Blog de Marketing Digital de Resultados

Como utilizar a empatia em negociações

Sendo a negociação uma relação interpessoal, a comunicação tem um papel decisivo em seu sucesso — e é nesse ponto que percebemos a importância do uso da empatia

Psicologicamente, empatia é a capacidade de sentir o que uma outra pessoa sente caso estivesse na mesma situação vivenciada por ela, ou seja, procurar experimentar de forma objetiva e racional o que sente o outro a fim de tentar compreender sentimentos e emoções.

Empatia é basicamente sentir com a pessoa. E é uma força poderosa, que pode decidir uma negociação.

Qual a diferença entre empatia e simpatia?

Empatia traz conexão enquanto simpatia deriva desconexão. As quatro principais características da empatia são:

  • tomada de perspectiva — ou seja, a habilidade de considerar a perspectiva de outras pessoas como verdade;
  • não julgar;
  • reconhecer as emoções em outras pessoas;
  • conseguir passar essa informação, comunicar-se.

Além disso, empatia é uma escolha vulnerável, já que, para se conectar com o que outra sente, uma pessoa precisa se conectar com algo em si mesmo que conhece aquele sentimento.

Quase nunca uma resposta empática começa com “pelo menos”. Por exemplo, se você diz “perdi um bebê” e a outra pessoa responde “pelo menos você sabe que pode engravidar”, essa pessoa não está sendo empática. Ela não está se conectando com o sentimento que existe dentro da sua frase e se colocando do seu lado.

Quando se usa da empatia, mesmo não se tendo resposta, apenas de ouvir e se colocar no lugar da pessoa uma conexão é formada.

E eu, consigo ser empático?

A empatia é o elo que nos une como sociedade. A neurociência já comprovou que somos todos empáticos por natureza, somos feitos para viver em sociedades estruturadas.

Nascemos com estruturas, processos e conexões cerebrais que existem para que possamos nos conectar e expressar a empatia.

Peço para que imagine um cortezinho de papel na pele de sua mão. Agora imagine que uma gota de limão cai bem nesse corte. Aposto que você, leitor, contorceu um pouco sua expressão facial ao ler isso. Essa é uma demonstração clara de que todos nós somos empáticos.

O mesmo acontece quando bocejamos ao ver alguém bocejar. É porque podemos imitar que podemos ser empáticos. Isso é causado pelo sistema de neurônios-espelho, que têm a função de reproduzir no nosso cérebro qualquer coisa que vemos no outro. Desde uma ação até uma emoção.

Além disso, a neurociência comprovou que podemos exercitar a empatia. Nosso cérebro é plástico, ele se adapta a qualquer estímulo que fizermos. Ele pode criar novas rotas neurais, ou seja, é possível fazer com que a cada dia a empatia seja um processo mais natural e usar isso a seu favor em negociações.

A empatia em negociações

E, afinal, qual é a importância de ser empático? Primeiramente, a empatia nos ajuda a ter relações mais significativas com as pessoas ao nosso redor, desde amigos até possíveis clientes. Além disso, a empatia é considerada uma das principais competências da liderança do futuro, já que ela ajuda a olhar para um problema sob diversos pontos de vista diferentes.

Em negociações, a empatia pode ser considerada uma arma muito eficaz. Quando você se coloca do lado da pessoa, ela se sente em uma posição mais confortável, longe de emoções fortes, onde ela não te ouviria, e entende mais claramente que ambos estão à procura do melhor acordo.

Além do mais, esse posicionamento empático é bem visto pelo outro lado, o que melhora o relacionamento entre prospect e vendedor. Um bom relacionamento é a chave para um bom negócio.

Mas atenção: ser empático não significa concordar com seu prospect. É importante manter-se firme e assertivo, mas ao mesmo tempo escutar e buscar entender as dores do outro. Você não precisa ter a mesma opinião que a outra pessoa para conseguir compreendê-la.

Como colocar a empatia em prática nas negociações

Sabemos que usar a empatia em todos os momentos não é fácil, mas que com a prática e dando atenção a alguns pontos, como os descritos abaixo, isso fica cada vez mais natural.

Dica 1: Foque sua atenção em escutar

Como em qualquer negociação, é importante preparar-se. A empatia acontece quando ouvimos as perguntas do prospect com atenção, em vez de usar esse tempo para pensar nas possíveis respostas. Diminua seu ritmo, tire um tempo para ouvir genuinamente a fala da outra pessoa. Ouvir irá lhe ajudar a expandir sua própria opinião.

O importante é estar completamente ali, presente, ouvindo. O que o outro diz é importante para ele e para você também, já que, quanto melhor entendida a situação, mais facilmente ela é resolvida em conjunto.

Dica 2: Depois de ouvir, pergunte

Perguntar mostra que sua atenção estava focada no que o outro estava falando, mostra interesse em entender melhor sobre os problemas do outro. Tente entender o estado emocional e as motivações por trás das respostas da outra pessoa.

Pergunte com a curiosidade de alguém que quer se colocar do lado do outro no caminho de resolução desses problemas. A curiosidade sobre o outro é um passo importante para expandir sua empatia.

Dica 3: Confirme seu entendimento

Uma das melhores maneiras de confirmar se você entendeu as informações de forma correta e completa é parafraseando o prospect.

Colocar o que ele disse nas suas palavras demonstra que você ouviu e teve interesse sobre aquilo.

Dica 4: Lembre-se: empatia não significa resolver os problemas do outro

Quando achamos que a melhor maneira de ser empático é dar conselhos, estamos enganados. Se a pessoa precisar de um conselho, ela vai te pedir, já que já está em uma posição confortável após ter sido escutada e compreendida.

O fato de entender, se interessar, ouvir o problema do prospect com atenção já melhora muito o relacionamento interpessoal.

Conclusão

A empatia é um dos pilares da inteligência emocional e o uso dela como via de melhorar os relacionamentos em negociações é essencial. Tirar um tempo para observar e entender o outro é o primeiro passo para desenvolver sua empatia.

Aplicando a empatia é possível entender melhor o comportamento das pessoas e suas necessidades. Consequentemente, uma relação de confiança é estabelecida, o que resulta em uma situação muito mais propensa ao sucesso em uma negociação para ambas as partes!

Para saber mais sobre vendas, baixe gratuitamente o 5º capítulo do livro Receita Previsível, de Aaron Ross e Marylou Tyler, e saiba como encurtar o seu ciclo de vendas e aumentar sua produtividade!



Receita Previsível: melhores práticas de vendas

Veja no 5º capítulo do livro Receita Previsível, de Aaron Ross e Marylou Tyler, como encurtar o seu ciclo de vendas e aumentar a produtividade da sua equipe

Marcadores:

Deixe seu comentário