Blog de Marketing Digital de Resultados

Como escrever para blog, conquistar leitores e produzir com consistência

Um detalhe que ajuda muito na produção de conteúdo para blogs é ter uma estrutura predefinida de post. Saiba como fazer este planejamento antes de começar a escrever e como isso ajuda na produtividade, criatividade e qualidade

 

Além do texto e de um template, que você pode conferir ao longo deste post, também gravamos um vídeo com algumas dicas de como escrever para blog.

Assista abaixo:

Durante muito tempo, a produção de conteúdo na internet espelhou o que era feito na mídia offline. Não faltam exemplos de portais e blogs que reproduziam exatamente os mesmos textos que eram publicados em jornais e revistas.

Com o passar dos anos e com o aumento massivo da produção de conteúdo na web, o cenário foi sendo modificado aos poucos. Os profissionais começaram a personalizar mais os conteúdos digitais, inserindo links internos no corpo do artigo, criando títulos mais chamativos, otimizando posts para os mecanismos de busca e outras técnicas importantes.

Contudo, um detalhe que ainda passa batido por muitos profissionais é em relação à estrutura do conteúdo em si – falando de blogs de negócios, especificamente.

Quem produz conteúdo para a internet precisa estar ciente de que o comportamento do leitor não é o mesmo de quando ele está lendo um jornal ou um livro. Na internet, as pessoas estão muito mais sujeitas a interrupções e, por isso, fazem uma leitura muito mais dinâmica do que em outros meios. Aliás, há grandes chances de muitas pessoas não estarem lendo esse trecho e pularem direto para o desenvolvimento do artigo (se você leu, comente abaixo, nesse caso vamos adorar estar errados).

Portanto, um detalhe que ajuda muito na produção de conteúdo para blogs é ter uma estrutura predefinida de post. Isso ajuda não só o autor a organizar melhor o conteúdo, mas também na produtividade, já que fica muito mais fácil desenvolver as ideias quando elas estão colocadas de forma clara.

Nesse post, vou me basear em um exemplo “de casa” e falar sobre todos os itens que compõem a estrutura de um post da RD e dar algumas dicas sobre cada um.

Se você analisar, vai perceber que esse post, por exemplo, contém todos os elementos que falaremos abaixo. Que são:

  • Título + Resumo
  • Introdução
  • Desenvolvimento em tópicos
  • Fechamento
  • Call-to-Action

Caso queira um exemplo ainda mais prático, baixe gratuitamente o Template Como estruturar um post de blog e utilize o modelo para ganhar produtividade na hora de escrever seu próximo post.

Checklist + eBook: Como publicar um post no blog

Entenda o passo a passo para colocar seus conteúdos no ar sem erros e atrair e fidelizar ainda mais audiência

Título + resumo

O título do post é o que define se as pessoas vão clicar no link do seu conteúdo ou não. Uma das coisas que recomendamos é que você pense no seu título apenas depois de escrever o texto, para não causar uma quebra na expectativa. Uma vez que o artigo esteja pronto, é mais fácil criar um título que esteja bem relacionado ao conteúdo e que, além disso, seja atrativo. A mesma coisa vale para o resumo ou linha fina (aquela frase utilizada logo abaixo do título para explicar um pouco melhor a ideia do post).

Uma dica importante é que você pode utilizar títulos e resumos diferentes para os diferentes canais que utilizar na divulgação do seu post. Se você utiliza o WordPress, pode utilizar o plugin Yoast para este fim. Ele permite que você use um título e um resumo para SEO (Search Engine Optimization ou Otimização para Mecanismo de Busca), outro para o blog e outro ainda para as redes sociais.

E por que isso é importante? Porque desta forma você pode otimizar os títulos para a palavra-chave com foco na busca do Google (que geralmente precisam ser mais curtos), e também títulos mais longos e um pouco mais chamativos para as redes sociais.

Para saber mais leia os posts:

Introdução

Nunca subestime as primeiras palavras de um texto, pois o fato de você ter feito o usuário clicar para acessar o seu conteúdo não significa que ele vai ler o artigo. Por isso, a introdução do seu texto precisa fazer com que seu leitor se identifique com o tema que você está propondo.

Se você não apresenta seu conteúdo de forma atrativa – mesmo que ele tenha muita qualidade – todo o trabalho de levantamento de informações e desenvolvimento do conteúdo pode ser desperdiçado, pois você não vai conseguir fazê-lo permanecer na página.

