Blog de Marketing Digital de Resultados

Link Building em 2020? Saia do zero direto para sua primeira campanha de links!

Quer melhorar a autoridade do seu site e, de quebra, conquistar relevância nos resultados de busca? Experimente apostar em uma boa estratégia de Link Building!

A ação de Link Building resume-se em conseguir backlinks, ou seja, links em outros sites apontando para o seu site de maneira natural ou não. O objetivo é conseguir relevância e popularidade nos mecanismos de busca, gerando mais tráfego e conseguindo melhores posições no ranqueamento dos mesmos.


Quando você pensa em link building, qual a primeira coisa que lhe vem à cabeça? Deixa eu tentar adivinhar: um emaranhado de links, como uma “cama de gato”? Uma estratégia perigosa? Algo que só funciona para sites consolidados e com certa autoridade de domínio? Coisa do passado? Penalização do Google?

Se você pensou alguma dessas coisas (ou todas), saiba que eu me solidarizo muito, pois também pensava assim.

Acontece que link building não é esse bicho de sete cabeças. Infelizmente, muitas empresas acabam deixando escapar ótimas oportunidades de conseguir links de qualidade por pura falta de conhecimento.

Isso pode acontecer por vários fatores, como o medo de fazer algo errado e ser penalizado pelo Google, não enxergar o verdadeiro valor que link building pode gerar, não saber como mensurar possíveis resultados, entre outros.

Porém, dentre tudo isso, o “não sei por onde começar” acaba sendo o principal entrave para a execução de uma estratégia de link building. Por isso escrevi esse artigo, para lhe ajudar a sair do zero direto para sua primeira campanha de links!  Vamos lá?

Índice

Os links e o Google

Antes de entramos nos conceitos e estratégias de link building, é importante entendermos como tudo surgiu e quais transformações nos trouxeram até a forma de conseguir links em 2020.

Nos primórdios da internet, os mecanismos de busca utilizavam apenas o conteúdo das páginas e palavras-chave para fazer a classificação dos sites. Foi então que, em 1997, o Google surgiu com algo inovador: utilizar links como um critério para entender a importância, relevância e confiabilidade de um site.

O Google via os links como “recomendações”. Assim, quanto mais links um site possuía apontando para ele, mais “recomendado ele era”, e para o Google ele acabava se tornando mais relevante. Esses links em outros sites são chamados de backlinks.

Infelizmente, assim como na manipulação de conteúdo, também surgiram técnicas para promover sites e conteúdos de forma não orgânica – ou seja, comercializando links.

Com isso, mais uma vez, o conteúdo que era exibido na primeira página de resultados nem sempre era o melhor e mais completo sobre o assunto, mas sim o que tinha mais backlinks, e adivinhe quem saía prejudicado no meio disso tudo? Isso mesmo, o usuário.

Como um dos maiores objetivos do Google é oferecer os melhores conteúdos (as melhores respostas) para as pesquisas (as dúvidas) dos usuários, em 2012 ele lançou a primeira versão da Penguin. Essa atualização em seu algoritmo que fez com que conteúdos de baixa qualidade e com muitos links não-naturais despencassem muitos rankings.

Desde então geração “artificial de links”, como compra de links e PBN, é vista como uma tentativa de manipulação do Google. Também conhecido como black hat, é passível de punição.

Por isso, atualmente a quantidade de links que apontam para o site não é tão significativa quanto a qualidade, relevância e naturalidade dos links que são apontados para ele.

O que é link building?

Link building é um conjunto de táticas que visam adquirir links qualificados e relevantes de outros sites. A partir disso é possível aumentar a autoridade e reputação do site nos mecanismos de busca, melhorando o posicionamento orgânico, aumento de rankings e tráfego.

Como visto anteriormente, os links possuem papel essencial para os mecanismos de busca, pois a partir deles que é possível encontrar uma página e determinar sua autoridade a partir da quantidade e qualidade de links recebidos. Além disso, são um fator de classificação no Google.

Por isso, mais importante que uma grande quantidade de links apontando para sua página, é a qualidade desses links. Isso está relacionado a autoridade de domínio. Ou seja, quanto maior for a autoridade de um site que está linkando para o seu, maior o peso da “recomendação” do seu site para o Google.

Além disso, um ponto importante é que o site que está linkando o seu conteúdo deve ter alguma relação com o seu negócio. Por exemplo, um site de receitas de bolo, mesmo que tenha uma autoridade de domínio alta, ter um link para um site que fala de vídeo games não soa muito natural, certo? Por isso, tome cuidado com links em sites que não tem nenhuma relação com seu conteúdo, pois o Google pode penalizar.

Ter domínios de referência, bem classificados e que possuem boa reputação mencionando o seu conteúdo é ótimo para sua estratégia de link building. Isso porque, ao linkarem para sua página, transferem um pouco da sua autoridade, conforme o tópico a seguir explica.

O que é Link Juice?

link juice
Quando uma página menciona outra página no seu conteúdo, ela acaba transferindo um pouco de autoridade. Um exemplo disso: imagine que em um artigo sobre Inbound Marketing, citamos que Marketing Digital é importante para essa estratégia. Ao inserir um link no trecho “Marketing Digital” para a página que consideramos a mais completa sobre esse assunto, estamos dizendo ao Google que essa página é a referência, e assim estamos dando nosso “voto de confiança” – ou seja, repassando um pouco de nossa autoridade para ela.

