Blog de Marketing Digital de Resultados

Consentimento retroativo: 4 passos para reduzir o impacto da LGPD na sua base de Leads

Veja exemplos para enviar emails que obtenham o Consentimento Retroativo de sua base de Leads dentro das regras da LGPD

A estratégia de Consentimento Retroativo consiste no envio de uma campanha de email marketing para solicitar consentimento, para que a empresa possa continuar se comunicando com eles. É recomendada se houver Leads na base que não possuem uma base legal que autorize a sua empresa a utilizar esses dados. 


O objetivo deste post é meramente informativo – não prestamos consultoria jurídica nem nos responsabilizamos por medidas que possam ser adotadas por terceiros.

Com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), empresas e organizações precisam  encontrar alguma hipótese da lei que as autorize a realizar qualquer operação com os seus dados pessoais. Essas autorizações são chamadas de bases legais. Já comentamos sobre as bases legais da LGPD em outro post aqui no blog.

O GDPR, lei que regulamenta a questão para os países da União Europeia, está em vigor desde 2018. Você sabia que a principal causa das suas multas na Europa são as bases legais? São mais de 110 milhões de euros (cerca de 660 milhões de reais) em multas até maio de 2020, segundo o GDPR Enforcement Tracker. Ou seja, o maior número de penalizações ocorre porque empresas utilizam dados pessoais sem alguma hipótese que autorize essa utilização.

Dentro das empresas, as equipes de Marketing e Vendas normalmente são responsáveis pela maior parte das estratégias que utilizam dados pessoais, por isso, é necessário dar atenção à LGPD, para que a entrada da lei em vigor não tenha um grande impacto em suas operações.

Tudo sobre LGPD, a Lei Geral de Proteção de Dados

A LGPD entrou em vigor e passa a ter aplicação imediata. Este kit esclarece tudo sobre a lei - em linguagem clara e sem juridiquês. Saiba agora por onde começar (sem sofrimento).

O que fala a LGPD?

A LGPD possui dois conceitos importantes para entendermos melhor a questão:

  • Dado pessoal: é uma “informação relacionada à pessoa natural identificada ou identificável”
  • Tratamento de dados: é toda operação realizada com um dado, desde o momento em que o dado é coletado, até o momento de descarte. São exemplos de tratamentos de dados: a coleta, reprodução, classificação, utilização, acesso, transmissão, distribuição, processamento, arquivamento, armazenamento, eliminação, modificação, comunicação, transferência etc.

Ou seja, a partir do momento em que um Lead converte em uma Landing Page da sua empresa, qualquer operação realizada com os dados desse Lead é considerada uma ação de tratamento de dados: a própria conversão do Lead na Landing Page, a segmentação do Lead na base, o envio de uma campanha e-mail, o monitoramento de páginas visitadas, o envio do Lead para o time de Vendas, e assim por diante.

O que isso tem a ver com a minha base de Leads?

Para qualquer ação de tratamento de dados, à exemplo das descritas acima, a sua empresa precisa de uma hipótese da lei que autorize a utilização desses dados. Em outras palavras, a sua base de Leads precisa de bases legais.

Por exemplo:

  • Empresas também não devem possuir em suas bases de Leads contatos que não possuem autorização para processamento. Ou seja, se você comprou uma lista de contatos na internet, é possível encontrar alguma justificativa na lei para que você possa manter esses dados na sua base? Muito provavelmente não.
  • Com a LGPD em vigor, empresas e organizações não devem enviar email marketing para Leads que não possuírem uma base legal adequada para envio de comunicações.

Ou seja, a adequação de bases legais tem um impacto direto na sua base atual de Leads: para que você não precise excluir um grande volume de Leads, e para que possa continuar se comunicando com os Leads que possui, é necessário pensar em bases legais.

Como reduzir impactos da lei no volume da minha base de Leads?

O primeiro passo é analisar a sua base de Leads, com o objetivo de entender e diferenciar quais Leads possuem/não possuem uma base legal adequada. Esse projeto merece bastante atenção e cuidado. Você deve rever todos os dados e interações que possui com esses Leads, para entender quais desses contatos já possuem alguma base legal. Possivelmente, você irá encontrar muitos Leads que se encaixam nas bases legais de Consentimento, Legítimo Interesse e Contratos.

Para os Leads que não possuem base legal, pode ser realizada uma estratégia de email de consentimento retroativo, para obter consentimento dos seus Leads para futuras comunicações.

>> Leia também:

O que é uma estratégia de Consentimento Retroativo?

A estratégia de Consentimento Retroativo consiste no envio de uma campanha de email marketing para solicitar consentimento aos seus Leads, para que a sua empresa possa continuar se comunicando com eles.

Uma campanha de consentimento retroativo é recomendada se houver Leads na sua base que não possuem uma base legal que autorize a sua empresa a utilizar esses dados para a finalidade que pretende. Desse modo, você tem a chance de adequar à LGPD a parcela dos seus Leads que não estão de acordo com a lei.

Como conduzir uma campanha de Consentimento Retroativo?

Passo 1: Definir o público-alvo

O ideal é que você envie a campanha de Consentimento Retroativo apenas para os Leads que não possuem base legal. Ao selecionar todos os Leads da base, você corre o risco de muitos contatos pedirem para não receber suas comunicações ou até serem removidos da sua base de Leads, além de afetar a reputação do seu domínio para disparos de email.

O mais recomendado é você revisar a sua base de Leads, definir as autorizações para os Leads e separar os Leads restantes em grupos para a campanha de consentimento retroativo.

