Blog de Marketing Digital de Resultados

Como prospectar clientes para seu negócio: as melhores dicas e práticas para vender mais

Você já sabe como prospectar clientes para seu negócio? Nesse post, mostramos 4 fontes populares de prospecção e damos 5 dicas matadoras sobre a prática!

Quem trabalha com vendas certamente já se perguntou como fazer a prospecção de clientes da melhor forma possível. Dependendo do seu modelo de negócio ou mercado de atuação, pode haver variações na forma como você conduz o processo. Porém, há algumas dicas gerais que você pode absorver para aprimorar sua técnica.

Nesse post, vamos falar o que é a prospecção de clientes, além de tratar de 5 tipos de fontes de Leads. Por fim, daremos algumas dicas de como o seu negócio pode fazer isso de uma maneira mais eficiente.

Muitas empresas podem passar por momentos de baixa em vendas, dependendo do cenário econômico e político do Brasil. Isso acontece principalmente em empresas que possuem modelos não previsíveis de geração de negócio, em que os times de Marketing e Vendas têm um papel passivo no processo. Em geral, esperam as oportunidades caírem do céu sem fazer nenhum esforço.

As empresas que creem nessa passividade agem como uma pessoa desempregada que espera magicamente pela ligação de um empregador, dizendo que ela é perfeita para um trabalho. Isso até pode ocorrer, mas você não faz ideia de quando acontecerá, dependendo exclusivamente da sorte.



Kit Sales Pipeline: guia completo para fechar mais vendas

Um guia prático para otimizar processos, aumentar a produtividade e fazer sua equipe bater a meta todos os meses, com templates de emails para facilitar a negociação!

Como não depender exclusivamente da sorte para fechar negócios

A melhor maneira é ter um modelo de vendas previsível e escalável, isto é, um processo de vendas definido. De preferência, um funil de vendas com etapas claras para uma entrada constante de Leads a serem transformados em clientes.

Sem uma entrada constante de potenciais clientes, sua empresa pode não ter para quem vender.

Uma exceção é o caso onde você tem uma base que traz receita de maneira recorrente e crescente sem nenhum esforço extra de Marketing e Vendas. Porém, caso esses clientes saiam e você queira manter sua receita e/ou continuar crescendo, será necessário alimentar seu funil de vendas com novos Leads.

Outra opção é ter um time de Customer Success muito focado, o que fará com que os clientes que fiquem paguem mais do que a receita perdida pelos que saíram.

Para ter um negócio saudável, você terá que gerar mais receitas do que custos Elas podem vir de vendas, retenção e/ou expansão de clientes. Para ter um negócio saudável, portanto, não existe mágica: ou você consegue novos clientes ou faz os seus clientes comprarem mais (renovação) ou comprarem outros produtos de você (upsell, cross-sell etc.).

Sem “receita > custos”, você não tem um negócio, mas sim bomba que pode explodir em algum momento.

Mas afinal, o que é prospecção de clientes?

Aqui na RD, a prospecção é uma etapa do nosso funil de vendas que tem como objetivo a tentativa de contato com potenciais clientes. A prospecção é feita somente após passarmos um filtro pelo marketing, processo chamado de qualificação de Leads.

Em resumo, é basicamente, passar a mão no telefone e tentar contato somente com esses Leads qualificados, pois ligar para todo mundo é extremamente ineficiente e custoso.

Sem fazer isso, nossos vendedores ficariam sem potenciais clientes para trabalhar e provavelmente não conseguiriam bater a meta de vendas. Inclusive, separamos o setor em um time especializado em prospectar potenciais clientes – os SDRs (Sales Development Reps) – e outro que segue o processo de vendas a partir do primeiro contato.

Prospecção de clientes, portanto, não é somente aquela feita à moda antiga em que você pega uma lista qualquer de Leads e sai ligando de forma aleatória tentando vender seu produto ou serviço. Se você ainda está fazendo isso, provavelmente está perdendo dinheiro.

