Guiabolso

O 2º episódio do Benchmarking Sessions seguiu no assunto dinheiro. Mais precisamente, conversamos com Carolina Baracat, conselheira de Marketing do Guiabolso. O app quer ser o personal trainer das finanças do brasileiro, usando inteligência artificial para organizar as contas do usuário. Só que nem sempre ele foi entendido dessa forma.

Assim, o Guiabolso precisou passar por um processo de rebranding, que levou 9 meses. E isso exigiu o envolvimento da empresa toda. De acordo com a Carolina, era preciso ter muito claras as motivações da criação da marca, de qual era a sua essência. A única forma de fazer isso era trazer insights de todas as áreas e também de consumidores.

Talvez seu negócio esteja precisando passar por um rebranding, ou precisará à medida que for crescendo — como é o caso de uma scale-up. Mas não se assuste! Uma coisa bem bacana que a Carolina contou foi que o principal aprendizado do processo do rebranding veio sob a forma de confirmação. Ou seja, reafirmar algo que você já sabia.

No caso do Guiabolso, foi a reafirmação de que a missão da empresa é melhorar a vida dos brasileiros, com o app sendo útil todos os dias. “O trabalho de rebranding fortalece o que já era a sua essência, mas mostra aquilo de uma forma mais simples”, explica a Carolina.

>> Clique aqui para ver e/ou ouvir o episódio com o Guiabolso <<

Episódio 3 – Conpass

Ivan Biava e Cassiano Casagrande, da Conpass, foram os entrevistados do episódio número 3 do Benchmarking Sessions. A empresa é líder em user onboarding, ajudando os clientes de seus clientes a terem uma experiência incrível de engajamento com seus sites, plataformas e softwares. Em resumo, ajudam a atingir o sucesso de forma self-service.

O crescimento rápido, característica fundamental de scale-ups, obrigou a Conpass a se reorganizar internamente. A maneira encontrada foi a formação de squads, que são times compostos por pessoas de várias áreas do negócio. Eles, inclusive, competem entre si. Uma medida importante para que isso fosse bem sucedido foi não ter squads fixos.

Pensa só: como há uma competição para ver quem vai melhor no atingimento de metas, poderiam ser criadas rivalidades entre colaboradores. Isso, definitivamente, não seria ideal. Cassiano contou que os squads são misturados por sorteio todos os meses, evitando criar um ambiente ruim. No fim, todo mundo fica motivado para bater as metas gerais.

“A pessoa sabe que está competindo esse mês, mas sabe que no mês que vem ela pode estar trabalhando com essa pessoa”, conta Cassiano. O episódio tem muito mais insights interessantes sobre squads e como usar isso para conquistar novos mercados.

>> Clique para ver e/ou ouvir o episódio com a Conpass <<

Episódio 4 – Stone

Você deve associar a Stone às maquininhas em balcões de lojas e outros estabelecimentos comerciais. Porém, a marca quer ser (e de fato é) muito mais que isso. No 4º episódio, a diretora de Marketing, Alessandra Giner, mostra como ela oferece soluções completas para os lojistas em um ecossistema único. E falou muito sobre Inside Sales e Inbound Marketing.

A Stone tem produtos voltados para diferentes tipos de negócios. Um autônomo, por exemplo, precisa de uma tecnologia completa, porém mais simples e menos customizável. Já para grandes lojas, é preciso ter uma oferta que possibilite uma customização maior. Assim, é preciso trabalhar com funis diferentes para cada perfil.

Além de funis diferentes, times de vendas diferentes também fazem as abordagens. Isso envolve treinar os times não só a respeito dos produtos da Stone, mas também sobre quem são seus clientes. “A gente acredita que a melhor forma de ganhar o cliente é entender sobre ele”, diz Alessandra. É uma lição fundamental para todo tipo de negócio.

O episódio traz muitos insights sobre a relação entre Marketing e Vendas. Vale muito a pena assistir!

>> Clique aqui para ver e/ou ouvir o episódio com a Stone <<

Episódio 5 – Tera

Leandro Herrera é o entrevistado do penúltimo episódio do Benchmarking Sessions. Ele é fundador da Tera, uma scale-up que desenvolve jornadas de aprendizagem para pessoas inovadoras, criativas e sonhadoras. E como atrair essas pessoas e vender para elas? Com Inside Sales e Inbound Marketing, também!

Quando você se propõe a passar uma mensagem assim inspiradora, é preciso alinhar o discurso tanto de Marketing e Vendas. Leandro explica que o principal ponto é deixar claro o ROI dos serviços da Tera. As capacitações são mais rápidas que uma pós-graduação comum, e também costumam oferecer retorno de empregabilidade ou promoção mais rapidamente.

E, para isso, os times de criação de conteúdos e de Inside Sales, por exemplo, usam cases de sucesso de clientes na construção dessa mensagem. “Em educação, você espera que haja algum retorno. Se não houver, foi despesa e não investimento”, explica Leandro. A partir disso, são criados os argumentos de atração e venda.

O episódio da Tera fala muito sobre o desenvolvimento dessas estratégias, e pode trazer boas ideias para o seu negócio.

>> Clique aqui para ver e/ou ouvir o episódio com a Tera <<

Episódio 6 – Creditas

Encerrando a série Benchmarking Sessions, trazemos mais uma fintech que está se destacando no Brasil: a Creditas. Convidamos Viviane Sales, VP de Marketing e Analytics, e Fábio Zveibil, líder de Novos Negócios, Canais Indiretos e Marketing Estratégico para contar como a empresa já chegou a 2 milhões de pedidos de empréstimos.

Assim como outras fintechs, a Creditas aponta o avanço tecnológico com um dos motores do seu crescimento. Não apenas pela facilidade de acesso a produtos e serviços em si, mas também à informação. As pessoas estão em busca de fazer compras melhores, e buscam uma compreensão maior antes de fechar com uma ou outra empresa.

Além disso, as tecnologias possibilitam uma clareza cristalina de quais canais de aquisição funcionam melhor. É uma troca em que todos saem ganhando, já que tomam decisões com base em dados mais assertivos. “A gente vai sempre tentando entender qual canal tem melhor performance de resultado e qual se adequa mais ao tipo de cliente”, diz Viviane.

>> Clique aqui para ver e/ou ouvir o episódio com a Creditas <<

Assista a todas as Benchmarking Sessions

Separamos alguns dos aprendizados que consideramos mais relevantes no Benchmarking Sessions. Porém, a série completa tem muito mais pontos interessantes, com insights relevantes que podem ser ajudar a sua empresa a ir além. As pessoas que entrevistamos dividiram experiências, estratégias e processos, em vídeos muito valiosos!

Então, não perca! O conteúdo é inteiramente gratuito. São vídeos de 30 a 40 minutos de duração, separados por tópicos linkáveis, para você assistir no seu tempo. Inscrevendo-se, o acesso a todas as Benchmarking Sessions é automaticamente liberado. Basta clicar abaixo para começar a aproveitar os conteúdos!

benchmarking sessions

Marcadores:

Deixe seu comentário