Veja como fica na prática com a imagem abaixo:

link em marketing digital

Esse “voto de confiança” passado através de links se chama Link Juice.

Por que link building é importante para SEO?

Como já visto anteriormente, os links são um dos fatores de classificação do Google e estão ligados diretamente ao posicionamento das páginas. Por isso, o link building acaba se tornando uma tarefa importante dentro das táticas de SEO. Só que se não for feita com cuidado, pode estragar todo o desempenho da otimização para motores de busca.

É importante que o foco seja conseguir links naturais de sites com boa reputação. Além disso, os links precisam ser obtidos continuamente para ter um impacto na visibilidade do seu site perante o Google.

O local onde o link é inserido também influencia na autoridade que é repassada para a página que se está linkando. Por exemplo: um link inserido logo no início de um conteúdo tem mais peso que um link no rodapé ou na área da barra lateral.

Quer saber tudo sobre o assunto? Acesse o conteúdo SEO: tudo sobre Search Engine Optimization.

Como avaliar os backlinks que o seu site possui

Antes de iniciar qualquer estratégia de link building, é importante conhecer o panorama atual do seu site em relação aos links que apontam para ele. Para isso, você precisa fazer o seguinte:

  1. Verificar quantos backlinks o seu site possui no momento;
  2. Analisar quais sites estão linkando para o seu site;
  3. Verificar qual a reputação e autoridade dos sites que linkam para o seu;
  4. Analisar quais páginas do seu site possuem mais links e quais têm maiores chances de receberem links.

Para obter essas informações você vai precisar de uma ferramenta. Algumas que podem te ajudar nisso são: Ahrefs, SEMrush, MajesticSEO, Moz e Google Search Console.

Com esses dados em mãos, faça uma análise das suas páginas que receberam backlinks. Verifique em qual posição elas estão no Google e, se não estão em primeiro, analise as páginas que estão no topo e veja o que o conteúdo delas apresenta de diferente do seu.

Após identificar possíveis gaps de conteúdo, analise os sites que estão linkando para o seu. Eles são sites novos ou consolidados? São sites de clientes seus ou da grande mídia? Você possui algum tipo de relacionamento com esses sites?

Olhe para os links quebrados e veja quem está linkando para você, mas com um link de erro 404. Solicitar a atualização de um link quebrado para um correto pode ser uma alavanca rápida e fácil de geração de backlinks.

Analise os seus concorrentes

Faça uma breve comparação entre a sua quantidade de backlinks atual com a dos seus concorrentes. Análise os sites que linkam para seus concorrentes, mas não linkam para o seu. Veja quais páginas e categorias de conteúdo do seu concorrente recebe mais links, isso pode lhe dar ideias de novos conteúdos e formatos.

Analise quantos links o seu site recebe por mês e compare com a quantidade de links que o seu concorrente recebeu no mesmo período. Isso pode ser um dos fatores  para o seu concorrente conseguir posicionar melhor que você para algumas palavras-chave, mesmo tendo conteúdos semelhantes.

Como montar a sua estratégia de Link Building

Depois de fazer todas as análises necessárias, chegou a hora de pensar na estratégia de link building. Para isso, podemos pensar em duas formas de trabalho conjuntas que podem gerar links para o seu site: campanhas pontuais de link building e ações recorrentes.

Cada uma é interdependente da outra, mas as duas são fundamentais para manter o ritmo necessário de aquisição de backlinks.

Campanha de Link Building

As campanhas de link building são feitas de maneira pontual e para páginas específicas. Por exemplo: para o lançamento de uma ferramenta, uma pesquisa e até mesmo um infográfico, podem ser feitas campanhas para adquirir links diretamente para as páginas desses conteúdos especiais.

Também pode ser feita para recuperar ou ganhar posicionamento para uma página importante. Elas possuem um tempo de duração estipulado de um a dois meses, são bem objetivas, com metas definidas e geralmente oferecem alguma coisa em troca do link

Mas cuidado, nada de troca de links entre os sites, pois isso pode gerar penalização – discutiremos esses pontos a seguir.

Definição da meta

Para fazer uma campanha de link building, primeiramente é necessário definir uma meta. Não existe uma receita exata de quantos links são necessários para uma campanha ser bem sucedida.

Na hora de definir uma meta, é fundamental analisar alguns aspectos individuais de cada site, como aquele ditado famoso “cada caso é um caso”. Para definir essa meta, comece observando o seguinte:

  1. Observe como está a SERP para a palavra-chave foco de cada página que deseja receber link. Qual é a página que posiciona em 1º lugar? O que o conteúdo dela tem de diferente do seu? Quantos backlinks essa página possui? Quais sites linkam para ela?
  2. Analise quais são suas metas de negócio e como uma campanha de links poderia ajudar a atingir essas metas.
  3. Analise o ritmo que você conquista links atualmente. Quantos links por mês? E por semana?
  4. Compare o seu ritmo ao ritmo em que os concorrentes conseguem os links.

Depois de todas essas análises, defina uma meta baseada no seu ritmo normal e como essa campanha pode incrementá-lo, considerando o ritmo que o seu concorrente consegue backlinks.

Tipos de conteúdo

Todo mundo sabe que, para ter backlinks de qualidade, o conteúdo produzido precisa ser de qualidade também. Mas a dúvida que fica: um blogpost com mais de 2.000 palavras pode ser considerado um conteúdo bom para backlinks?