Mas sabemos que, muitas vezes, começar um texto pode ser uma das partes mais difíceis do processo de produção. Por isso, você pode iniciar seu texto usando:

  • Estatísticas:

9 em cada 10 pessoas checam os emails todos os dias. Esse dado demonstra que…

  • Uma pergunta:

Você costuma checar seus emails todos os dias? Pois saiba que esse é um hábito…

  • Analogia:

Checar emails diariamente é um hábito tão comum quanto escovar os dentes para a maioria das pessoas…

  • Citação:

“A base de emails é um dos ativos de marketing mais valiosos que uma empresa pode ter”. Como bem afirma Ricardo Palma…

  • Contar uma história:

O ano era 1994. A internet ainda engatinhava quando abri meu primeiro email. Eu, que costumava trocar dezenas de cartas com amigos e parentes que moravam em outros estados, quando recebi pela primeira vez uma mensagem, fiquei profundamente emocionada. Some-se a isso o fato de se tratar do email de uma amiga querida que estava em intercâmbio na Austrália. Hoje, receber emails é tão comum que…

  • Uma frase polêmica ou controversa:

O email não morreu. Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa…

Desenvolvimento em tópicos

Quando falamos sobre ler na internet, muitas pessoas ainda relacionam esta leitura com a de um livro. Mas não é bem assim que funciona. Ao contrário do que acontece nos livros, se você escrever para blog um bloco de texto longo e sem destaque, as pessoas provavelmente vão ignorar sua mensagem.

Isso porque, no mundo online, as pessoas costumam ser multitarefas. Ao mesmo tempo em que visitam seu site, conversam com os amigos em alguma rede social, respondem seus emails, procuram alguma informação em mecanismos de busca etc.

Por isso, é preciso criar mecanismos para que seus leitores consigam obter as informações facilmente, de modo a manter o interesse em seu conteúdo. Caso contrário, podem abandonar a sua página. E o que você pode fazer para tornar seu conteúdo mais escaneável?

  • Quebre o texto em parágrafos curtos;
  • Use subtítulos;
  • Use bullet points (como estes);
  • Use negrito, itálico, citações e outros estilos (mas cuidado para não poluir o texto);
  • Incorpore outras mídias (imagens, vídeos, áudios, tweets, posts no Facebook e Instagram).

Uma maneira simples de desenvolver tópicos é escrever posts em formatos de lista. É um tipo de post que costuma gerar bastante resultado. Para saber mais, leia nosso artigo Posts em forma de lista: 16 motivos para você usar este formato em seu blog.

Fechamento

Após produzir o conteúdo, é preciso terminá-lo. E não é porque você se empenhou até agora que pode escrever qualquer coisa no final do seu texto, deixando aquela sensação de que faltou alguma coisa, como aquele filme ou livro que não conta bem o final da história.

Por isso, conclua bem o seu conteúdo. Aqui na Resultados Digitais, é bem comum utilizarmos um capítulo de “conclusão” para fechar o texto, amarrar bem as ideias e sugerir ações a partir dos aprendizados do conteúdo. A ideia é recapitular o que foi dito e reforçar o objetivo principal do artigo.

Call-to-Action (CTA)

Depois do final do texto, muitas vezes é recomendado utilizar um CTA logo abaixo do post. Isso porque, ao terminar a leitura, é indicado levar o leitor a realizar alguma ação dentro do seu site para conduzi-lo pela jornada de compra.

Aqui no blog da RD, costumamos criar CTAs para que o leitor baixe algum material complementar à leitura. Mas não se esqueça de que você não deve forçar o leitor a fazer isso, apenas conduzi-lo. Se você ainda não tem um material complementar sobre o assunto, faça um CTA como comentário no blog, pedido para compartilhar nas mídias ou para assinar a newsletter.

No final do post, o CTA pode ser basicamente de duas formas: um trecho de texto convocando o leitor a realizar uma ação – como “se quiser saber mais sobre este tema, baixe agora nosso eBook sobre X” – ou um botão com esta mesma função. Você pode ainda utilizar os dois ao mesmo tempo.

Para aprender mais sobre CTAs, leia nossos eBooks O Guia Prático do Call-to-action e o eBook + 10 Templates de Call-to-action Customizáveis.

Faça um outline

Acima, falamos sobre os itens que compõem uma boa estrutura de post, que não só entregue o valor necessário como também torne a leitura mais dinâmica, facilitando a compreensão.

Mas antes disso, uma dica para ser mais produtivo na produção do conteúdo é criar um outline. Isto é, antes de começar a escrever o post, faça um esqueleto com os tópicos que o artigo irá conter.

Não pense no título e no resumo logo no início. Nem comece desenvolvendo o artigo sem antes ter feito um esboço dos tópicos. Assim como qualquer estratégia de Marketing Digital, o primeiro passo para escrever para blog com qualidade é planejá-lo.

Em um primeiro momento, pode parecer retrabalho, mas pela experiência que temos na RD, essa técnica tem aumentado a produtividade dos colaboradores, gerado uma maior clareza de ideias no conteúdo e uma melhor organização do post.

