Blog de Marketing Digital de Resultados

Conheça os principais canais de mídia paga em que você pode investir

Entenda por que investir em compra de mídia e como seu negócio pode se beneficiar alcançando resultados mais rápidos

A mídia paga tem se tornado cada vez mais frequente nas estratégias de Inbound Marketing das empresas. Um dos principais motivos é o baixo alcance orgânico das publicações, o que exige uma ação paga para alcançar o público pretendido.

Quando realizada de forma adequada, considerando a persona e o estágio do funil de vendas, a compra de mídia pode ter um impacto significativo na aceleração dos resultados.

Se a mídia paga ainda é novidade para você ou quer entender melhor como usar os diferentes canais disponíveis na estratégia da sua empresa, continue a leitura do post!

eBook + Planilha: Como anunciar no Google Ads

Existem 8 passos que você precisa seguir para criar campanhas efetivas e gerar mais resultados com links patrocinados no Google. Descubra quais são eles neste eBook, e ganhe uma planilha para colocá-los em prática sem sofrimento.

Principais motivos para investir em mídia paga

1. Gerar mais tráfego para seu site ou blog

O Inbound Marketing adota estratégias que visam atrair e converter clientes de maneira voluntária. Para isso, conteúdos e ofertas são produzidos visando atingir pessoas em toda a jornada de compra. Para quem está iniciando ou ainda não tem um bom tráfego, esse processo pode não ser tão rápido, pois depende de fatores como posicionamento orgânico e capacidade de produção de conteúdo.

Diante disso, você pode atrair mais pessoas ao seu site ou blog e torná-lo conhecido em curto prazo com a mídia paga. Cada anúncio realizado (independente da mídia) possui um link que direciona para uma página, que pode ser do seu site, um artigo no seu blog ou uma Landing Page que criou para disponibilizar um conteúdo rico e gerar Leads.

Quer dar os primeiros passos em compra de mídia? Confira o artigo: Planejamento de compra de mídia: 5 dicas para quem quer começar + planilha gratuita.

2. Alcançar resultados mais rápidos

Com a mídia paga os resultados são mais previsíveis e rápidos. Na elaboração de uma campanha paga, você já consegue ter uma estimativa dos resultados. E, a partir da liberação do anúncio, em pouco tempo consegue gerar os primeiros resultados.

Na Resultados Digitais, trabalhamos com projetos de implementação para quem acabou de contratar o RD Station Marketing. É muito comum os clientes optarem pelo investimento em mídia paga, como o Facebook Ads, para gerar mais tráfego nas Landing Pages publicadas e gerar Leads.

Com um baixo investimento e campanhas segmentadas que direcionam tráfego, é possível gerar os primeiros Leads rapidamente.

No exemplo a seguir, um cliente gerou 708 Leads em apenas 1 semana com o investimento de R$20/dia no Facebook Ads, promovendo um conteúdo rico.

motivos investir compra mídia

Fonte: Landing Page do RD Station Marketing

3. Identificar e segmentar seu público

Um dos erros mais comuns é investir em mídia paga sem conhecer bem o público que pretende alcançar. Se você não conhece seu público ou tem dúvidas, sugerimos que faça inicialmente uma campanha de mídia paga como experimento. Assim, você poderá validar e entender características (faixa etária, gênero, localidades) e interesses (produto A ou B) com base nas pessoas mais interagem com sua oferta.

A mídia paga precisa ser direcionada, mesmo que você não tenha uma persona criada (o que é recomendado). É importante conhecer pelo menos suas características e dores.

Cada mídia paga tem uma característica de segmentação. Por exemplo: Google Ads pelo uso de palavras-chave, Facebook Ads pela seleção de interesses e o Linkedin Ads por cargos, empresas ou segmentos.

4. Flexibilidade de investimento

Uma pergunta frequente de quem está iniciando é: quanto devo investir? A resposta pode variar bastante, pois cada negócio tem sua particularidade e depende dos objetivos que se quer alcançar.