A resposta é: depende! Não basta ser extenso, o conteúdo deve ser atual, trazer dados, imagens, mídias e principalmente ser atrativo.

Para uma campanha de link building, conteúdos inovadores e que agregam valor para quem os consome (pesquisas, ferramentas, etc.) tendem a ter uma melhor performance do que posts no blog. Abaixo, uma lista dos conteúdos que podem lhe gerar mais links:

1- Relatórios/resultados de pesquisa:

Criar pesquisas relacionadas ao seu mercado e momento atual, e divulgar seus resultados de maneira criativa, explicativa, gerando insights para o leitor, é um ótimo caminho para a geração de backlinks.

Como exemplo, deixo a pesquisa que a RD desenvolveu recentemente sobre o Covid-19 e seu impacto nas micro e pequenas empresas. A partir dela conseguimos alcançar backlinks em sites com grande autoridade de domínio.

2- Guias:

Por ter um conteúdo rico e muito completo, os guias podem ser uma boa aposta para gerar links. Escolha um tema atual, que tenha interesse de pesquisa (para saber disso o Google Trends e o Planejador de Palavras-chave do Google ADS podem ser seus aliados) e crie um conteúdo intuitivo, com muitos exemplos práticos e que seja de fácil leitura.

Alguns exemplos de guias que a Resultados Digitais já produziu e que podem te inspirar: Guia de Personas, Guia de SEO e Guia de Mídia Paga.

3- Ferramentas gratuitas:

Por ser algo que ajuda a comunidade efetivamente, são muito propícios a atrair backlinks de qualidade de sites estabelecidos. Além disso, podem ser uma ótima opção para aumentar a sua base de leads.

Aqui alguns exemplos de ferramentas que já criamos na Resultados Digitais: Gerador de Personas, Gerador de Assinatura de email e  Calculadora de ROI.

4- Estatísticas internas, tendências e cases:

Você pode apresentar os experimentos que rodou na sua própria empresa e os aprendizados que eles geraram, infográficos sobre o negócio, tendências que percebe a partir do seu banco de dados e, até mesmo, cases de sucesso de seus clientes relacionados ao produto/serviço que você oferece.

Para se inspirar, confira alguns cases que a Resultados Digitais publicou e que são relacionados ao uso do RD Station: Case da DARYUS, Case da Evolution Nutrition e Case da Medway. Recentemente também publicamos em nosso blog um aprendizado sobre como estamos trabalhando a comunicação interna na pandemia.

Ao oferecer esse tipo de conteúdo e compartilhar suas experiências, você estará ajudando o mercado como um todo e, naturalmente, poderá atrair mais links.

É claro que um conteúdo bem posicionado no Google tem mais chances de receber backlinks ao longo do tempo. Isso porque cada vez mais pessoas vão continuar descobrindo-o através da página de resultados, ao inserirem uma palavra-chave relacionada e os mecanismos de busca apresentá-lo nas primeiras colocações.

Por isso, não se esqueça de sempre fazer o bom e velho SEO On-page, pois para além da campanha de link building, se você estiver bem classificado pode receber links sem tanto esforço.

Prospecção de backlinks

Depois de definir a meta de links e escolher o conteúdo que “encabeçará” a sua campanha, é hora de partir para a prospecção de backlinks. Primeiramente, analise em que esse conteúdo que você escolheu pode ser útil para as pessoas. No que ele ajuda? Quais são as dores dos leitores que ele pode sanar?

Faça uma lista de problemas que sua ferramenta, guia, pesquisa ou qualquer outro tipo de conteúdo que tenha escolhido podem solucionar. Essa lista vai ajudar você a encontrar palavras-chave que te levarão até artigos que falam sobre a resolução desses problemas, e que, talvez, possam adicionar um link para o seu conteúdo.

Mas antes de sair contatando desenfreadamente Deus e o mundo, nesse momento é importante que fique claro que seus clientes, parceiros e amigos têm maiores probabilidades de vincular um link para o seu material. Por isso, comece a prospecção por eles.

Conexões pessoais

Pensado de maneira prática e hipotética, imagine que um conhecido chega em você e lhe pede indicação da confeitaria que tenha a melhor torta da cidade. Você provavelmente indicaria uma confeitaria a qual já fez compras, conhece o produto e sabe da sua qualidade, certo?

Para a geração de backlinks acontece algo similar. Pessoas que já conhecem o seu produto/serviço e o legitimam, que já acompanham seus conteúdos e fazem uso das suas ferramentas, e/ou que você já tem um certo relacionamento serão bem menos resistentes a inserir um link seu na página delas do que estranhos que não conhecem o seu trabalho.

Por isso, a minha dica é: inicie sua prospecção de backlinks por quem você já tem algum  relacionamento ou ligação. É a hora de você vasculhar seu CRM e ver quem pode te ajudar nessa campanha.

Crie uma planilha todos os contatos pessoais e profissionais que poderiam dar um link para você, coloque site, nome, email, página que poderia ter um link para seu material, a autoridade de domínio e o status. Veja no exemplo abaixo:

planilha de backlinks

Depois de criar essa lista, entre em contato com eles, fale sobre o novo conteúdo, pesquisa ou ferramenta que você lançou e como ela poderia agregar valor aos seus leitores se inserida no texto. Indique qual seria o melhor lugar para inserir seu link e ofereça ajuda para criar um parágrafo ou frase adequada para encaixar seu link no conteúdo que eles já possuem.