Como fazer um outline em 6 passos

  1. Abra um documento em branco;
  2. Escreva qual é o objetivo do artigo, qual problema da persona ele vai resolver. Esse é o primeiro passo para uma boa introdução;
  3. Liste alguns tópicos que você vai falar nesse artigo.
  4. Dentro desses tópicos, jogue algumas ideias com base em pesquisas que você fez ou a própria experiência profissional. Não se preocupe com forma, a grande sacada aqui é tirar as ideias da cabeça para que você não se esqueça de nada importante depois.
  5. Revise o outline e veja o que faz sentido e o que está fora de contexto com a ideia do post.
  6. Escreva! Ter algo pré-fabricado para guiar você irá ajudar a combater o temível “branco”, a não repetir ideias em outros tópicos e não se esquecer de nada importante.

Quer um exemplo prático (template) de como estruturar um post de blog?

Entendeu a importância de planejar o seu artigo antes de começar a escrever para blog e como a escrita nesse formato possui algumas peculiaridades que devem ser levadas em consideração?

Bom, falamos muito na teoria, agora para ajudar você a por em prática todas as técnicas que compartilhamos nesse post, disponibilizamos gratuitamente o Template Como estruturar um post de blog.

No modelo, há um exemplo em branco (que você pode preencher com o conteúdo que quiser) e um exemplo comentando (com o outline que criamos para desenvolver este próprio post).

Acesse gratuitamente e comece agora mesmo a planejar seus posts para melhorar a qualidade dos seus conteúdos!

como escrever para blog - estrutura de post

Passo a passo: o que fazer antes, durante e depois da publicação de um post

Quem trabalha com produção frequente de conteúdo para um blog certamente já passou diversas vezes pela situação de esquecer algum passo importante no processo de publicação. Mesmo que você conheça um bom modelo de estrutura para escrever para blog, como mostramos acima, sabe que há muito mais coisa envolvida.

Para publicar um post são tantos detalhes que, mesmo para quem já é acostumado, podem acabar passando batido e prejudicando de alguma forma os resultados. Por isso, criamos uma lista com todos os cuidados que você deve ter para publicar um post, separada pelas etapas da publicação.

O checklist está dividido em:

  • Antes: planejamento
  • Durante: produção e publicação
  • Depois: promoção

Antes: planejamento do conteúdo

✅ Lista de ideias

Ter uma lista de ideias interessantes é bastante benéfico para manter o blog andando e ajuda a evitar dias de “paralisia” ou “bloqueio de ideias”.

Mantenha a lista atualizada anotando sempre que tiver uma nova ideia e procure partir dessa lista quando escrever um novo post.

Você pode fazer um brainstorming com a equipe para reunir ideias e também descobrir o que os leitores do seu blog estão querendo ler. Isso pode ser feito com pesquisa interna, comentários no blog, respostas de emails, pesquisas de opinião e nas redes sociais de sua empresa.

Para saber mais, leia o post Como descobrir o que sua audiência quer ler em seu site (e reunir ideias para novos posts).

✅ Pesquisa de palavras-chave

É importante escrever os posts já pensando em quais keywords são o foco do artigo, ou seja, quais as palavras que as pessoas usam para buscar a informação que está sendo disponibilizada.

Muitas vezes o caminho é inclusive o contrário desse: a partir de uma grande lista de palavras-chave é que surgem as ideias de posts.

Não há grandes problemas na ordem, mas é importante que haja essa preocupação em escrever ou adaptar para algo que as pessoas de fato buscam.

✅ Pesquisa por referências

Assim que você definir sobre o que vai escrever para seu blog, faça uma pesquisa sobre o tema em outros sites.

Busque conteúdos publicados em outros idiomas sobre o mesmo assunto, em livros, em vídeos ou qualquer outra fonte que trata do tema escolhido, incluindo concorrentes.

A ideia é aqui não é copiar (jamais o faça), mas sim estudar como outros sites estão produzindo conteúdo e, a partir disso, criar um conteúdo melhor e mais completo.

Liste as referências, leia os conteúdos e prepare-se para fazer melhor!

✅ Calendário de publicação

É importante manter uma frequência consistente no blog. Um erro bastante comum é ver empresas se empolgando por alguns períodos e abandonando tudo em outros.

É interessante planejar com antecedência os dias em que cada post vai ao ar para evitar uma distribuição muito irregular de publicações.

Isso também ajuda a escolher dias melhores para divulgar os posts (finais de semana, por exemplo, não costumam gerar muitos acessos).

Para saber mais, leia o post Qual a melhor frequência para postar em um blog?

Durante: produção do conteúdo

Depois de planejado, é hora de começar a escrever o conteúdo. Recomendamos que o texto não seja escrito diretamente no Content Management System (CMS).

