Blog de Marketing Digital de Resultados

MVP: como usar esse conceito para validar uma ideia e crescer com o feedback do mercado

Você sabe tudo sobre MVP? Saiba o que é Mínimo Produto Viável, como implementar e aprimorar para gerar mais resultados antes de investir muito dinheiro

Em negócios, MVP é a sigla em inglês para Minimum Viable Product – ou Produto Mínimo Viável. Significa construir a versão mais simples e enxuta de um produto, empregando o mínimo possível de recursos para entregar a principal proposta de valor da ideia. Assim, é possível validar o produto antes de seu lançamento.


Então você teve uma grande ideia e quer empreender, certo? Uma das metodologias mais conhecidas para o desenvolvimento de produtos e serviços é a do Produto Viável Mínimo. Ela foi criada no berço do empreendedorismo e exposta junto ao conceito de lean startup.

A ideia é simples: validar o potencial de uma ideia antes de investir muito dinheiro nela. Porém, a execução desse conceito talvez seja o principal desafio para os criadores de produtos e serviços. O que é compreensível: atire a primeira pedra quem nunca se empolgou com uma boa ideia e quis lançá-la da melhor forma possível!

Conceitualmente, fazer um MVP (Minimum Viable Product) é construir a versão mais simples e enxuta de um produto (ou parte dele), empregando o mínimo de recursos (tempo e dinheiro) possíveis para entregar a principal proposta de valor da ideia.

O objetivo deste post é mostrar por que e como implementar o conceito de Produto Viável Mínimo na sua empresa (ou até mesmo na sua vida/projeto). Além disso, vamos dar algumas dicas práticas para você maximizar os seus recursos.

Kit de Produtividade para PMEs

Se você já tem muitas demandas e ainda não conseguiu chegar aonde quer, conte com essas ferramentas e templates prontos.

Por que você deve considerar o conceito de MVP?

A origem do MVP vai ao encontro do conceito Lean, amplamente utilizado por gigantes dos negócios como a Apple e o Facebook em suas escaladas de crescimento. A ideia central consiste em otimizar o uso dos recursos de forma a garantir a maximização do retorno. O MVP se encaixa nesse contexto como método para validar o retorno de determinado investimento, mesmo antes de o produto estar completamente finalizado.

 

A tática consiste em basicamente usar criatividade e raciocínio para criar uma versão simplificada do que você pretende comercializar. Dessa forma, pode testar a receptividade do seu produto no mercado. A partir do feedback recebido, você deve desenvolver as suas hipóteses sobre como a sua ideia atende aquela demanda.

O Growth Hacking é uma metodologia que se apoia muito nesse conceito. Os experimentos equivalem aos MVPs e são implementados (onde ocorre o real investimento) somente quando sabemos que o resultado é positivo. Muitas vezes até testamos diversas versões do MVP antes de adotar a real solução.

Exemplo prático de MVP

Imagine um modelo de negócio para um food truck de comida mexicana. Com toda a ideia no papel, temos duas opções para começar o negócio:

  1. Investir no desenvolvimento do melhor truck possível, personalizado e que permita entregar os melhores burritos quentinhos em todos os cantos da cidade;
  2. Investir somente no desenvolvimento do produto principal (a sua receita de burrito), encher o porta-malas do seu carro com eles e tentar vender em alguns pontos da cidade.

Note que a principal proposta de valor do food truck está presente no MVP: oferecer burrito onde você quiser (ou onde a demanda estiver).

Para qualquer empreitada, podemos ter resultados bons ou ruins e em diferentes proporções. Considerando os três cenários abaixo como possíveis, vejamos o que acontece em cada um deles quando implementamos o MVP ou o produto final:

MVP - Minimo produto Viavel - exemplo do foodtruck mexicano

No mundo dos negócios é raro acertar o alvo na primeira tentativa e colocar todos os seus recursos em um palpite é bastante arriscado.

No exemplo do food truck mexicano, o conceito de MVP validou se a ideia realmente tinha potencial com feedbacks reais. O uso do conceito tornou a relação de retorno sobre investimento em um food truck de burritos muito mais consciente, estruturada e previsível.

3 passos simples para criar e melhorar seus MVPs

Eles são os seguintes:

  1. Definir a proposta de valor
  2. Testar a resposta do mercado
  3. Iterar

A seguir, vamos ver cada um deles separadamente.

Primeiro passo: defina qual é a proposta de valor do MVP

Todo modelo de negócio começa com a hipótese de que determinada proposta de valor atrairá a atenção do mercado e gerará receita a ponto de obter lucro. Em outras palavras, a proposta de valor é o principal output do seu produto ou serviço para o usuário.