As conexões pessoais são ótimas para criar backlinks, mas se você não tiver uma grande rede de contatos ou pessoas para vincular seu conteúdo, não se desespere. Abaixo, separamos outra forma de prospectar links que pode ajudar sua campanha.

Páginas com conteúdo relacionado ao que deseja receber backlinks

Basicamente, trata-se de encontrar páginas que possuem conteúdos relacionados à sua pesquisa, ferramenta e/ou guia, entrar em contato com quem escreveu o artigo e verificar a possibilidade de inserir o link.

Parece algo tranquilo de se fazer. No entanto, pode ser um pouco trabalhoso se você não utilizar nenhuma ferramenta e for digitando palavra-chave por palavra-chave no campo de pesquisa do Google, filtrando os resultados e jogando para uma planilha.

Se você optar por fazer de forma manual, pode ter certeza que vai perder umas boas horas para encontrar as páginas para linkar para seu conteúdo, listar o nome e email de quem escreveu o artigo, inserir o DA (Domain Authority) página por página e, depois, enviar cada email.

A boa notícia é que existem ferramentas que podem te ajudar nesse processo, fazendo você economizar tempo. A má notícia é que elas são pagas e, geralmente, em dólar.

Algumas dessas ferramentas são o Ahrefs Content Explorer, BuzzStream e a SEMrush. Aqui na Resultados Digitais utilizamos a SEMrush, que permite que criar campanhas de link building dentro da própria ferramenta.

Você pode criar uma campanha indicando as palavras-chave que os conteúdos devem ter, de preferência utilizando a lista de problemas que o seu conteúdo soluciona. A ferramenta já te apresenta o artigo, o site e o DA da página. Então, é só você verificar se faz sentido ou não prospectar um link nesses artigos.

lista de keywords

Print da ferramenta SEMrush, para chegar até ali basta seguir o caminho: painel de controle > projetos > “nome do seu projeto” > link building > Overview > Search for prospects in mentions > find new prospects

link building

Print da ferramenta SEMrush, para chegar até ali basta seguir o caminho: painel de controle > projetos > “nome do seu projeto” > link building > Prospects

Após separar a lista de sites que possuem conteúdo relacionado às palavras-chave e dores que você setou na ferramenta (ou na sua planilha, caso esteja fazendo de forma manual), é importante que se observe alguns sinais antes de solicitar backlinks. Isso serve para prevenir que você perca seu tempo e/ou peça links de sites que não fazem sentido para sua estratégia. Fiz uma lista deles que você pode conferir abaixo:

Não peça link se:

  • O conteúdo foi produzido pelo seu concorrente;
  • O conteúdo indicar que é uma publicação patrocinada;
  • Se o site não for do seu nicho de atuação (lembra dos links artificiais que falei no início desse post?);
  • O blog em que está o conteúdo não recebeu novas postagens nos últimos 3 meses;
  • Os conteúdos do blog/site vincularem apenas conteúdos externos ou muito spam (dê uma olhada em 2-3 posts e tire a prova real);
  • Os conteúdos do blog/site não vinculam para outros sites externos, linkando apenas para fontes internas (provavelmente também não vincularão para o seu);
  • Se a autoridade de domínio deles for baixa (procure vincular apenas para sites com DA acima de 40, pelo menos);

Peça link se:

  • O site possuir um DA alto (principalmente se for mais alto que o do seu site);
  • O conteúdo for relacionado ao seu campo de atuação;
  • Tiver uma frequência de atualização de conteúdos, com publicações ao menos uma vez na semana no seu blog/site;
  • Der link para fontes externas (outros sites e blogs fora de seu guarda-chuva);
  • O conteúdo tem o nome do autor (isso facilita muito para a construção do email).

Depois utilizar esses sinais como critério de prospecção, a sua lista pode conter os seguintes campos:

dossiê de link building

Como encontrar as pessoas certas

Às vezes, os artigos nos quais desejamos colocar backlinks não possuem nome do autor. Esse é um dado importante, pois o ideal é que, na hora de prospectar, o email seja direcionado a uma pessoa específica. Isso porque emails que vão para uma caixa de entrada “genérica”, tipo (contato@… ou marketing@…) têm menos chances de serem respondidos.

Nesses casos, uma alternativa que encontrei foi ir ao search do LinkedIn e buscar pessoas que trabalham na empresa. De acordo com os resultados, eu filtro quem teria mais chances de ter escrito aquele conteúdo ou que poderia responder o meu contato, se necessário encaminhando ao responsável.

Lembre-se de que CEOs, managers e heads muitas vezes têm uma caixa de entrada muito cheia. Por isso, o seu email de prospecção pode passar batido por eles. Prefira contatar analistas de marketing e conteúdo, analistas de Inbound Marketing, analistas de SEO e editores do blog. Filtrando por esses cargos você poderá atingir a pessoa certa.

prospectando no linkedin

Depois que você já tiver o nome da pessoa, é hora de encontrar o email dela. Indico duas ferramentas que podem te ajudar nesse trabalho: o Hunter e o Snov.

Ambos possuem uma extensão para o navegador e fazem uma espécie de mapeamento no site, puxando todos os emails que fazem parte daquele domínio. Aí só você dar um Ctrl+F e localizar o nome da pessoa de quem deseja saber o email.

Essas ferramentas deixam você puxar um limite “X” de domínios de forma gratuita. O Snov deixa você ter até 100 domínios no período de 30 dias de graça, já o Hunter te permite até 50. Se você tiver a necessidade de um número maior, precisa fazer uma assinatura.