Na RD, escrevemos sempre no Google Docs para facilitar as revisões e o compartilhamento do texto entre o time antes da publicação.

Na hora de produzir o conteúdo, os passos são:

✅ Esqueleto do post

Antes de começar a escrever, faça um outline, que nada mais é do que o esqueleto ou estrutura do post.

Fazer esse passo antes é importante pois ajuda você a visualizar como será o conteúdo e também a organizar melhor as ideias.

✅ Produzir o conteúdo do post

Feito o outline, é hora de desenvolver o que foi planejado no esqueleto. O outline deve ajudar e acelerar a produção do conteúdo. Para isso, busque desenvolver os tópicos definidos na estrutura. Depois, basta “lapidá-los” e conectá-los para refinar e finalizar o texto.

✅ Títulos e subtítulos

Ao terminar o conteúdo, revise os subtítulos e faça um brainstorming de possíveis títulos para o post.

Deixar o título por último é uma tática bastante comum. Isso porque o título precisa fazer sentido e adequar-se à expectativa do leitor. É muito comum que, ao criar o título antes do texto, no fim das contas ele acabe não fazendo sentido.

Se possível, trabalhe a palavra-chave nos títulos e subtítulos para ajudar na otimização para mecanismos de busca (SEO). O uso de subtítulos também é importante para tornar o texto mais escaneável e facilitar a leitura.

✅ Links internos e externos

É importante colocar links para outros conteúdos (artigos, eBooks), tanto da sua empresa quanto de outras, para agregar valor ao conteúdo e também ajudar no SEO.

✅ Correção gramatical/revisão

O último passo da produção é fazer uma boa revisão para garantir que eventuais erros sejam corrigidos. Uma falha gramatical ou de concordância é bastante prejudicial e pode fazer com que as pessoas se lembrem mais disso do que do próprio conteúdo.

Se possível, peça para outra pessoa da empresa ler, já que pelo envolvimento com o texto é comum não percebermos erros simples quando estamos escrevendo.

Durante (2): publicação do conteúdo

Depois da produção do texto, é hora de passar o conteúdo para o Content Management System (CMS). No momento de efetivamente publicar, muitas pessoas não entendem o que cada campo da página significa e como preenchê-los.

Vamos falar dos itens mais significativos utilizando o WordPress como exemplo, que é a plataforma mais comum e a que usamos aqui no blog da Resultados Digitais. No entanto, não costuma haver variações significativas em relação a outros serviços.

✅ Título do post

Esse é o título que aparece logo acima do texto. Na maioria dos casos (depende da forma como o site foi programado), é o heading mais importante da página, o H1.

Obs: Headings são espécies de “cabeçalhos” que indicam a estrutura e prioridades da página. Mais adiante falaremos sobre esse item.

✅ URL

A URL é o endereço em que a post ficará disponível.

Garanta que esse endereço seja descritivo e use as palavras-chave relevantes ao invés de códigos e números desconexos.

Também tome cuidado com o tamanho e evite URLs muito grandes.

✅ Imagens

Insira, no mínimo, uma imagem de destaque para o post. Essa imagem será a “capa” do post. É a que será mostrada junto com o link do post, tanto na home do blog como nos compartilhamentos nas redes sociais.

Além disso, considere usar outras imagens ao longo do post. Elas ajudam a quebrar melhor os textos e torná-los mais atrativos.

No entanto, o Google não consegue “compreender” do que a imagem trata. Por isso é importante lembrar de preencher o texto alternativo, exibindo-o quando a imagem não pode ser carregada.

No WordPress, você pode inserir o texto alternativo ao editar uma imagem. Fazendo isso, o Google pode ler o conteúdo e reforçar a relação da página com a palavra-chave utilizada.

✅ Page title

Page title é aquele texto exibido na aba do navegador e nos resultados de busca do Google. É diferente do título do post no blog e não necessariamente é ou precisa ser igual.

Em termos otimização para ferramentas de busca (ou de SEO), é uma das partes mais importantes da página. Por isso, é imprescindível utilizar ali a palavra-chave foco, de preferência no início da frase.

Por padrão, o Page title não é editável de forma personalizada no WordPress, mas é muito simples a instalação de algum plugin que permita a edição no próprio post.

Entre os plugins mais conhecidos estão o All in One SEO, WordPress SEO e Yoast.

checklist de como publicar um post no blog - title seo

✅ Meta description

Temos um post específico sobre Meta description que explicar melhor o assunto.

Essa parte do código não é visualizada pelo usuário na página, mas é aquele resumo que aparece na página de resultados do Google ou no Facebook quando o link é compartilhado.

checklist de como publicar um post no blog - description

Por isso ele tem o papel de explicar o conteúdo e convencer o usuário a clicar, tornando-se assim bastante importante também.

Assim como o Page title, esse trecho pode ser editável com o uso de plugins de SEO.

