Blog de Marketing Digital de Resultados

Dia da Mulher: por que nem tudo se trata de (ou são) flores

Como tornar o Dia Internacional da Mulher uma data de real impacto e reflexão dentro das empresas

Em vez de ler, que tal ouvir o post? Experimente no player abaixo:

 

 

Para quem nos acompanha, não deve ser novidade que a Resultados Digitais investe e incentiva a diversidade. É sabido, também, que esse é o caminho que toda e qualquer empresa deve seguir.

Uma pesquisa da Mckinsey, por exemplo, aponta que empresas que investem em diversidade de gênero tendem a ter retornos financeiros 21% maiores que as demais. Quando falamos em diversidade étnico-racial, esse número sobe para 33%. Um outro dado, segundo a Change Catalyst, aponta que times diversos têm clientes 39% mais satisfeitos.

Assim, hoje o tema da diversidade nas empresas é amplamente discutido. Datas como o dia do orgulho LGBT, da Pessoa com Deficiência e da Consciência Negra são destacados e celebrados. O Dia Internacional da Mulher não poderia ser diferente: é um momento de reconhecer e engajar as mulheres do time e, além disso, nenhuma empresa quer ficar de fora, não é mesmo?

Aqui na RD buscamos aprimorar nossas ações ano a ano. Para 2018 preparamos um mês recheado de palestras, discussões e momentos relevantes para as nossas RDivas (como se autodenominam as mulheres do nosso time). Dessa forma, vou compartilhar  algumas dicas e aprendizados para você tornar o Dia Internacional da Mulher ainda melhor!

Dia da Mulher

Entenda e compartilhe o porquê desse dia ser celebrado

Há décadas um mito sobre a data circula por aí: no dia 8 de março de 1857 um grupo de operárias grevistas teriam sido incendiadas dentro de uma fábrica de Nova Iorque, como forma de repressão à greve, e em homenagem a elas se comemora o Dia da Mulher.

Existem algumas possibilidades que levam a esse equívoco histórico, mas discuti-las não é o nosso foco para esse momento. O ponto aqui é que, para celebrar uma data é necessário entender o que ela realmente celebra, não é mesmo?! Então, o que de fato leva o mundo a celebrar o dia 8 de março?

Em 1909, foi estabelecido o dia 28 de fevereiro como “Dia da Mulher” por grupos feministas norte-americanos, em Nova Iorque e Chicago. Depois disso, em agosto de 1910 foi realizada em Copenhague a II Conferência Internacional das Mulheres Trabalhadoras.

Nesse dia, as feministas americanas apresentaram a proposta de criação de um Dia Internacional da Mulher que seria celebrado anualmente no último dia de fevereiro. A proposta foi aprovada, mas não se definiu uma data específica para a celebração. Alguns países comemoravam em fevereiro como os Estados Unidos, já outros o faziam em outros meses, sempre entre fevereiro e maio.

Entre tentativas fracassadas de unificar a data, a ONU (Organização das Nações Unidas) entrou na dança e decretou em 1975 que a data a ser considerada o Dia Internacional da Mulher seria dia 8 de março. De acordo com a organização, esse é um dia no qual as mulheres são reconhecidas pelas suas conquistas, independentemente da sua nacionalidade, etnia, língua etc. Além disso, esse é um dia para dar suporte aos direitos das mulheres, suas lutas e sua inclusão nas mais diversas áreas.

Fuja dos estereótipos

Mas se o que se quer com esse dia é reconhecer, incentivar e discutir como mulheres podem ganhar mais espaço, no que um bombom ou uma rosa irão ajudar?

Dia da Mulher

Bom, nós também não sabemos!

Uma pesquisa aplicada no Vale do Silício chamada The Elephant in the Valley acessou alguns problemas que mulheres enfrentam no universo do trabalho. Os resultados mostram que 84% das participantes já receberam o feedback de que são muito agressivas.

Presentes como flores, dias de beleza e cosméticos reforçam um estereótipo de gênero de que mulheres devem ser delicadas, doces, amáveis, preocupadas com a aparência etc. Elas podem ser todas essas coisas, mas de forma alguma devem ser. Além disso, iniciativas como essa ajudam a reforçar que mulheres que não se encaixam nas caixinhas acima são agressivas, mandonas etc.

Investir em desenvolvimento e conhecimento é sempre uma ótima opção. Chame mulheres inspiradoras para palestras, ofereça mentorias às mulheres do seu time, dê voz a elas e pergunte se existe algum tema que elas se interessem em compartilhar com as demais pessoas da empresa. As possibilidades são infinitas.

Abra espaço para vulnerabilidade

Assim como as mulheres do Vale do Silício se uniram para falar das suas dores em uma pesquisa, abra espaço para que as mulheres do seu time possam falar das dificuldades que elas enfrentam no seu dia a dia.

Uma campanha lançada pelo Ministério do Trabalho nesta semana perguntou às mulheres “o que é ser trabalhadora para você?”. A resposta você pode ver abaixo:

Dia da Mulher Dia da Mulher Dia da Mulher

Como você pode ver, não será fácil ouvir as dificuldades que as mulheres encontram na sua empresa. Mesmo com o melhor dos ambientes você irá ouvir histórias difíceis. Mas lembre-se: você não está sozinha! Esse é um reflexo da sociedade em que vivemos: as mulheres do Vale do Silício passam por isso, as mulheres do Brasil passam por isso, enfim, todas as mulheres do mundo passam por isso!

O primeiro passo para criar iniciativas em prol da equidade de gênero na sua empresa é ouvir o que as mulheres têm a dizer sobre isso e entender os desafios que são encontrados todos os dias. O Dia da Mulher pode ser um ótimo momento para começar!

Chame os homens para a roda

Não, não são só os homens que praticam o machismo. Mulheres fazem isso o tempo todo quando julgam umas às outras. Entretanto, é inegável que mudanças mais drásticas de comportamento precisam vir dos homens.

O HeForShe é um movimento filiado à ONU, cujo objetivo é alcançar a igualdade entre gêneros. Seu principal foco é incentivar homens e meninos a serem agentes de mudança, de forma a agir contra as desigualdades negativas enfrentadas por mulheres e meninas.

Assim, é necessário trazer esse movimento para dentro das empresas. É importante que homens possam escutar depoimentos de mulheres e entender com exemplos que a desigualdade existe. Mais relevante ainda é abrir espaço para diálogo, para compreender o que pode ser diferente e como fazer isso.

Não se desespere, não se faz uma revolução em um só dia!

De acordo com o Fórum Econômico Mundial o Brasil levará mais 93 anos para alcançar a igualdade de gênero. Não espere, então, que você vá conseguir mudar toda uma realidade com apenas um Dia Internacional da Mulher.

Entretanto, se você não quer que as mulheres da sua empresa encontrem a igualdade apenas em 2111, é hora de começar a agir.

Que tal trocar as flores e bombons deste ano por iniciativas concretas de desenvolvimento e inclusão?

Vamos tornar o Dia da Mulher em um mês, um ano ou ainda um programa voltado às mulheres?

Aposto que você não irá se arrepender!

Imagem: Thaís Sprada

Marcadores:

Deixe seu comentário