A mídia paga permite que você realize testes sem ter que investir alto num primeiro momento. Avalie como o público irá responder e qual será o custo por aquisição (seja Lead ou cliente).

Se fizer sentido, otimize e aumente aos poucos o investimento. Não deixe de analisar se está alcançando o ROI (retorno sobre o investimento) esperado.

Uma dica para ter o controle do investimento de mídia paga é usar a nossa planilha de distribuição de verba em mídia paga

5. Fácil mensuração de resultados

Uma das grandes vantagens da mídia paga é a fácil mensuração de resultados. É possível acompanhar em tempo real o desempenho das campanhas nos mínimos detalhes. Você poderá entender melhor o comportamento de seu público, principalmente suas preferências para determinados tipos de conteúdo.

Para cada campanha patrocinada é possível avaliar indicadores como aumento de tráfego, geração de Leads, envolvimento com as publicações e vendas geradas.

Como fazer Mídia Paga para Inbound Marketing

Não adianta ter um excelente produto ou conteúdo se a distribuição dele não chega ao público certo. E quando se trata de Inbound Marketing, não dá para depender apenas da distribuição orgânica: o volume elevado de conteúdo nas redes sociais e na internet em geral, que literalmente excede nossa capacidade humana de consumi-lo inteiramente, e o baixo alcance orgânico das publicações não têm ajudado nesse aspecto.

Por isso, a distribuição por conteúdo pago ou com mídia paga é uma ponte para conectar sua empresa com o público certo através de conteúdo, e ajudar sua audiência entregando a informação certa no momento certo. A seguir, vamos abordar a distribuição por mídia paga com a metodologia Inbound.

Distribuição de mídia paga na metodologia Inbound Marketing

Antes de lançar uma campanha de distribuição de conteúdo pago, faça uma pesquisa para definir quem será a sua persona.

Você vai ver que muitos canais de distribuição oferecem uma imensa capacidade de segmentação e diferentes maneiras de atingir públicos específicos. Dessa forma, poderá criar essas segmentações de acordo com as características da sua persona.

Uma vez lançada uma campanha, mensure os resultados para aprender sobre seu público-alvo e a resposta que ele tem aos anúncios. Alimente sua estratégia de Marketing de Conteúdo com essas informações de volta para refinar o conteúdo, conectar-se melhor com o público e maximizar a eficácia de cada campanha.

Formatos de mídia paga que podem ajudar na sua estratégia de Inbound Marketing

Há vários formatos para anunciar de acordo com o seu objetivo. Os mais conhecidos são:

Links Patrocinados (PPC ou Pay Per Click)

Os links patrocinados são os conteúdos em destaque quando você procura por alguma palavra-chave no mecanismo de busca do Google. Esses anúncios colocam sua empresa em uma posição de destaque nos resultados das buscas que talvez você não alcançasse com uma ação orgânica.

Você cria uma campanha de link patrocinado por meio do Google Ads e a direciona para o público-alvo de sua empresa por meio das segmentações.

Para que seu anúncio por links patrocinados seja eficiente, alguns passos são fundamentais, como definir as palavras-chave iniciais e o horário, tempo e local de abrangência da campanha.

Veja um exemplo:

rd station google ads

 

Remarketing

São anúncios exibidos em outros sites para quem visitou uma página de seu site. Com ele, seu anúncio o faz relembrar dos seus produtos ou serviços.

Para usar o remarketing, você pode usar Google Ads com sua rede display (sites parceiros do Google). Pode fazer, também, com o Facebook Ads e adicioná-la ao site da sua empresa e definir listas de remarketing específicas para cada página visitada.

Assim, quando esse possível cliente acessar essa página, ele entra para a lista automaticamente. Essa é uma ótima oportunidade de criar anúncios com assuntos complementares aos que o visitante viu no site da sua empresa, e atrai-lo para uma nova Landing Page, por exemplo.