✅ Headings

Abordamos os Headings (Cabeçalhos) no tópico em que falamos do título do post, que costuma ser o H1.

No entanto, para garantir uma boa experiência de leitura e um texto facilmente escaneável, recomendamos também o uso de H2 e até H3 como subtítulos, quebrando o texto em partes.

publicar um post no blog - headings

✅ Categorias

O uso de categorias torna a navegação mais fácil para o usuário que se interessa por um tema específico e seu formato ajuda na arquitetura da informação, tornando as páginas mais próximas da home e mais fortes, aumentando assim a chance de se posicionar melhor no Google.

publicar um post no blog - categorias

✅ Call-to-Action

Não esqueça de terminar o post incentivando o usuário a realizar alguma ação: ler um outro post, baixar um eBook, conhecer um produto, fazer um comentário, etc.

O final do post, quando o usuário já leu o conteúdo, é bastante propício para isso. Os resultados de conversão são excelentes quando aplicado de forma abrangente nos posts do site.

O CTA pode ser em texto, em banner, em formulário ou da forma que funcionar melhor para seu negócio. Vale sempre testar e variar os tipos de CTAs. Saiba mais no post Call-to-Action: tudo o que você precisa saber.

Depois: promoção do conteúdo

✅ Compartilhar em mídias sociais

Use os canais de mídias sociais em que sua empresa possui conta para dar o pontapé inicial na promoção do post.

Lembre-se da página no Facebook, Twitter, LinkedIn, Instagram e qualquer outra que se aplique ao seu caso.

Pode ser interessante postar em fóruns também, como os grupos do LinkedIn ou sites específicos da sua área de atuação.

✅ Acompanhar comentários

É comum que após a publicação de um post algumas pessoas tenham dúvidas, críticas e elogios.

Acompanhar os comentários e garantir que a conversa continue fluindo é papel de quem publica.

Não esqueça de mensurar os resultados

Esses são os principais passos que você deve seguir para garantir que o post seja publicado sem erros no blog de sua empresa.

Em alguns casos, não é necessário que todos sejam cumpridos; em outros, há passos extras que não estão nesse checklist. É perfeitamente normal que você adapte o checklist para sua realidade. Nossa intenção é dar um direcionamento, um norte para você começar.

Outra ação importantíssima deve ser feita após a promoção: não esqueça de analisar os resultados de suas postagens. Se precisar de uma dica para começar, confira o nosso post Métricas para blog: o que medimos e como analisamos os resultados do blog da RD.

Como perder o medo de escrever para blog e começar a produzir conteúdo

Existe um erro gravíssimo no senso comum. É quando alguém diz que não sabe escrever porque isso é uma vocação, uma tarefa que só pode ser bem desempenhada por “quem nasceu para escrever”.

Nas próximas linhas você vai descobrir que escrever não é algo que só pode ser cumprido por um “seleto grupo de talentosos seres iluminados”. Não, escrever é uma atividade intrínseca do ser humano, uma forma de comunicação criada há mais de 5 mil anos e que você muito provavelmente utiliza diariamente.

1 – Comece escrevendo sobre um assunto que você domine

“É escrevendo mal que se aprende a escrever bem.” (Samuel Johnson)

Toda pessoa é expert em ao menos um assunto. E para esse um assunto existem milhares – quando não milhões – de pessoas interessadas em conhecer ou se aprofundar a respeito. Portanto, sim, você tem algo a dizer.

Aqui, na Resultados Digitais, todos nós somos incentivados a escrever para o blog sobre nossas respectivas áreas de atuação. E isso tem trazido efeitos incríveis.

Por exemplo, se você trabalha com vendas, pode tranquilamente escrever sobre como vender mais, conquistar mais clientes ou dar dicas de vendas Inbound. Se você é um desenvolvedor, pode falar sobre as várias linguagens de programação que você domina ou um projeto que você está participando. Se você é social media pode falar sobre como fazer mídia paga ou como aumentar o alcance orgânico.

Percebe que é muito difícil encontrar uma pessoas ninja que possa falar com a mesma fluidez e autoridade sobre os três assuntos acima (vendas, programação e redes sociais)?

Isso reforça o que temos falado até aqui. Cada pessoa é única e possui suas próprias aptidões e características individuais. Use-as a seu favor para produzir conteúdo.

2 – Escrever é um aprendizado constante

“E eu aprendi, com os gregos, com os romanos, com os judeus, com os árabes, com os orientais e com os ocidentais, que aprender e ensinar são uma coisa só, quem não ensina não aprende, e que não aprende quem não ensina.” (Charles Kiefer)

Engana-se quem pensa que quem escreve está somente ensinando aos outros. Não é verdade. Quem escreve está, sobretudo, ensinando a si mesmo.

