Blog de Marketing Digital de Resultados

17 ideias criativas para você produzir seu conteúdo rico

Confira 17 ideias criativas, simples e baratas para você mesmo produzir materiais ricos e gerar mais leads para seu negócio

Em algum momento você já pensou na possibilidade de produzir um material rico, mas abandonou a ideia por não ter staff ou budget para isso? Ou mesmo achou que não tem capacidade de ter ideias criativas de conteúdos?

Saiba que essas duas carências não são mais desculpas para você não criar esse material. É praticamente incontável o número de ferramentas (algumas até gratuitas) que auxiliam intuitivamente o usuário na criação de animações, podcasts, planilhas, calculadoras, infográficos, webinars e outros formatos que vão além do eBook.

Aqui, na Resultados Digitais, produzimos materiais ricos semanalmente. Além de eBooks, também disponibilizamos outros formatos de materiais em nossa página de Materiais Educativos.

Pensando nisso, selecionamos 17 ideias criativas para você mesmo produzir seu conteúdo rico. De forma simplificada, e sem a necessidade de grandes investimentos, você mesmo pode criar diversas formas de materiais. Basta escolher qual é o formato mais adequado para seu tipo de negócio.

Template: Guia para planejar um conteúdo rico

Descubra o que é necessário para criar materiais para geração de Leads cada vez mais eficientes

Ideias criativas de conteúdos para gerar Leads

Produzir materiais ricos é uma forma inteligente de geração de Leads para seu negócio. Tudo o que você precisa fazer é criá-lo e depois disponibilizá-los para download em uma Landing Page. Vamos à lista de ideias criativas para os seus conteúdos:

1 – Guia para leitura rápida

Apresentação com pouco texto em cada página, usando cores e ícones. É uma leitura agradável que pode ser facilmente escaneada com os olhos. A diferença está na organização das informações e no uso das cores.

Quando usar: Quando a persona possui pouco tempo e disponibilidade.

Exemplo:

  • Entenda a idade da sua pele e saiba quais produtos combinam mais com ela;
  • Um exemplo deste estilo de design pode ser visto no template de Inbound Marketing para agência que temos. Ainda que finalidade seja outra, o template serve de inspiração.

Passo a passo:

  • Escolha uma paleta de cores que combine com a sua persona ou use a da sua marca;
  • Faça os slides com fundo colorido;
  • Escreva o texto com letras grandes organizadas em partes diferentes da página com negrito em algumas expressões principais;
  • Coloque ícones flats para mostrar com imagens simples informações importantes;

Ferramentas usadas:

Dica: Use o SlideShare para dar uma prévia do conteúdo na sua Landing Page e faça com o seu leitor entenda como será agradável, como no exemplo acima. Aprenda aqui a criar apresentações vencedoras no SlideShare.

2 – Dicionários de termos da área

Uma lista completa de termos específicos e interessantes do seu segmento.

Quando usar: Quando a sua área tem uma linguagem própria, muitas expressões e/ou termos técnicos. Novas pessoas na área podem se perder, e o dicionário é um bom material para fazer esse auxílio.

Exemplos:

  • Glossário de termos do Marketing Digital;
  • Você sabe o que é um galo? Conheça as principais expressões da bolsa de valores.

Passo a passo:

  • Crie uma lista das palavras no Word ou Google Docs;
  • Organize em ordem alfabética;
  • Crie links dentro do arquivo, e para facilitar a navegação transforme em PDF.

Ferramentas usadas:

  • Qualquer editor de texto.

3 – Trilhas de emails

Automação de um número limitado de emails sobre um determinado tema, com uma entrega útil e clara para o usuário. O benefício está na organização, na curadoria e na recorrência dos conteúdos.

Quando usar: Para separar um grande volume de conteúdo em partes menores e, portanto, bem didáticas. Uma boa ideia para pessoas com a rotina corrida, sem tempo para ler um eBook de uma vez.

Exemplos:

  • Buscamos apartamentos para você, receba todo dia X exemplos de imóveis para alugar na sua região;
  • 7 emails para aprender mais sobre email marketing em 14 dias.

Saiba mais no eBook “O Guia do Email Marketing”.