Aspectos que tornam essa oferta ainda mais atrativa ou complementam o produto são vistos como secundários nesse momento.

Pense qual é a proposta de valor do seu negócio. A imagem abaixo é um ótimo exemplo de como fazer isso:

MVP - Mínimo Produto Viável

Segundo passo: teste a resposta do mercado

Após desenvolver um MVP que contemple a proposta de valor, é hora de entender o interesse do mercado no produto a ponto de justificar o investimento.

Existem muitas formas de validar a ideia. Uma delas é fazer um teste alpha, que consiste em lançar o produto ou serviço para um público controlado. Já no teste beta, divulga-se o MVP para o público geral.

No exemplo do food truck, fizemos os testes nos lugares onde pretendíamos vender com o truck, ou seja, realizamos um lançamento geral.

Atenção: os lançamentos controlados são mais indicados para soluções que podem apresentar problemas inesperados caso haja muita demanda. É o caso do mercado de softwares.

Nesse passo, precisamos fazer duas coisas com maestria:

  1. Entender o nível de receptividade do público para a sua proposta de valor
  2. Aprender quais são os principais pontos de melhoria que podem/devem ser considerados para aumentar os resultados

Terceiro passo: a iteração

Após o teste do Produto Viável Mínimo, é chegada a hora de interpretar os feedbacks recebidos.

Nem tudo o que o usuário diz faz real sentido para o seu modelo de negócio, mas ainda assim o mercado é a melhor forma de testar o seu modelo de negócio.

Antes de realizar o investimento, avalie se a sua hipótese precisa de mais testes. Então, priorize o que realmente faz sentido para a construção de valor da sua proposta.

Caso sua percepção seja positiva, avance na direção do produto final. Caso contrário, use seus aprendizados para formular um nova hipótese e alinhar a sua proposta de valor com as aspirações do mercado.

5 dicas para criar um MVP

  1. Foque na proposta de valor central e na criação da hipótese. É ela quem ditará, de fato, o nível de demanda da sua solução.
  2. Faça benchmarking para encontrar atalhos. Aprender com os erros dos outros é sempre mais barato e economiza muito tempo de desenvolvimento.
  3. Antes de testar qualquer MVP, saiba o que é um resultado bom ou ruim e como medi-lo. Caso não seja possível, repense a forma de validar a tração junto ao mercado.
  4. Aplique o seu MVP a um contexto realista. Usar seus amigos e família como representações do mercado costuma enviesar drasticamente os dados e pode motivar decisões equivocadas.
  5. É sempre interessante criar métricas para o seu negócio. Elas fornecerão os aprendizados necessários para você replicar acertos e evitar erros.

trial rd station

Para finalizar

O conceito de MVP nasceu no contexto de startups, principalmente de tecnologia. Porém, a linha de raciocínio é aplicável a praticamente todos os projetos.

Você pode colocar essa metodologia em prática desde a construção de empresas até relacionamentos. Além disso, pode basear o seu investimento no feedback dos consumidores.

A grande dificuldade é saber eliminar aspectos que muitas vezes queremos fazer, mas que ainda não provaram ter funcionalidade e retorno.

Além do MVP, pensar a gestão de um negócio não é fácil. Por isso, reunimos diversas soluções que vão resultar em escalabilidade para sua empresa e mais tempo para você. É o Kit de Produtividade para Pequenas e Médias Empresas, que é gratuito e pode ser acessado abaixo!

Kit de Produtividade para PMEs

Se você já tem muitas demandas e ainda não conseguiu chegar aonde quer, conte com essas ferramentas e templates prontos.

Post publicado originalmente em agosto de 2016 e atualizado pela última vez em agosto de 2020.

Marcadores:

Deixe seu comentário

Comentários

8 comentários

  1. Regina

    Gostei do post. Esclarecedor.

  2. Jeane C. Manço Oliveira

    Apaixonada!
    Muuuuito obrigada por compartilhar!

  3. Wilson Ferro

    Perfeito explicação sobre MVP. Parabéns!

  4. Mário Nunes

    Parabéns pelo artigo.

    1. Franco Zanette

      Muito obrigado, Mário e demais. Se tiverem quaisquer dúvidas ou sugestões, fico a disposição!

      Abraço.

  5. Luana Lobão

    artigo ótimo!

  6. Sergio Ramiro

    Boa, gostei. Vou pensar na minha tese usando os conceito de Canvas e de MVP

  7. Ricardo Souza de Santis

    No quarto paragrafo esta escrito “conceito de Lead Startup”, acho que o correto seria “Lean” como indica o link.