O futuro das redes sociais, por Bia Guarezi, Larissa Rodrigues e Ana Carvalho

As especialistas em conteúdo e mídias sociais encerraram a temporada 2021 do RD Hostel, evento online da RD Station


Um papo de bar com muita sensatez. Em diferentes momentos, foi assim que Bia Guarezi, Larissa Rodrigues e Ana Carvalho definiram a conversa entre elas próprias que encerrou a temporada 2021 do RD Hostel. Elas compuseram um painel intitulado “O futuro das redes sociais” no Check Out, última live do evento online da RD Station que teve datas em agosto, setembro, outubro e novembro. 

Se você perdeu, pode se inscrever para ver tudo de graça na nossa plataforma de conteúdo – são mais de 120 palestrantes falando de Marketing, Vendas e Inovação. Clique no banner abaixo para garantir a sua estadia no RD Hostel 2021, depois volte aqui para ler um super resumo do que as especialistas falaram sobre tendências de redes sociais para os próximos anos!

Um pouco sobre Bia Guarezi, Larissa Rodrigues e Ana Carvalho

Não foi à toa que essas três mulheres foram escolhidas para encerrar a maratona de conteúdo. Elas são grandes referências de branding e Marketing Digital, com muita experiência para dividir.

Beatriz Guarezi é brand manager da food tech Liv Up e editora da newsletter Bits to Brands, uma das mais influentes do Brasil. Bia aborda com frequência temas relacionados às redes sociais, sempre com profundidade e muita reflexão.

Larissa Rodrigues é publicitária com 8 anos de mercado. Desde 2018, ela também cria conteúdo no Hábitos que Mudam, uma comunidade com mais de 260 mil pessoas no Instagram e outras milhares no email e no Telegram.

Ana Carvalho é RP do iFood, criadora do Social Media Thinking, editora da newsletter Manda Refs e apresentadora de uma live no YouTube semanal chamada Encontro. Ou seja, cria e publica muito conteúdo também!

A consolidação definitiva do TikTok

Toda conversa sobre redes sociais, atualmente, precisa começar por um certo app. “A gente sabe o quanto o TikTok tem ditado as regras quando a gente fala de trends, do tipo de conteúdo que se produz, do consumo de vídeos curtos, enfim, 2021 foi o grande ano do ‘você precisa estar no TikTok’ tanto para criadores quanto para marcas”, disse Bia.

Larissa acredita que a melhor forma de uma marca entrar no TikTok é se planejando. E isso começa por observar para estudar e aprender a dinâmica dos conteúdos lá criados. Ana, por sua vez, aponta o alcance das postagens como um dos diferenciais do TikTok em relação às outras redes sociais, e que ajudou na popularização.

Enquanto criadoras de conteúdo, todas as três acreditam que ninguém é obrigado a estar em todas as redes sociais, inclusive por razões de saúde mental. Porém, elas veem o TikTok ganhando ainda mais relevância em 2022.

Bia Guarezi, Larissa Rodrigues e Ana Carvalho no Check Out RD Hostel 2021

A imprevisibilidade do alcance das redes sociais

Como Ana Carvalho falou em alcance, Bia puxou a conversa para a imprevisibilidade dos algoritmos. Desde as quedas dos aplicativos do Facebook até as oscilações de entrega de Stories, os analistas de social media tiveram um ano de fortes emoções.

“O que você cria para esperar que as pessoas engajem e realmente esperem por isso?”, questiona Larissa, falando de como enfrentar a dependência dos algoritmos. Bia sugeriu a frequência como uma saída, ou seja, uma combinação clara com seguidores de que dia (e até hora) seus conteúdos são publicados. Isso é comum em newsletters, por exemplo.

Ana lembrou que o algoritmo entrega o que as pessoas querem ver, mas que isso não significa que os criadores de conteúdo precisam correr atrás de tudo que é trend. É preciso fazer sentido também para quem produz.

Bia ainda soltou uma frase com alto potencial de virar bordão: “quem vê engajamento, não vê faturamento”. Ela se referia a posts que parecem não ter gerado likes e comentários, mas que renderam abordagens por direct, venda de cursos e oportunidades comerciais. As três especialistas indicam buscar engajamento de qualidade.

>> Leia também: Curadoria e comunicação: CEOs de the news e Canal Meio falam sobre newsletters empresariais

Outros ritmos de produção de conteúdo

A velocidade da produção incessante de conteúdo nas redes sociais cria ansiedade nas duas pontas: a dos criadores e a dos consumidores. Duas tendências para os próximos anos são o slow content e a durabilidade mais longa.

Ambas passando por uma produção menos frenética e com prazo de validade maior, com mais significado. Larissa, que é mais ativa no Instagram, não crê que essa rede social seja o ideal para isso. Ela publica um conteúdo mais aprofundado por semana, mas aposta em coisas mais rápidas no dia a dia. Seu blog é o que recebe textos maiores e reflexões.

Ana reforçou que, para quem está começando, a frequência é sim muito importante. Para quem já está mais consolidado, vale a pena testar o slow content, até para não saturar. Ela, por exemplo, tem feito muitas coisas no YouTube, uma mídia menos imediatista.

“Por que você está fazendo o que você está fazendo?”, finalizou Bia, estimulando quem assistia à conversa a entender o próprio momento, fazer testes e entender como produzir conteúdo.

>> Leia também: Camila Renaux: entretenimento no Instagram para marcas e profissionais

Assista à conversa completa no RD Hostel 2021

A grande mensagem deixada por Bia Guarezi, Larissa Rodrigues e Ana Carvalho é ter uma preocupação em manter conversas de qualidade com seus seguidores nas redes sociais. Este é só um resumo do que elas conversaram, então vale muito a pena assistir a todo o papo na íntegra. Tem muitos insights para você aplicar em 2022!

Fazendo sua inscrição na plataforma de conteúdo do RD Hostel, você tem acesso a todos os painéis e palestras da temporada. Tudo isso gratuitamente, com grandes nomes de Marketing, Vendas e Inovação. Clique abaixo para ver os profissionais que brilharam nos nossos palcos virtuais e comece agora mesmo a maratonar!

Deixe seu comentário

Comentários