Blog de Marketing Digital de Resultados

Saia do básico: 7 dicas para você melhorar seus resultados com LinkedIn Ads

Aprenda a otimizar seus anúncios na plataforma e atinja melhores resultados gastando menos

Em vez de ler, que tal ouvir o post? Experimente no player abaixo:

 

 

Muitas pessoas, até mesmo aquelas que nunca investiram na plataforma, acreditam que o LinkedIn cobra muito caro pelos resultados e acabam deixando a rede social fora do planejamento de ações. Trata-se de uma decisão que pode estar comprometendo suas estratégias, principalmente se o ramo de atuação do seu negócio for B2B ou B2C com alto valor agregado.

De fato, o LinkedIn acaba tendo um valor de investimento superior se comparado a outras redes sociais. No entanto, as possibilidades e as informações que a plataforma oferece são únicas e, dependendo da sua área de atuação, essenciais para aumentar taxas de conversões e/ou vendas.

Abaixo, listamos algumas dicas muito importantes para anúncios de LinkedIn, que estão disponíveis de maneira mais aprofundada no nosso webinar “Como criar anúncios B2B no LinkedIn Ads”. Essas dicas vão ajudar você a otimizar suas campanhas dentro da plataforma e, consequentemente, reduzir os custos dos resultados.

Para acessar o conteúdo na íntegra é só preencher o formulário abaixo.👇 Ah, vale lembrar que é este é um ótimo material pra ficar escutando em segundo plano, então mesmo que esteja sem tempo não precisa deixar para depois.

Como criar anúncios B2B no LinkedIn Ads

Cadastre-se e confira o webinar na íntegra!

O conteúdo abaixo conta com algumas dicas avançadas de LinkedIn Ads. Se você ainda está começando no assunto, sugerimos a leitura de alguns materiais antes de se aprofundar na ferramenta:

Esteja com sua marca totalmente presente no LinkedIn

Se você trabalha com anúncios dentro do LinkedIn Ads mas não investe nenhum tempo na sua company page, é melhor repensar sua estratégia. O LinkedIn é uma rede social que oferece toda a estrutura necessária para que você trabalhe seus clientes, funcionários e interessados em sua marca dentro de todas as etapas do funil de vendas.

Quando uma pessoa é impactada pelo seu anúncio e deseja saber mais sobre o que você está ofertando, ela automaticamente segue para a company page em busca de mais informações. Se a página está bem alimentada com dados sobre seu negócio e publicações recentes, a chance dessa pessoa seguir é muito maior.

Por não barrar a distribuição de conteúdo orgânico, seguidores ainda são muito valiosos dentro da plataforma. Mas não vá sair por aí pedindo pra todo mundo dar follow: vale lembrar que seguidores qualificados tendem a interagir mais com a sua marca, mostrando ao algoritmo se a sua publicação deve aparecer no começo ou no fim do feed.

Com essas sugestões em vista, é possível trabalhar uma estratégia integrada que combine anúncios pagos e conteúdos orgânicos para atingir seus objetivos.

Entenda o que o seu público está buscando na plataforma

Pense em você como usuário: quando entra no LinkedIn, está buscando que tipo de conteúdo?

Seus seguidores podem ainda ser pessoas que possuem Facebook, Instagram e veem vídeos de gatinho antes de dormir, mas quando elas acessam o LinkedIn, geralmente estão em busca de networking e materiais que ajudem em seu crescimento profissional. Conteúdos mais densos como eBooks e soluções que ajudem no desenvolvimento de carreira tendem a ter um bom resultado dentro da rede social.

Faça uma análise de pessoas: entre em perfis de usuários que se encaixem com sua persona e entenda sobre o que elas falam, com o que interagem e o que lhes interessa. Isso te dará mais conhecimento sobre como abordá-las.

Atenção aos filtros e objetivos

Complementando a dica anterior, sempre que for criar uma segmentação dentro da ferramenta de anúncios do LinkedIn, pense em quais características do seu público são realmente necessárias para sua campanha. Não é porque a plataforma oferece diversas possibilidades que você precisa usá-las.

Separar públicos por gênero e idade, por exemplo, são opções disponíveis, mas que são aconselhadas a serem deixadas de lado. O cargo do seu público acaba dizendo muito mais sobre o poder de compra dele do que a idade ou gênero.

Além dos filtros, é muito importante ficar atento aos seus objetivos de anúncio. Com a mudança na plataforma, essa acaba sendo a primeira escolha que você fará.