Dê os primeiros passos com o Google: Remarketing no Google Ads: como criar campanhas e listas para gerar mais conversões.

Saiba também como dar os primeiros passos no Facebook Ads: 7 dicas incríveis para criar campanhas de remarketing no Facebook Ads.

Social Ads (anúncios em redes sociais)

Hoje, as redes sociais são os canais online mais acessados, e onde geralmente se concentra a maior quantidade de potenciais clientes.

Assim como o relacionamento e as postagens em cada uma das redes sociais devem levar em consideração o público e o perfil delas, com os anúncios pagos é a mesma coisa. Nem sempre todas as redes sociais fazem sentido para investimento, por isso sua empresa deve escolher a que tem mais potencial de alcance do seu público-alvo.

A seguir listamos algumas possibilidades para você avaliar.

Facebook

Hoje é considerada a maior rede social do mundo, e investir nela possibilita ampliar o relacionamento com clientes e possíveis clientes, ampliar o número de curtidas na fanpage de comentários em posts patrocinados e gerar Leads.

Uma vantagem do Facebook são as audiências customizadas, que facilitam que sua empresa trabalhe com um segmento de usuários determinado e delimitado por você. Podem ser seus clientes ativos, Leads ou várias outras opções que venham dos seus contatos.

Saiba mais sobre esse assunto no post: Segmentação de Facebook Ads: como criar públicos e tipos de audiência.

Veja um exemplo:

facebook ad hostel rd

 

Veja como criar um anúncio: Como fazer uma campanha efetiva e gerar resultados com Facebook Lead Ads.

LinkedIn

O LinkedIn é a maior rede social voltada para assuntos profissionais. Por isso, ela pode ser a melhor opção para empresas B2B que trabalham com um público de negócios e cargos de decisão. Essa rede social é excelente para conhecer muito bem o perfil de cada usuário, pois ela tem acesso a informações como cargo, empresa (tamanho, segmento etc.), experiência na função, escolaridade etc.

Assim, você pode segmentar bem e encontrar perfis muito qualificados que dificilmente seriam encontrados com essa precisão em outros canais. Por isso, é ótima para atrair visitantes qualificados e gerar Leads mais preparados para conhecer seu produto ou serviço.

Confira o passo a passo sobre como criar uma campanha no LinkedIn.

Instagram

O Instagram tem uma das maiores audiências na internet, com mais 400 milhões de usuários. Isso mostra que muitos dos seus potenciais clientes podem estar nesta rede. Criar anúncios no Instagram traz visibilidade, atração e reconhecimento da sua empresa.

Os vídeos curtos, as fotos e as imagens em “carrossel” são ótimos para ajudar na disseminação de metodologias e dos diferenciais de seus produtos e serviços da sua empresa.

Para fazer anúncios nessa rede, você deve usar o Instagram Ads, que pode ser acessado diretamente no gerenciador de anúncios do Facebook. Essa ferramenta pode ser usada para gerar cliques e conversões no seu site, instalações de aplicativos, mais visualizações de vídeos etc.

Confira o passo a passo completo de como anunciar no Instagram Ads.

Waze

O Waze é uma mistura de aplicativo de colaboração e rede social. Ele pode ser um excelente aliado para empresas locais em grandes centros, pois seu sistema de anúncios funciona como um outdoor que aparece em um raio de 5km do local onde os motoristas estão, e estes podem clicar no seu ícone para saber mais sobre você ou para navegar diretamente para a sua localidade.

Twitter

O Twitter é uma rede social mais acessada por meio de dispositivos móveis, e pode ajudar sua empresa a ser descoberta ou ampliar o número de seguidores, aumentar o alcance da marca por meio dos tópicos de assunto e gerar tráfego e Leads com os tweets patrocinados.

