Blog de Marketing Digital de Resultados

Copywriting para emails: como influenciar a tomada de decisão do seu usuário

Conheça as melhores práticas de escrita de emails que ajudam a influenciar seu usuário a realizar a ação que você deseja

Está sem tempo de ler agora? Que tal ouvir o artigo? Experimente no player abaixo!

 

 

Você consegue boas taxas de abertura e clique nas suas campanhas de email marketing, mas o seu usuário não avança no estágio do funil?

Consegue bons clientes, mas eles não realizam as ações que você sugere?

Talvez você não esteja conseguindo tornar a sua ação sugerida tão indispensável que seu usuário não possa ignorá-la.

O que é copywriting?

Copywriting é a arte de escrever bons conteúdos na intenção de motivar e influenciar que seu leitor tome a decisão que você deseja. Essa técnica pode ser usada em todos os estágios do funil, desde a preparação para vendas, para conduzir o usuário ao momento da compra, até o pós-venda, ajudando seu cliente a ter sucesso com seu produto e estimulando recompras.

Já pensou em tornar seu negócio mais lucrativo apenas aumentando a eficiência dos seus emails? É exatamente isso que vamos mostrar nesse post.

Confira abaixo 8 técnicas de copywriting para emails bastante fáceis de serem aplicadas e não perca mais dinheiro em comunicações ineficientes.

Antes de tudo…

Para que a sua comunicação seja efetiva e as técnicas que mostraremos neste post funcionem, você deve se comunicar com a pessoa certa, no momento certo.

A melhor forma de fazer isso é segmentando o público-alvo do seu email. Lembre-se de que a sua mensagem deve ser desejada e relevante para o leitor. Se você ainda não segmentou seus contatos, veja aqui como começar: Segmentação – como gerar melhores resultados enviando menos emails.

Agora que já garantimos que estamos nos comunicando com a pessoa certa e o momento certo, vamos às táticas de escrita persuasiva.

8 técnicas de copywriting para Email Marketing

1. Garanta que o seu conteúdo entregue o que o título promete

Não tem nada mais frustrante para o usuário do que dar atenção para você devido a um título bastante chamativo e depois não receber o que foi prometido.

Se você chamou a atenção do leitor pelo seu título, não decepcione. Antes de enviar um email, sempre questione: “o meu conteúdo entrega o que meu título promete?”.

Por exemplo, se você anunciou uma “oferta” no título do seu email, responda ao leitor qual é a oferta, quanto o produto ou serviço custava antes e qual o valor atual. Diga também se a promoção tem um prazo fixo ou se valerá enquanto durar o estoque.

Saiba mais sobre criação de títulos no post Como criar assuntos de Email Marketing que despertam curiosidade + 30 templates.

2. Personalize sempre que possível

Nossos olhos já estão bem treinados em ignorar mensagens que não foram feitas especificamente para nós. Quando sentimos que a comunicação não foi customizada de acordo com o nosso perfil, não damos a menor importância.

Por isso, quando você está escrevendo um email, deve ter muito claro que não está escrevendo para uma audiência em geral. Você está escrevendo para uma pessoa que já conhece e que tem uma conexão com você.

Pense no conteúdo como uma conversa com essa pessoa, chamando-a pelo nome, por exemplo, ou lembrando-a de uma dor ou necessidade que ela está procurando resolver. Assim, sua comunicação torna-se muito mais personalizada e as chances de o usuário dar valor à sua mensagem é muito maior.

Por exemplo, para qual chamada você daria mais atenção?

  1. “Querido cliente” ou “Olá amigo”
  2. “Querida Luciana” ou “Olá Luciana”

Você concorda comigo que é a opção B, né?

No RD Station, por exemplo, você consegue facilmente criar essa comunicação personalizada para o leitor de uma forma automática, usando variáveis no email.

3. Use linguagem simples

“If your copy seems ridiculously simple, it’s finished.” (Tom Albrighton)

Imagine o quão ruim seria se o seu leitor desistisse do seu email porque simplesmente não entendeu o que você quis dizer. Quando isso acontece, todo seu investimento de tempo e dinheiro na criação da campanha é desperdiçado.

Para aumentar a influência da sua mensagem, acima de tudo você precisa simplificá-la ao máximo. Seu conteúdo deve ser fácil a ponto de qualquer um entender. Evite palavras complexas e sempre que possível use sinônimos das palavras para garantir a compreensão do usuário.

  • Mau exemplo: nosso produto é disruptivo
  • Bom exemplo: nosso produto é inovador

4. Seja direto

Quando você abre um email, sempre lê todas as palavras? Provavelmente não. É muito mais provável que você procure pontos-chave para avaliar se a mensagem faz sentido para você e aí sim tomar uma ação.

Palavras em excesso tendem a confundir seu usuário e diminui suas chances de sucesso. Portanto, encontre uma maneira de resumir o que o usuário irá obter de forma convincente e insira um Call-to-Action para seu site no qual ele irá obter mais informações.