Passo a passo:

  • Tenha um tema interessante para a sua persona;
  • Separe os conteúdos em vários pequenos posts e/ou emails;
  • Prepare um call to action com a chamada da trilha;
  • Ao clicar, o usuário se inscreve em uma Landing Page e começar a receber a sequência de emails.

Ferramentas usadas:

4 – Trilhas de podcast

Sequência de podcasts enviados com uma frequência predeterminada por email. Bem similar à trilha de email, o que difere é o formato em que a informação é entregue. Nesse caso, em áudio.

Quando usar: Quando você precisa dar a seu público notícias recentes e/ou conteúdo de mais fácil absorção.

Exemplos:

  • Receba atualizações do mercado financeiro diariamente;
  • Fique por dentro das principais tendências da moda;
  • Melhore sua gestão de pessoas em 15 dias, enquanto vai para o trabalho.

Passo a passo:

  • Tenha um tema interessante para a sua persona;
  • Grave os podcasts e os envie por email para sua base;
  • Prepare um call to action com a chamada da trilha;
  • Ao clicar, o usuário se inscreve em uma landing page e começar a receber a seqüência de emails.

Ferramentas usadas:

Dica: O setor financeiro costuma receber muito bem podcast.

5 – Plano de estudo

Definir quais serão as leituras de cada dia e, assim, incentivar o estudante a finalizar uma meta.

Quando usar: Uma opção caso o seu negócio esteja ligado à educaçao e/ou precise da entrega de conteúdo em etapas planejadas e sequenciais.

Exemplos:

  • Prepare-se para a prova da OAB com este plano de estudo;
  • Revise os principais conteúdos de genética para o vestibular.

Passo a passo:

  • Separe os conteúdos a serem estudados;
  • Estipule datas limite e pequenas vitórias;
  • Monte o cronograma.
  • Opção 1: Use o Excel com cores e metas
  • Opção 2: Faça uma imagem recortada em fragmentos, sendo que cada espaço representa um conteúdo a ser lido. O estudante vai colorindo a imagem à medida que lê os conteúdos correspondentes, até atingir a sua meta e ter um desenho todo completo.

Ferramentas usadas:

Dica: Para que o modelo fique mais lúdico, é interessante trabalhar com cores e imagens. Uma opção é pensar em modelos que podem ser impressos.

6 – Conteúdo programático de um curso

Material pode ser feito para unir todas as informações sobre um curso de graduação, pós-gradução, extensão, etc. Pode ser um pdf com o intuito de ajudar os potenciais alunos a entenderem o programa.

Quando usar: Focado no setor de educação, é usado para promover cursos de diferentes níveis, tanto online quanto presencial.

Exemplos:

  • Conteúdo programático do curso de pós lato sensu;
  • Guia completo do curso administração: tudo que você precisa para ver se este curso combina com você.

Passo a passo:

  • Junte todas as informações sobre o curso em um só arquivo: grade curricular, descrição das disciplinas, carga horária, preço, depoimento de alunos, empregabilidade após o curso;
  • Transforme em um único PDF.

Ferramentas usadas:

  • Qualquer editor de texto.

Dica: Se possível colocar fotos e depoimentos para captar mais a atenção do interessado.

7 – Infográficos

Um infográfico pode ser a união de informações de forma visual, com gráficos e dados destacados para facilitar que uma mensagem seja entendida.

Quando usar: Para facilitar a leitura através de informações visuais, seja sobre o crescimento de um setor, quanto para explicar um passo a passo.

Exemplos:

Passo a passo:

  • Separe as informações mais relevantes;
  • Organize-as de forma mais confortável para o leitor;
  • Monte no infográfico, usando uma ferramenta para isso.

Ferramentas usadas:

Dica: O infográfico tem que ter a cara da empresa que está fazendo. Não adianta ser muito sério e linear se objetivo for chamar a atenção de adolescentes. Assim como não pode ser muito informal se for direcionado para o setor financeiro.

8 – Listas com GIFs animados

Você pode montar uma lista de sobre um tema e ilustrá-la com GIFs animados.

Quando usar: Para ter uma comunicação mais próxima e descontraída com o público, especialmente adolescentes e geração Y.

Exemplos:

  • 15 sinais que você precisa mudar de celular;
  • 10 dicas para mandar bem na hora de conseguir seu primeiro emprego.