Youtube

Se sua empresa tem um público que se interessa por conteúdos em vídeo, além de apostar nesse formato para produção própria de materiais, vale tentar os anúncios no Youtube para divulgação da sua marca e para geração de Leads. Vale destacar que os anúncios em vídeo do Youtube são vinculados ao Google Ads. Depois de criar uma conta, é lá que você vai gerenciar seus anúncios e ver os resultados.

Saiba mais no post: Como anunciar no Google e no YouTube: tutorial completo.

Native Ads (Anúncios Nativos)

São anúncios relacionados ao contexto dentro sites de notícias e conteúdo. As principais plataformas do mercado são Taboola e Outbrain. Eles têm no inventário de parceiros de publicação (publishers) portais como Exame, MSN, Time, CNN, ESPN, Mashable e outros. Eles recomendam links para seu conteúdo ao lado ou abaixo dos artigos que aparecem nesses sites de notícias, a fim de conduzir os leitores para o seu site. Em outras palavras, essas plataformas de anúncios nativos (artigos patrocinados) ajudam sua audiência a descobrir um novo conteúdo que eles não estavam procurando.

midias pagas

Como testar canais de Mídia Paga

A melhor forma de iniciar a operação com novos canais é realizando um teste, mas mantendo um foco. Isso significa que você deve testar apenas um canal novo por vez, seguindo este framework:

  1. Selecionar o canal de teste;
  2. Provar o canal;
  3. Avançar para o próximo;

Para aumentar a assertividade, recomendamos também seguir o modelo ABM (account-based marketing), que cada vez está mais forte para as empresas. Em suma, a ideia consiste em fazer ações de marketing direcionadas individualmente para cada potencial cliente. Principalmente se seu ticket médio for alto e se estamos falando de vendas B2B, o ROI tende a ser bem maior.

Mitos sobre Mídia Paga

Você está pagando e investindo para que tenha o retorno, então vamos esclarecer alguns mitos sobre o assunto para você ter novos insights e decisões claras para compra de mídia mais eficiente.

Mito #1: Não vale a pena investir em links patrocinados e mídia paga para ter tráfego

Se você não investir, perderá a oportunidade de impactar em canais e lugares que seu público-alvo está, e que provavelmente seu concorrente já esteja presente e você não.

Lembre-se que mesmo que sua empresa já tenha uma presença online, ela a está dividindo com muitas outras. Investimento em links patrocinados e mídia paga irá destacá-la.

Você também pode criar segmentações para diferentes públicos via anúncios, que deverão impactar o público interessado em um determinado assunto. Ou também pode impactar um público que não seria possível ser alcançado se não fosse através das segmentações de mídia.

Mito #2: Comprar mídia em apenas um canal já é suficiente!

Deixar de testar novos canais pode não dar referências de como comparar métricas e dados para seu negócio, ou até mesmo saturar em um canal somente, tendo em mente que seu público-alvo pode estar em vários pontos de contatos, dependendo de sua jornada de compra ou comportamento.

É recomendável nesse caso criar demandas de poucos investimentos em outros canais para fazer análises de curto prazo. E após as análises, verificar se tem potencial de colocar mais investimento.

Diversificar as campanhas também abre a possibilidade de inovar em um novo canal ou ser pioneiro de um concorrente em mercado de lance (bidding) bem competitivo.

Mito #3: Não é preciso segmentar campanhas, quanto mais gente melhor

Parece bem óbvio, mas não é possível agradar a todos os mercados. Trabalhar com nichos personalizados tende a ter mais resultados do que querer atingir a todos.

Deixando ampla demais a escolha do seu público e sua segmentação você desperdiçará dinheiro e deixará de impactar pessoas relevantes para sua campanha.

Mito #4: Mídia paga tem o mesmo efeito que postar nas redes sociais organicamente

As conversões dos posts pagos chegam a ser 25% maiores que os posts não utilizados com anúncios. Mesmo sabendo que o alcance orgânico é baixo, isso não é só um dos fatores. O maior deles é segmentar a mensagem do post para o público específico.

