Blog de Marketing Digital de Resultados

O que são cookies e como eles são usados na internet e no Marketing Digital

Os cookies atendem às mais diversas necessidades para usuários e donos de sites na internet

O objetivo deste post é meramente informativo – não prestamos consultoria jurídica nem nos responsabilizamos por medidas que possam ser adotadas por terceiros.

Cookies são pequenos arquivos de texto que ficam salvos no navegador. Esses documentos são criados em muitos sites, e podem ter as mais variadas funcionalidades.

Elas vão desde evitar que o usuário tenha que ficar repetindo certas atividades – como preencher um formulário – até salvar valiosas informações de marketing, como quais páginas uma pessoa visitou.

Neste post, vamos explicar para que servem os cookies e sua aplicação nas ações de Marketing Digital.

Tudo sobre LGPD, a Lei Geral de Proteção de Dados

A LGPD entrou em vigor e passa a ter aplicação imediata. Este kit esclarece tudo sobre a lei - em linguagem clara e sem juridiquês. Saiba agora por onde começar (sem sofrimento).

Para que os cookies servem?

Os cookies atendem às mais diversas necessidades para usuários e donos de sites. A seguir, vamos trazer alguns usos comuns para você entender como existe uma grande variação de possibilidades.

Cookies no Login

Imagine que você vai entrar em um evento em que pessoas não autorizadas não podem frequentar. Para garantir que a organização não precise a cada momento verificar os seus dados para permitir que você fique, eles lhe entregam um crachá que garante que você pode estar lá.

Com isso, a equipe não precisa mais verificar seus dados a cada passo seu. Na internet, quando você faz login em um site, um cookie pode ser criado com o mesmo propósito desse crachá.

Ao fazer login, esse identificador é criado e, enquanto você tiver aquele arquivo de texto no seu navegador, todas as páginas “restritas para membros” que você acessar poderão deixar você entrar sem perguntar uma senha novamente.

Cookies no pré-preenchimento

Agora imagine que você frequenta de forma recorrente um pequeno restaurante de bairro. O dono sabe exatamente como você prefere um prato e, embora você possa pedir outras opções, é comum você peça seu prato favorito.

Quando isso acontece, o dono confirma o pedido mas não te pede para descrever detalhadamente o que quer. O pré-preenchimento é muito parecido.

Digamos que você entre em um e-commerce para comprar recorrentemente um produto. Como o processo de compra envolve o preenchimento de muitos dados, é comum criar cookies que guardem os seus dados mais comuns.

Dessa forma, na sua próxima compra, o site vai lhe oferecer uma sugestão de nome, data de nascimento e outros dados básicos. Você pode assim apenas revisá-los, e preencher só os dados de pagamento.

Cookies no marketing

Por fim, imagine que você visite com frequência a mesma loja de sapatos. O vendedor da loja já conhece o seu gosto, com base nos produtos que você já comprou. Por isso, quando você vai à loja, o vendedor já sabe exatamente quais sapatos pode mostrar para você, de acordo com os seus interesses.

Nos navegadores, imagine que você comprou um produto na internet. Através dos cookies de marketing, é possível que uma empresa exiba anúncios personalizados para você, com base nos seus interesses, que são inferidos a partir do seu padrão de compra.

O que os cookies têm a ver com privacidade e proteção de dados?

A pergunta aqui é: um cookie pode ser considerado um dado pessoal? A resposta é sim. Isso porque, para a LGPD, dado pessoal não se resume à nome, email, RG e CPF. Também pode ser considerado dado pessoal um conjunto de informações que torne a pessoa identificável.

Por exemplo: um usuário visita com frequência o site da minha empresa. Eu posso não saber o seu nome, nem o seu email, mas, através do uso de cookies, posso inferir perfis comportamentais (o usuário gosta de viagens, livros e filmes).

Esses dados são suficientes para que a empresa possa criar anúncios de publicidade online e impactar o usuário. Nesse caso, mesmo sem saber ao certo quem é o usuário, a empresa conseguiu impactá-lo com informações que possuía sobre ele. Portanto, os cookies podem ser considerados dados pessoais.

>> Leia mais: Consentimento, contrato, legítimo interesse e mais: entenda o que são as bases legais da LGPD

É possível impedir a criação de cookies no navegador?

O mundo vem passando por uma evolução nas questões de privacidade, e com isso, navegadores começaram a trazer algumas ferramentas que ajudam os usuários da internet a bloquear a criação de cookies ou deletá-los por completo ao fechar a sua janela.

Dentre as opções de bloqueio de cookies, atualmente se destacam as boas práticas dos donos dos sites que podem oferecer banners que pedem pelo consentimento do seu uso e passam a criar os cookies somente após o consentimento do titular dos dados.

Outra opção, é o bloqueio total de cookies (disponibilizado geralmente pelos navegadores pelas páginas de configuração), essa deve ser avaliada por cada usuário pois pode prejudicar muito a experiência de uso, impossibilitando, por exemplo, o acesso às páginas de um site que exige login.

Se a sua empresa usa o RD Station Marketing, é possível utilizar um recurso de Política de Cookies para solicitar o consentimento do uso de Cookies criados pela ferramenta no seu site e Landing Pages. Assim, os novos visitantes que não aceitarem o registro de cookies não precisarão apagar aqueles referentes ao RD Station Marketing. Saiba como ativá-los em nossa Central de Ajuda.

Tudo sobre LGPD, a Lei Geral de Proteção de Dados

A LGPD entrou em vigor e passa a ter aplicação imediata. Este kit esclarece tudo sobre a lei - em linguagem clara e sem juridiquês. Saiba agora por onde começar (sem sofrimento).

 

 

Marcadores:

Deixe seu comentário

Comentários