Aprenda como dar feedbacks positivos e negativos com dicas práticas

A troca de feedbacks positivos e negativos entre os colaboradores traz benefícios como motivação, retenção de talentos e melhoria do clima organizacional


Implementar uma cultura de feedback na empresa traz uma série de benefícios tanto para líderes quanto para liderados. Isso porque, quando você sabe o que está acontecendo com os seus funcionários, cria-se uma relação de confiança e de bem-estar, o que naturalmente gera mais comprometimento.

Mas, mesmo com todos os benefícios, um em cada cinco brasileiros ainda não recebem esse tipo de avaliação de desempenho, conforme mostrou a pesquisa FIA Employee Experience (FEEx). No levantamento, que ouviu 150 mil funcionários de mais de 300 empresas brasileiras entre agosto e setembro de 2020, 20% dos participantes disseram não receber feedbacks positivos ou negativos de seus chefes. 

Dados como esse mostram que ainda falta muito para que se implemente uma cultura de feedback em todas as empresas. E muito dessa falta de avaliações passa por não saber como fazê-las. 

É por isso que, neste artigo, trazemos algumas dicas sobre como dar bons feedbacks, sejam positivos ou negativos. Entenda como colocar em prática e comece a colher os benefícios na sua empresa também!

Kit de Gestão de Marketing Digital

Como gerir times, controlar a operação e gerar ainda mais resultados - sem enrolação

- Ao preencher o formulário, concordo * em receber comunicações de acordo com meus interesses. - Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de privacidade. * Você pode alterar suas permissões de comunicação a qualquer tempo.

Por que ter uma cultura de feedback na empresa?

É comum que colaboradores guardem para si pensamentos, opiniões e até ideias inovadoras com receio de serem prejudicados no ambiente de trabalho. Isso acontece porque as pessoas têm o hábito de interpretar os feedbacks como críticas. Mas não deveria ser assim.

Ter uma cultura de feedback pode trazer benefícios para líderes e liderados — estes podem, inclusive, avaliar o gestor também, conforme falaremos mais adiante.

São muitos os motivos para desenvolver uma cultura de feedback na empresa:

  • Motivar os colaboradores
  • Criar um ambiente de mais colaboração
  • Criar uma relação de confiança entre líderes e liderados
  • Melhorar o clima organizacional
  • Ter colaboradores mais satisfeitos, reduzindo o turnover

Como dar feedbacks positivos e negativos fazendo com que sejam uma boa experiência?

Agora que você já conhece os benefícios de ter uma cultura de feedback na sua empresa, vamos para a prática. Veja as dicas para fazer com seus feedbacks, sejam positivos ou negativos, constituam uma boa experiência.

1. Planeje-se

Agendar uma reunião com um colega de trabalho ou com um liderado sem saber sobre exatamente o que você deseja conversar pode causar tanto desconforto quanto um feedback não estruturado — é como ir ao supermercado e esquecer a lista de compras. Para evitar uma situação dessas, reflita sobre a necessidade dessa conversa e seja específico.

Você pode começar anotando os pontos fundamentais para o desenvolvimento da conversa e apresentar exemplos do que será dito. Independentemente da intenção do feedback, como elogiar ou ajudar a desenvolver alguns pontos necessários, ter um planejamento de como você vai aplicá-lo é fundamental para que o objetivo seja alcançado.

2. Seja sincero e demonstre empatia

Procure deixar a pessoa que está recebendo o feedback à vontade e explique o real motivo da conversa. Essa é uma ótima chance para demonstrar o quanto você se importa e compreende as pessoas. A boa intenção, aliás, é um dos diferenciais de um bom feedback, e criar uma relação de confiança é essencial para o sucesso de qualquer conversa.

3. Siga uma estrutura

Uma estrutura que usamos aqui na Resultados Digitais é a técnica SCI (que significa Situação, Comportamento e Impacto). Trata-se de um modelo simples, que orienta a construção do discurso de feedback. Essas siglas podem ser entendidas da seguinte maneira:

  • Situação: consiste em situar o receptor com clareza sobre o tema que está sendo abordado, incluindo a descrição da ocasião em que o comportamento ocorreu. Expressões rígidas como “sempre” ou “nunca” são descartadas, para apresentar a situação de uma forma mais empática e solícita;
  • Comportamento: consiste em relatar as ações ou exemplos específicos que caracterizam o comportamento do receptor. Não inclui opiniões pessoais ou generalizações feitas pelo emissor;
  • Impacto: consiste na descrição das consequências causadas pelo comportamento do receptor, isto é, como as pessoas reagiram a essa ação e os resultados obtidos.

Veja um exemplo de utilização:

Maria, durante a reunião hoje pela manhã eu percebi que você interrompeu os demais diversas vezes. Isso fez com que as pessoas se sentissem incomodadas e perdessem a linha de raciocínio do que diziam. Além disso, esse comportamento me passou a impressão de que você estava muito ansiosa a ponto de não poder esperar o momento certo de apresentar sua opinião.