Depois de definir o assunto que você vai falar, separe um tempo para aprender mais. Seja curioso e aproveitar para pesquisar mais a fundo sobre o tema. Junte experiências pessoais com conhecimento de outras pessoas, estudos de caso, informações complementares ou o que for.

Há uma infinidade de artigos na internet sobre os mais variados temas. Se não tiver especificamente sobre o que você gostaria de escrever para seu blog, ao menos há algo similar.

Faça essa pesquisa antes de começar e salve os links que te interessaram. Você já vai tirar proveito dessa pré-escrita antes mesmo de seu post ir ao ar.

No momento em que você estiver escrevendo, todo o conteúdo que você pesquisou será obrigatoriamente fixado com mais força em sua mente. Já o que você já tinha conhecimento certamente será desenvolvido.

3 – Como falar sobre o que você domina e sair da tela branca

“A história tem demonstrado que os vencedores mais notáveis ​​geralmente encontraram obstáculos dolorosos antes de triunfarem. Eles ganharam porque se recusaram a ficar desencorajados por suas derrotas.” (Bertie Charles Forbes)

Um dos maiores medos de quem escreve é abrir o editor de texto e permanecer por vários minutos com a tela branca aberta, observando este intermitente caractere: |

Você não está sozinho caso sinta isso. O que acontece é que, para driblar essa situação, há alguns antídotos bem simples e fáceis de serem aplicados em sua veia de escritor.

Pense, em primeiro lugar, que não existe texto pronto sem rascunho. Dessa forma, não sinta receio em colocar qualquer coisa (qualquer coisa mesmo!) para preencher a tela. Escreva o que vier e mente para “tirar o bloqueio”, sem o compromisso de que essa primeira versão seja a definitiva, pois não será.

O inicial é assim mesmo, escreva sem pressa. Solte as ideias ou tópicos e deixe fluir, tudo está em processo de lapidação, e mais tarde você pode voltar para organizar melhor o texto e refazer o que não estiver adequado

Particularmente, recomendo inclusive que você organize antes uma espécie de roteiro do artigo – falarei disso em um próximo tópico. Você pode apagar, editar ou adicionar mais palavras futuramente.

Vivemos digitando, portanto, não é tão difícil assim

Caso você ainda ache isso difícil, faça a seguinte analogia: pense que você está conversando com um amigo pelo chat do Facebook, ou atendendo um cliente pelo live chat da empresa, ou fazendo um comentário em uma publicação em um fórum de discussão ou rede social.

Agora pense que, toda vez que você está fazendo algum dos exemplos do parágrafo acima, você está efetivamente escrevendo! Nós vivemos digitando e isso é, de fato, uma forma de comunicação, de escrita.

Se a tela branca ficar assustando você, faça essa simulação. Faça de conta que você está contando tudo para um amigo. Depois você organiza o estilo, as correções ortográficas e tudo mais. O importante, antes de mais nada, é rascunhar.

Parêntese: Algumas empresas possuem editores em seus blogs. Estes profissionais têm a função de auxiliar as pessoas na produção de conteúdo, sugerir assuntos, fazer correções e edições, entre outras atividades para que os textos ganhem em qualidade. Isso facilita o processo, sobretudo para quem está começando.

4 – Os três vilões de quem escreve – e como matá-los

“Amadores sentam e esperam por inspiração, o resto de nós levanta e começa a trabalhar.” (Stephen King)

Existem alguns vilões conhecidos por todos nós que nos atrapalham, e muito, no desenvolvimento de nossas atividades – e isso vai além da escrita. Dessa trupe, destaco três (que me perseguiram sim por muito tempo):

  1. Preguiça;
  2. Ansiedade;
  3. Procrastinação.

É preciso eliminá-los e substituí-los por outras três palavras: motivação, paciência e produtividade. Existe uma frase muito disseminada no ramo criativo, e atribuída a vários autores diferentes, que diz que talento – ou genialidade – exige 1% de inspiração e 99% de transpiração. Para todas as pessoas que frequentemente reclamam de não estarem inspiradas ou em um bom dia, essa ideia pode salvar suas carreiras. Ou vidas.

Se acontecer de você não se sentir disposto a produzir em um determinado momento, tenha paciência, levante um pouco da cadeira, beba uma água, se tiver a disponibilidade caminhe em um lugar aberto e depois volte ao trabalho.

Arejar a mente é importante e todo mundo precisa desses momentos, mas depois disso não faça da “falta de inspiração” um motivo para não produzir nada. Martele o teclado e faça as palavras preencherem a tela branca. Elas não tomam forma sozinhas, por mais óbvio que isso possa parecer.