Bom, agora que você já fez toda a triagem de possíveis parceiros para a divulgação do seu conteúdo e obtenção de backlinks, chegou a hora de criar o texto do email que será enviado para eles. Essa é uma parte crucial para o sucesso da sua campanha, por isso trataremos em um tópico separado a seguir.                                                 

Outreach da campanha

Seja claro no assunto do email, falando diretamente sobre qual conteúdo se trata. É importante que você seja breve e, ao mesmo tempo, passe as informações necessárias de forma cordial e respeitosa.

Apresente-se, diga qual empresa você representa, fale do texto que a pessoa escreveu e como o seu conteúdo poderia agregar valor a ele. Por fim, coloque-se à disposição para conversar mais sobre o assunto.

Abaixo, apresento um exemplo de Outreach que utilizamos em uma campanha aqui da Resultados Digitais:

Assunto:

assunto de email para prospecção de link building

Texto:

email de outreach link building

O foco da campanha de link building do email acima era conseguir links para a página que divulga os resultados de uma pesquisa. Você pode notar que, no assunto, falamos diretamente sobre qual conteúdo queríamos abordar.

Em seguida, no texto, chamo a pessoa pelo seu primeiro nome, que julgo mais adequado e menos formal. Falo diretamente sobre o conteúdo dela e coloco o link. Apresento o meu conteúdo como uma fonte complementar, que poderia agregar valor para o texto dela. Pergunto o que ela acha dessa sugestão e, por fim, deixo-me à disposição para ajudar na criação um texto para encaixar a informação no conteúdo.

Minha assinatura de email vai com a minha foto, nome e departamento, o que ajuda a tornar o email mais humanizado. E, claro, existe a opção da pessoa se descadastrar para não receber mais emails meus, o que além de ser importante para meu email não cair na caixa de spam, também demonstra respeito ao receptor.

É legal você já deixar um outreach pronto para enviar um segundo email caso não receba a resposta em até 4-5 dias. Pela experiência que tivemos rodando campanhas de Link Building aqui na RD, o 2º email acaba tendo um número maior de respostas do que o 1º. Abaixo, segue um exemplo de 2º contato dessa mesma campanha:

OUTREACH 2 link building email

Sempre muito importante ser honesto na abordagem, dizer exatamente porque você está entrando em contato, como encontrou o endereço de email (caso alguém tenha te indicado o email daquela pessoa), e o que você o seu conteúdo tem a agregar.

Template de campanha de link building

Vamos a mais um exemplo. Imagine que o objetivo da campanha é divulgar a ferramenta de Gerador de Personas das RD:

“Olá  [PRIMEIRO NOME], tudo bem?

Meu nome é Rafaella, sou do marketing da Resultados Digitais e estou trabalhando para obter mais visibilidade ao nosso Gerador de Personas.

 Vi em seu blog o post sobre Jornadas de Compra, notei que você recomendou ótimas ferramentas lá, e acredito que o nosso Gerador de Personas pode ser útil para o seu conteúdo, dando uma opção gratuita para o seu leitor criar suas personas. Gostaria de testá-lo e ver se vale a pena adicionar  ao seu conteúdo?

Caso tenha interesse em incluir o link, poderíamos divulgar o seu conteúdo no nosso Instagram.

O que acha?

Fico no seu aguardo!

Att;

Rafaella Tedesco.”

Em alguns casos você pode receber respostas positivas, agradecendo pelo contato e interesse em tornar o conteúdo mais rico. Outros irão dizer que não podem inserir o link, e alguns vão querer algo em troca desse link, por isso esteja preparado e com uma moeda de troca na manga.

O que oferecer em troca de um link?

Jamais ofereça um link em troca de outro link! Isso é visto com maus olhos pelo Google, e pode ser considerado uma tática maliciosa (black hat). Para entender melhor, assista ao vídeo do Matt Cutts:

Uma ideia é usar seus canais de comunicação com moeda de troca. Por exemplo: ofereça a divulgação desse conteúdo em uma das suas redes sociais, ou quem sabe o envio dele para sua base de contatos na newsletter semanal? O importante aqui é compreender qual canal você pode utilizar sem prejudicar a sua estratégia de marketing e, ao mesmo tempo, oferecendo algo de real valor para o parceiro.

Automação para campanha de link building

Agora você já entendeu sobre a importância do outreach, como criar um e já definiu qual a sua moeda de troca para links, deve estar se perguntando: como vou enviar todos esses emails um por um? A resposta é: não precisa ser assim, você pode usar uma automação!

Para rodar as campanhas de link building aqui na Resultados Digitais, nós utilizamos o próprio RD Station Marketing. Para enviar os emails solicitando links para menções à marca, por exemplo, criamos uma Landing Page interna com formulário. Nela, inserimos todos os dados de contato, título do post, links e qual conteúdo desejamos linkar. É possível também importar os contatos direto da planilha do dossiê de link building que você criou.