Escolha seu objetivo sempre lembrando que:

  • Objetivo de Conhecimento deve ser escolhido quando as pessoas ainda não conhecem sua marca. Aqui você deve contar mais sobre o seu mercado de atuação, compartilhar cases de pessoas que já utilizaram sua marca e quais as soluções oferecidas por sua empresa.
  • Objetivo de Consideração deve ser escolhido quando você tem ciência de que sua empresa já não é mais uma estranha para seus consumidores. Aqui o foco é muito maior em engajamento e você consegue escolher três sub-objetivos: visitas ao site, engajamento e visualizações de vídeo.
  • Objetivo de Conversão deve ser escolhido quando você tem ciência de que sua base já está no fim do funil e encontra-se pronta para adquirir seu produto ou serviço. Aqui você paga por conversão e pode escolher entre conversão no site ou conversão diretamente no LinkedIn, através do preenchimento de um formulário.

CPC ou CPM?

Basicamente, quando escolhemos a estratégia de CPM estamos atrás de alcance e quando escolhemos a de CPC estamos atrás de conversão. Geralmente CPC acaba tendo um custo mais alto que CPM, tendo em vista que seu objetivo é muito mais específico.

No entanto, se a sua empresa mantém um bom relacionamento com seus clientes em todas as etapas do funil, o engajamento da sua marca tende a ser maior. Um bom engajamento de página aliado a um bom criativo podem trazer um CPC menor para as compras de mídia feitas por CPM.

Estruture sua comunicação e use isso ao seu favor na compra de anúncios dentro da plataforma.

Melhore seus resultados com ABM (Account-Based Marketing)

A ferramenta de anúncios do LinkedIn conta com duas possibilidades muito valiosas para quem faz qualificação de leads. Já é possível trabalhar com ABM (Account-Based Marketing) e criar uma segmentação Lookalike, chamada de Match Audience no LinkedIn Ads.

Ao fazer o upload da sua base de leads dentro do LinkedIn, é possível trabalhar com a segmentação de campanhas exclusivamente para essas pessoas. As informações que a ferramenta consegue utilizar para entregar os anúncios são: nome de empresas, emails e nome dos usuários.

Ao ter em mãos seus melhores leads, é possível fazer com que a plataforma crie uma audiência lookalike, ou seja, gere uma base de pessoas com características semelhantes às que você subiu na ferramenta. Trata-se de uma ótima maneira de trazer novas pessoas com as mesmas características dos seus consumidores para a sua jornada de compra.

Para saber mais sobre ABM, acesse nosso material exclusivo “Guia Prático de Account-Based Marketing”.

Cuidado com segmentações restritas

Diferente de outras ferramentas de anúncios, no LinkedIn Ads, quanto mais características você definir para o seu público, mais restrito ele se tornará. Públicos restritos tendem a gerar um valor mais alto de investimento, pois dão menos possibilidades de entrega à ferramenta. Isso tende a forçar a entrega para pessoas que talvez não engajem tão bem com a sua marca.

O LinkedIn sugere que se criem bases de, no mínimo, 300 mil pessoas. Se esse número for amplo demais para o seu segmento, estude melhor as opções oferecidas pela ferramenta e tente mantê-las o mais amplo possível. Uma dica é utilizar o filtro “função”, que permite direcionar seus anúncios para grupos de atuação, como “marketing”, “finanças” e muitos outros.

Faça testes de criativos

O seu criativo é o primeiro ponto de contato que o usuário tem com a campanha. Se ele não chamar atenção o suficiente, o scroll down é inevitável e a mensagem que você queria passar é perdida. Sem engajamento, sua campanha tende a ficar cada vez mais cara, pois o algoritmo entende que o que você está oferecendo não é do interesse das pessoas que você busca atingir.

Para garantir um melhor resultado dos seus criativos, separamos algumas dicas importantes:

  • Realize testes A/B. Teste cores, botões, textos e vá analisando o que performa melhor entre seus consumidores. Mas lembre-se: para resultados mais efetivos, teste apenas um elemento por vez;
  • Mantenha uma consistência. Já foi impactado por algum material que, mesmo sem marca ou produto, você conseguia dizer de qual empresa era? Tente criar o mesmo com a comunicação da sua empresa;
  • Nunca faça publicações com apenas texto. Sempre inclua fotos ou vídeos nos seus anúncios;
  • Imagens com pessoas performam melhor. Os usuários do LinkedIn tendem a criar uma conexão maior com anúncios que possuem foto com pessoas. Só cuidado com aquelas fotos muito artificiais de banco de imagem. Quanto mais real, maior o envolvimento.

Esperamos que estas dicas possam ajudar você a melhorar a qualidade e o desempenho dos seus anúncios no LinkedIn Ads. Para conferir mais detalhes sobre os temas abordados aqui neste post, acesse o webinar “Como criar anúncios B2B no LinkedIn Ads” preenchendo o formulário abaixo.

Como criar anúncios B2B no LinkedIn Ads

Cadastre-se e confira o webinar na íntegra!

Marcadores:

Deixe seu comentário