Blog de Marketing Digital de Resultados

Notícias da Semana: Facebook amplia o combate às fake news e o LinkedIn quer saber dos seus sentimentos

Confira também novidades sobre o Google Discover e saiba qual marca de cosméticos está abandonando as redes sociais

Em vez de ler, que tal ouvir as notícias? Experimente no player abaixo:

 

 

Chegou a sexta-feira e, com ela, anuncia-se mais um fim de semana. Isso quer dizer, obviamente, que mais uma semana chegou ao fim. Nem sempre é assim, porém: daqui a exatamente 7 dias será feriado, o que mexe com essas certezas.

Afinal, o fim de semana começa na Sexta-feira Santa ou só no sábado? São questões. No entanto, não precisamos lidar com elas agora. Afinal, não é porque uma semana não tem Páscoa que ela não é especial. Nessa, por exemplo, aconteceu muito coisa interessante.

A primeira novidade é que esse giro de notícias de tech e Marketing Digital agora também é uma newsletter! Para se cadastrar e não perder nenhuma edição, basta clicar aqui. Se você já criou o hábito de entrar aqui e ler, não se preocupe, continuaremos postando no blog.

E, agora, vamos às notícias!

Facebook declara guerra às fake news (de novo)

Pois é, você pode achar que é notícia velha — ou mesmo fake news, dependendo da sua opinião sobre Mark Zuckerberg — esse título aí acima, mas o fato é que o Facebook fez seu movimento mais significativo no combate às notícias falsas em muito tempo. O curioso é que a iniciativa, uma métrica chamada de Click-Gap em um blogpost na quarta-feira, lembra muito os primórdios de um dos seus coleguinhas de dominação global: o Google.

Embora não tenha dito exatamente como vai fazer isso, o Facebook vai dar uma crawleada na internet para verificar se links postados por lá têm relevância… fora do Facebook! Se um determinado site, por exemplo, tiver uma porcentagem enorme do seu tráfego originária só da rede social, ele terá seu alcance reduzido nas timelines. Isso porque seria um sinal de conteúdo feito para viralizar e de credibilidade questionável.

fake news 1

Essa é a segunda grande mudança no News Feed desde que a companhia ficou sob os holofotes após as eleições presidenciais dos Estados Unidos, em 2016. Antes, os posts de amigos já haviam ganhado destaque em detrimento de publicações de empresas. Como está ficando cada vez mais difícil aparecer organicamente para os usuários do Facebook, vale pensar em investir em anúncios de forma mais otimizada.

Outras novidades do Facebook

Além do Click-Gap, o comunicado da turma de Menlo Park traz uma série de outras iniciativas voltadas ao controle de desinformação. Esse parece ser um caminho sem volta para a rede social, que sofre forte pressão para que resolva essas questões. Ela está mirando agora, também, nos grupos, que cresceram muito em popularidade nos últimos anos. Eles também terão seu alcance diminuído caso haja excesso de posts “duvidosos”.

Embora não haja nenhuma referência ao WhatsApp, o Facebook falou sobre seu “irmão”, o Messenger. A intenção é diminuir a incidência de golpes de páginas falsas que se passam por pessoas ou marcas notórias. O sinalzinho de verificado agora aparecerá também no canal de chat, facilitando a identificação de quem é ou não é real.

A companhia também decidiu deixar mais claro o que pode ou não ser postado. A página de Community Guidelines terá uma seção de updates recentes, atualizada sempre que algo mudar. A intenção é dar mais transparência ao processo de retirada de um conteúdo, por exemplo. Por fim, o Facebook anunciou reforços para o time que define o que é confiável ou não, para evitar rapidamente que desinformação se espalhe pela rede.

Link relacionado:

LinkedIn quer que você expresse seus sentimentos

Bom, mas nem tudo o que se refere ao Facebook é má influência, não é mesmo? O LinkedIn, por exemplo, se inspirou nas reações a posts do Face e agora terá as suas próprias. Veja se parece familiar:

reactions linkedin

Sendo justo, o Like já existia e só o coraçãozinho é igual. As palmas podem celebrar coisas bacanas que acontecem nas carreiras dos seus contatos. Já os botões de “me deu boas ideias” e “fiquei curioso” (N.A.: tradução livre) têm realmente muito a ver com o LinkedIn.

Se você receber reações assim nos seus posts, é um forte indicativo que seus seguidores ou contatos querem que você fale mais sobre o assunto. Pode ser um sinal, inclusive, que as pessoas estão curiosas em saber mais sobre seu produto ou serviço.

Fica só a dica de não exagerar muito nas reactions, ainda mais se você gostar de dar aquela bajulada na chefia. Keep it professional, afinal o pessoal vive reclamando de quem trata o LinkedIn como Facebook.

Link relacionado:

Google Search Console passa exibir dados do Discover

Essa novidade foi muito bem recebida pela turma de SEO. Se você não tem alguém dessa turma do seu time, recomendamos fortemente — além de dar uma olhada na nossa websérie com o que há de mais moderno sobre o tema. Enfim, vamos em frente.

Você já reparou que no app de celular do Google você nem precisa mais fazer pesquisas? Isso por causa do Discover. São aquelas notícias, vídeos, placares e tudo mais, inclusive conteúdos antigos e de qualidade, que aparecem em destaque abaixo da barra de busca.

google discover

Eles são baseados também nos gostos do usuário e representam uma fonte de tráfego bem relevante para muita gente. Dá, inclusive, para otimizar seu site para o Discover.

E agora, caso a sua página tenha tráfego relevante, dá para entender melhor a performance por lá no Google Search Console. De acordo com o blog para webmasters do Google, você vai poder comparar o desempenho de links na busca e no Discover, entre outras coisas.

Link relacionado:

Marca de cosméticos Lush UK deixa as redes sociais

Se você sempre se perguntou se o seu negócio deve ou não continuar nas redes sociais, saiba que acaba de ganhar um belo case para estudar. E logo de uma marca de cosméticos, um mercado bem representativo do mundo de social media.

A Lush UK anunciou que vai aposentar seus perfis no Instagram, Facebook e Twitter, deixando inclusive de responder mensagens a partir da próxima semana. A marca culpou os algoritmos, dizendo que não quer ter que pagar para falar com todo o seu público.

A empresa quer que os consumidores se comuniquem com ela diretamente pelo site. Aqui na RD a gente sempre defendeu que as empresas não baseiem suas ações de Marketing Digital nas redes sociais, tendo seus próprios canais. Vamos acompanhar com atenção!

Link relacionado:

Tudo pronto para a Semana da Produtividade de Marketing e Vendas da Resultados Digitais

Se você achou que não foi eficiente o bastante na semana que passou, não perde por esperar a próxima! Isso porque será a Semana da Produtividade de Marketing e Vendas da Resultados Digitais. Serão 5 webinars ao vivo e gratuitos para você descobrir ferramentas, integrações e metodologias para aproveitar melhor o tempo no trabalho.

E já que estamos na vibe de não perder tempo, basta preencher os dados abaixo para garantir o seu lugar. Você vai poder participar mandando perguntas e tirando suas dúvidas com especialistas da RD e do mercado! Bora?

Semana da Produtividade de Marketing e Vendas

Serão cinco webinars exclusivos e gratuitos sobre como você e a sua equipe podem ser mais eficientes. Eles terão temas como integrações de processos, automação de marketing, hacks de vendas, metodologias ágeis e gestão da rotina pessoal e dos times.

Marcadores:

Deixe seu comentário