Lei Geral de Proteção de Dados: 5 dicas para times de Marketing

Elencamos 5 medidas para quem trabalha com marketing colocar em ação o quanto antes


ATENÇÃO: O objetivo deste post é meramente informativo – não prestamos consultoria jurídica, tampouco nos responsabilizamos por medidas que possam ser adotadas por terceiros em relação à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

A LGPD entrou em vigor no Brasil em setembro de 2020, depois de muitas idas e vindas nos trâmites políticos. A nova lei requer que empresas e organizações realizem uma série de mudanças quanto ao uso de dados pessoais. Para o Marketing não é diferente: os profissionais possuem diversas iniciativas e modificações pela frente.

Essas iniciativas são bem importantes: a adequação de Landing Pages e formulários para a obtenção de consentimento, Email Marketing, anúncios patrocinados, além de outras estratégias de Marketing Digital que já foram assunto deste blog post.

Neste post, vamos dar outras cinco dicas que podem auxiliar no processo de adequar as estratégias de marketing da sua empresa à LGPD.

eBook LGPD para Pequenas e Médias Empresas

Veja passo a passo como se adequar à Lei Geral de Proteção de Dados - e evitar multas

- Ao preencher o formulário, concordo * em receber comunicações de acordo com meus interesses. - Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de privacidade. * Você pode alterar suas permissões de comunicação a qualquer tempo.

5 dicas para o Marketing se adequar à Lei Geral de Proteção de Dados

1. A sua base de Leads precisa de bases legais

As regras para estratégias de prospecção de Marketing e Vendas mudaram. Você já sabe quais dos seus leads você poderá continuar se comunicando, dentro das regras da LGPD? A partir das novas regras, para que você possa se comunicar com os seus contatos, é necessário encontrar uma hipótese da lei que autorize essa comunicação. Essas hipóteses são chamadas de bases legais

A LGPD possui uma lista de 10 bases legais que autorizam empresas e organizações a utilizarem os dados que possuem. Para fins de Marketing e Vendas, existem três bases legais que tendem a ser mais utilizadas: consentimento, legítimo interesse e contratos.  

Entender as bases legais é um passo muito importante para garantir que a sua empresa não esteja enviando comunicações para contatos de maneira proibida por lei.

Vale a pena investir um bom tempo se informando sobre este assunto. Afinal, quanto maior for a compreensão sobre o tema, maiores as chances de você conseguir manter o volume da sua base atual de contatos e continuar se comunicando com eles – mas, dessa vez, dentro das melhores práticas da lei.

Uma dica: aqui no nosso blog você encontra um artigo que escrevemos sobre os potenciais impactos da LGPD na geração de leads, com algumas dicas bacanas sobre a adequação de bases legais.

>> Leia mais: Consentimento retroativo: 4 passos para reduzir o impacto da LGPD na sua base de Leads

>> Leia mais: LGPD: desmistificando a base legal do legítimo interesse

2. Repense estratégias de prospecção invasivas

A nova lei não tem o objetivo de servir como “barreira” no processo comercial da sua empresa, tampouco de piorar os resultados que você já vem obtendo. A LGPD é bastante permissiva, sabia? Há muito espaço para o Marketing explorar e usar a criatividade para entender quais as melhores formas de realizar as mudanças necessárias de maneira funcional – tanto para fins de adequação à lei, quanto para o negócio.

Contudo, é necessário tomar cuidado com práticas que podem ser consideradas invasivas ou discriminatórias. Uma prática ainda utilizada é a compra de listas de contatos de data-brokers (empresas que compilam e vendem informações de consumidores na internet). Esse modelo tende a apresentar incompatibilidades com a LGPD, a menos que o data-broker possua bases legais adequadas para realizar a mineração dos dados. 

De todo modo, o ideal é rever as suas estratégias de aquisição de contatos. Essa parece ser uma questão óbvia, mas requer certo cuidado. Existem muitas formas de você atrair a atenção do consumidor de forma espontânea e natural, sem precisar recorrer a mecanismos tão invasivos – exemplos de boas estratégias estão contidos na própria metodologia do Inbound Marketing.

3. Não esqueça dos cookies

Cookies são identificadores que ficam salvos no navegador do dispositivo das pessoas que visitam a página da sua empresa. Eles podem ser utilizados para diversas finalidades, como mensurar audiência da página, gerar estatísticas, monitorar o comportamento do usuário no seu site etc. 

Você sabia que determinados tipos de cookies, a partir da LGPD, podem ser considerados dados pessoais? Isso mesmo, a LGPD determina que um dado pessoal pode ser uma informação ou um conjunto de informações que possa vir a identificar determinada pessoa.

Por exemplo: empresas podem utilizar dados de cookies para impactar o usuário com publicidade digital. Portanto, apesar de a LGPD não fazer menção expressa ao uso de cookies, para se adequar à lei, é importante garantir a adequação de estratégias que envolvam estas tecnologias.

4. Facilite a saída

Quantas vezes você, como consumidor, já sentiu dificuldades para cancelar uma assinatura ou se desinscrever de uma lista de emails, por exemplo? Botões escondidos e nada intuitivos e processos inefetivos são práticas comuns para dificultar a saída de um Lead. Isso não deve mais acontecer. 

Diga às pessoas que elas têm o direito de retirar seu consentimento a qualquer momento e como fazer isso. A saída deve ser tão fácil quanto foi a entrada.

5. Colete apenas os dados necessários

A LGPD fala sobre a importância de empresas pensarem na minimização no uso de dados: o ideal é coletar e utilizar apenas os dados estritamente necessários para a realização dos objetivos da empresa.

Vamos supor que você possua um ecommerce, e que o seu processo comercial seja 100% online, não envolvendo nenhuma possível interação telefônica. O ideal é que a sua empresa não solicite dados de telefone/celular dos contatos que possui, visto que esse dado não é necessário para que a empresa consiga vender e se comunicar com esses contatos.

Próximos passos com a LGPD

Para concluir, cada empresa possui realidades e necessidades específicas de adequação à lei. Logo, buscar aconselhamento profissional é imprescindível para um processo de adequação bem-sucedido.

Apesar de ser um tema cheio de detalhes, é possível perceber que o caminho é mais simples do que parece: empresas devem focar em trazer mais verdade e transparência para as relações que possuem com os seus leads.

eBook LGPD para Pequenas e Médias Empresas

Veja passo a passo como se adequar à Lei Geral de Proteção de Dados - e evitar multas

- Ao preencher o formulário, concordo * em receber comunicações de acordo com meus interesses. - Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de privacidade. * Você pode alterar suas permissões de comunicação a qualquer tempo.

Post originalmente publicado em janeiro de 2020 e atualizado em abril de 2021.

Marcadores:

Deixe seu comentário

Comentários