O que eu preciso para prospectar clientes de forma mais eficiente?

Você precisará seguir basicamente 4 passos:

1 – Definir o que é um potencial cliente para você

Ligar para todo mundo não funciona, pois nem todo mundo tem poder de compra ou se beneficiaria do seu produto.

Antes de sair prospectando, defina quem são os seus Leads reais.

2 – Fazer uma lista com esses potenciais clientes

Não adianta nada definir quem são seus potenciais clientes se você não pode contatá-los. Por isso, ter essa lista é o segundo passo do processo de prospecção.

3 – Pesquisar e pré-qualificar os potenciais clientes da lista

Independentemente da lista de origem dos Leads, provavelmente nem todos eles são qualificados. Ligar para todo mundo da lista levaria você a entrar em contato com muita gente que não tem potencial, o que seria um desperdício de tempo da sua equipe.

4 – Ter um processo de prospecção claro

Como prospectar da melhor maneira esse Lead? Como conseguir o contato da melhor maneira possível com os Leads que você acredita serem os potenciais clientes de sua empresa? Por telefone? Por WhatsApp? Via LinkedIn? O que funciona melhor para sua empresa? Por email? Quantas vezes tentarei, no mínimo?

É importante lembrar que o processo de vendas não acaba na prospecção de clientes, entretanto não é o objetivo dessa publicação explorar as etapas seguintes. Se quiser saber mais sobre os passos seguintes, aconselho a leitura do post “10 passos para vender para Inbound Leads”.

Como definir quem é meu potencial cliente?

Não acho que tenha uma resposta pronta para isso. Então vou colocar algumas perguntas para ajudar o leitor que ainda não definiu de maneira correta quem é o seu potencial cliente:

  • O que seu produto/serviço resolve de problema?
  • Quem é a pessoa dentro da empresa que tem esse problema?
  • Qual o impacto desse problema no dia a dia dela?
  • O que a pessoa precisa ter para se beneficiar do seu produto/serviço?
  • Quanto de recurso financeiro ela precisa ter para se beneficiar da sua solução?
  • Se você pudesse focar em apenas um tipo de cliente, qual seria?

Em geral, as respostas para essas perguntas trazem um Lead. Agora, é um processo iterativo. É iterativo mesmo, no sentido de que é você quem define o potencial cliente, prospecta, vê se dá retorno, vê se eles se beneficiam e vai mudando conforme percebe o feedback.

Independentemente de logo de primeira estar certo ou não, é importante definir algum potencial cliente, pois sem a definição você não terá foco suficiente para partir para a próxima etapa. Ou seja, você continuaria no erro de prospectar um monte de gente de modo aleatório e não aprenderia nada com isso.

Onde prospectar clientes?

Como não há apenas uma única forma de prospectar clientes, explicaremos um pouco sobre cada uma das maneiras mais tradicionais: Outbound, Inbound, Canais, Indicação e Misto.

1. Outbound

O modelo Outbound é o modelo mais tradicional e consiste basicamente em prospectar de maneira ativa potenciais clientes que podem comprar o seu produto/serviço.

Em geral, na prospecção Outbound o potencial cliente não está esperando seu contato e, provavelmente, não te conhece ainda. Essa prospecção pode ser feita tanto por telefone quanto presencialmente. A conversa presencial aumenta bem os custos, mas se o ROI compensar pode ser uma opção.

As listas de potenciais clientes podem ser obtidas de diversos locais, tais como: associações comerciais, catálogos especializados em algum segmento, pesquisas em mídias sociais e pelo Google através da pesquisa do vendedor. Em alguns casos, de um time especializado em prospectar clientes, como um time de pré-vendas).

O modelo Outbound é indicado para qual tipo de negócio?