Passo a passo:

  • Monte X fatos interessantes sobre um tema;
  • Escolha a imagens animadas GIFs que representem cada um;
  • Mande por email ou coloque em um googledocs.

Ferramentas usadas:

9 – Calculadora

Trata-se de um arquivo no Excel com fórmulas pré-prontas, e que o usuário poderá se beneficiar para ter uma ideia clara e matemática da sua solução.

Quando usar: Interessante para mostrar os gastos e/ou fazer a perspectiva de mercado. Também é útil para quem tem um cálculo prático ou um pay off facilmente mensurável.

Exemplos:

  • Planilha para controlar seus gastos pessoais;
  • Calculadora de economia de luz: quando você economizaria ao substituir seus lâmpadas por leds;
  • Calculadora de Teste A/B.

Passo a passo:

  • Monte as informações em uma planilha;
  • Organize as fórmulas em um Excel e/ou Google Drive;
  • Separe as partes que podem ser alteradas e as áreas fixas;
  • Crie uma aba ensinando a usar.

Ferramentas usadas:

  • Excel ou Google Sheets.

10 – Planilha de lista de ferramentas e sites úteis

Uma coletânea de sites, app e/ou blogs que serão interessantes para a sua persona.

Quando usar: É um conteúdo fácil de montar. São bem aceitos quando a sua persona está passando por um momento estratégico e/ou particular da vida e precise de ajuda nele.

Exemplos:

  • Volta ao mundo em 80 sites: planilha com tudo que precisa para a sua viagem;
  • 50 sites que toda noiva precisa acompanhar.

Passo a passo:

  • Faça um compilado de sites, ferramentas, blog, apps, eventos, festivais, personalidades da área, grupos do Facebook;
  • Separe as categorias;
  • Faça busca por mais informações;
  • Procure outras listas para complementar a sua;
  • Prepare um descrição dos links;
  • Adicione um bônus;
  • Ajuste as cores e colunas da planilha;
  • Crie uma aba de como usar.

Ferramentas usadas:

  • Excel ou Google Sheets
  • Google Drive

Dica: Tente pensar em nomes divertidos e incentive as pessoas a continuarem editando a própria planilha para que ela fique cada vez mais completa.

11 – Análise de um segmento

Uma pesquisa ou os dados que a sua empresa coletou sobre o setor.

Quando usar: Para empresas que têm um volume relevante de informações sobre um segmento para oferecer.

Exemplos:

Passo a passo:

  • Separe as categorias e as informações;
  • Busque os principais padrões;
  • Separe por setor;
  • Organize resultados em slides com gráficos e/ou infográficos;
  • Salve em PDF e disponibilize como uma análise própria do setor.

Ferramentas usadas:

  • Word ou Google Docs;
  • Também é possível adicionar infográficos.

12 – Artigos técnicos ou leis comentadas

É uma versão comentada ou simplificada de algo muito técnico para um público leigo no assunto.

Quando usar: Para auxiliar uma outra área a entender algo técnico ou o estudo para algum concurso.

Exemplos:

  • Lei XX comentada: entenda melhor sobre o menor aprendiz na sua empresa;
  • 7 passos para entender melhor as regulações dos Equipamentos de Proteção Individuais;
  • Kit Tudo sobre LGPD;
  • Manual de produtos técnicos.

Passo a passo:

  • Faça as anotações sobre o artigo/lei;
  • Intercale o texto do artigo com os comentários feitos;
  • Deixe claro o que é texto e o que é o comentário;
  • Transforme em PFD.

Ferramentas usadas:

  • Word ou Google Docs.

Dica: Traduza “juridiquês” e simplifique o vocabulário formal.

13 – Animações rápidas

Mini vídeos ou animações que explicam o conteúdo de forma lúdica.

Quando usar: Para variar o formato de entrega de conteúdo e também se o público tende a ser mais dinâmico e menos interessado em leitura.

Exemplos:

  • Saiba como escolher seu primeiro imóvel;
  • Como vender mais na sua loja de ferramentas;
  • 7 dicas para economizar na sua viagem.

Passo a passo:

  • Faça seu roteiro;
  • Escreva as principais frases;
  • Prepare o video em uma ferramenta gratuita.

