Blog de Marketing Digital de Resultados

Estratégias de YouTube: como criar e otimizar vídeos para serem encontrados nos sites de busca #RDSummit

Publicitário Camilo Coutinho conta como se destacar no maior site de vídeos do mundo. Veja as dicas do especialista e descubra como!

O publicitário Camilo Coutinho já produziu vídeos para mídias tradicionais e trabalhou em grandes empresas, como Americanas, Buscapé, Shoptime, Submarino e Young & Rubicam. Mas se encontrou mesmo foi no YouTube.

Dono de uma consultoria sobre gestão de negócios online e do canal Play de Prata, o profissional se especializou no maior site de vídeos do mundo e veio ao RD Summit 2017 compartilhar dicas de como se destacar dentre as milhares de horas de vídeos publicados diariamente.

Conheça algumas delas:

CEQC

Conteúdo, estratégia, qualidade e consistência, ou CEQC (pronuncia-se sexy!), é uma fórmula que Camilo Coutinho trouxe dos Estados Unidos para explicar os componentes de um vídeo de sucesso.

Para que seja assistido, é importante que você saiba do que está falando, produza conteúdos com estratégia, tenha alguma qualidade técnica e resolva o problema da audiência.

Comece respondendo as seguintes perguntas:

  • Para quem é o seu vídeo? Quem é sua audiência, o que ela busca online e como faz essa pesquisa?
  • De qual solução essas pessoas precisam? Como seu público-alvo vai usar a solução que você oferece para resolver um problema?

Roteiro chicote

Depois de pensar nas respostas para a pergunta acima, chegou a hora de gravar o vídeo. Para isso, Camilo Coutinho sugere o roteiro chicote, que, de acordo com ele, serve para “95% das coisas”. Seu vídeo deve incluir as seguintes informações:

  • Quem é o cliente
  • O que ele faz
  • Quem compra
  • Quando compra
  • Qual o diferencial do produto ou serviço
  • O que acontece se não comprar

Qual o tempo ideal dos vídeos?

Para Camilo Coutinho, essa pergunta não faz sentido. Não existe tempo ideal. Ele varia de acordo com a sua estratégia. “Os vídeos curtos são para pessoas que não conhecem você, enquanto os longos são para quem já o conhece”, explica.

Uma ideia é responder a dúvidas mais gerais fazendo vídeos curtos, de 30 segundos ou 1 minuto, atraindo interesse para o seu canal. Se as pessoas gostarem, procuram saber mais por meio de vídeos longos, como palestras ou treinamentos.

Ou, colocando de outra forma, a duração ideal “é o tempo que você leva para contar o seu conteúdo, e nenhum segundo a mais”, resume.

Um exemplo de sucesso

Camilo Coutinho trouxe o exemplo de um vídeo que ajudou a otimizar e que obteve visitas em poucos minutos.

Quando Lady Gaga precisou cancelar sua apresentação no Rock In Rio, em setembro de 2017, o palestrante não imaginou que tanta gente se importaria. No entanto, olhando o volume de buscas, viu que muitas pessoas procuravam por mais informações sobre fibromialgia, a doença que impediu a artista de vir ao Brasil.

O canal Saúde na Rotina, então, gravou um vídeo simples falando sobre a doença.

O diferencial não foram imagens impactantes, mas a otimização: foram trabalhadas a descrição, tags, miniatura, dentre outros itens.

Depois de apenas 13 minutos no ar, o vídeo já tinha 400 views, alcançando a primeira posição da busca do YouTube.

Miniatura (thumbnail)

A miniatura (ou thumbnail), aquela imagem estática que vimos antes de clicar no vídeo, é um dos dois elementos que Camilo Coutinho considera os mais importantes de se otimizar. “É responsável por 60% das intenções de clique”, conta. Os outros 40% ficam por conta do título, e é fundamental casar bem os dois componentes.

O profissional falou do que chama de anatomia do thumbnail. Imagine um retângulo na horizontal. Ali você precisa dispor vários elementos. O canto superior direito, por exemplo, é ideal para colocar um numeral (1, 2, 3…), caso seu vídeo faça parte de uma série. Também pode conter um ícone ou logo do canal.

Já a área inferior direita deve ficar sem informações importantes, pois é ali que vai o contador de tempo. As informações que incluir nesse canto não serão visíveis. Use a metade esquerda do retângulo para colocar informações importantes, como o título.

Veja como ficou o thumbnail do vídeo de sucesso sobre a doença da cantora Lady Gaga:

“Eu entrei no universo da Lady Gaga para fazer isso”, conta. “Assisto TV, ouço funk, preciso saber tudo o que as pessoas fazem — e, se vocês trabalham com comunicação, deveriam fazer isso também”, aconselha.

Camilo Coutinho recomendou, ainda, uma ferramenta chamada Vidiq, que mostra o ranqueamento dos vídeos.

Conteúdo periférico

Ok, você postou o vídeo. Acha que acabou? Nada disso!

Agora, é a hora de reaproveitar o conteúdo audiovisual, transformando-o em outros formatos. Camilo Coutinho chama isso de conteúdo periférico.

Você pode fazer um GIF ou teaser chamando para o vídeo em outras redes sociais, um vídeo quadrado com legenda para o Facebook, printar uma imagem do frame, produzir um meme baseado no conteúdo, gravar e publicar o making of… As opções são infinitas.

Lives

Outra maneira boa de ressuscitar seu canal, dar um up no engajamento ou divulgar um vídeo novo é fazendo uma live — transmissões ao vivo que, para Camilo Coutinho, são “fazendas de engajamento”.

Mas não fique esperando várias pessoas entrarem no vídeo para começar a dar o seu recado, nem agradecendo nome por nome as pessoas que entrarem. O melhor é escolher um momento breve no início ou no final da transmissão para esse tipo de cumprimento. Mostre logo a que veio!

Para ter sucesso no YouTube é preciso, resumidamente, pensar em audiência, buscas, conteúdo, otimização, pulverização, mensuração — e, no final, começar tudo de novo.

“É simples, mas é continuo”, conclui.

 

Marcadores:

Deixe seu comentário