Normalmente, prospectar clientes no modelo Outbound é indicado para negócios com ticket médio mais alto. O custo de prospecção aumenta por conta da presença humana no processo, então você precisa retornar isso mais para a frente em vendas.

Não tenho certeza do valor mínimo ideal para justificar a prospecção Outbound. Claro que se você fizer uma prospeção Outbound dentro de casa, sem fazer visitas, esse ticket médio pode ser menor. Você ganhará volume, mas ainda assim é em geral mais caro que os outros tipos de prospecção.

A vantagem, portanto, é que é ativo – você pode atingir Leads que você não atingiria de outra maneira. A desvantagem é que tem um custo maior por envolver mais pessoas dentro no processo e é menos escalável – a sua quantidade de potenciais clientes depende da quantidade de prospectadores que você tem.

 

As ações mais comuns de Outbound:

  • Flyers, outdoors, malas diretas
  • Prospecção ativa via telemarketing
  • Patrocínio e prospecção ativa em eventos
  • Prospecção ativa presencial em empresas
  • Propagandas de TV, rádio e anúncios no geral

Aplicações práticas deste modelo:

  • Empresa B2B com ticket alto e ciclo de vendas longo: O custo de aquisição da estratégia Outbound geralmente é muito alto, mas com um ticket alto é possível se pagar. As Personas dessas empresas costumam ser mais específicas e uma estratégia Outbound pode fazer sentido.
  • Empresa B2C com ticket baixo e ciclo de vendas rápido: O objetivo neste caso é volume, as ações mais utilizadas acabam sendo prospecção por telemarketing e anúncios em TV e rádio. O ponto negativo é que, geralmente, com esta estratégia temos muitos Leads que são “queimados” durante o processo, justamente por ser uma abordagem mais direta.

2. Inbound

O Inbound Marketing começa a ser popularizado na era pós-internet e é o que usamos aqui na Resultados Digitais para captar Lads. Em vez de prospectar clientes ativamente, ou seja, procurar por potenciais interessados, o modelo produz ofertas que os atraiam – pega a demanda que já existe no mercado ao invés de ir criá-la.

Os Leads se inscrevem em Landing Pages, passam por um processo de nutrição e depois disso a equipe de marketing seleciona os que têm o perfil mais adequado e passa para a abordagem do time de Vendas.

Os vendedores recebem essa lista de potenciais clientes e decidem, baseados em critérios pré-determinados por um acordo feito entre os times de Marketing e Vendas quais dos Leads gerados serão abordados. O vendedor prospecta, portanto, os interessados no assunto que tem o perfil definido como potencial cliente.

O modelo Inbound é indicado para qual tipo de negócio?

No método Inbound você pegará uma demanda que já existe. Comparado ao método Outbound, o Inbound precisa de um investimento menor, pois o processo de captura desses Leads e nutrição é feito por um software de captura e nutrição de Leads, como o RD Station Marketing.

As ofertas por trás das Landing Pages, a estratégia de captura, dentre outras ações, ainda precisarão ser feitas por pessoas – o time de Marketing. Menos pessoas que podem gerar mais potenciais clientes que uma equipe de prospecção, por exemplo, porque não dependem de gente para ganhar escala. Uma oferta que atraia seu potencial cliente pode ser promovida em vários lugares por uma pessoa, alcançando muito mais gente que um prospectador poderia alcançar em um dia.

As ações mais comuns de Inbound:

  • Produção de conteúdo via blog;
  • Produção de conteúdos ricos em diversos formatos: eBooks, whitepapers, infográficos, vídeos etc;
  • Promoção de Landing Pages com foco em geração de Leads;
  • Email Marketing;
  • Gestão de Leads e estratégias de automação de marketing.