  • Mau exemplo: gostaria de recomendar que baixe nosso eBook sobre planejamento e conheça as vantagens dessa ação. Quem planeja vai mais longe!
  • Bom exemplo: baixe o eBook e conheça as vantagens!

Uma dica bastante válida aqui é você se perguntar: “Essa palavra/frase que coloquei  no email agrega valor para o meu leitor ou contribui para o meu argumento?” Se a resposta for não, elimine-a.

5. Crie senso de urgência

Você já comprou alguma vez na Black Friday? Já prestou atenção nos motivos pelos quais promoções do tipo Black Friday geram tantas vendas? Ela gera senso de urgência, já que somente durante as 24h da campanha você pode comprar determinado produto com esse preço.

Criar senso de urgência é uma das técnicas mais poderosas da escrita persuasiva. Isso porque quanto mais tempo damos ao usuário para tomar uma ação, menor a probabilidade dela acontecer, já que outras distrações podem aparecer e ele se esquecer de você ou da sua oferta.

Na construção de emails há dois momentos fundamentais para usar essa tática: no título, para chamar a atenção do leitor, e ao finalizar o email, para estimular a ação exata neste momento.

  • Mau exemplo: promoção de roupas femininas!
  • Bom exemplo: APENAS HOJE! Roupas femininas com até 50% OFF

6. Foque em um objetivo único

Seu objetivo não deve ser uma meta de taxa de abertura e clique. Essas são métricas intermediárias, que não causam mudanças significativas no comportamento do seu usuário. Seu objetivo deve estar alinhado com o propósito real da sua mensagem.

Aqui na Resultados Digitais, por exemplo, nós anunciamos o lançamento de novas funcionalidades aos nossos clientes que têm a maior chance de se beneficiarem da novidade. Nosso objetivo com essa campanha não é apenas que o usuário experimente a funcionalidade, mas sim que faça uso contínuo dela. É assim que sabemos que nosso objetivo foi atingido.

Portanto, antes de começar seu próximo email, pergunte-se:

  1. O que eu estou buscando atingir com essa mensagem?
  2. Como sei que a minha ação teve sucesso?

7. Use linguagem acionável no seu CTA

Você deve deixar claro o seu objetivo ao leitor. Ele deve ser capaz de responder em poucos segundos por que você está enviando o email e o que é esperado que ele faça. A melhor forma de conseguir isso é criando um bom Call-To-Action — que, como o nome sugere, é uma chamada para uma ação.

Usar linguagem acionável, com verbos no imperativo ou infinitivo, aumenta a eficiência do seu CTA, já que direciona o leitor a agir.

Veja alguns exemplos abaixo:

  • “Comprar agora”
  • “Baixar o novo eBook”
  • “Pegar meu cupom de 30% de desconto”
  • “Quero receber uma ligação e melhorar minhas vendas!”

Dica: tente deixar seu CTA na primeira dobra, ou seja, sem que o usuário tenha que descer a barra de rolagem. Isso porque 70% das pessoas não vão rolar o email e, se você deixar o CTA muito abaixo, a pessoa pode nem ver que você está sugerindo algo.

Para saber tudo sobre o assunto, baixe aqui nosso eBook gratuito O Guia Prático do Call-To-Action.

8. Faça a pergunta certa

Uma técnica de persuasão bastante famosa, porém que raras pessoas realmente dominam, é fazer a pergunta certa ao leitor. A pergunta certa é aquela cuja única resposta é SIM.

Uma vez que você encontrou a pergunta certa e recebeu seu primeiro sim, o leitor estará muito mais disposto a dizer novamente sim para você.

Por exemplo:

  • “Você não vai ficar de fora, vai?”
  • “Quer aumentar seus lucros e deixar seu concorrente para trás?”
  • “Você concorda comigo que…?”
  • “Você percebeu que esse é o melhor preço…?”

Conseguiu perceber o quanto essa técnica estimula o leitor a responder o que queremos?

Portanto, ao finalizar um email usando essa técnica você deve se questionar: “o leitor está dizendo sim? Ele começou a se perguntar como pode aprender mais?”.

Dica bônus: o foco do copywriting é o seu usuário!

Nunca esqueça de que o foco do seu email é o seu usuário e não você!

Você só ficará em evidência quando você conseguir conquistar a atenção do seu usuário e se tornar realmente relevante para ele. Esse sim será momento de falar sobre você.

Agora é a sua vez!

Agora que você já sabe por que é importante se preocupar com o copywriting dos seus emails e conhece diversas técnicas bastante fáceis de aplicar, crie sua próxima campanha de email usando essas dicas e veja na prática os benefícios para sua empresa.

Afinal, você não vai querer que seus usuários não deem atenção para você, né?

Se você gostou desse post, deixe um comentário abaixo. E, se quiser se tornar um especialista em bons emails, confira também nosso eBook O Guia Prático do Email Marketing!



eBook gratuito: O Guia do Email Marketing

Tudo o que você precisa saber para fortalecer o relacionamento com clientes e gerar resultados de negócio

Marcadores:

Deixe seu comentário