Na plataforma, criamos toda a automação, com os copy dos emails já prontos. Assim que colocamos os dados dos prospects na Landing Page interna, a automação dispara o primeiro email. Conforme as regras que configuramos, caso nosso 1ª email não seja aberto, enviamos um 2ª email no prazo de 3-4 dias.

automação para backlinks no rd station marketing

Isso faz com que ganhemos agilidade nas campanhas de link building e, também, gera dados sobre o desempenho dos disparos. Assim, podemos ver o que está dando certo e ter aprendizados, e o que estiver dando errado podemos ajustar. Fique atento a algumas taxas para medir o sucesso dos seus envios:

  • Taxa de abertura: indica se seu assunto precisa melhorar ou se está sendo bem recebido. Uma baixa taxa de abertura também pode indicar que você não está mandando email para as pessoas certas;
  • Taxa de resposta: medir se a quantidade de emails enviados está trazendo uma boa média de respostas, caso contrário isso pode indicar que é necessário fazer ajustes no copy;
  • Descadastro: observe se seus emails estão tendo uma taxa de descadastro muito alta, isso pode indicar que você está direcionando sua campanha para o público errado ou que seu copy não está sendo eficiente.

Métricas de mensuração de resultados da campanha

Após todo o trabalho de formulação, divulgação e respostas dos emails da campanha, chegou a hora de conferir se ela está trazendo resultado ou não. Com o Google Analytics, Google Search Console e o SEMrush você pode acompanhar os seguintes KPIs:

  • Aumento percentual nos domínios de referência;
  • Quantidade de backlinks para o site geral, para as páginas que você está fazendo a campanha e para os dois;
  • Aumento de visibilidade orgânica para as páginas da campanha;
  • Ganho de rankings para as páginas para as quais está promovendo a campanha;
  • Crescimento dos cliques orgânicos em termos sem marca;
  • Aumento de tráfego de referência dos domínios que você ganhou links com a campanha;
  • Aumento da autoridade do seu domínio.

Se você quiser ter esses dados de forma organizada e com fácil visualização, vale a pena criar um dashboard usando o Data Studio e conectando todas essas fontes de dados.

Ações recorrentes de link building

Como falado no início desse post, para que o seu trabalho com link building realmente faça a diferença é preciso haver uma cadência – ou seja, ações semanais e campanhas mensais. As ações recorrentes são alavancas” para conseguir links, normalmente exigem um esforço bem menor que uma campanha mensal e são relativamente mais fáceis para a geração de links. O único problema é que muitas vezes esses links não possuem uma autoridade tão alta quanto as campanhas de link building mensais podem gerar.

Menção de marca

Essa é uma oportunidade de conseguir um link de maneira mais fácil, afinal você não precisa pensar em um conteúdo específico e listar os artigos que poderiam linkar para ele. Você apenas irá solicitar a inclusão de links para o seu site nos artigos que já mencionam a sua marca.

Por exemplo: veículos de mídia que citam a sua marca devido a algum evento, ou por causa de seu CEO, ou até mesmo por algum lançamento, mas não geraram link para o seu site, nada mais justo que solicitar esse backlink, não acha?

Essa ação deve ser feita uma vez por semana. Assim, conforme forem surgindo novas menções, você já vai solicitando novos links. Para quem nunca fez ações de link building no seu site, essa pode ser uma ótima opção para começar, pois você vai se aventurando e se encorajando para tocar a primeira campanha mensal.

Como monitorar as menções à marca

Para monitorar as menções a marca, você pode usar uma das várias ferramentas de link building que já falei ao longo do texto, como BuzzSumo, o Ahrefs Content Explorer ou o Mention.

Aqui na Resultados Digitais usamos a SEMrush, que conta com uma opção específica de menções de marca. Com ela, você pode ver o total de menções, a quantidade de novas menções, as menções com e sem backlinks, os principais domínios de referência que mencionam o seu site, o tráfego, a autoridade deles e a estatística das suas menções.

Monitoramento de marca com SEMrush

Para ter relatórios completos de menção de marca direto no seu email, basta você configurar uma campanha: dashboard > projets > nome do seu projeto > brand monitoring > + add campaign, conforme a imagem abaixo:

brand monitoring

Depois, é só incluir as palavras-chave que você deseja monitorar, como a marca, nome dos CEOs, algum evento que a marca promova ou algum lançamento recente. Selecione o país, e a frequência que deseja receber esse email, conforme mostro na imagem abaixo:

campanha de link building

Assim, toda a semana você irá receber um relatório com todas as menções. O melhor de tudo é que já vemos uma prévia do conteúdo, título e link do post, autoridade daquele domínio e alcance estimado de tráfego. Isso nos ajuda a decidir se vale a pena ou não pedir aquele link.

semrush

Monitoramento de marca com Google Alerts

Outra opção de monitoramento, que também pode ser complementar ao uso da SEMrush, são os alertas do Google. Cada vez que uma página mencionar a sua marca você irá receber essa informação por email. Veja como configurar essa opção:

1 – Acesse o https://www.google.com.br/alerts:

google alertas

2- Coloque o nome da sua marca no campo do alerta:

google alertas

3-  Vá em “mostrar opções” e selecione a frequência, as fontes, idioma, região e o email que deseja receber o alerta:

google alertas

Pronto, a partir de agora ele enviará um alerta de menções para seu email. Caso queira excluir ou mudar algum filtro, basta fazer isso nos ícones dos “meus alertas”:

google alertas

Outreach para menções de marca

O texto do email de solicitação de link em menções de marca não tem muito mistério. O assunto do email pode ser um agradecimento. No copy você se apresenta, agradece a divulgação da sua marca no artigo e pergunta se podem inserir o link para o seu site.