Aplicações práticas deste modelo:

  • Empresas B2B com ticket baixo e ciclo de vendas rápido: Empresas que trabalham em uma dinâmica de pagamento recorrente têm muita aderência ao Inbound, principalmente por precisarem de uma estratégia de prospecção mais previsível e escalável, que é o que o funil de vendas proporciona.
  • Empresa B2C com ticket baixo e ciclo de vendas rápido: Essas empresas costumam trabalhar com um volume alto de geração de Leads e um ciclo de venda esperado. As estratégias de relacionamento são fundamentais para converter o Lead para cliente no momento ideal.
  • Empresa B2B com ticket alto e ciclo de vendas longo: Ao contrário do que muitos pensam, Inbound também se aplica para empresas neste formato. Detalhamos algumas estratégias específicas neste post. O conteúdo ajuda bastante em vendas complexas, promovendo um follow-up mais econômico e um auxílio interessante ao time de vendas durante o processo comercial.

3. Indicação

Outra forma de prospectar clientes novos é através da indicação de clientes que já se beneficiam do seu produto, o famoso boca a boca. Em geral, essa maneira de conseguir potenciais clientes não é previsível. Há empresas, porém, que crescem tendo esse canal como a principal forma de aquisição, como Dropbox e Netflix.

Quando falamos de uma venda mais complexa, é difícil uma venda direta sem falar com um vendedor. Por isso o papel da indicação está justamente em alimentar o funil com novas oportunidades. A ideia não é pessoa que está indicando fazer a venda diretamente (existe também essa possibilidade, mas chamamos de canais, que é o próximo tópico).

Para ter boas indicações você precisará de fato entregar valor para o seu cliente. Uma empresa que não está cumprindo o que promete, além de não ter indicações, terá pessoas falando mal de seu produto/serviço, gerando uma associação negativa à marca. Também não basta também só ficar esperando por indicações, tem que ter alguma forma ativa de estimular o que já é natural.

Uma ótima dica para aumentar o número de indicações é: para todo cliente que você tiver, pergunte o quanto essa pessoa indicaria o seu produto, numa escala de 0 a 10. Se ela responder entre 9 e 10, na próxima tela peça para ela deixar os contatos da pessoa que ela indicaria. Se for menor que 9, pergunte o que falta para ser 10. Isso você usa como insight para tornar seu produto cada vez mais indicável, aumentando o ciclo natural de indicação.

Porém, depender somente de indicação pode ser um problemão para quem quer crescer. Você não consegue começar o seu mês e saber: quantas indicações vou ganhar? Quanto vou conseguir crescer minha empresa com indicação? O seu poder é melhorar cada vez mais o que você faz para tornar o seu produto/serviço mais indicável.

O modelo Indicação é indicado para qual tipo de negócio?

O modelo funciona bem para quem tem uma base de clientes e que presta um serviço/produto que pode ser indicado. Não dependa exclusivamente de indicação para fechar negócios, especialmente se você tem um negócio de vendas complexas B2B.

Não significa que você não possa se beneficiar, mas ter esse como sua principal fonte de clientes seria depender muito da sorte – o que, como falamos, não é uma boa em tempos de crise.

As ações mais comuns para fomentar indicações:

  • Descontos no produto ou serviço
  • Conteúdos ou cursos exclusivos
  • Participação em feiras ou eventos
  • Brindes e amostras grátis de novos produtos ou serviços

Aplicações práticas deste modelo

Qualquer empresa pode utilizar esta estratégia. Principalmente empresas em um estágio mais maduro que possuam uma base ativa de clientes.

É comum que as empresas fomentem indicações em, principalmente, três etapas do relacionamento com o cliente:

  • Momento da compra: Este é um momento chave para o vendedor pedir uma indicação e mostrar a política de indicações da empresa. O cliente acabou de fechar o produto/serviço e está motivado com seu plano futuro daquela solução.
  • Primeiros resultados: No momento que o cliente passa a ter os primeiros resultados com a solução que comprou é onde ele valida que sua decisão realmente valeu a pena.
  • Maturidade com o Produto ou serviço: Após alguns meses, ele já é um cliente maduro e expert naquela solução, ou seja, caso a empresa tenha uma política de indicação, geralmente é neste estágio que o cliente passa a indicar de forma constante e recorrente.