5 – Produzir conteúdo pode torná-lo uma pessoa melhor – e uma referência no assunto

“Apenas escreva todos os dias de sua vida. Leia intensamente. Então veja o que acontece. A maioria de meus amigos que são submetidos a essa dieta possuem carreiras muito agradáveis.” (Ray Bradbury)

A escrita estimula a leitura. A leitura estimula a escrita. E ambas as atividades estimulam o pensamento crítico e o aprendizado. Os benefícios de ter um momento (diário, semanal, quinzenal, mensal…você escolhe!) para se dedicar à produção de conteúdo vão muito além do número de visualizações de página. Você ajuda no crescimento de seu negócio ao mesmo tempo que ajuda a si mesmo.

Além do mais, ao produzir conteúdo que esteja vinculado a seu nome, você fortalece a sua relação com seus clientes, fornecedores, patrocinadores, colegas de profissão e sua audiência em geral.

Ao publicar um artigo no blog de sua empresa e mostrá-lo a seus clientes ou sua audiência, você reforçará sua imagem perante a eles. Esse conteúdo é uma prova de que você tem conhecimento sobre determinado assunto e que vale a pena você ser seguido ou respeitado.

Escrever para seu blog, portanto, além de aumentar sua capacidade intelectual e argumentativa, é um prato cheio para alavancar sua clientela.

Mas, afinal, o que torna um conteúdo relevante?

Se tamanho não é documento e a qualidade de um conteúdo não está necessariamente atrelada ao seu tamanho, o que torna um conteúdo relevante?

A verdade é que não existe um passo a passo mágico a ser seguido que garanta que seu conteúdo será de qualidade. Mas, para ser relevante para sua audiência, ele deve cumprir alguns requisitos básicos:

Ser de qualidade, confiável, útil e interessante

Parece óbvio, mas, na ânsia por escrever para blog e começar a gerar resultados com essa estratégia, muitas empresas esquecem que o objetivo do conteúdo é ter qualidade, ser confiável e útil para o público-alvo. Afinal, só assim você vai gerar a confiança necessária para ser mais do que alguém que oferece conteúdo e se tornar a escolha de muitos consumidores na resolução de seus problemas.

E não se esqueça de que você precisa oferecer qualidade, confiabilidade e utilidade de forma interessante. Se nossa atenção é menor do que a de um peixe, tenha certeza de que está fisgando bem os seus.

Atender as expectativas do leitor

Se o seu visitante chega até seu conteúdo querendo uma resposta para a dúvida dele, o mínimo que você deve fazer é dar essa informação.

Responda as perguntas da sua audiência e ajude-a a realizar seus objetivos.

Oferecer uma boa experiência do usuário

As pessoas procuram por informação, mas elas procuram por informação rápida, de fácil acesso e em um formato agradável ser consumida. Por isso, certifique-se de que seu site oferece seu conteúdo de forma rápida e acessível em todos os formatos pelos quais é consumido.

Pense bem: quantas vezes você já desistiu de consumir algum conteúdo porque a página demorou a carregar? Quantas vezes você desconfiou de um site e saiu porque o layout era meio “suspeito”?

Se você já fez isso, por que seu público não faria?

Oferecer a informação certa e ir direto ao ponto

Como dissemos lá em cima, evite os rodeios e a “encheção de linguiça”. Seja focado e vá direto ao ponto. Simples assim.

Oferecer contexto é importante para que o leitor tenha uma visão mais precisa e detalhada de qual é o problema dele e como resolvê-lo, mas cuidado para não se perder no meio do caminho.

Fazer diferente…

Hoje em dia o Marketing de Conteúdo já está disseminado e há um mar de conteúdo por aí. Por isso, diferencie-se. Olhe suas soluções por outro ângulo, e mostre esse novo ponto de vista à sua audiência.

Por que seguir sempre a mesma cartilha se você pode inovar? Pense em outros formatos, novas linguagens, novos parceiros.

Por exemplo, em vez de criar apenas um texto, que tal complementá-lo com uma imagem para ajudar a explicar um conceito? Ou traduzir este conceito em um vídeo ou um infográfico.

Vale tudo, desde que isso torne o conteúdo mais fácil de ser explicado e de ser consumido.

… e ser melhor do que a concorrência

Trazer algo novo é importante, mas a inovação pela inovação, sem pesquisa nem análise da concorrência, pode ser um tiro no pé.

Faça benchmarking e pergunte a si mesmo – e a seus colaboradores: o que está faltando no conteúdo dos concorrentes que podemos oferecer?

7 dicas para iniciar um texto

Por fim, vamos falar sobre o começo. Se até agora você tem dúvidas de como começar a escrever para o blog, trazemos 7 dicas para prender atenção logo de cara. O foco aqui é a primeira parte do seu texto. Olha só:

1. Traga a dúvida do público

Sempre que for começar a escrever, tente se colocar no outro lado na situação de “se eu estivesse lendo, isso faria sentido para mim?”. Quando fazemos esse exercício, fica mais fácil descobrir quais informações podemos abordar.