Ferramentas usadas:

14 – Mini curso

Um curso com aulas gravadas e/ou materiais escritos.

Quando usar: Para atrair alunos interessados no temas.

Exemplos:

Passo a passo:

  • Prepare um plano de aulas;
  • Escolha o formato de cada apresentação;
  • Organize a sequência das atividades;
  • Tenha uma estratégia para confirmar presenças em cada módulo, como inscrições por landing pages.

Ferramentas Usadas:

Dica: Ofereça um certificado digital para os alunos que concluírem o curso.

15 – Reutilizar uma palestra/hangout e adicionar perguntas no final

Usar o roteiro de uma apresentação ou palestra já feita e, para complementar, incentivar o público a interagir com palestrante.

Quando usar: Na falta de tempo para criar novos conteúdos e quando se tem um especialista renomado na área.

Exemplos:

Passo a passo:

  • Tenha um roteiro claro;
  • Grave em lugar silencioso ou que chamaria a atenção da sua persona;
  • Tenha um moderador para as perguntas no final.

Ferramentas usadas:

16 – Enviar brindes da sua marca

Captar os contatos da pessoa para que a empresa possa enviar um brinde da marca ou com uma frase interessante.

Quando usar: Quando marca for muito forte ou de nicho.

Exemplos:

  • Receba um adesivo gratuito;
  • Receba um mouse pad com o nome do seu curso na Universidade;
  • Ganhe um chaveiro de borracha de seu ponto turístico favorito.

Passo a passo:

  • Crie um cadastro;
  • Explique as regras, como: frequência e tempo de envio, etc;
  • Envie por correio.

Ferramentas usadas:

  • Landing Pages ou formulários para coletar o endereço;
  • Cartas / Outra forma de envio.

17 – Moldes do seu produto para imprimir

Desenho dos produtos e/ou forma que estão à venda online.

Quando usar: Para facilitar as compras online de produtos que dependem de tamanho e formato, como sapatos e óculos.

Exemplos:

  • Imprima a forma do sapato para conferir a sua numeração;
  • Baixe nosso guia de tamanhos e acerte na compra da aliança;
  • Imprima o modelo do seu óculos favorito e verifique qual combina mais com o seu rosto.

Passo a passo:

  • Disponibilize um arquivo simples para impressão;
  • Explique como imprimir corretamente para evitar distorção no tamanho.

Ferramentas usadas:

  • Seu guia de tamanho.

Como usar dados para potencializar os resultados das suas ideias criativas de conteúdos

Falar de dados e criatividade é sempre polêmico. Muito se ouve que os dados irão matar a criatividade, e por muito tempo esses dois assuntos eram consideradas polos opostos como racional e emocional, cientistas e artistas ou como água e óleo, onde suas densidades diferentes e moléculas polares e apolares não se atraem e portanto não se misturam.

Estatísticos eram a água e criativos o óleo nos departamentos das empresas. Com a revolução digital e a imensa quantidade de dados gerados, esses dois perfis estão trabalhando cada vez mais próximos: a criatividade ganhando força com a influência dos dados e os dados gerados a partir de criações trazendo inteligência de negócio.

A criatividade popularmente é vista como um dom, com o qual a pessoa nasce com  ou sem. Porém, diversos pesquisadores alegam que a ela está presente em todas as pessoas, desde a dona de casa que cria uma nova receita, Einstein ao formular a Teoria da Relatividade, o publicitário que cria uma campanha premiada ou uma pessoa que monta uma gambiarra para solucionar o problema do chuveiro.

A psicologia aborda de diversas formas a criatividade. Freud falava sobre dois processos mentais – o primário relativo ao funcionamento inconsciente e o secundário que está relacionado à mente desperta e que adota a lógica racional. Arieti, psiquiatra italiano, complementa Freud e diz que a criatividade é a “síntese mágica” de transição da mente entre consciente e inconsciente.

Criatividade na prática

Saindo do âmbito teórico e entendendo como se criam os processos relacionados à construção de ideias, podemos dizer que o criativo não cria algo do nada. Quanto maior o  repertório de conhecimento você tem, maior é a possibilidade de ser criativo.