4. Canais

No modelo de canais quem faz a prospecção e, algumas vezes, a venda é um parceiro seu. A principal proposta de valor para ter prospecção por canais é a diminuição do custo de aquisição, pois ele fica para o parceiro, aumentando a capilaridade. Muitas vezes você não conseguiria atingir determinado potencial cliente sem um parceiro com atuação mais regional, por exemplo. Em alguns casos, também há diminuição do custo de serviços, pois quem presta o serviço no seu lugar é o parceiro.

A Netshoes, por exemplo, paga para quem vende os tênis dela através de sites. Esse tipo de canal é mais conhecido como afiliado na internet e pode ser bem vantajoso, pois paga-se somente pela aquisição – você só pagará se o seu afiliado trouxer um novo cliente.

A Resultados Digitais é parceira de várias agências que prestam serviços de Marketing Digital usando o software RD Station. O parceiro consegue agregar mais serviços no portfólio dele e a Resultados Digitais ganha clientes que talvez não alcançasse de forma direta. Esse tipo de canal é conhecido como parceiro de valor agregado, pois além de vender o seu produto, ele agrega um serviço a mais que gera muito mais valor para o cliente.

Existem empresas que entram em um terceiro modelo de canal. Nessa opção as empresas crescem juntas com a mesma base de clientes e acabam compartilhando listas de clientes entre elas. Isso acaba sendo bom para ambos os lados, pois quem compra um produto/serviço de uma empresa acabaria precisando de um produto da empresa B e vice-versa.

O modelo Canais é indicada para qual tipo de negócio?

Novamente, não tenho uma resposta pronta e definitiva para isso, mas acredito que qualquer negócio que tenha como se beneficiar de uma parceria em conjunto possa se beneficiar de um programa de canais.

Claro que é preciso ser testado se é válido ou não para o seu negócio. Mas se você tem um parceiro que pode gerar mais valor para o seu potencial cliente, por que não se associar a ele e ambos se beneficiarem disso?

Exemplos: um fotógrafo de casamento se associa com quem faz bolo de casamento, quem faz cabelo e quem vende o buffet. Por que essas pessoas não conversam e aproveitam os potenciais clientes captados por cada uma delas?

Aplicações práticas deste modelo

  • Empresas B2B com soluções complexas: Uma empresa B2B que possua uma solução mais complexa facilmente pode trabalhar com o modelo de VAR. Geralmente é uma opção com um Custo de Aquisição bem menor para a empresa e com um potencial de retenção maior, já que há um valor adicional ao seu produto/serviço.
  • Empresas B2B escaláveis: É comum que empresas que tenham um modelo de negócio escalável, como um SaaS por exemplo, trabalhem na dimâmica de BizDev com outras empresas que possuam soluções complementares. Quando as soluções se complementam, a empresa reduz o custo de aquisição pela metade “trabalhando em dupla” na prospecção ativa.
  • Empresas B2B ou B2C com soluções não complexas: O modelo de revenda e afiliado se enquadra bem principalmente para soluções (produtos ou serviços)

5. Misto

Muitas empresas optam não por uma, mas algumas, estratégias de aquisição e prospecção ativa de novos clientes.

A definição do modelo misto depende de muitos fatores, principalmente o Perfil do seu cliente (que chamamos de Persona), a jornada de compra desta Persona, o ticket médio da empresa, o funcionamento interno do time de marketing e vendas e, por fim, o modelo de gestão da organização.

Aplicações práticas deste modelo:

Um exemplo bacana é o da própria Resultados Digitais. Hoje nossa empresa trabalha fundamentalmente com o modelo Inbound, ou seja, a maior parte das vendas da RD é proveniente de estratégias de Marketing Digital no formato de Inbound Marketing.