Passo 2: Contato por e-mail

A forma mais comum de coletar o consentimento retroativo é através da ação de clique do Lead no botão CTA do email da campanha. Você precisa deixar claro para os seus Leads que, ao clicarem no botão, estão consentindo em receber futuras comunicações da sua empresa. O grande desafio está em obter taxas significativas de cliques e mostrar as vantagens de autorizar o tratamento de dados pessoais, gerando um consentimento válido para a LGPD.

Uma dica para obter boas taxas na campanha: aposte na criatividade. Não é porque o assunto é lei, que você precisa mudar o tom de voz e a personalidade da sua marca na campanha de consentimento retroativo. O importante é ser transparente quanto ao conteúdo do email, mas há muito espaço para trabalhar formas criativas para obter o clique dos seus Leads.

Se você utiliza o RD Station Marketing, foram disponibilizados novos templates e um novo Botão para coletar a autorização. Há mais informações neste artigo da Central de Ajuda. Se ainda não utiliza, pode fazer um teste de 10 dias sem compromisso clicando no banner abaixo.

trial rd station

Confira abaixo três sugestões de tipos de email para inspirar a construção da sua estratégia de Consentimento Retroativo.

Tipo 1: Reengajamento

As campanhas de email para aquecer a base são úteis aqui também. Você pode enviar um email, perguntando se a pessoa deseja continuar recebendo emails (Exemplo 1 e 2) ou fornecer algum benefício para aqueles que clicarem no botão, como cupom de desconto (Exemplo 3).

Exemplo 1: Template do RD Station Marketing

consentimento retroativo - rd station marketing

Exemplo 2: The North Face

the north face email

Exemplo 3: Template do RD Station Marketing

consentimento retroativo - rd station marketing

Tipo 2: Pedido explícito relacionado a LGPD

Você pode ser totalmente transparente quanto ao motivo do envio do email: a LGPD entrou em vigor, mas a sua empresa não deseja perder a oportunidade de se comunicar com esses Leads. Você pode aproveitar o momento para enviar e-mails mencionando explicitamente a LGPD, como fez o McDonald’s, antes da entrada em vigor do GDPR.

Exemplo 4: McDonald’s

mc donalds email

Exemplo 5: Template do RD Station Marketing

consentimento retroativo - rd station marketing

Tipo 3: Banner de autorização nos e-mails

Outra tática, é adicionar banners para coleta da autorização nos e-mails que a sua empresa envia normalmente (newsletters, e-mails promocionais etc), como fez a loja de departamentos britânica Selfridges.

Exemplo 6: Selfridges

selfridges email

selfridges mail

Exemplo 7: Template do RD Station Marketing

consentimento retroativo - rd station marketing

Exemplo 8: The Waterside

Você também pode escolher dar o sentimento de urgência com a chegada da lei. Um exemplo é o email enviado pelo restaurante britânico de The Waterside. Nele, foi adicionada uma seção para coleta da autorização no topo da mensagem e embaixo havia as informações sobre como conseguir tickets.

waterside opt in mail

Exemplo 9: Template do RD Station Marketing

consentimento retroativo - rd station marketing

Passo 3: Incentivar novas conversões por outros canais (extra)

Além da campanha de email de Consentimento Retroativo, você pode incentivar novas conversões dos seus Leads em outros canais para regularizar as bases legais desses contatos.

Conversão via pop-ups

Muitos dos seus Leads podem passar pelo seu site, uma alternativa é adicionar Pop-ups para que as pessoas forneçam a autorização para tratamento dos seus dados pessoais. Por exemplo, o jornal britânico The Guardian utilizou o seguinte Pop-up antes da lei de Proteção de Dados europeia entrar em vigor.

guardian opt in

Se você utiliza o RD Station Marketing, foi disponibilizado um novo template. Há mais informações no artigo Ferramentas disponíveis para solicitação de Consentimento Retroativo da Central de Ajuda.

consentimento retroativo - rd station marketing

Contato por mídias sociais

Você também pode utilizar as suas mídias sociais para coletar a autorização dos seus Leads. Você pode fazer uma postagem impulsionada e redirecionar o fluxo para uma Landing Page em que será registrada a conversão. O time de futebol Manchester United criou a Landing Page abaixo.

manchester united opt in

Template do RD Station Marketing:

template rd station marketing

Passo 4: Reavaliação da base de Leads e limpeza

Depois de utilizar todas as opções possíveis para a sua empresa, chegou o momento de realizar a limpeza. Ao final da campanha, o ideal é:

  • Excluir da base os Leads que não possuem base legal para processamento de dados
  • Excluir ou não enviar email marketing para os Leads que não possuem base legal para envio de comunicações

Dessa forma, você garantirá que a sua base de Leads está de acordo com a LGPD.

Conclusão

A entrada da LGPD é a ocasião perfeita para organizar e aquecer a sua base de Leads. Já imaginou quantos Leads mudaram de e-mail e continuam ocupando espaço na sua base? Pior ainda: o quanto esses Leads impactam negativamente nas taxas das suas campanhas de email marketing?

Agora, é o momento de priorizar qualidade sobre quantidade para otimizar recursos e esforços. Há muitas alternativas disponíveis para sua empresa coletar a autorização dos Leads e minimizar os impactos da lei no seu negócio. Quanto antes você iniciar a sua estratégia, melhores serão os resultados.

Tudo sobre LGPD, a Lei Geral de Proteção de Dados

A LGPD entrou em vigor e passa a ter aplicação imediata. Este kit esclarece tudo sobre a lei - em linguagem clara e sem juridiquês. Saiba agora por onde começar (sem sofrimento).

Marcadores:

Deixe seu comentário

Comentários