Embora muita gente tende a clicar mais em posts com muitas curtidas, compartilhamentos e comentários de prova social (prova social), é importante ressaltar as definições das métricas mais importantes que números de engajamento, como conversões no site de destino e cliques.

Mito #5: Não preciso rastrear as URLs

Iniciar uma campanha sem a definição de URLs trackeadas com o Google Analytics por campanhas de mídia é como ficar com dados no escuro. O mais interessante é entender no seu investimento qual canal, formato ou peça do anúncio o investimento está sendo feito corretamente.

Com as metas claras e KPIs de performance para ter controle das ações de mudança e otimizar as campanhas no meio do caminho, fica visível apresentar os relatórios e acompanhamento da campanha ao longo do caminho.

Confira também como criar uma URL rastreável e, mais especificamente, como rastrear Facebook Ads no Google Analytics.

Mito #6: É só seguir fazendo o mesmo que os resultados aparecem

A mídia paga e os links patrocinados sempre estão mudando. O lance de leilão fica caro, concorrentes sempre estão presentes, novos formatos sempre aparecem e se não estiver atualizado em novas campanhas, você pode estar perdendo resultados pelos novos updates.

Assim como é importante manter campanhas contínuas “always-on” para ter histórico, índice de qualidade e relevância, reserve sua verba e recursos para esses novos testes.

Também não deixe de lado os pequenos experimentos de teste A/B, como testar cores de botão de CTA, mudar aquele banner que já está rodando há algum tempo, trocar ou refazer os textos dos anúncios.

Alternativas à mídia paga para distribuição de conteúdo e geração de Leads

Para muitas empresas, o investimento em mídia paga é difícil de ser aprovado. Se você já passou por algo semelhante, saiba que isso é mais comum do que imagina.

Diante disso, existem alternativas estratégicas para não ficar dependendo de 100% de mídia paga para atrair visitantes para o seu site, explorando assim, outras formas de distribuição de conteúdo pela internet.

Combinar mídia paga com Marketing de Conteúdo é uma boa estratégia para ser reconhecido rapidamente na internet. Isso porque é um investimento que ajuda a posicionar seu conteúdo entre as primeiras posições e gera resultados mais rápidos.

Também nas redes sociais, a mídia paga é importante para atrair a persona desejada. Ao usar o direcionamento das segmentações, aumentam as chances do seu conteúdo ser entregue para o público certo.

Isso gera brand awareness e engajamento, conforme sua publicação vai ganhando comentários e compartilhamentos. Além de, é claro, poder usar as redes sociais para captura de leads, como o Facebook Lead Ads.

Porém, segundo a Pirâmide de Chet Holmes, apresentada em seu livro The Ultimate Sales Machine, só 3% dos potenciais clientes de uma empresa estariam prontos para comprar no momento em que a mídia paga o impacta na internet. Os demais 97% estariam assim distribuídos:

  • 7% estariam abertos a ouvir sobre seu produto/serviço
  • 30% não pensariam em ouvir o que sua empresa tem a dizer
  • 30% achariam que não estão interessados em seus produtos/serviços
  • Outros 30% teriam certeza de que não estão interessados em nada

Se um visitante que faz parte dos 97% acima chegar ao seu site e não encontrar conteúdos relevantes que vão ajudá-lo a avançar na jornada de compra até o momento de decisão, sua estratégia de mídia paga poderia ser mais eficaz. Nesse caso, o visitante vai embora e nem conseguimos capturar o seu contato e suas preferências para podermos nos relacionar com ele depois.

Por isso, é importante produzir conteúdo rico para ofertar em troca das informações dos visitantes que chegam até o seu site, permitindo construir sua própria audiência com o objetivo de fidelizar e criar um vínculo entre a empresa e o consumidor. Já imaginou se uma empresa depender 100% de mídia paga para gerar tráfego para o seu site? Isso pode se tornar insustentável a longo prazo.