A criatividade é o resultado da observação de dados, que são selecionados e reorganizados de maneira surpreendente afim de resolver uma situação. A criatividade não cresce no vácuo e quanto mais você souber combinar o conhecimento técnico com o intuitivo, melhor e  mais fácil será a resolução de um problema .

Em alguns cenários, o repertório intuitivo pode ser suficiente. Outras vezes, os dados de uma planilha ajudarão. Os dados não são inimigos nem salvadores, mas a transformação dos dados em conhecimento, insights e ação é o que conta. Antes de mergulhar no oceano de números que a internet proporciona, é importante ter algumas questões claras para saber de fato quais dados podem te ajudar a encontrar respostas para a tomada de decisão.

Tenha o problema e objetivo claros

O que você quer descobrir? Qual é sua dúvida? Quer validar uma hipótese?  O primeiro passo é ter claro o problema que você quer resolver.

Essa etapa é muito importante para que tenhamos um norte do que queremos avaliar. Sem os porquês, iremos ficar à deriva num mar de números e teremos um sério problema de produtividade por não sabermos o que é informação relevante na análise e o que é informação que podemos descartar.

Determine a situação

Existem diversas fontes que podem ser usadas para cada fim. De posse do problema, minha sugestão é que você avalie qual situação o seu problema/objetivo se encaixa.

Esse momento é crucial porque a situação do objetivo irá definir ferramentas e onde você pode buscar os dados que irão ser o combustível do seu plano de ação.

Para um problema que demande um diagnóstico do cenário atual

Nesse caso, você quer entender o momento ou criar a primeira régua base com critérios que irá acompanhar. Saber o momento atual servirá para otimizar, projetar ou para buscar novas oportunidades. Busque por dados que você tem em casa e que irão dar um panorama do passado e presente.

Você pode buscar:

  • Dados de faturamento;
  • Taxas de conversão;
  • Aberturas de email;
  • Acessos ao seu site.

Exemplos de perguntas que terão respostas nesse momento:

  • Seu negócio está em crescimento ou declínio?
  • Qual é ticket médio atual do seus cliente?
  • Qual taxa de conversão de Leads em cliente?
  • Minhas taxas de conversão e custo de aquisição estão boas?

Para descobrir possíveis oportunidades

Sua intenção é descobrir algo novo ou uma oportunidade que está escondida nos dados. A sutil, mas grande diferença para o diagnóstico é a forma com que você irá interpretar e aprofundar a análise. Você olhará o passado e o presente para fazer uma ação futura.

Você pode buscar por:

  • Dados de faturamento;
  • Taxas de conversão, aberturas de email, acessos ao seu site, redes sociais, pesquisas.

Exemplos de perguntas que terão respostas nesse momento: 

  • Como eu posso aumentar o ticket médio dos meus clientes?
  • Para qual produto fomentar uma estratégia de venda mais agressiva?
  • Qual conteúdo tem mais abertura de e-mail ou mais conversão nas Landing Pages?

Para construir insights

Nesse tópico, a pesquisa de dados precisa ser exploratória com o objetivo de planejar e buscar possibilidades de ideias ou de respostas para o seu problema.

Você pode buscar por:

  • Palavras-chave;
  • Redes sociais;
  • Analytics do site;
  • Taxas de conversão;
  • Pesquisa qualitativa.

Exemplos de perguntas que terão respostas nesse momento: 

  • Preciso otimizar meus canais para os buscadores (SEO), qual assunto referente ao meu negócio está sendo  buscado no Google?
  • O que meus clientes estão comentando nas redes sociais que podem melhorar os meus serviços?
  • Quais as maiores dúvidas que meus vendedores recebem dos prospects?

Para validar insights

Nessa etapa você teve uma ideia que parece genial. Vá aos dados e descubra se essa sua ideia é realmente boa e condiz o que seus clientes estão querendo.

Você pode buscar por:

  • Palavras-chave;
  • Redes sociais;
  • Analytics do site;
  • Taxas de conversão;
  • Pesquisas qualitativas.

Exemplos de perguntas que terão respostas nesse momento: 

  • Tive a ideia de fazer um webinar sobre como fazer um bolo de chocolate vegano. Esse é um conteúdo que os usuários estão buscando?
  • Alimentação vegana é uma tendência?