Uma informação que não pode ser esquecida é a dúvida ou problema abordado no tema do conteúdo, já que podemos usar essa curiosidade pela solução para gerar mais engajamento de quem lê.

2. Fundamentos de um bom lead

O lead jornalístico deve responder a seis perguntas básicas. São elas: o quê, quem, quando, onde, por quê e como. Dentro do Marketing Digital, podemos adaptar e personalizar essas seis demandas para a necessidade de abordagem do nosso material.

Quanto mais perguntas conseguirmos responder em nosso primeiro parágrafo, mais fácil fica para o leitor seguir no restante do texto.

3. Objetividade e criatividade não são rivais

É possível escrever com clareza e desenvoltura ao mesmo tempo, sem deixar o início de texto chato e desinteressante. E, como tudo na vida, isso também exige prática.

Escreva e reescreva por várias vezes, leia colocando-se no outro lado da tela e repita o processo até você gostar do que leu e aprovar seu primeiro parágrafo.

4. Emoção acima da razão

De nada adianta ter o melhor produto do mundo se você não sabe como vendê-lo. A mesma lógica segue para o conteúdo produzido para seus futuros clientes. Na sua abertura, impactar emocionalmente é mais importante que atingir intelectualmente.

Seja apresentando um problema em comum, provocando ou até mesmo brincando com o humor, esteja certo que fisgou o lado sensitivo na sua oferta. Trazer apenas uma emoção básica também é fundamental, para evitar confusões de sentimentos na audiência.

5. A grande ideia

Apresentada pelo experiente redator John Forde, essa técnica consiste em basear todo o seu material em apenas uma ideia. Isso evita confusões e desalinhamentos durante a apresentação do conteúdo e também deixa mais clara a apresentação dos benefícios de seu produto.

6. Deixa eu te contar um segredinho…

Somos curiosos por natureza. Uns mais, outros menos, mas a verdade é que sempre queremos saber tudo, o tempo todo. Usar essa ânsia pelo saber em nossas chamadas ao escrever para blog é uma tática excelente para gerar curiosidade do público pela nossa oferta.

E dizer para nossa audiência que queremos revelar um segredo torna nossa informação ainda mais valiosa e rara, já que ninguém quer ficar de fora do círculo do conhecimento.

7. Copywriting

Não, nesse tópico não vamos falar de direitos autorais, pode ficar tranquilo — nesse caso, seria “copyright”. Copywriting é, na verdade, uma técnica textual altamente persuasiva e focada exclusivamente na venda.

Os itens essenciais da técnica são, por ordem: chamar a atenção, explicar o problema, comparar diferentes modos de resolução, apresentar a sua solução, trazer o caminho para chegar até ela, tornar o leitor exclusivo, antecipar as objeções ao seu produto, storytelling, focar e pensar com a cabeça do cliente e, por fim, usar um CTA claro e chamativo.

Agora é sua vez: partiu escrever para seu blog!

As dicas que você acabou de ler não vão te transformar instantaneamente no novo Machado de Assis ou na futura J.K. Rowling, mas tenho certeza que seu próximo texto vai começar bem melhor que os anteriores.

E assim como nossos grandes ídolos das palavras, devemos praticar muito para chegarmos à excelência. Quando atingir esse nível, siga treinando para não sair dele.

Para te ajudar a sistematizar a produção, baixe no nosso eBook + Checklist de Como publicar um post no blog! É só preencher os dados abaixo para ter acesso gratuitamente.

Checklist + eBook: Como publicar um post no blog

Entenda o passo a passo para colocar seus conteúdos no ar sem erros e atrair e fidelizar ainda mais audiência

Post originalmente publicado em março de 2017 e atualizado em abril de 2020.

Marcadores:

Deixe seu comentário

Comentários

8 comentários

  1. Thayna

    Sensacional! Ajudou muito!

  2. Ana

    Me ajudou bastante! Nem sabia como começar.

  3. Claudia Stadtlober

    Ouvi até o final do áudio. Foi ótimo.

  4. Bruna - POC Filtros

    Adorei as dicas!

  5. Dias

    tudo bem? gostei muito do seu site, parabéns pelo conteúdo. ;)

  6. Hermes Dagoberto

    Gostei do tema de sua divulgação, gostaria de ver se é pertinente para meu site.

    Sds.

  7. Barbara Morais

    Parabéns pelo vosso conteúdo excelente! Vou começar a escrever artigos para o meu blog para dar a conhecer os meus serviços. Não tinha idéia de como começar mas a vossa informação deu-me várias idéias e vou ler os links associados.Muito obrigada pela partilha de conhecimentos.

  8. Euan Russano

    Excelente artigo! Parabéns!