Veja abaixo um exemplo do email de solicitação de menções que utilizo aqui na RD:

OUTREACH email

Como já falei no trecho sobre campanhas mensais, é importante que você também crie um email de follow-up. Assim, se esse primeiro email não obtiver resposta, o 2º pode ser enviado via automação:

follow up link building

Automação para menções de marca

Da mesma forma que as campanhas mensais, também utilizamos o RD Station Marketing para fazer a automação desses emails a partir da Landing Page interna. As informações do formulário dessa LP complementam o email. Assim que apertamos “enviar”, esse contato entra no fluxo de automação:

lp para backlinks

As informações para preencher os campos você pode encontrar no SEMrush (DA, site, link do post, qual marca mencionou, qual link incluir), o nome do autor pode estar diretamente no artigo, ou você pode usar o LinkedIn, conforme sugeri no trecho sobre campanhas. Para conseguir o email, pode utilizar uma daquelas extensões do navegador: Snov e Hunter.

Recuperar links perdidos e quebrados

Outra ação que você pode fazer semanalmente é consultar o relatório de links quebrados na SEMrush. Basta seguir esse caminho: painel de controle > projetos > nome do seu projeto > link building > monitor > domínios monitorados > quebrados.

Então, você terá uma lista de páginas com as quais poderá entrar em contato e sugerir a inserção do seu link correto. Essa ação costuma ser bem recebida por quem escreveu o conteúdo, afinal você estará ajudando a corrigir um link quebrado na página, o que provavelmente pode estar afetando a experiência do usuário.

Dicas extras para conquistar mais backlinks

Além das campanhas mensais e ações semanais que comentei ao longo deste texto, existem outras maneiras de conseguir backlinks para o seu site. Confira abaixo algumas delas:

Guest posts

Guest posts são os artigos de convidados. Ou seja, eles oferecem a possibilidade de você publicar conteúdos em outros blogs que não sejam o seu.

Normalmente, são convidados para escrever guest posts especialistas em determinados nichos e autoridades sobre o assunto abordado. Se feitos de maneira correta, os guest posts podem melhorar o seu desempenho de SEO, ajudar a construir sua marca pessoal e, ainda, gerar uma conscientização sobre o seu produto e/ou serviço.

Você pode estar se perguntando “por que ter o esforço de escrever um conteúdo novo, para que ele seja publicado em outro blog, não gerando tráfego e nem conversão para o meu blog?” A resposta é: ao publicar guest post você pode se estabelecer como autoridade naquele assunto e ainda conseguir ótimos links para o seu site.

Além disso, não necessariamente você vai precisar ter todo o esforço de criar um conteúdo do zero. Você pode, por exemplo, aproveitar alguns conteúdos do seu blog fazendo alguns ajustes e atualizações.

Como aproveitar conteúdos do seu blog para guest posts

Não se trata de duplicar seus conteúdos, até porque isso gera penalização do Google. Na verdade, os conteúdos que você poderá usar para guest posts são os conteúdos antigos do seu blog, fazendo uma reciclagem deles.

Ou seja, você vai pegar um conteúdo obsoleto e desatualizado, porém que fale sobre um tema interessante para o seu público, e assim irá atualizá-lo com novos dados, mídias, citações de especialistas no assunto, enfim, tudo que possa torná-lo atual.

Como fazer a reciclagem de conteúdo

Faça um mapeamento dos conteúdos antigos que você possui: blogposts, scripts de webinars e ebooks, e crie uma planilha com esses materiais. Em seguida, com a ajuda do Google Search Console e o Google Analytics, faça um levantamento de tráfego, backlinks, cliques e impressões que esses conteúdos geraram nos últimos 6 meses.

A partir disso, você pode separar os conteúdos que menos lhe geraram tráfego, links, cliques e impressões e escolher quais valem a pena fazer uma atualização para utilizar como guest post. Dê preferência a conteúdos que não exijam uma atualização muito grande, afinal essa tática é justamente para poupar o esforço de ter que escrever um artigo do zero.

Não esqueça que, depois de escolher qual conteúdo irá utilizar para o guest post e fizer a sua atualização, é necessário removê-lo do seu blog. Dependendo do caso, faça um redirect 301 para outro conteúdo relacionado. Isso é importante para não haver duplicidade de conteúdo na web.

Cuidados que você deve tomar em relação à Guest Posts

Os guest posts, assim como outras práticas citadas nesse texto, já foram utilizados de forma maliciosa para manipular o algoritmo. No passado, muitos artigos eram escritos apenas com o intuito de burlar os mecanismos de pesquisa, sendo publicados em sites de spam com foco na geração de backlinks – independentemente da qualidade deles.

Por isso alguns cuidados devem ser tomados, desde a produção do conteúdo até o blog que você irá colaborar com o guest post.

O que evitar na prática de guest post:

  • Inserir muitos links direcionando para sua página com texto âncora de palavra-chave exata – no máximo 3;
  • Publicar artigos em sites/blogs que não possuem o mesmo público alvo que o seu, ou que não tenham nenhuma relação com seus conteúdos, produtos e/ou serviços;
  • Ter uma quantidade excessiva de guest posts em muitos sites diferentes (escolha bem os locais que deseja publicar seu artigo);
  • Publicar artigos com conteúdo raso e excesso de links apontando para suas páginas (priorize as páginas  das quais deseja receber link);
  • Não duplique o conteúdo de um guest post para publicar em outro site ou blog;
  • Não é recomendado, mas se for duplicar o conteúdo para fins de divulgação, não esqueça de usar a rel canonical apontando para a publicação principal e utilize a tag nofollow. Isso ajuda a informar aos mecanismos de pesquisa que não se trata de uma tentativa de manipulação do algoritmo.

