Blog de Marketing Digital de Resultados

Notícias da Semana: não, a cerveja Corona não foi afetada pelo coronavírus

Enquanto a OMS não define se o coronavírus é uma epidemia ou uma pandemia, é bom nos protegermos da infodemia - o excesso de informação

Se você não aguenta mais ler ou ouvir falar sobre coronavírus e acessou o seu blog favorito de Marketing Digital e tecnologia para escapar do tema, bem… talvez você se decepcione. Minha expectativa, porém, é que a notícia que escolhi destacar em nosso blogpost semanal traga uma boa reflexão e o estimule a ser uma pessoa mais completa.

Aliás, esse é o objetivo desse nosso encontro periódico. Oferecer histórias que lhe tragam inspiração para encerrar a semana com boas ideias e, de quebra, brilhar no fim de semana nas conversas com a família e amigos. Para garantir que não vai ficar de fora dessa grande corrente intelectual, assine a nossa newsletter. E boa leitura do post!

Não, a cerveja Corona não foi afetada pelo coronavírus

Desde as primeiras semanas do surgimento do coronavírus houve um debate: trata-se de epidemia ou pandemia? A definição é técnica e se baseia no números de países atingidos. Por outro lado, a Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgou, desde o começo, que estávamos lidando com uma infodemia. Ou seja, informações demais, muitas vezes falsas.

É claro que é importante sabermos o básico para nos prevenirmos da doença, além de seus principais sintomas e o que fazer em caso de suspeita de contágio. Isto não se discute. Porém, com a pauta em alta, algumas notícias acabam tendo mais destaque que deveriam. Nesta semana, por exemplo, tivemos um caso ligado a marketing.

Circulou bastante, principalmente nas redes sociais (sempre elas!), uma pesquisa apontando que a cerveja Corona estaria tendo uma queda desastrosa nas vendas. Um problema bem menor, se comparado às mortes e ao isolamento de cidades inteiras, mas que acabou ganhando destaque nessa infodemia. Quase um alívio cômico no meio do medo.

Assim, muita gente compartilhou a “notícia”, sem ao menos passar das manchetes. Em geral, elas focavam na estatística de que 38% dos americanos teriam declarado que não comprariam cerveja Corona sob nenhuma circunstância neste período de coronavírus. É bastante coisa, daria um total de 124 milhões de pessoas – e um baita prejuízo!

Mas, porém, Corona, vírus

Sem entrar no mérito – mas sempre vale reforçar – que não há rigorosamente nada a ver entre a cerveja Corona e o coronavírus, pois isso por si só já é absurdo, é sempre bom dar uma olhada na metodologia de pesquisa. De acordo com a CNN, ela foi feita com apenas 737 bebedores de cerveja nos Estados Unidos. Pois é.

Outro dado que ganhou destaque foi a queda das ações da dona da Corona, a Constellation Brands, reflexo da conexão com o coronavírus. Ora, bolsas do mundo inteiro caíram, e nenhuma tem empresas listadas com “corona” no nome. O que quase ninguém falou: as vendas de Corona Extra subiram 5% entre janeiro e fevereiro, auge do pânico.

E falando em marketing, a Corona foi cobrada por manter o ritmo de postagens nas redes sociais, sem mudar a estratégia ou imagens de cerveja gelada sob o sol. Em comunicado ao site Fast Company, um porta-voz da marca disse o óbvio: “nossos consumidores entendem que não há ligação entre o vírus e o nosso negócio”.

corona

No fim das contas, o coronavírus ainda está entre uma epidemia e uma pandemia. Por enquanto, além dos cuidados de higiene básicos, devemos nos proteger dessa infodemia. Discernimento com o que passamos para outras pessoas é importante, em todos os sentidos, ainda mais nesta época de temor.

Links relacionados:

Twitter testa “stories” com exclusividade no Brasil

Em mais uma novidade que ninguém pediu, mas mesmo assim o Twitter decidiu lançar, chegaram com exclusividade ao Brasil os Fleets. Nada mais são do que os Stories da rede social do passarinho que, se aprovados pelos brasileiros, serão expandidos globalmente.

Por aprovados entenda-se usados, já que o tuiteiro médio reclama de tudo, mas acaba adotando todas as funcionalidades que lhe são empurradas. Dê uma olhada no videozinho de lançamento da ferramenta:

Os Fleets poderão ser em texto, imagem ou as duas coisas misturadas. Os outros usuários não poderão interagir publicamente com seu tweetstory, ou seja, nada de RTs e likes, apenas DMs. Eles também desaparecerão depois de 24 horas.

De acordo com o comunicado oficial no blog do Twitter, a ideia é estimular as pessoas a voltarem a postar como nos primórdios, quando até a tela inicial tinha a mensagem “What are you doing?”. Assim, surgiriam tuitadas mais efêmeras e mais urgentes.

E por que nós? “Uma vez que o Brasil é um dos países em que as pessoas mais conversam no Twitter, com muitos de vocês apaixonados por falar e seguir outros brasileiros na plataforma, estamos animados em testar a nova funcionalidade aqui”, diz o blogpost.

Links relacionados:

WhatsApp lança o modo noturno

O WhatsApp é o mais recente aplicativo a lançar seu modo noturno. Se você não está familiarizado com o termo, trata-se de uma versão “escura” do app. Em tese, isso afeta menos a visão dos usuários, postergando em alguns anos as inevitáveis lesões que todos teremos ao passarmos horas olhando para o celular ao invés do lindo mundo ao redor.

O vídeo de lançamento é muito bem-humorado, aliás. Remonta aos momentos de insônia e aos alertas inconvenientes que esquecemos de desativar durante a noite e, ao nos acordar, arruinam a nossa saúde a longo prazo. Porém, como o zapzap usou “Sounds of Silence” na trilha sonora do anúncio, podemos dar um desconto. Olha só:

Brincadeiras à parte, use aplicativos sempre com moderação. Não encare o modo noturno como uma desculpa para passar mais tempo falando com os contatinhos ou tretando em algum grupo. Não estou aqui para dizer o que você deve ou não fazer, mas saiba que eu me preocupo com o seu bem-estar.

Links relacionados:

LinkedIn lança playlists no Spotify

Em mais um incrível crossover de titãs da internet, o LinkedIn lançou um pacote completo de playlists musicais no Spotify. Elas são temáticas, com canções que são adequadas a vários momentos profissionais. Veja uma imagem com os temas disponíveis:

playlists do linkedin no spotify

Por enquanto, desfrutei apenas da playlist “Refine & Focus”, da qual gostei bastante. São temas suaves para ajudar a pessoa a se concentrar. Inclusive, escrevi este post ao som das músicas ali disponíveis. Vou deixar você julgar se o resultado foi bom ou não.

Links relacionados:

RD lança a Semana do Marketing do Relacionamento

Quer saber como captar novos clientes e se relacionar de forma efetiva? Então assista à Semana do Marketing de Relacionamento, entre os dias 23 e 27 de março. Você vai ver que, cada vez mais, vale a pena dedicar ações para criar proximidade com o cliente.

Fazendo a inscrição, você poderá ver quando quiser os 5 webinars diários, que vão ao ar sempre às 10h. Vamos trazer ações para redes sociais, email, ferramentas e outros canais, fazendo conexão com vendas e, ainda, à LGPD. Inscreva-se no form abaixo!

Semana do Marketing de Relacionamento

Se você quer saber como criar a sua estratégia, ganhar fãs para sua marca e transformá-los em clientes fiéis, inscreva-se agora para ver 5 webinars incríveis!

Marcadores:

Deixe seu comentário