Preciso saber resultados das ações e colher aprendizados

Avalie os resultados para saber se suas estratégias e ações estão acontecendo como planejado. Tenha certeza que o objetivo que você traçou terá um acompanhamento dos dados para analisar o antes e depois da sua campanha.

Os dados que você deve acompanhar serão aqueles que fizeram você tomar a decisão. Com a baseline, veja se no decorrer da sua estratégia os ponteiros dos indicadores estão mudando. E volte a pensar no processo utilizando os aprendizados que surgirem durante a jornada.

Exemplos de perguntas que terão respostas nesse momento:

  • Consegui melhorar as conversões?
  • Que ações fizeram as visitas do site aumentar?
  • De quanto foi o aumento das vendas e por que?

Questione até encontrar a raiz do problema

Uma ótima técnica para aprofundar os questionamentos é os 5 Whys, que de forma simplificada, consiste em levantar o problema atual e tentar chegar a raiz dele. Veja o exemplo abaixo.

Problema: A conversão da minha Landing Page está baixa.

Porquês:

  • Por que a conversão da Landing Page está baixa?
  • Porque está tendo pouca visita.
  • Por que está tendo pouca visita?
  • Porque eu não divulguei bem.
  • Por que você não divulgou bem?
  • Porque eu não consegui fazer um estudo de palavras-chave relevantes.

Às vezes nem é preciso chegar nos 5. :)

A partir do momento que você descobre a raiz do problema, pense no seu objetivo e no caminho que você quer seguir para solucioná-lo.

Colete e analise os dados profundamente, busque cruzar dados e informações tentando encontrar padrões de comportamento humano em vez de olhar números.

Os dados não irão criar nada para você, mas encontrar esses padrões de comportamento será um grande passo para encontrar o caminho criativo.

Ideias criativas de conteúdos para fugir do óbvio

O Inbound Marketing passa por uma transformação. O mar de conteúdo criado pelas empresas que aproveitam a forte tendência do Marketing de Conteúdo gera dados que precisam ser cada vez mais interpretados de maneira inteligente para dar insumo a decisões.

Ideias criativas vão fazer você se diferenciar e conectar a sua oferta com seus clientes. Está aberta uma grande oportunidade de aumentar engajamento, consumo e conversão: transformar o conteúdo estático, chato e comum em experiências extraordinárias construídas para interação entre a marca e Lead.

Diferente dos conteúdo estáticos ou passivos, que não tem quase interação, os conteúdos interativos são de alta experiência e engajamento com o usuário. Um estudo do Content Marketing Institute com a Ion Interactive mostra que conteúdos interativos:

  • têm 34% mais conversões que conteúdos estáticos
  • são 20% mais compartilháveis
  • trazem 30% mais diferenciação frente aos competidores

Agora pense: seus visitantes precisam decidir se baixam o seu conteúdo ou os outros 5 eBooks semelhantes que podem ser facilmente encontrados. Qual a experiência que você está proporcionando? Ela é agradável? Este é o formato adequado ou existe um outro formato? O que seus dados anteriores dizem sobre isso?

Um quiz, em que o Lead vai respondendo perguntas e ao final ele mostra um resultado sobre qual a sua personalidade como empreendedor, características e seus gaps. Compare isso com um eBook “Conheça as 16 personalidades empreendedoras”, em que o visitante vai receber um PDF sem nenhuma interatividade.

Conteúdo interativo é possibilidade de se diferenciar e educar muito melhor do que os materiais estáticos. Envolve pessoas em um diálogo útil e informativo que atrai, mantém seu interesse e cria conexão. Esperamos que essas ideias e provocações sejam úteis para você e para seu negócio.

Para ajudá-lo na publicação, não deixe de baixar gratuitamente nosso  “Guia para planejar um conteúdo rico”. Com ele, vai ficar mais fácil passar suas ideias criativas para conteúdos concretos.

Template: Guia para planejar um conteúdo rico

Descubra o que é necessário para criar materiais para geração de Leads cada vez mais eficientes

Post originalmente publicado em setembro de 2018 e atualizado em setembro de 2020.

Marcadores:

Deixe seu comentário

Comentários