Como escolher o site/blog mais adequado para a publicação de seu guest post:

  • Tome cuidado se o site/blog tiver uma quantidade de guest posts muito alta, se não tiver uma linha editorial ou um editor de conteúdo. Afinal, eles podem ser utilizados por outras pessoas para fins de manipulação do algoritmo, e você não vai querer que suas páginas estejam associadas a eles;
  • Procure editorias relevantes para o seu nicho e que tenham relação com o seu público-alvo;
  • Priorize sites/blogs com autoridade de domínio de pelo menos 40;
  • Se possível, verifique o tráfego mensal que esse site/blog recebe (você pode fazer isso utilizando ferramentas como a SEMrush, Ahrefs ou SimilarWeb). Esse pode ser um fator de desempate na escolha entre um site e outro;
  • Verifique se eles possuem algum tipo de divulgação do conteúdo que você irá publicar como convidado.

Prospecção para Guest post

Assim como nas campanhas mensais e ações semanais, a prospecção deve começar a partir de uma planilha organizada com: site, autoridade de domínio, tráfego mensal, nome do responsável pela editoria, email, qual conteúdo você deseja publicar e observações.

Depois de escolher qual local deseja publicar seu guest post, crie o outreach do email de prospecção. Não esqueça das premissas básicas: seja direto no assunto do email, comece se apresentando e falando qual empresa representa, fale por que você acha o blog/site dele interessante, e diga como pode contribuir com conteúdo.

Explore as “dores” que seu conteúdo poderá sanar e ofereça a divulgação desse conteúdo caso eles aceitem o guest post.

Diretórios ainda são úteis para conquistar links?

Os diretórios são mais uma prática que acabou caindo nas garras de quem desejava burlar o algoritmo através de atalhos. Infelizmente, acabaram ganhando uma má fama no mundo do SEO. Porém, não podemos generalizar os diretórios, pois alguns são muito importantes até os dias de hoje, principalmente se tratando de empresas locais como, por exemplo, o Google Meu Negócio.

A maioria desses grandes diretórios, além de linkar para suas páginas, ajudam a fornecer confiança e credibilidade ao seu produto ou serviço. Por isso, é importante que você crie seu perfil nesses diretórios, trazendo informações úteis sobre seus produtos e serviços e transmitindo confiança aos usuários. Abaixo listei alguns grandes diretórios que você pode se cadastrar de forma 100% gratuita:

  • Facebook Business;
  • Apple Maps;
  • Google Meu Negócio;
  • Diretório de empresas do LinkedIn;
  • Bing;
  • Yelp;
  • Trip Advisor

Use posts de listas para ganhar links

Aqui, trata-se de artigos que reúnem em uma lista os melhores produtos de um setor ou nicho. As listas são muito importantes para auxiliar possíveis compradores, pois normalmente fazem comparação entre os produtos, ajudando na tomada de decisão de compra.

Estar presente nessas listas pode melhorar seu desempenho de SEO, pois você obtém um link para seu site e um link para seu produto. Além disso, elas podem ajudar no seu desempenho em vendas, porque coloca seu produto na frente de usuários que já procuram produtos ou serviços como o seu.

Para entrar listas que valem a pena vincular o seu produto, faça uma pesquisa no Google, como, por exemplo “melhores [nicho do seu produto]”, “principais”, e veja o que os mecanismos de pesquisa lhe apresentam. Se quiser fazer algo mais segmentado, acrescente a cidade, estado ou país no campo de busca.

listas para link building

Depois de localizar as listas que deseja que seu produto seja incluído, faça a prospecção. Envie um email  falando que encontrou a lista no Google e apresente o seu produto w argumente por que ele deveria fazer parte dessa lista.

Hora de colocar tudo isso em prática

Agora que você já sabe o que é link building e por que ele é tão importante para melhorar seu desempenho em SEO, é a hora de colocar em prática! Comece com as ações semanais, solicitando os links em sites que lhe mencionam e sugerindo a substituição de links quebrados.

Depois disso, verifique o que pode ser aproveitado no seu conteúdo para conseguir um guest post em um site/blog com alta reputação e autoridade. Pense em ferramentas que podem ser úteis para solucionar os problemas dos seus clientes, faça um estudo de palavra-chave e mapeei essas oportunidades.

Então, quando tiver um conteúdo de alta qualidade, relevante e que realmente agregue valor, parta para as campanhas mensais. Lembre-se: esse é um trabalho que exige cadência e persistência, mas tenho certeza que se você aplicar as dicas e sugestões deste artigo, logo estará colhendo os frutos!

Webinars de SEO Avançado na Prática

Quer conhecer dicas e estratégias - sem custo - para ter mais visitantes no seu site? Entenda, sem mistério, quais práticas de SEO trazem tráfego e resultados sustentáveis para sua empresa.

Este artigo foi publicado originalmente em março de 2015 e atualizado pela última vez em julho de 2020

Marcadores:

Deixe seu comentário

Comentários

2 comentários

  1. Rafaella Tedesco

    Obrigada Ewerton! Espero que seja útil para a comunidade ;)
    Abraço!

  2. Ewerton Silva

    Parabéns pelo conteúdo, Rafa. Acredito que um dos materiais mais completos da internet sobre o assunto!