Porém, como já falamos, a RD possui uma forte estratégia de canais com um programa de parceria voltado a agências de Marketing Digital.

Por fim, nossos clientes são uma grande fonte de aquisição. Atualmente temos uma política de indicações que garante alguns benefícios especiais.

Como decidir quais potenciais clientes prospectar pela qualificação de Leads

O que você faz nessa etapa é comparar sua lista de potenciais clientes com o perfil e interesse mínimos definido como critério mínimo de passagem no passo 1 – se a lista de potencial cliente passa no critério que você definiu, você prospecta.

Os potenciais clientes que não passaram nos critérios definidos devem ser descartados e nutridos e continuam sendo trabalhados por marketing via nutrição.

Explicamos mais a fundo a qualificação de Leads no post “Como Fazer a Qualificação de Leads”. Esse filtro é muito importante para não desperdiçar o tempo do seu time de vendas com potenciais clientes que não podem se beneficiar do seu produto nem têm poder compra.

Em se tratando de vendas Inbound, nem sempre quanto mais Leads melhor: o excesso pode ocasionar uma abordagem superficial do vendedor porque ele se perde no mar. O contrário, porém pode significar um vendedor que não tem oportunidade para fechar e fica ocioso. Então descubra o ponto ideal para cada vendedor e aumente suas vendas.

Por fim, agora que você já sabe como alimentar seu funil de vendas com novos potenciais clientes e sabe para quais deles ligar, chegou a hora de entrar em contato com eles. Por isso, gostaria de compartilhar com vocês algumas dicas que nossos vendedores usam para prospectar clientes de forma mais eficiente:

5 dicas rápidas para prospectar clientes

1 – Pesquise antes de sair ligando

OK, o potencial cliente tem o perfil mínimo necessário. Tendo esse fit mínimo, você já pode ligar para ele? Não!

O que você vai falar quando conseguir contato com ele? Tem que ser algo conectado com o que você pode ajudá-lo. Se preparar antes é extremamente importante para ter sucesso no primeiro contato com o cliente.

Uma dica é usar informações de redes sociais e histórico do Lead no caso de uma prospecção de um Lead Inbound. Se você tiver algum amigo em comum você pode pedir para essa pessoa conectar você com um potencial cliente no caso de uma prospecção outbound.

2 – Tente pelo menos 10 vezes antes de desistir

Sim, muita gente desiste muito rápido. Tenta uma vez, não obtém sucesso e logo desiste. Porém, quanto mais tentativas você faz, maiores as chances de contato. No entanto, você não tentará contato para sempre. Há um certo limite.

Aqui na Resultados Digitais, o processo é contatar o Lead 10 vezes antes de desistir: 7 vezes por telefone (1 vez ao dia) + 3 vezes por email (no 1º, 3º e 7º dias).

Se você não conseguir contato, é hora de desistir do Lead. Esses números podem variar de empresa para empresa, então faça um teste. Faça 10 tentativas e veja a porcentagem de Leads que você consegue contato após um determinado número de tentativas variando entre 0 e 10. Você verá que, quanto mais tentativas, com mais gente você conseguirá contato, mas chegará uma hora que essa variação não será tão grande, e é esse o ponto onde vale a pena desistir.

3 – Utilize templates de email para ganhar escala

Ligar não é o único ponto de contato entre seus vendedores e um potencial cliente. Portanto, é importante tentar contato de outras formas, principalmente via email.

Porém, quando estiver prospectando, não envie uma mensagem totalmente diferente para cada potencial cliente, pois você perderia mais tempo enviando emails do que prospectando de fato.

Sendo assim, é mega importante o uso de templates para facilitar o trabalho do prospectador. Template não significa que a mensagem não tenha que ser personalizada. Você precisa ter campos no seu email que faça com que ele seja pessoal, mesmo tendo um template por trás.