A eficácia do feedback depende de um processo continuado que identifica modelos mentais, comportamentais, seus contextos e impactos.

Acredite: ser simples e objetivo é a melhor opção!

4. Como concluir o feedback?

Se no feedback foram apresentados apenas elogios, você pode estimular o receptor sobre seus planos de continuidade ou até mesmo encorajá-lo a apresentar os resultados para toda a equipe.

A apresentação de experiências pessoais positivas, além de ser motivacional, aproxima os membros da equipe e cria espaço para discussões e trocas de conhecimento que podem agregar muito valor ao setor. Isso pode, inclusive, gerar oportunidades para a criação de novos estudos, projetos ou até mesmo ações construtivas para a área.

5. E se o feedback for construtivo?

Da mesma forma que o feedback positivo, o feedback negativo, ou construtivo, deve ser guiado de forma objetiva, sem rodeios. A apresentação de evidências pode ajudar bastante nesse processo.

Por exemplo:

Nos últimos dois meses notei que você ficou abaixo da meta e que anda mais introvertido. Isso tem me preocupado, pois você costuma apresentar sempre bons resultados e ser mais comunicativo. Podemos conversar ou pensar juntos em um plano de ação que possa mudar isso?

Você percebe como é simples de compreender e demonstra que você se preocupa com o ouvinte? Com isso, as chances de evoluções positivas após essa conversa serão muito maiores.

E se eu tiver que apresentar um feedback para meu líder?

Essa frase pode soar estranha para muitas pessoas. Mas a prática de dar feedbacks para líderes é adotada por muitas empresas que investem em uma cultura de feedback bem desenvolvida.

A avaliação dos colaboradores também pode contribuir para o desenvolvimento do líder. Como em qualquer relação humana, tanto o liderado quanto seu líder tendem muito a ganhar se estiverem dispostos a trocar feedbacks. Juntos, além de evoluírem como pessoas, podem contribuir ainda mais para o desenvolvimento do negócio.

Um dos principais benefícios do feedback para o líder é o conhecimento do seu perfil profissional pela visão dos seus liderados.

No dia a dia, o líder lida com diversos tipos de personalidade, mas, às vezes, pode acabar tomando os mesmos tipos de atitudes para com todos os liderados, o que pode fazer com que não esteja colhendo os melhores resultados.

É por isso que o feedback é tão importante. Além de conhecer melhor a equipe, buscando manter uma boa relação, o líder pode, assim, saber quais são os seus pontos positivos e de melhoria de acordo com as opiniões dos membros do time. Essa é uma ótima estratégia para quem deseja se desenvolver profissionalmente na área de liderança.

Um líder é, acima de tudo, um representante de sua equipe. Se você é líder, poderá, com a prática dos feedbacks, ser ainda mais admirado, potencializando assim suas habilidades.

Veja algumas dicas de como dar esse feedback positivo ou negativo para o líder.

Como apresentar o feedback para meu líder pela primeira vez?

O feedback pode ser apresentado com a mesma estrutura: mostrando-se o contexto e suas evidências. Você pode apresentar gráficos, relatórios ou um estudo que você tenha realizado para demonstrar o seu ponto de vista. Apresentações visuais são mais fáceis de serem interpretadas e ajudam na objetividade.

Caso você não tenha dados para apresentar e a pauta do seu feedback seja um assunto de cunho pessoal, como falar sobre como você se sentiu diante de uma situação, você pode apresentar a circunstância e dizer com clareza e sutileza como você se sentiu.

Para ajudar, você pode indagar se pode dar uma opinião sobre o assunto ou até mesmo apresentar uma ideia de ação para situações como aquela, por exemplo:

Eu acredito que nessa situação, se você agir de tal maneira, poderá obter resultados mais apropriados.

A prática da empatia nessa situação sem dúvida ainda prevalece.

Quer outras dicas sobre como fazer avaliações ainda melhores? Então assista ao vídeo abaixo, no qual a psicóloga cognitiva LeeAnn Renninger compartilha um método cientificamente comprovado de como dar feedbacks efetivos:

Concluímos, então, que a prática do feedback pode trazer uma quantidade enorme de aprendizados muito importantes em nosso desenvolvimento. E você, já deu algum feedback hoje?

Para continuar aprendendo, recomendamos o download do kit Gestão de Marketing Digital. Com essa seleção você vai aprimorar a liderança, ganhar produtividade e aumentar a performance das suas campanhas. Baixe agora, é gratuito!

Kit de Gestão de Marketing Digital

Como gerir times, controlar a operação e gerar ainda mais resultados - sem enrolação

- Ao preencher o formulário, concordo * em receber comunicações de acordo com meus interesses. - Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de privacidade. * Você pode alterar suas permissões de comunicação a qualquer tempo.


Post publicado em junho de 2018 e atualizado em dezembro de 2020.

Marcadores:

Deixe seu comentário

Comentários