O que fazer para não depender apenas de Midia Paga

Finalmente, se a dificuldade é aprovar verba para anúncios e agora você reconhece a importância da produção e distribuição de conteúdos, aqui algumas sugestões para ajudá-los a divulgarem suas ofertas (diretas ou indiretas) pela internet.

  1. Use banners e links internos em todas as páginas do seu site convidando o visitante a baixar o seu material e ajudar na geração de leads.
  2. Crie uma biblioteca com os conteúdos ricos. Assim o visitante pode encontrar em um só lugar todas as Landing Pages que darão acesso aos materiais que vão ajudá-lo na jornada de compra.
  3. Use CTAs e pop-ups nas páginas do site/blog em que o conteúdo esteja relacionado com o conteúdo rico. Assim, damos a chance do visitante se aprofundar no tema e em troca capturamos as informações relevantes para usar no relacionamento.
  4. Além de postar na timeline da sua fanpage, poste também em grupos onde sua persona possa estar. Mas antes de postar, participe ativamente dos grupos sempre ajudando e trocando experiências. Assim, você evita fazer panfletagem nesse canal.
  5. Também é válido fixar o post na timeline para impactar os visitantes que entram na sua fanpage.
  6. Altere a foto da capa para divulgar o novo conteúdo rico.
  7. Altere a foto do post e faça-o novamente em datas alternadas durante o mês.
  8. Crie uma hashtag para a campanha. Isso pode atrair novos (e curiosos) visitantes.
  9. Caso tenha, utilize listas de transmissão no WhatsApp para distribuir os links das suas Landing Pages.
  10. Peça para todos os colaboradores compartilharem o novo conteúdo rico para seus contatos, seja por email ou nas redes sociais. Dependendo do tamanho da sua empresa, você pode alcançar um bom resultado.
  11. Enviar uma campanha de Email Marketing para a base. Antes, faça a segmentação e veja se nessa lista as pessoas se incluem no modelo de persona para quem você produziu o conteúdo rico.
  12. Você também pode incluir o endereço da Landing Page na assinatura do seu email, para impactar as pessoas com quem troca mensagens.
  13. Faça parcerias com outras empresas que possuem produtos/serviços complementares aos da sua. Divulgando sua oferta em outros blogs, você vai adquirir uma nova audiência, além de aumentar o número de visitantes vindos de outros meios para o seu site.

E uma dica extra: descubra quais são as métricas mais importantes a serem reportadas e faça um relatório que prove o valor do Marketing Digital. Isso pode te ajudar a aprovar o investimento para mídia paga.

Para auxiliar nessa tarefa, baixe o nosso kit gratuito “Como analisar resultados e fazer um relatório de marketing digital”. É só preencher os dados abaixo!

Conclusão

A mídia paga apresenta diversos benefícios para impulsionar/acelerar seus resultados. No entanto, é fundamental:

  1. Realizar um planejamento das ações;
  2. Entender a melhor opção para seu objetivo;
  3. Saber bem que é seu público;
  4. Testar e otimizar as campanhas;
  5. Avaliar o desempenho e se está alcançando o ROI.

Se você precisa de resultados em curto prazo, investir em compra de mídia será necessário. Porém, realize ações com o apoio do Inbound Marketing, construindo conteúdos para cada etapa de sua jornada de compra.

Quer aprofundar seu conhecimento em mídia paga? Baixe agora um eBook + uma planilha com tudo o que você precisa saber sobre Google Ads! É só preencher o formulário abaixo.

eBook + Planilha: Como anunciar no Google Ads

Existem 8 passos que você precisa seguir para criar campanhas efetivas e gerar mais resultados com links patrocinados no Google. Descubra quais são eles neste eBook, e ganhe uma planilha para colocá-los em prática sem sofrimento.

Marcadores:

Deixe seu comentário

Comentários