Um exemplo para ficar mais claro para você:

Assunto: [Nome do Lead] – Que tal conversarmos [dia da semana] às [horário]?

Olá [Nome do Lead],

Sou o Fulano, da empresa X e tentei contato com você hoje por telefone para falarmos sobre [o assunto que o Lead baixou no seu site], mas não consegui contato – deu ocupado.

Eu gostaria muito de compartilhar com você algumas dicas sobre [o assunto que o Lead baixou no seu site] para ajudá-lo com [o que sua empresa geralmente resolve de problema].

É através desse telefone aqui [telefone do Lead] que eu consigo falar com você mesmo?

Se não, tem algum outro jeito de conversarmos?

Atenciosamente,

Fulano

Da empresa X

É um template, mas é extremamente pessoal e pode ser mudado em menos de 1 minuto após uma tentativa de prospecção que não deu certo.

4 – Seja rápido e tenha cadência nas prospecções

Uma coisa que tenho percebido em minha carreira em vendas é que as pessoas costumam esquecer do que você falou para elas. Se elas esquecem o que você falou, imagine se vai lembrar de um email de um desconhecido solicitando uma conversa com ela ou de um material que ela tenha baixado há 1 mês, no caso do Inbound.

Por isso, é importante que você aborde o Lead quentinho. Quanto mais rápido você abordar o Lead, mais ele estará com aquela ideia na cabeça. Se você não conseguir pegar ele rapidamente do outro lado da linha, lembre-se de que ele pode esquecer da ação que fez em pouco tempo. Portanto, você deve insistir no Lead e tentar contatá-lo sempre nos primeiros dias, conforme foi falado já na dica #2.

Se você liga para o Lead em um dia, depois envia um email em 5 dias e tenta contato novamente em 1 semana, ele possivelmente já vai ter esquecido do problema que o levou a baixar determinado material, no caso de Inbound. No caso de Outbound, se você não manter a cadência, o Lead também vai acabar esquecendo das suas tentativas e a última dica não funcionaria.

5 – Deixe claro que você desistiu

Sem cadência, como você vai poder dizer que desistiu? Uma das coisas bem importantes com relação à persuasão é o poder do contraste. Perto de um produto de R$100 mil, R$10 mil parece barato. Então, para essa última dica dar certo, você precisa deixar claro que está tentando o contato.

Fale para o assistente, por exemplo, comunicar o Lead que você ligou e que mandará um email. Caso ele abra o email e não o responda, tente novamente o contato. Se depois de inúmeras tentativas o potencial cliente ainda não respondeu, é a hora de falar que você não tentará mais a partir deste momento, e deixar seus dados de contato caso ele tenha interesse no futuro.

Essa desistência gera uma sensação de “opa, estou perdendo algo”, que é o que muitas vezes faz as pessoas respondem. Citei no post 10 passos para vender para Inbound Leads que esse tipo de email é o que tem mais taxa de resposta.

Conclusão

E você, quais das estratégias acima a sua empresa utiliza ou pensa em utilizar para alimentar mais potenciais clientes em seu funil de vendas, prospectar mais clientes, ter um processo de vendas mais previsível e espantar a crise?

Além das dicas comentadas nesse post, você tem alguma outra que usa na sua empresa e que é boa para conseguir alimentar o seu funil de vendas com novas oportunidades de vendas ou prospectar clientes de forma mais eficiente?

Se quiser se aprofundar nos assuntos de vendas, baixe nosso kit Sales Pipeline: guia completo para fechar mais vendas. Basta preencher os dados para receber gratuitamente.



Kit Sales Pipeline: guia completo para fechar mais vendas

Um guia prático para otimizar processos, aumentar a produtividade e fazer sua equipe bater a meta todos os meses, com templates de emails para facilitar a negociação!

Post originalmente publicado em julho de 2016 e atualizado em janeiro de 2019, com colaboração de Rafael Alexandre.

Marcadores:

Deixe seu comentário