Blog de Marketing Digital de Resultados

Como fazer automação de marketing sem deixar de ser pessoal

Veja algumas dicas para fazer automação de marketing sem deixar de lado a pessoalidade, além de exemplos utilizados na Resultados Digitais.

Se você trabalha com Marketing Digital, sabe que uma estratégia de automação ajuda sua empresa a preparar os Leads para a compra e a relacionar-se com eles de forma escalável e… automática.

Quando se fala em automação, não são termos como humano, pessoal e singular que vêm à mente em primeiro lugar. E, de fato, existem empresas que mandam emails automáticos que mais parecem escritos por robôs.

Mas é possível melhorar isso escrevendo para pessoas, ainda que por meio da automação. Emails, por mais que sejam enviados automaticamente, não são escritos por robôs. Para escrevê-los de forma pessoal, é necessário alguém que conheça sua Jornada de Compra e o objetivo de cada mensagem.

Veja algumas dicas para fazer automação de marketing sem deixar de lado a pessoalidade, além de exemplos utilizados na Resultados Digitais:



eBook Automação de Marketing

Da teoria à prática, tudo o que você precisa saber sobre o assunto

1. Escreva conteúdo relevante

Não é só chamar o Lead pelo primeiro nome. Embora isso ajude, a automação de marketing permite que você vá além.

É possível combinar o nome com outras informações do Lead, criando emails que estão de acordo com as necessidades de cada um deles.

Se a sua mensagem trouxer o nome do Lead, estiver direcionada ao cargo que ele ocupa na empresa e mostrar que entende o contexto dele, certamente ela será melhor recebida.

Mas, ainda que você identifique a persona da sua empresa e conheça seu público-alvo, dentro dele há pessoas que estão em diferentes estágios do funil de vendas e é importante escrever conteúdo voltado a cada uma delas.

2. Segmente

É aí que entra a segmentação, prática importante para enviar a mensagem certa para a pessoa certa.

Isso porque dentro de uma base de contatos existem Leads com características muito diferentes – são variações no estágio de compra (acabaram de acessar o blog e inscreveram-se para receber uma newsletter, já compraram o produto, abandonaram o carrinho etc.), na região em que vivem, no gênero, na idade, dentre outras.

Trabalhe em criar perfis completos dos Leads, que ajudem a enviar as mensagens certas. Se um homem recebe um email de uma empresa desejando um feliz Dia da Mulher, por exemplo, é provável que não engajará.

Da mesma forma, se a pessoa comprou um produto da sua empresa, não envie outro email anunciando a mesma coisa. Quando as pessoas recebem conteúdos desnecessários, podem ficar frustradas, deixando de dar atenção para as mensagens da empresa.

Falamos mais sobre essa prática no post Segmentação: como gerar melhores resultados enviando menos emails.

3. Tenha cuidado com o nome e o email do remetente

Enviar emails com o nome e email de uma pessoa no campo destinado ao remetente faz com eles sejam mais abertos. Mesmo que o nome não seja o de uma pessoa de verdade, certifique-se de que é algo que as pessoas reconhecerão e que passará credibilidade.

É provável que muitos leitores aqui do blog reconheçam esse remetente:

Já no campo do email, não use um endereço de “no reply”. Isso passa a ideia de que você não está interessado no Lead, como se dissesse a ele que nem adianta escrever porque você não vai responder mesmo.

Algumas empresas também escrevem “não responda esse email, caso queira entrar em contato acesse tal link” no fim do campo da mensagem – outro convite para o Lead não entrar em contato.

4. Por falar nisso, responda!

É importante responder os emails ou, pelo menos, direcioná-los para algum lugar.

Se você usa o email, que é um canal de comunicação para conversação entre dois lados, é de se esperar que seus Leads desejem utilizá-lo dessa maneira.

Também pode ser um jeito de ajudar os clientes com suas dúvidas e de conseguir feedbacks.

Bônus: dois exemplos de emails de automação da Resultados Digitais

1. Email de boas-vindas

Em um experimento, enviamos um email de boas-vindas para os Leads que converteram pela primeira vez em algum dos nossos materiais educativos. Nosso objetivo era segmentar os Leads com primeira conversão para melhorar a comunicação inicial, gerando interesse futuro.

Das pessoas que converteram a primeira vez e receberam o email de boas-vindas, 47% retornaram e converteram mais de uma vez. Anteriormente, esse percentual de retorno, sem o email, era de 31%.

2. Segmentação de Leads desengajados

Outra ideia que tivemos foi a de entrar em contato novamente com Leads que não estavam mais engajando com nossos emails.

Para isso, segmentamos os Leads que não tinham convertido nas três semanas anteriores (desengajados recentes) e há mais de nove meses (desengajados antigos).

O objetivo era de que, ao criar uma automação de reengajamento, 7% dos Leads gerados por email no mês seriam através desse novo canal.

Conclusão

Quando você envia emails personalizados para seus Leads, ainda que automaticamente, consegue mais engajamento. Por isso, vale a pena trabalhar em criar perfis completos dos seus potenciais clientes e investir tempo em segmentação.

E, se você quiser outras dicas sobre como usar automação de marketing para conseguir mais resultados, baixe aqui nosso eBook gratuito sobre o assunto.

Marcadores:

Deixe seu comentário